projetos e patrocinadores

LEI ROUANET

Lei que apóia todos os tipos de projetos culturais com base no Imposto de Renda dentro do Brasil.

 

Esta página é para você patrocinador que procura projetos para patrocinar.

 

Temos projetos da lei ROUANET, PROAC-ICMS, ESPORTE, ANCINE, ECONOMIA CRIATIVA / ECO SUSTENTÁVEL.

CADASTRO PARA O PATROCINADOR SOLICITAR PROJETOS

Queremos ajudar você e facilitar sua vida.


 

AVISO AOS PROPONENTES E PRODUTORES: Envie seu projeto!

Abaixo, em cada imagem você clica e escolhe o projeto que você quer. Peça mais informações dos projetos.
Depois de escolher o projeto para patrocinar, se for o caso, ligue: 11- 3333-2226 / 7174-7487 ou envie-nos um email fultime@fultime.com.br



Lei que apóia todos os tipos de projetos culturais com base no Imposto do ICMS dentro do estado de São Paulo apenas.


Lei que apóia todos os tipos de projetos culturais com base no Imposto de Renda dentro do Brasil.




Direto sem leis de incentivo.







Eco Sustentáveis.


os saltimbancos - o musical

Nº 01

Segmento do projeto:
Teatro Musical

Gênero: Comédia
Título da peça / projeto: Os Saltimbancos – O Musical
Autor: Chico Buarque de Holanda
Direção e Adaptação: Iremar Melo
Teatro: Teatro Bradesco – Shopping Bourbon

Valor do projeto: R$ 2.674.114, 00 (dois milhões, seiscentos e setenta e quatro mil, cento e quatorze reais).
Tipo de incentivo: Lei Rouanet 

Ficha técnica dos principais envolvidos:
TEXTO, TRADUÇÃO, ADAPTAÇÃO E LETRAS DE CHICO BUARQUE; 
Músicas de LUIZ ENRIQUEZ; 
TEXTO ORIGINAL DE SÉRGIO BARDOTTI; 
Produção Executiva IREMAR MELO; 
Administração Full Time –Produções Culturais LTDA; 
Produção Artística de RUY DEALIS; 
Secretária Teatral LUANA FARIAS; 
Preparação de Atores Geraldo Mário; 
Direção Coreográfica PRISCILA SANCHES; 
Maestrina / Regente/ Direção Vocal KATIA GALASSO; 
Assessoria de Imprensa Marcelo Cabral; 
Assessoria Jurídica Cesnik Quintino & Salinas; 
Boneco do Elenco/Bichos FERNANDO GOMES; 
Cenógrafa LU GRECO; 
Artes Gráficas ELIS QUADRO; 
Web Site INFODIGITAL; 
Sonoplastia RAUL TEIXEIRA; 
Figurinos Telume Helen.

Explicação do projeto: Montagem no teatro Bradesco no Bourbon Shopping do musical infanto-juvenil Os Saltimbancos da obra de Chico Buarque, Sérgio Bardotti e Luiz Henríquez Bacalov com direção de Iremar Melo. O musical é voltado para o público infantil e juvenil com 32 apresentações no teatro Bradesco em São Paulo. Queremos resgatar o gosto pelo lúdico, as brincadeiras e a intervenções com a platéia. Serão 15 coreografias contando e narrando a história de um modo bem gostoso e divertido.

Sinopse: Musical infantil-juvenil de Chico Buarque e Sérgio Bardotti inspirado na obra – Os músicos de Bremem - dos Irmãos Grimm que ficou conhecido no Brasil como Os Saltimbancos. Quatro animais muito diferentes entre si (o jumento, a galinha, o gato e o cão) buscam escapar da opressão de seus donos. Juntos decidem formar um grupo musical e rumam à cidade para começar a carreira artística. No caminho encontram seus antigos donos e temendo serem novamente escravizados, resolvem enfrentá-los. Para surpresa de todos, os patrões é que fogem. Como diz a letra da canção: "O animal é tão bacana, mas também não é nenhum banana". 

Parceiros: AACD e ABRINQ


Projeto Escola no Teatro

Nº 2


 Segmento do projeto: Teatro

Gênero: Comédia

Título da peça / projeto: Projeto Escola no Teatro – peça teatral O Juiz de Paz na Roça, Oficina e Debate

Autor: MartinsPena

Teatro: Bibi Ferreira

Valor do projeto: R$ 570.000,00 (quinhentos e setenta mil reais)

Tipo de incentivo: Lei Rouanet .

Ficha técnica dos principais envolvidos:

João Acaiabe, Luiz Baccelli, Valéria Sândalo, Eduardo Chagas Thais Carvalho, Patrícia Barros, Cris Bessa, Thaisi Rocha, Eduardo Acaiabe e elenco.

Explicação do projeto: Projeto que envolve Meio Ambiente e Educação. Aberto a doações de brindes, objetos e afins voltados ao meio ambiente e educação. Projeto que prevê montagem de peça de teatro com oficina e debate. O espetáculo será apresentado no teatro Bibi Ferreira com 35 apresentações aos finais de semana. O projeto, Escola no Teatro é um projeto que prevê a integração entre a escola e o teatro. É um projeto sócio-cultural que visa oferecer um trabalho digno para que os alunos tenham acesso a cultura num teatro histórico que será o teatro Bibi Ferreira.

Detalhes: Ofereceremos ao espectador após saída do espetáculo, mudas de plantas e afins do meio ambiente, brindes,etc. Projeto aberto a outros tipos de doações e brindes.

Vamos buscar apoio para conseguir as mudas de plantas e brindes voltados ao meio ambiente. A intenção é a de também doar após o espetáculo, livros, livretos, cadernos, lápis, borracha, lápis de cor, réguas ou qualquer outro utensílio de escola para o público que for assistir ao espetáculo. Estamos na busca de empresas que queiram patrocinar nosso projeto e que queiram doar esses itens acima citado.

Obs: Projeto ideal para a empresa que quer deduzir do imposto de renda e quer patrocinar. Perfeito projeto para ação de marketing.

Sinopse: A peça é uma comédia e passa-se na roça e aborda com humor o jeito particular de ser da gente roceira do Brasil do século XIX, focando as cenas em torno de uma família da roça e do cotidiano de um juiz de paz neste ambiente e explorando uma série de situações em que transbordam a simplicidade e inocência daquelas pessoas. .Texto de domínio público - O Juiz de Paz da Roça é uma peça teatral que se passa na roça e tem apenas um ato. Conta sobre Aninha e José. Aninha e José amam-se e planejam casar em segredo, mas José é capturado para tornar-se soldado contra a Revolução Farroupilha. Após algumas deliberações sobre as disputas locais entre os lavradores, o juiz ordena Manuel João, pai de Aninha, a levar José a manter-lhe em casa por um dia e levá-lo quartel a seguir (ninguém sabe do amor do casal). No meio da noite o Aninha e José fogem e casam-se em segredo. Após descobrirem o fato consumado os pais perdoam a jovem e vão até o juiz esclarecer o caso. O rapaz fica assim desobrigado de servir e a peça acaba com Todos comemorando.

Detalhes do projetos: Clássico da literatura brasileira onde todos os jovens são direcionados a estudarem o livro em escola particulares e públicas. Milhares de livros e montagens de peças teatrais são feitas no Brasil. Projeto cultural com foco na educação onde nosso público serão estudantes, na sua maioria jovens. Escolas estaduais e municipais serão convidadas a participarem do espetáculo onde cada aluno terá um pequena ficha de avaliação do espetáculo.

Ação Social: Será convidado uma ONG ou o patrocinador poderá indicar uma ONG, fundação, de sua preferência para receber ingressos cortesias.

Plano de Mídia: Em mídia investiremos cerca de R$ 84.700,00 ( oitenta e quatro mil e setecentos reais ). Um investimento muito representativo em comparação a outros projetos.  Em rádio e mídia impressa. também faremos divulgação conforme quadro abaixo.

MIDIA UTILIZADA: Jornal imprensa, rádio, sites, redes sociais, camisetas, programas impressos, internet.

Contrapartida:

§  Apresentação da logomarca da Empresa Patrocinadora antes do título do espetáculo.

§  Logomarca em todo material impresso.

§  Logomarca da Empresa Patrocinadora com destaque em toda mídia paga.

§  Pré-estreia exclusiva para convidados, funcionários e clientes

§  Vídeo institucional da Empresa Patrocinadora antes do início de cada apresentação.

§   Cota de convites durante a temporada.

§  Nas entrevistas os atores farão uma menção especial à Empresa Patrocinadora.

§  Banner exclusivo do patrocinador no teatro com título da peça.

 

Cotas de Patrocínio

Apresentamos aqui cotas de patrocínio para sua empresa, seu setor de marketing, financeiro se pautar e organizar no que diz respeito ao patrocínio do projeto Escola no Teatro.

Valor total

R$ 573.650,00

( quinhentos e setenta e três mil, seiscentos e cinqüenta reais )

Gasto com mídia

84.700,00

( oitenta e quatro mil e setecentos reais )

 

 

 

COTAS

PATROCÍNIO

COMO SERÁ

100 %

Patrocínio

Em todas as peças gráfica e mídias

 

60 % do valor

 

Patrocínio

Exibição da Logomarca em todos os materiais

 

30%  do valor

 

Co- patrocínio

 

Exibição da Logomarca em todos os materiais

 

 

10%  do valor

 

Co-patrocínio

 

Exibição da Logomarca em todos os materiais

 

 

Patrocínio

 

 

No cabeçalho

 

Co-patrocínio

 

 

No rodapé

 

Negociação

 

 

Ou outro valor que a empresa queira efetuar

Iracema

Nº 03


Segmento do projeto:  Artes cênicas

Gênero:  Teatro 

Título do projeto: IRACEMA

Local do projeto:  Teatro

Região do projeto: Cidade de São Paulo

Valor do projeto:   R$ 296.984,71   ( duzentos e noventa e seis mil e novecentos e oitenta e quatro reais e setenta e um centavos)

Temáticas: Educação 

Explicação do projeto: O projeto teatral Iracema é uma adaptação do livro de José de Alencar, a qual descreve a colonização do Brasil e de toda a América pelos invasores portugueses e europeus.

A proposta de encenação de Iracema é valorizar um dos mais belos romances da literatura brasileira e favorecer ao público em geral, alunos do ensino fundamental e médio, o entendimento do livro, contribuindo para o desenvolvimento cultural.

A direção do espetáculo será executada pelas mãos de Sebastião Apolônio.

Sinopse:   O espetáculo Iracema narra a Lenda do estado do Ceará e apresenta a história de uma índia tabajara chamada Iracema, a virgem consagrada a Tupã, que se apaixona por Martim Soares Moreno, colonizador português e inimigo dos tabajaras.

Por esse amor, Iracema abandona sua tribo, tornando-se esposa do inimigo de seu povo e quando mais tarde percebe a nostalgia de Martim por sua terra natal, começa a sofrer.

Enquanto Martim está lutando em outras regiões, Iracema dá luz a Moacir – filho da dor -  fruto dessa união e não resistindo a ausência e a mudança inesperada do amado, Iracema adoece.

Ao voltar, Martim encontra Iracema quase sem vida e após entregar o filho ao esposo, pede-lhe que a enterre aos pés do coqueiro.

 Pai e filho se fixam no local, dando o surgimento do estado do Ceará.

Entre guerras e conflitos, ciúmes e disputa de poder, a história desse amor proibido tem como pano de fundo a cultura indígena, com seus deuses, mitos e a miscigenação do branco com o índio

Outros detalhes do projeto: Apresentação do Tema Escolhido para Encenação A permanência de Iracema no universo brasileiro e literário é incontestável.

Iracema apresenta uma espécie de conciliação entre o branco e o índio, na medida em que romantiza a dominação de um povo pelo outro. Desta forma insere nos códigos artísticos do Romantismo europeu a temática do processo de colonização do país e com a obra se inaugura o mito heróico da pátria, de natureza indianista.  Iracema representa, simbolicamente, a América, cuja história se inicia pela exploração de suas riquezas pelos colonizadores ocidentais, os quais são representados no romance por Martim. O termo Iracema significa “lábios de mel” e expressa a sutileza, o cuidado com que José Alencar o escolheu e é descrita com a máxima beleza romântica, como na seguinte passagem: “Iracema, a virgem dos lábios de mel, que tinha os cabelos mais negros que a asa da graúna e mais longos que seu talhe de palmeira.”

 José de Alencar

Considerado o mais importante escritor do Romantismo brasileiro, é ele quem consegue expressar o perfeito retrato da cultura brasileira, explorando novas vertentes da produção literária, criando e abrindo caminhos para a criação de uma literatura brasileira original, ampla e de boa qualidade.

E por isso foi o autor que mais se aproximou do objetivo da escola romântica, mesclando a idealização e o sonho com um realismo sutil, valorizando os elementos naturais da cultura brasileira e o índio como figura-mãe da original cultura brasileira.

Suas obras foram capazes de inspirar nos burgueses o gosto pela leitura nacional e também, de inspirar diversos autores a seguir caminhos por ele traçados, concretizando assim seu projeto nacionalista de revelar o Brasil num todo.

Iracema (ou Iracema, lenda do Ceará) é um romance da literatura romântica brasileira publicado em 1865, fazendo parte da   trilogia indianista do autor.

Podemos considerar José de Alencar como o precursor do romantismo no Brasil dentro das quatro características: indianista, psicológico, regional e histórico.

Objetivos

Realizar a  montagem  do espetáculo  Iracema e o período estimado para produção e ensaios  é de dois meses.

Realizar  três meses de temporada do espetáculo Iracema na cidade de São Paulo.

Difundir o conhecimento da história do Brasil e da fundação do estado do Ceará aos alunos das escolas públicas, privadas e ao público em geral.

Oferecer aos estudantes uma diferente mídia para a compreensão do livro  Iracema, de José de Alencar.

Popularizar o Teatro através de obras conhecidas do público em geral.

Incentivar a leitura da vasta e rica literatura brasileira.

Oferecer compreensão da obra através da visualização cênica.

Justificativa

Iracema,o clássico nacional de José de Alencar, costuma ser um dos primeiros livros a ser apresentado aos estudantes como leitura obrigatória nas escolas.

Entendendo que o hábito leitura é um instrumento valioso na educação e formação do aluno, o espetáculo Iracema, tem o objetivo em estimular esse hábito, facilitando o entendimento com a visualização cênica.

Criar uma intimidade com o livro através do teatro e transmitir ao aluno o prazer de conhecer um clássico literário, auxiliando-o na compreensão do texto.

Serão analisadas notas significativas do romance:

Relação entre homem e natureza e a dimensão do meio ambiente;

Relação entre homem e meio ambiente; época em que viveu Iracema e hoje;

Noções de identidade e diferença, que podem ser discutidas à luz dos direitos humanos e do problema do preconceito e da exclusão, em confronto com a experiência de cada aluno;

Favorecer discussões e informações etimológicas e históricas.

Teatro/Temporada 

  Teatro Ressurreição, localizado à Rua dos Jornalistas, 123 – Jabaquara – São Paulo – SP.

Capacidade 400 lugares, com acesso a cadeirantes, próximo Metrô Jabaquara.

Aos sábados e domingos no horário das 17:30h.

Estimativa de público e perfil: 

O espetáculo IRACEMA visa atingir o público em  geral, alunos do ensino fundamental e médio, oferecendo entretenimento e cultura na cidade de São Paulo.

8.500  espectadores  aos sábados e domingos.

10.000 alunos em apresentações  para escolas interessadas durante   a semana.

Democratização da Cultura

Ingressos a preços populares R$ 20,00 e R$ 10,00 para estudantes, professores, aposentados.

100 ingressos disponíveis para escolas ou instituições carentes, em todas as apresentações.

Resultados Esperados

Gerar empregos diretos e indiretos.

Facilitar a compreensão do livro para estudantes.

Oferecer ao público um espetáculo de uma obra literária .

Ação de Responsabilidade Socioambiental

Palestra com um biólogo ao final de cada espetáculo, sobre dois tópicos:

  Importância do meio ambiente para o Homem e Resíduos (Lixo).

1) Importância do meio ambiente para o ser humano:

     -  Água   -  Funções Ambientais    -    Áreas Verdes

2 ) Resíduos (Lixo):

- Da matéria prima ao descarte

- Impacto urbano e ambiental

- Reciclar, Reutilizar e Repensar

Plano de Mídia:

Cartazes: 1.000 distribuídos em escolas públicas e particulares

Filipetas: 25.000

Programas do espetáculo: 6.000

Banner: 1

Guia do Teatro: Página Colorida (10,5 x 155, mm ) - 3 meses

Cheque Teatro : 3 meses

Dica de Teatro - 3 meses

Guia Off : Página Colorida (10 x 14,5 cm) - 3 meses

Jornais de Barros (Os principais Jornais de Bairros – Gazeta do Tatuapé – Gazeta da Penha – Gazeta de Pinheiros, Moema, Vila Mariana, Campo Belo, Freguesia do Ó, Jabaquara, entre outros)

Programas TV Todo Seu e Mulheres (TV Gazeta entre outros)

Assessoria de Imprensa – 4 meses

Divulgação Internet: 32.000 contatos

Será entregue a Empresa Patrocinadora um vídeo do espetáculo, incluindo comentários do público.

Cotas de patrocínio:

Apresenta: R$  296.984,71

Patrocínio: R$  190.000,00

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

  • Apresentação da logomarca da Empresa Patrocinadora antes do título do espetáculo.
  • Logomarca em todo material impresso.
  • Logomarca da Empresa Patrocinadora com destaque em toda mídia paga.
  • Pré-estreia exclusiva para convidados, funcionários e clientes
  • Vídeo institucional da Empresa Patrocinadora antes do início de cada apresentação.
  • Cota de convites durante a temporada.
  • Merchandising ou ações promocionais no saguão  ( a negociar com o teatro).
  • Nas entrevistas os atores farão uma menção especial à Empresa Patrocinadora.
  • Banner exclusivo no saguão ( a negociar com o teatro).

 

IRACEMA

...a virgem dos lábios de mel e de cabelos mais negros que a  asa da graúna..."

O CASAMENTO DO PONTO COM A VÍRGULA

Nº 04


Segmento do projeto:   Artes cênicas

Gênero:  Teatro  

Título do projeto: O Casamento do Ponto com a Vírgula

Local do projeto e nome do local:  Teatro

Região do projeto / município / estado: São Paulo

Valor do projeto:   R$   391.723,20   ( trezentos e noventa e um mil e setecentos e vinte e três reais e vinte centavos)

Temáticas: Educação  / Infantil 

Explicação do projeto:

O espetáculo teatral, O Casamento do Ponto com a Vírgula, levará o público infantil a uma inesquecível viagem ao mundo da fantasia, com os personagens dos símbolos da pontuação da família ortográfica, despertando na criança a importância da escrita correta no meio digital e suas implicações no desenvolvimento da escrita no ambiente escolar e no cotidiano.

A dramaturgia também aborda o assunto bullying nas escolas, alertando pais, educadores e estudantes que o combate pode ser um passo fundamental para enfrentamento da violência escolar, além das suas consequências pertubadoras no desenvolvimento social e psíquico da criança.

 O Casamento do Ponto com a Vírgula foi escrito por Ronaldo Ciambroni e a direção do espetáculo será executada pelas mãos do autor da dramaturgia.

 O espetáculo terá temporada de três meses, com vinte quatro apresentações,  na cidade de São Paulo.

Sinopse / resumo / comentário:  

 O Ponto Final sente-se desanimado com sua atuação na grafia, sempre sendo um ponto final.

 Nada acontece depois dele, apenas o colocam como fim de uma frase e ponto final! Diferente de seu pai – o ponto de interrogação, que está sempre perguntando e esperando por uma resposta e, de sua mãe – o ponto de exclamação que em todas as frases entona-se leve e suave.

 O Ponto Final encontra-se com a Vírgula e desse encontro nasce uma paixão a primeira vista. Enquanto o Ponto e a Vírgula trocam juras de amor dentro do computador, recebem uma indesejada visita: O  Vírus, que passa a interferir de maneira desagradável na Família Ortográfica.

Começa então uma grande batalha para acabar com o impostor. Após muita luta e confronto, o Ponto Final e a Vírgula, junto com a Família Ortográfica eliminam o Vírus.

       O Ponto Final casa-se com a Vírgula e desse amor nasce o “Ponto e Vírgula”.

Outros detalhes do projeto:

Incentivo pela escrita correta

Entendendo que a pontuação é um instrumento valioso na redação de um texto, o espetáculo O Casamento do Ponto com a Vírgula, estimulará a criança a escrever corretamente, refletindo sobre a importância dos sinais de pontuação presentes em qualquer texto, inclusive no meio digital.

Ao comunicar-se através do meio digital, a criança deverá evitar a linguagem abreviada, para quando se deparar na execução de uma redação na escola, não encontre dificuldade em escrever corretamente.

Bullying nas escolas

 A principal justificativa para a elaboração deste projeto é a de identificar, prevenir e combater qualquer tipo de violência nas escolas, principalmente o bullying.

É por entender que é possível  encontrar meios para dar verdadeiro sentido às relações humanas, quer seja no ambiente escolar, quer seja na sociedade como um todo.

Quando não há intervenções eficazes contra o bullying, o espaço escolar torna-se totalmente corrompido e as crianças  afetadas passam a experimentar sentimentos de ansiedade e medo.

Objetivos

ü  Incentivar a criança a utilizar de maneira adequada os sinais de pontuação, mostrando o quanto são de fundamental importância para o sentido de uma frase.

ü  Orientar e informar a pais e educadores sobre o assunto bullying nas escolas, para que possam auxiliar tanto a vítima, quanto a criança que o está praticando.

ü  Destacar que, apesar da grande repercussão nos dias atuais, esta prática não é tão nova quanto parece e muitas vezes, por medo ou vergonha, quem sofre bullying, não se manifesta.

ü  Ressaltar a importância do olhar atento de pais e educadores para esse assunto, constatando que o bullying deve combatido e jamais tolerado.

ü  Promover a democratização do acesso e a inclusão cultural por da oferta de ingressos a preços populares e a distribuição de ingressos para estudantes, comunidades de baixa renda  e entidades sociais.

Estimativa de público e perfil: 

O espetáculo O Casamento do Ponto com a Vírgula visa atingir o público infantil, além de pais e educadores das escolas públicas e privadas.

ü  12.000 espectadores aos sábados e domingos.

ü  15.000 alunos em apresentações para escolas interessadas durante a semana.

Democratização da Cultura:

ü  Ingressos a preços populares R$ 20,00 e R$ 10,00 para crianças, professores, aposentados

ü  100 ingressos disponíveis para escolas ou instituições carentes, em todas as apresentações.

Teatro/Temporada:

Rua dos Jornalistas, 123  Jabaquara – São Paulo – SP. Metrô Jabaquara

Capacidade 400 lugares. Acesso a cadeirantes

Sábados e domingos. Horário das 15:30h.

Plano de Mídia:

  • Cartazes: 5.000 distribuídos em escolas públicas e particulares.
  • Filipetas/ Marca livros: 12.000. 
  • Programas do espetáculo: 8.000. 
  • Banner: 2.
  • Guia do Teatro: Página Colorida (10,5 x 155, mm ) - 3 meses
  • Cheque Teatro: 3 meses
  • Dica de Teatro: 3 meses.
  • Guia Off: Página Colorida (10 x 14,5 cm) - 3 meses
  • Mídia METRÔ: Linha Azul: Painel Vertical  - Tamanho: 0,41m L x 0,61m -  48 unidades –  2 meses
  • Jornais de Bairros (Gazeta do Tatuapé – Gazeta da Penha – Gazeta de Pinheiros, Moema, Vila Mariana, Campo Belo, Freguesia do Ó, Jabaquara, entre outros).
  • Programas TV Todo Seu e Mulheres (TV Gazeta entre outros).
  • Assessoria de Imprensa – 4 meses.
  • Divulgação Internet: 32.000 contatos.
  • Será entregue a Empresa Patrocinadora um vídeo do espetáculo, incluindo comentários do público.

Cotas de patrocínio:

  • Apresenta:   R$  391.723,20
  • Patrocínio:   R$  250.000,00

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

ü Apresentação da logomarca da Empresa Patrocinadora antes do título do espetáculo.

ü Logomarca em todo material impresso.

ü Logomarca da Empresa Patrocinadora com destaque em toda mídia paga.

ü Pré-estreia exclusiva para convidados, funcionários e clientes

ü  Vídeo institucional da Empresa Patrocinadora antes do início de cada apresentação.

ü Cota de convites durante a temporada.

ü Merchandising ou ações promocionais no saguão  ( a negociar com o teatro).

ü  Nas entrevistas os atores farão uma menção especial à Empresa Patrocinadora.

ü Banner exclusivo no saguão ( a negociar com o teatro).

Tipo de incentivo:  Lei Rouanet    PRONAC.: 103795 - Art. 18

VOLTOU, MAS ESQUECEU

Nº 05


Segmento do projeto:    Artes cênicas

Gênero:  Teatro  

Título do projeto: Voltou mas, esqueceu...

Local do projeto e nome do local:  Teatro

Região do projeto / município / estado: São Paulo

Valor do projeto:   R$ 325.827,68 ( trezentos e vinte e cinco mil e oitocentos e vinte e sete reais e sessenta e oito centavos)     

Temáticas: Arte  

Explicação do projeto: Voltou, mas esqueceu...é um  romance de grande sucesso da romancista inglesa Florence Barclay , escrito em  1920 e traduzido por Wallace Leal Rodrigues. A idéia central do espetáculo é o verdadeiro amor que une as pessoas. Na trama, um jovem casal em plena felicidade  conjugal, a esposa é surpreendida pela inesperada  morte do marido.  O assunto, vida após a morte,  apresentará impressionantes desdobramentos, levando ao público a mensagem de que  o verdadeiro amor é imortal. A adaptação do livro Voltou mas, esqueceu... para a linguagem teatral foi feita por Lurimar Vianna e a direção do espetáculo será executada pelas mãos de Marcelo Medeiros.

Apresentação do Tema

Perder um ente querido significa um dos momentos mais difíceis da existência humana. A dor da separação daqueles que amamos pode ser definida de inúmeras formas. Alguns relatam ser uma dor indescritível, outros dizem sentir uma sensação de vazio; há os que também que custam a acreditar no que aconteceu. O fato é que a dor da perda não pode ser evitada, mas a maneira de encarar a situação e a compreensão de que a morte não existe, pode ajudar pessoas a passarem por esse momento doloroso.

Sinopse / resumo / comentário:  

Miriam, esposa inconformada com a morte de Nigel, seu esposo, pede para que ele retorne à vida. Passado algum tempo desse acontecimento, uma criança recém nascida é abandonada no Instituto dos Enjeitados. Recebe o nome de Lucas e cresce atormentado por uma procura insaciável de algo que não sabe definir – pressentindo o chamamento de alguém. Quando adulto, reencontra-se com Miriam. Desse encontro, surgem  comoventes acontecimentos e comprovações de que Lucas era Nigel, marido de Miriam.

Outros detalhes do projeto:  Voltou mas, esqueceu... no Teatro

A indústria cultural, tanto  TV, quanto cinema e teatro, tem aproveitado o  crescente interesse da temática vida após a morte,  há décadas inspirando novelas , filmes, reportagens  em revistas (em todos esses casos apresentando 30% de aumento do público e audiência). Voltou mas, esqueceu... no teatro levará ao público interessado nessa temática, a oportunidade de assistir  um espetáculo que permite a reflexão e discussão sobre o tema abordado.

Objetivos:

  • Realizar a  montagem  do espetáculo  Voltou mas, esqueceu...;  período estimado para produção e ensaios:  dois meses.
  •  Realizar  três meses de temporada do espetáculo Voltou mas, esqueceu... na cidade de São Paulo. O espetáculo ficará em cartaz no Teatro Ressurreição com sessões  aos  sábados e domingos às 18hs .
  •  Proporcionar à população o acesso da sociabilização dos bens culturais imateriais,  unindo qualidade artística e formação de público.
  •  Democratizar o acesso a cultura, por meio de ingressos à preços populares.
  •  Gerar empregos diretos e indiretos.
  •  Após o término da temporada na Capital, o espetáculo seguirá viagem, apresentando-se nas cidades do Estado de São Paulo e outros Estados.

Estimativa de público e perfil: 

O espetáculo Voltou mas, esqueceu... visa atingir o público adulto interessado  nos assuntos comuns  que tocam a todos nós.

Entendendo que a temática está em discussão em todo o mundo,  estima-se público de:

  •   9.600  espectadores na cidade de São Paulo .
  •   60.000 espectadores em apresentações nas cidades do Estado de São Paulo e outros Estados.

Teatro / Temporada:

Teatro Ressurreição. Rua dos Jornalistas, 123  - Jabaquara . São Paulo – SP.

Capacidade 400 lugares. Acesso a cadeirantes. Sábados e domingos . Horário : 18hs.

 

Plano de Mídia:

  • Cartazes: 3.000

• Filipetas / Marca Livro: 30.000

• Programas do espetáculo: 8.500

• Banner: 2

• Guia do Teatro: Página Colorida (10,5 x 155, mm): 3 meses

• Cheque Teatro: 3 meses

• Dica de Teatro/Guia da Semana/mídias de Internet: 3 meses

• Guia Off: Página Colorida (10 x 14,5 cm): 3 meses

• Mídia METRÔ: Linha Azul: Painel Vertical  - Tamanho: 0,41m L x 0,61m -  48 unidades –  2 meses

• Jornais de Barros: (Os principais Jornais de Bairros – Gazeta do Tatuapé – Gazeta da Penha – Gazeta de Pinheiros,    Moema, Vila Mariana, Campo Belo, Freguesia do Ó, Jabaquara, entre outros)

• Programas  de TV - Todo Seu e Mulheres (TV Gazeta entre outros)

• Assessoria de Imprensa : 4 meses

• Divulgação Internet: 32.000 contatos

Divulgação específica ao público envolvido com o tema:

  • § Rádio Boa Nova – 260 inserções.
  • Rádio Mundial – 180 inserções .
  • Revista Internacional do Espiritismo da Editora O Clarim - (mensal) – 9.000 leitores na Cidade de São Paulo.
  • Comunicado da montagem do espetáculo Voltou mas, esqueceu..., para  as Federativas de todos os Estados brasileiros.
  • Divulgação pela mídia espírita e órgãos de comunicação de todo o País.

Cotas de patrocínio:

Apresenta:   R$ 325.827,68

Patrocínio:   R$ 220.000,00

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

  • Apresentação da logomarca da Empresa Patrocinadora antes do título do espetáculo.
  • Logomarca em todo material impresso.
  • Logomarca da Empresa Patrocinadora com destaque em toda mídia paga.
  • Pré-estreia exclusiva para convidados, funcionários e clientes
  • Vídeo institucional da Empresa Patrocinadora antes do início de cada apresentação.
  •  Cota de convites durante a temporada.
  • Merchandising ou ações promocionais no saguão  (a negociar com o teatro).
  • Nas entrevistas os atores farão uma menção especial à Empresa Patrocinadora.
  • Banner exclusivo no saguão (a negociar com o teatro).

Tipo de incentivo:  Lei Rouanet   -  PRONAC.: 098017 - Art. 18

Valor para captação, elaboração e agenciamento: 

R$ 30.171,00 ( trinta mil e cento e setenta e um reais)

 Contatos diretos  do proponente: 

Produtora Executiva e Responsável Técnica

Lurimar Martins Vianna

11 – 5542 7570 / 9173 7955

luryvianna@gmail.com

 Empresa / produtora do projeto: 

Cooperativa Paulista de Teatro / Áquila Prisca Companhia de Teatro (núcleo)

CNPJ: 51.561.819/0001-69

Praça Dom José Gaspar, n° 30 – 4° andar – São Paulo – SP .

11 – 2117 4700

Parceiros / apoiadores do projeto: 

Áquila Prisca Companhia de Teatro em parceria com o Comitê Betinho, contribuindo com o  combate à fome e nas construções de novas cisternas no Nordeste Brasileiro.

Comitê Betinho foi fundado em novembro de 1993, inspirado na Campanha Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e pela Vida, idealizada por Herbert de Souza, o Betinho. Distribuímos cestas básicas para entidades cadastradas e nos orgulhamos de sermos pioneiros em São Paulo no apoio à construção de cisternas (recipientes para coletar águas das chuvas) no nordeste brasileiro.

http://www.comitebetinho.org.br/

José Roberto Vieira Barboza - Diretor Presidente 

ANTES SÓ QUE MAL ASSOMBRADO

Nº 06


Segmento do projeto:  Artes cênicas

Gênero:  Teatro / Comédia

Título do projeto: Antes só que Mal Assombrado

Local do projeto e nome do local:  Teatro

Região do projeto / município:  São Paulo

Valor do projeto:   R$ 179.894,00 ( cento e setenta e nove mil e oitocentos e noventa e quatro reais)     

 Temáticas: Comédia adulta / Saúde

Explicação do projeto: O espetáculo Antes só que Mal Assombrado relata de maneira divertida o comportamento do homem e da mulher durante o casamento.

É uma comédia romântica, motivacional e de maneira descontraída adverte as pessoas sobre as armadilhas de uma vida monótona e o comodismo frente às situações corriqueiras.

O texto Antes só que Mal Assombrado foi escrito por Lurimar Vianna e a direção do espetáculo será executada pelas mãos de Sebastião Apolônio.

O espetáculo ficará em cartaz com três meses de temporada na cidade de São Paulo.

Sinopse / resumo / comentário:  O enredo inicia-se com um casal vivendo uma crise silenciosa no casamento. Gilberto, esposo desempregado e acomodado, depara-se com um mal entendido com Gilda, esposa sensata e dedicada. A falta de comunicação entre o casal atinge o seu limite, a crise ganha “voz” e eles se vêem às voltas com a separação. Gilberto, inconformado com a separação e diante de um pedido de exame de próstata, recebe a inusitada visita de seu primo Afrânio, já falecido, que tenta ajudá-lo de maneira desastrosa.

Outros detalhes do projeto:

Objetivos:

  • Realizar a montagem do espetáculo Antes só que Mal Assombrado. O período estimado para produção e ensaios é de dois meses.
  •  Realizar três meses de temporada do espetáculo Antes Só que Mal Assombrado na cidade de São Paulo.
  •  Enfatizar a importância de exames preventivos como o de câncer de próstata e hábitos saudáveis, além da ingestão de alimentos que contribuam na prevenção de doenças.
  • O espetáculo Antes só que Mal Assombrado por abordar em sua dramaturgia o assunto do exame de próstata oferece informação de que o homem deve estar atento ao seu bem estar físico, realizando exames preventivos periodicamente.
  •  Divulgar e popularizar a arte teatral por meio de uma linguagem, a saber a comédia, que propicia uma comunicação direta com o público por criar uma atmosfera de empatia.
  •  Incentivar e valorizar as artes cênicas brasileiras.
  •  Democratizar o acesso a cultura, por meio de ingressos a preços populares.

Justificativa: Ainda hoje, a divulgação da importância do exame preventivo de câncer de próstata é mais restrita, e apesar de sua grande valia para a saúde masculina, o número de homens que se dispõem para a realização dos exames preventivos , é pequeno.

O espetáculo Antes só que Mal Assombrado, aborda a necessidade da realização do exame preventivo de maneira descontraída, clara e objetiva, sempre respeitando o público presente, entretanto, não deixa de enfatizar a importância de uma vida saudável.

Portanto, tem em vista que a atenção à saúde e o direito a ela é previsto a todo cidadão constitucionalmente; informar, alertar e prevenir sobre os problemas que afetam especificamente os homens é um dos objetivos da Áquila Prisca Companhia de Teatro nessa montagem.

Estimativa de público e perfil:  O espetáculo Antes só que Mal Assombrado visa atingir o público adulto de 20 a 80 anos, classes A, B, C que busca um entretenimento na cidade de São Paulo. 

Obs.: Haverá divulgação nos jornais dos Sindicatos: Bancários, Metalúrgicos, Vigilantes, Comerciários, Taxistas, Motoristas, Aposentados, Advogados, Correios, etc. Convidando desta feita o público masculino para assistir a um espetáculo preventivo e motivacional.

  •    16.000 espectadores na temporada em São Paulo .
  •    30.000 espectadores em viagens após temporada.

Abrangência:  O espetáculo Antes Só que Mal Assombrado abrangerá a cidade de São Paulo e grande São Paulo - São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Santo André, Diadema, Guarulhos, Cotia, Suzano, Taboão da Serra, Mauá, Embu das Artes, Itapecerica da Serra, Carapicuíba, Poá, Embu Guaçu, Jandira, Mairiporã, Vargem Grande Paulista, Santana de Parnaíba, Rio Grande da Serra, Osasco, Ribeirão Pires, Itaquaquecetuba, Francisco Morato, Ferraz de Vasconcelos e Franco da Rocha.

Teatro / Temporada:  Teatro Ressurreição. Rua dos Jornalistas, 123  - Jabaquara . São Paulo – SP.

Capacidade 400 lugares. Acesso a cadeirantes. Sábados e domingos . Horário : 18hs.

Plano de Mídia:

  • Cartazes: 500

• Filipetas / Marca Livro: 20.000

• Programas do espetáculo: 6.000

• Banner: 1

• Guia do Teatro: Página Colorida (10,5 x 155, mm): 3 meses

• Cheque Teatro: 3 meses

• Dica de Teatro/Guia da Semana/mídias de Internet: 3 meses

• Guia Off: Página Colorida (10 x 14,5 cm): 3 meses

• Mídia METRÔ: Linha Azul: Painel Vertical  - Tamanho: 0,41m L x 0,61m -  48 unidades –  2 meses

• Jornais de Barros: (Os principais Jornais de Bairros – Gazeta do Tatuapé – Gazeta da Penha – Gazeta de Pinheiros,    Moema, Vila Mariana, Campo Belo, Freguesia do Ó, Jabaquara, entre outros)

  • Rádio Boa Nova – 260 inserções – 3 meses.
  • Rádio Mundial – 180 inserções – 3 meses.

• Programas  de TV - Todo Seu e Mulheres (TV Gazeta entre outros)

• Assessoria de Imprensa : 4 meses

• Divulgação Internet: 32.000 contatos

Cotas de patrocínio:

Apresenta:   RS 179.894,00

Patrocínio:   R$ 100.000,00

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

  • Apresentação da logomarca da Empresa Patrocinadora antes do título do espetáculo.
  • Logomarca em todo material impresso  e  virtuais (convites, malas diretas, folders, programas, cartazes e filipetas)
  • Pré-estreia exclusiva para convidados, funcionários e clientes.
  • Vídeo institucional da Empresa Patrocinadora antes do início de cada apresentação.
  • Cota de convites durante a temporada.
  • Nas entrevistas os atores farão uma menção especial à Empresa Patrocinadora.
  • Banner exclusivo no saguão (a negociar com o teatro).

Tipo de incentivo:  Lei Rouanet 

PENTALPHA - O AMOR OS ESPORTES

Nº 07


Segmento do projeto: artes cênicas

Gênero:  teatro  

Título do projetoPentalpha - O Amor Nos Esportes

Local do projeto / nome do local:    (x) teatro

Região do projeto / município / estado: São Paulo, Campinas e Paulínia - SP

Valor do projeto: R$ 1.233.670,00  (Hum milhão, duzentos e trinta e três mil, seiscentos e setenta reais)

Ficha técnica e artística dos envolvidos:  Elenco protagonista: Rodrigo Faro e Valquíria Ribeiro, Participação especial em vídeo de Ana Paula Oliveira (bandeirinha) como Afrodite e do Rei Pelé como Zeus, Direção do premiado diretor teatral Naum Alves de Souza, Roteiro de Ana Paula Oliveira, Dramaturgia do premiado autor Paulo Rogério Lopes.

Explicação do projeto: O projeto objetiva uma temporada inicial de 3 meses na cidade de São Paulo, 2 meses na cidade de Campinas e 1 mês na cidade de Paulínia, em 2012, com a participação de 2 atores e 2 músicos, participação especial em vídeo do rei Pelé e da árbitra Ana Paula Oliveira.

Sinopse / resumo / comentário:  Nossa história se baseia nas juras de amor, sob o cenário dos jogos Olímpicos, entre dois amantes (enamorados): uma jornalista e um esportista em ascensão. Eles possuem nacionalidades rivais e são de cor de pele diferentes, mas acabam feridos pelos dardos de Eros (Cupido). Estas juras são a de se encontrarem a cada quatro anos, durantes os jogos, para acenderem mais uma vez as chamas de seus corações em brasa. Mas, por ironia das Parcas (deusas fiandeiras do destino), suas vidas tomam rumos diferentes e os enamorados são separados. Ainda assim, mesmo distantes, um símbolo criado em suas juras de amor permanece na lembrança dos dois até o fim de suas vidas, se propagando pelos séculos como várias das histórias anônimas que nascem sob os cenários esportivos e sob os olhares dos deuses do Olimpo.

Talvez seja esta, mais uma das brincadeiras de Afrodite ou Vênus a deusa do amor e dos jogos Olímpicos.

Outros detalhes do projeto: Espetáculo teatral com temática esportiva, visando o advento dos jogos Olímpicos e da Copa do mundo.

Tipo de incentivo:  ( x ) Lei Rouanet

NO QUINTAL DE OZOM

Nº 08


Segmento do projeto:x ) artes cênicas

Gênero:     ( x ) teatro  

Título do projeto: “No Quintal de OZOM.”

Local do projeto / nome do local:    ( ) livraria  (x) teatro ( ) praças ( ) cinemas ( ) outros/ indique nome

Região do projeto / município / estado: São Paulo - SP

Valor do projeto: R$ 274.094,66 ( Duzentos e setenta e quatro mil, noventa e quatro reais e sessenta e seis centavos )

Ficha técnica e artística dos envolvidos:  Direção Artística, Produção Geral e Administração: Paulo Del Castro; elenco formado por atores do núcleo de elenco jovem da Globo e SBT; Realização: Paulo Del Castro e Cooperativa Paulista de Teatro.

Explicação do projeto: Espetáculo teatral e musical com temática ecológica. O objetivo deste projeto é a temporada de três meses em São Paulo deste espetáculo musical que propõem ao público um novo olhar para tudo a sua volta e para si mesmos, como agentes diretos de transformação do meio em que vivem. Através de canções, histórias e brincadeiras, o espetáculo percorre um caminho que propõem um dialogo direto com a plateia para abordar assuntos sobre a educação ambiental, a coleta seletiva de lixo, a reciclagem e uma discussão sobre a observação dos seres vivos que nos rodeiam..

Sinopse / resumo / comentário:  No Quintal de OZOM, é um espetáculo infantil, montado a partir da Adaptação livre da Obra poética de Paulo Afonso (Tchê) – “O Jardim Ozom”. Livro indicado como leitura pedagógica por algumas escolas particulares e da rede pública de ensino.

A peça conta a história de um menino que “se planta” em um quintal e ambos se iluminam no processo de fotossíntese. A encenação cria uma metáfora para discutir a observação dos seres vivos que nos rodeiam. 

Paulo Afonso (Tchê), o autor do texto e compositor das músicas do espetáculo é também, compositor das músicas dos programas infantis "Curumim" e "Bambalalão", que iam ao ar pela TV Cultura, na década de 80.

Tipo de incentivo:     ( x ) Lei Rouanet

NOËL ROSA – O POETA, O MÚSICO, CRONISTA DE UMA ÉPOCA

Nº 09


Segmento do projeto:   artes cênicas  

Gênero:   teatro

Título do projeto: Noël Rosa – O Poeta, o Músico, Cronista de Uma Época 

Local do projeto / nome do local (Xteatro 

 Região do projeto / município / estado: São Paulo – SP

Gênero: espetáculo cênico musical – musicas ao vivo

 Valor do projeto

ROUANET:   R$ 540.328,00  ( SÃO 36 APRESENTAÇÕES DE 6ª Á DOMINGO- 3 MESES )

PROAC-ICMS-SP :  R$ 250.000,00  - ( 24 APRESENTAÇÕES – 2 MESES, 6ª A DOMINGO )

 TemáticasX )3ª idade  ( X ) outros: jovens e adultos.: vida e obra de Noël Rosa, um dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos. 

Algumas músicas que serão tocadas:

Com que roupa? – 1929 (Noël Rosa)

Três Apitos – 1931 (Noël Rosa – póstumo)

Feitio de Oração – 1933 (Noël Rosa e Vadico)

O Orvalho Vem Caindo – 1933 (Noël Rosa e Kid Pepe)

Linda Pequena (Pastorinhas) – 1934 (Noël Rosa e João de Barro)

Conversa de Botequim – 1935 (Noël Rosa e Vadico)

Feitiço da Vila – 1934 (Noël Rosa e Vadico)

Pierrô Apaixonado – 1935 (Noël Rosa e Heitor dos Prazeres)

O X do problema – 1936 (Noël Rosa)

Último Desejo – 1937 (Noël Rosa)

Fita Amarela – 1932 (Noël Rosa)

Explicação do projeto: Este espetáculo cênico-musical objetiva dar continuidade às homenagens a Noël Rosa mesmo após o centenário do nascimento desse grande artista, permanecendo em cartaz durante três meses(de sexta-feira a domingo) em um teatro de fácil acesso, na cidade de São Paulo.  A vida de Noël desfila pelo palco: os problemas familiares (pai suicida, irmão epiléptico), os envolvimentos amorosos, a polêmica musical com Wilson Baptista, a luta íntima contra o defeito facial (provocado pelo parto a fórceps), os amigos cantores e/ou compositores (Almirante, Lamartine Babo, Joel e Gaúcho, Nonô, Orestes Barbosa, Nássara, Ismael Silva, Wilson Baptista, Homero Dornellas, Braguinha, Vadico, Mário Lago, Mário Reis, Francisco Alves, Aracy Cortes, Aracy de Almeida e Marília Baptista) até o momento da morte precoce, porém o enfoque especial dá-se às grandes obras que ele compôs em apenas 7 anos (1929 a 1937) e – inédito – o fato que inspirou cada criação.

Doze atores da CYa. Grita Absoluta interpretarão 42 personagens e cantarão, ao vivo, 42 músicas (39 de Noël e 3 de Wilson Baptista), algumas  coreografadas, acompanhados pelo Grupo JB Samba.

Sinopse / resumo / comentário: lGênero:  biografia musical /

lDuração: 2 horas (intervalo de 10 minutos entre os 2 atos)

lLinguagem: preserva o tom coloquial da época, utilizado pelo pessoal do morro e da cidade.

lCenário: o interior (sala de estar e quarto) do chalé onde morava Noël Rosa, o botequim onde se reuniam os amigos, o quarto de Ceci, a delegacia de polícia e o cabaré.

lAção: 1910; 1929 a 1937.

lFigurinos: da época.

lCoreografias: idealizadas de acordo com a época, como, por exemplo, um baile de carnaval.

lMúsica: ao vivo, principalmente de Noël Rosa, mas com novos arranjos, mais modernos.

lPúblico-alvo: Voltada para qualquer tipo de público, de qualquer classe social e idade, esta peça é um musical que encerra drama e comédia.  A terceira idade vai deliciar-se por recordar; já a maturidade e a juventude vão conhecer e compreender o que representou, no Brasil, a Época de Ouro do Samba.

 Outros detalhes do projeto: A música brasileira constitui patrimônio inestimável para a humanidade, mas, em geral, tem maior reconhecimento do público internacional, porque o brasileiro tem contato principalmente com o que se divulga nos grandes meios de comunicação, mais imediato e de fácil assimilação, e esses meios não dão prioridade a autores do passado. Talentos e obras admiráveis muitas vezes são esquecidos ou subvalorizados pela posteridade, o que gera um entendimento distorcido de si mesmo por parte do brasileiro, que, carente de hábito ou de formação estética, mal se percebe em seus valores e sensibilidade, oriundos apenas de músicas que cantarola e dança sem  saber o autor. A principal meta deste projeto é levar essas informações àqueles que amam a boa música, em especial o samba, mas pouco sabem dos que o popularizaram e traduziram, em verdadeiros poemas, nossa brasilidade. Nosso desejo é que se conheça a importância da Época de Ouro para a música atual e se descubra que tantas canções que ainda hoje se cantam, gravadas por Zeca Pagodinho, Maria Rita, Inimigos da HP, entre tantos outros, têm um autor genial: Noël Rosa!

Depois de uma temporada muito bem-sucedida de dois meses com esse espetáculo (em maio e junho de 2011), queremos dar continuidade ao projeto e voltar a encenar a peça teatral Noël Rosa – O Poeta, o Músico, Cronista de Uma Época, de autoria de Cybele Gianinni, mantendo-a em cartaz nos palcos paulistanos por três meses, com três sessões semanais, num total de 36 apresentações

Estimativa de público e perfil  ( quantidade e perfil ): por volta de 9.000 pessoas. 

Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes e quantidade de inserções, etc.

Paga: folder, flyer, cartaz, banner e inserções em jornais e revista.

Espontânea: e-mail, nosso site, TV, rádio, revistas espeializadas de teatro. 

Cotas de patrocínio: ROUANET: O patrocinador poderá doar todo o valor (R$540.328,00), ou metade (R$270.164,00)/ ProAC: R$250.000,00 (Total) ou R$125.000,00 (parcial). 

Tipo de incentivo(X) Proac- ICMS/SP    ( X ) Lei Rouanet   

 Parceiros / apoiadores do projeto:  Na temporada passada, tivemos o patrocínio da Brahma e da Eurofarma, pelo ProAC-ICMS e o apoio cultural de: Folha de S. Paulo, Fing’rs, Lukscolor, Payot, Perucas Hi Fi, Camisaria Colombo, Miguel Giannini Óculos, Casa do Bixiga Antigo, Giannini Instrumentos Musicais, Gope, Depósito de Meias S. Jorge, Bazar 25 de Março, Origini, Casa do Tule, Bolsa Nacional de Compensados, Prefeitura de S. Paulo, Ricci & Colella, Estúdio Cápsula, Cantina D’Amico Piolim, Restaurantes Planeta’s e Luna di Capri, Saldit Software

A LUZ DA VIDA

Nº 10


Segmento do projeto:  (X)artes cênicas

Gênero:  (X)teatro  

Título do projeto: À Luz da Vida

Local do projeto e nome do local: Espaços Alternativos

Região do projeto / município / estado: Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Jacareí, Poá, Salesópolis, Suzano

Valor do projeto:   R$ 137.014,00 (cento e  trinta e sete mil e quatorze reais)

Temáticas: (X)meioambiente   (X)educação  segurança e cuidados com a energia elétrica. Relação energia/meio ambiente.

Explicação do projeto: Apresentações gratuitas de 60 (sessenta) sessões do espetáculo infantil "A Luz da Vida" em escolas públicas durante 30 (trinta) dias de trabalho. Texto este que leva mensagens importantes sobre segurança dentro de casa, cuidados com a rede elétrica e cidadania.

Sinopse / resumo / comentário:  Criado para ser veiculado em espaços alternativos, tem a proposta de

conscientizar a criança sobre uso racional da energia elétrica. Num percentual menor, aborda ainda questões ambientais, lições de cidadania e segurança.

O espetáculo: Imitando um programa de auditório de televisão, um casal de apresentadores:Vera Luz Divina e Voltiney Kilowat, recebem muitos convidados, entre eles os grupos musicais: “To pifando” e “Economia mista”, o cantor Ferronando Passador, e os convidados para  um debate, Dr Energia e Máximo Desperdício. Este último, tido como o vilão da história acaba se dobrando em favor da necessidade de se economizar energia, graças a comoção para salvar a natureza. Tudo se desenrola com muita comicidade e números músicais de gêneros variados como: rock, pagode, romântico brega e rap.

Outros detalhes do projeto: O espetáculo foi veiculado no projeto Procel/Eletropaulo em 1.999.  Foi apresentado durante os anos de 99 e 2.000, em escolas da rede pública estadual, associações de bairros e condomínios, em bairros da periferia da Capital, nas Zonas Norte e Leste, além das cidades da grande S.Paulo como; Mauá, Ribeirão  Pirres e Rio Grande da Serra. Foi cumprida uma agenda com 600 apresentações e  através de pesquisa realizada   com espectadores de todas as idades, comprovou-se a total eficácia sobre os objetivos referentes a veiculação das mensagens transmitidas.

Estimativa de público e perfil:  30.000 (Trinta mil) crianças em público direto.

Plano de Mídia:  

Sessão Piloto – Será promovida uma sessão anterior à estreia com entrada franca para convidados.

Anuncio em jornal – Serão 30 anúncios  posteriores às apresentações destacando resultados.

  • Camisetas – 300 camisetas contendo a logomarca dos devidos patrocinadores, serão usadas como uniformes pela equipe e sorteadas entre o público
  • 2 Banners acompanharão todas a sessões e serão expostos  ao lado do cenário, destacando a logomarca da empresa patrocinadora
  • Será mantido um site onde acontecerão atualizações semanais com resultados em quantidade e qualidade das apresentações realizadas.
  • Um mil cartazes serão espalhados pela região.

Cotas de patrocínio:Ø  100%: 137.014,00 - Apresentação do Projeto. Aparece em todo e qualquer material de divulgação bem como: Anúncios de meia página no jornal de grande porte em São Paulo, 300 camisetas, 1.000 cartazes e 2 Banners. A logomarca será aplicada em todo material gráfico associado ao espetáculo.

Ø  50%: 68.507,00 - Apresentação do projeto, porém dividindo o título com demais patrocinadores. Aparece em todo e qualquer material de Divulgação do Projeto. A logomarca será aplicada em todo material gráfico associado ao espetáculo.

Ø  20%: 27.403,00 - Direito a todo material de divulgação, com exceção de banners. Aparece em tamanho reduzido em  todo o material gráfico.

Ø  10%: 13.701,00 - Aparece em todo material gráfico, com exceção de Banner. Em cartazes estará em uma faixa na parte inferior, dividindo espaço com demais apoiadores.

Ø  Obs.: As cotas acima estão abertas para negociação de acordo com a necessidade e preferência do patrocinador.

Benefícios oferecidos ao patrocinador: Titulação da empresa como patrocinadora do projeto Titulação da empresa como patrocinadora do projeto;

Logomarca em todo o material gráfico do projeto;

Logomarca em toda divulgação na mídia impressa;

Colocação de anúncios no local de apresentação do espetáculo;

Ações promocionais no local do evento;

Distribuição de brindes e/ou material promocional do patrocinador;

Poderá ser desenvolvida juntamente com a empresa uma ação que tenha como finalidade mensurar o retorno do investimento feito no projeto.

 Tipo de incentivo:  (X) Lei Rouanet

A PEQUENA SEREIA

Nº 11


Segmento do projeto:    artes cênicas

Gênero:     teatro  

Título do projeto: A PEQUENA SEREIA

Autor / adaptação: VLADIMIR CAPELLA

Direção /  coordenação: PAULO RIBEIRO

Local do projeto / nome do local:    ( ) livraria  ( X) teatro ( ) praças ( ) cinemas ( ) outros/ indique nome

Região do projeto / município / estado: SÃO PAULO

Valor do projeto: R$ 293.800,00 (DUZENTOS E NOVENTA E TRÊS MIL E OITOCENTOS REAIS)

Ficha técnica e artística dos envolvidos:  Texto original: Hans Christian Andersen; Adaptação : Vladimir Capella;Encenação e Direção: Paulo Ribeiro; Direção Musical e Trilha Sonora : André Cortada; Assistente de Direção: Nill de Pádua; Narração off:  Saulo Javan; Elenco: Ana Saab, Ana Paula Vieira, Anderson Soares, Andressa Andreatto, Debora Rebecchi, Fábio Joaquim do Vale, Janaina Enguel, Kauan Vilela, Leandro Rocha, Lorenzo Martin, Luiza ;Porto, Mariana Siqueira, Michael Nunes, Nill de Pádua, Rafaela Veronese, Silvia Ferreira, Sonia Loureiro, Tomaz Auricchio; Coreógrafa convidada (coreografia A Pequena Sereia) - Kátia Barros; Dance Captain: Diego Biaginni;

Cenografia: Gigi Barreto - Escritorio de arte; Execução de cenografia : Pedro Alcantara Neto;

Assistentes de cenografia: Demerson Campos/ Alessandro Marba/ Marcelo Grecco/ Vanessa Hoschett; Fotografia e Filmagem 2ª Temporada: Nilson Versatti; Projeto Gráfico: Cesar Passaretti; Finalização Gráfica: César Vieira; Lei de Incentivo à Cultura: Sônia Odila - Sodila Projetos Culturais; Produção Executiva: Monalisa Gomes; Produção: Ana Saab; Realização: APS Produções;

Sinopse / resumo / comentário:   A Pequena Sereia é antes de tudo um espetáculo emocionante que encanta tanto as crianças como os adultos. Uma grandiosa produção com mais de 100 luxuosos figurinos, 20 atores profissionais, grandiosos e belos cenários, projeções em vídeo, trilha sonora original, efeitos e muito colorido. Tudo isso e muito mais, só para reproduzir no palco uma das mais belas histórias da literatura infantil, também consagrada pelo cinema e em diversas versões entre elas a mais conhecida em desenho animado realizada pela Disney.

Tipo de incentivo:  Lei Rouanet

BUSCA PELOS BLEFES EXCÊNTRICOS

Nº 12


Segmento do projeto: ( X ) artes cênicas

Gênero:     ( X ) teatro  

Título do projeto: Busca pelos blefes excêntricos

Direção /  coordenação: Julio Adrião

Local do projeto / nome do local:    ( x) teatro ( x) praças

Região do projeto / município / estado: RJ – SP - ES

Valor do projeto:    314.120,00 – trezentos e quatorze mil, cento e vinte reais

Explicação do projeto: O projeto é realizado em duas etapas: pesquisa e montagem. O primeiro ano de trabalho será dedicado a pesquisa, na qual os atores do Circo Dux serão submetidos a uma série de oficinas e treinamentos preparatórios para a montagem do espetáculo Blefes Excêntricos. O segundo ano será dedicado a montagem do espetáculo e posterior apresentação nas cidades de Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre. Blefes Excêntricos - Pesquisa e Montagem foi aprovado no Edital Petrobras Cultural 2010.

Sinopse / resumo / comentário:  Objetivo Geral - Possibilitar que os artistas integrantes do Circo Dux possam se submeter durante 12 meses consecutivos a um laboratório de estudo, experimentação e treinamento de diferentes modalidades artísticas, tendo como foco a capacitação para o trabalho de montagem do espetáculo novo Blefes Excêntricos.

Objetivos Específicos

Sistematizar a pesquisa do Circo Dux por meio de uma grade de estudos que envolverá o contato com mestres e profissionais de diversas áreas, tais como: acrobacia, mágica e ilusionismo, malabarismo, construção de instrumentos musicais inusitados, entre outros.

Abrir a possibilidade para jovens artistas interessados em participar gratuitamente de 2 das oficinas realizadas, dividindo parte dos conhecimentos proporcionados pelo projeto para outros artistas;

Construir o espetáculo Blefes Excêntricos, um resultado que reflita a busca permanente do trabalho do Circo Dux pelo resgate de uma importante característica do circo: ser um espaço propositivo de novidades inusitadas, permeado por excentricidades e “esquisitices”, próprios dos cabarés de variedades;

Estrear em 2013 o espetáculo Blefes Excêntricos e realizar a temporada de 1 mês na cidade do Rio de Janeiro e a turnê nas cidades de São Paulo e Porto Alegre;

A realização deste projeto tem como motor, a possibilidade da investigação e da descoberta por novas formas de fazer comicidade. Impulsionando dois jovens curiosos artistas circenses, a elaboração de uma gramática própria, que será tecida artesanalmente por idéias e estímulos criativos, revisitando antigas maneiras de fazer rir, de impressionar o público com o inusitado, e por estímulos contemporâneos, lançando mão das novas tecnologias digitais e das velhas técnicas de construção e manuseio de objetos.

 Tipo de incentivo:     ( x  ) Lei Rouanet    

Parceiros / apoiadores do projeto: Patrocinio direto – Petrobras (200.000,00)

PROJETO ESCOLA NO TEATRO

Nº 13


Segmento do projeto: Teatro

Gênero: Comédia

Título da peça / projeto: Projeto Escola no Teatro – peça teatral O Juiz de Paz na Roça, Oficina e Debate

Autor: MartinsPena

Teatro: Bibi Ferreira

Valor do projeto: R$ 570.000,00 (quinhentos e setenta mil reais)

Tipo de incentivo: Lei Rouanet .

Ficha técnica dos principais envolvidos:

João Acaiabe, Luiz Baccelli, Valéria Sândalo, Eduardo Chagas Thais Carvalho, Patrícia Barros, Cris Bessa, Thaisi Rocha, Eduardo Acaiabe e elenco.

Explicação do projeto: Projeto que envolve Meio Ambiente e Educação. Aberto a doações de brindes, objetos e afins voltados ao meio ambiente e educação. Projeto que prevê montagem de peça de teatro com oficina e debate. O espetáculo será apresentado no teatro Bibi Ferreira com 35 apresentações aos finais de semana. O projeto, Escola no Teatro é um projeto que prevê a integração entre a escola e o teatro. É um projeto sócio-cultural que visa oferecer um trabalho digno para que os alunos tenham acesso a cultura num teatro histórico que será o teatro Bibi Ferreira.

Detalhes: Ofereceremos ao espectador após saída do espetáculo, mudas de plantas e afins do meio ambiente, brindes,etc. Projeto aberto a outros tipos de doações e brindes.

Vamos buscar apoio para conseguir as mudas de plantas e brindes voltados ao meio ambiente. A intenção é a de também doar após o espetáculo, livros, livretos, cadernos, lápis, borracha, lápis de cor, réguas ou qualquer outro utensílio de escola para o público que for assistir ao espetáculo. Estamos na busca de empresas que queiram patrocinar nosso projeto e que queiram doar esses itens acima citado.

Obs: Projeto ideal para a empresa que quer deduzir do imposto de renda e quer patrocinar. Perfeito projeto para ação de marketing.

Sinopse: A peça é uma comédia e passa-se na roça e aborda com humor o jeito particular de ser da gente roceira do Brasil do século XIX, focando as cenas em torno de uma família da roça e do cotidiano de um juiz de paz neste ambiente e explorando uma série de situações em que transbordam a simplicidade e inocência daquelas pessoas. .Texto de domínio público - O Juiz de Paz da Roça é uma peça teatral que se passa na roça e tem apenas um ato. Conta sobre Aninha e José. Aninha e José amam-se e planejam casar em segredo, mas José é capturado para tornar-se soldado contra a Revolução Farroupilha. Após algumas deliberações sobre as disputas locais entre os lavradores, o juiz ordena Manuel João, pai de Aninha, a levar José a manter-lhe em casa por um dia e levá-lo quartel a seguir (ninguém sabe do amor do casal). No meio da noite o Aninha e José fogem e casam-se em segredo. Após descobrirem o fato consumado os pais perdoam a jovem e vão até o juiz esclarecer o caso. O rapaz fica assim desobrigado de servir e a peça acaba com Todos comemorando.

Detalhes do projetos: Clássico da literatura brasileira onde todos os jovens são direcionados a estudarem o livro em escola particulares e públicas. Milhares de livros e montagens de peças teatrais são feitas no Brasil. Projeto cultural com foco na educação onde nosso público serão estudantes, na sua maioria jovens. Escolas estaduais e municipais serão convidadas a participarem do espetáculo onde cada aluno terá um pequena ficha de avaliação do espetáculo.

Ação Social: Será convidado uma ONG ou o patrocinador poderá indicar uma ONG, fundação, de sua preferência para receber ingressos cortesias.

Plano de Mídia: Em mídia investiremos cerca de R$ 84.700,00 ( oitenta e quatro mil e setecentos reais ). Um investimento muito representativo em comparação a outros projetos.  Em rádio e mídia impressa. também faremos divulgação conforme quadro abaixo.

MIDIA UTILIZADA: Jornal imprensa, rádio, sites, redes sociais, camisetas, programas impressos, internet.

Contrapartida:

§  Apresentação da logomarca da Empresa Patrocinadora antes do título do espetáculo.

§  Logomarca em todo material impresso.

§  Logomarca da Empresa Patrocinadora com destaque em toda mídia paga.

§  Pré-estreia exclusiva para convidados, funcionários e clientes

§  Vídeo institucional da Empresa Patrocinadora antes do início de cada apresentação.

§   Cota de convites durante a temporada.

§  Nas entrevistas os atores farão uma menção especial à Empresa Patrocinadora.

§  Banner exclusivo do patrocinador no teatro com título da peça.

 

Cotas de Patrocínio

Apresentamos aqui cotas de patrocínio para sua empresa, seu setor de marketing, financeiro se pautar e organizar no que diz respeito ao patrocínio do projeto Escola no Teatro.

 

 

Valor total

R$ 573.650,00

( quinhentos e setenta e três mil, seiscentos e cinqüenta reais )

Gasto com mídia

84.700,00

( oitenta e quatro mil e setecentos reais )

 

 

 

COTAS

PATROCÍNIO

COMO SERÁ

100 %

Patrocínio

Em todas as peças gráfica e mídias

 

60 % do valor

 

Patrocínio

 

 Exibição da Logomarca em todos os materiais

 

 

30%  do valor

 

Co- patrocínio

 

Exibição da Logomarca em todos os materiais

 

 

10%  do valor

 

Co-patrocínio

 

Exibição da Logomarca em todos os materiais

 

 

 

 

 

 

Patrocínio

 

 

No cabeçalho

 

Co-patrocínio

 

 

No rodapé

 

Negociação

 

 

Ou outro valor que a empresa queira efetuar

 

MALANDRO BELEZA – REMINISCÊNCIAS CARIOCAS

Nº 14



Gênero: crônicas 
Título: “Malandro Beleza – reminiscências cariocas”
Autor: Nilo Marques Braga
Local de lançamento: Rio de Janeiro e São Paulo - capitais
Local de distribuição: livrarias de todo o Brasil
Valor do projeto: R$ 97.306,00 (aprovado pela Lei Rouanet e Lei do ISMS – RJ)
Tipo de incentivo: Proac-RJ e Rouanet
Ficha técnica (currículo resumido): autor do livro 
Nascido em 11 de agosto de 1931, morou até a adolescência na Rua General Pedra, paralela à Avenida Presidente Vargas, ao lado dos trilhos da Central do Brasil. Quando menino, o espaço que tinha para brincar era a Praça Onze. Percorria os seus quatro cantos, vendo tudo o que acontecia por ali: final dos desfiles dos Ranchos, desfiles das Grandes Sociedades, início dos desfiles das Escolas de samba, rodas de batuque e encontros para cantar Partido Alto. Durante a juventude, nas grandes cervejarias e nos movimentados cafés conheceu inúmeras personalidades boêmias. Nas gafieiras, a começar pela Banda Portugal, na Praça Onze, conheceu famosos bailarinos. Finalmente encontra os malandros, suas estórias e suas mulheres e a falsa e a verdadeira malandragem que eram, sem dúvida, uma escola de vida.
Torna-se jornalista, no final dos anos 50, iniciando carreira na grande escola que foi o jornal Diário Carioca. Exerce a profissão durante 45 anos, trabalhando em inúmeros jornais, revistas, agências de notícias e em assessorias de imprensa de empresas públicas. Aposentou-se no Ministério dos Transportes – DNER, onde editou a revista Rodovia durante cinco anos. No Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro – TCMRJ foi nomeado para o cargo em comissão de Secretário II – 2003 / 2004.
Ligado ao samba, nos anos 50 e 60, frequentou as reuniões da Associação das Escolas de Samba, na Rua Joaquim Palhares, que terminavam com a apresentação de compositores e músicos ligados às escolas. Em 1960 cria, com o advogado Antonio Barroso, o Grupo Raízes, que apresentava a velha e a nova guarda do samba e tinha entre os seus participantes/convidados: Candeia e Walter Rosa, da Portela; Aniceto de Menezes, Milton Copolino, D.Yvone Lara e Aluisio Machado, do Império Serrano; Cartola, Padeirinho, Darcy da Mangueira e Pelado, da Mangueira; Martinho da Vila, de Vila Isabel. O Grupo sobreviveu até o final de 1964, no Clube Orfeão Portugal, na Tijuca.
Atualmente escreve esporadicamente matérias para algumas revistas e jornais. Nos últimos 2 anos tem se dedicado a finalizar o livro em questão, que há cerca de um ano vem tentando editar, primeiramente inscrevendo o projeto nas leis de incentivo: Lei Rouanet (aprovado com publicação no D.O.U em 30/01/2012, com prazo de captação até 31/12/2012) e Lei do ICMS/RJ (aprovado com publicação no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro em 30/11/2011, com prazo de captação de 2 anos). Neste período foram feitos contatos com algumas editoras e enviadas partes do livro (sumário, cartas de apresentação, introdução e duas ou três crônicas) ou na íntegra quando solicitado. Estas últimas mostraram interesse em publicar o livro mediante patrocínio.
Temáticas: As crônicas registram os redutos boêmios e personagens tipicamente cariocas, dos anos 50 e 60, em bairros próximos ao Centro e alguns do Subúrbio. As estórias verdadeiras, vivenciadas pelo autor, envolvem comportamentos, valores, cordialidade, violência, problemas sociais, amor e sexo, jogo e prostituição entre outros temas. 
Resumo do projeto:
Trata-se de um livro de crônicas que pretende resgatar a memória do Rio de Janeiro, especialmente dos seus redutos boêmios, nos anos 50 e 60, narrando estórias verídicas envolvendo tipos e situações testemunhadas pelo autor, sobretudo nos bairros próximos ao Centro da cidade.
São 30 crônicas, agrupadas em oito bairros: Estácio de Sá, Praça Onze, Catumbi, Zona do Mangue, Lapa, Mangueira, Vila Isabel, Tijuca, e finalizando, Subúrbio que inclui alguns bairros da região. Estes bairros constituem o principal cenário das estórias, que foram registrados pelo autor, durante sua intensa vivência nos botequins, dancings, gafieiras e clubes sociais onde se encontrava a verdadeira alma carioca da época.
O Estácio e o Catumbi eram redutos de sambistas e partideiros; o Catumbi destacou-se pelos desfiles de seus Ranchos e Blocos Carnavalescos; em Vila Isabel o samba e a boemia resistem até hoje; na Praça Onze, a casa de Tia Ciata, é considerada o berço do samba, assim como a Lapa foi o berço da boemia, que agora renasce; na comunidade da Mangueira o samba floresceu; no subúrbio se destacavam as grandes Escolas de Samba, os Clubes Sociais e as animadas gafieiras, verdadeiras escolas de dança, onde se encontravam grandes bailarinos. A crônica “Quando dançar significava apenas dançar...”, que inicia o livro, mostra o quanto e onde o carioca dançava naquela época, do subúrbio e Centro até as boates da Zona Sul.
O livro apresenta de modo especial a figura do Malandro, instituição genuinamente carioca, e cada vez mais improvável nos dias de hoje, pela banalização da violência, deterioração dos valores e pressão da luta pela sobrevivência. Não se trata do trambiqueiro, ao contrário, ele tinha seu código de ética. A qualidade fundamental do malandro de verdade é ser elegante. Não só no trajar, mas em todas as suas ações, até mesmo numa discussão, depois de fazer o impossível para evitá-la. E um de seus atributos, responsável por torná-lo um irresistível sedutor, era o fato de ser também um grande bailarino. O tipo, que chamei de “malandro beleza” e dá título ao livro, está representado por protagonistas de algumas crônicas.
Enfim, os vários “personagens”, seus hábitos e comportamentos, sua realidade social e cultural, compõem um painel revelador de uma época e de um modo de ser carioca, que vem se perdendo no tempo, mas não deveria ser esquecido.
Outros detalhes do projeto:
As crônicas estão agrupadas em nove bairros: Lapa, Praça Onze, Zona do Mangue, Estácio de Sá, Catumbi, Mangueira, Vila Isabel, Tijuca, e por último Subúrbio, que agrupa algumas crônicas relacionadas a esta região do Rio. As folhas de abertura, que trazem o nome de cada bairro - inclusive a folha de abertura da crônica que inicia o livro, que mostra o papel da dança e seus ambientes no lazer e na sociabilidade do carioca na época, com o título “Gafieiras, dancings e boates da cidade” -, terão ilustrações que podem referir-se a uma ou mais crônicas inseridas em cada bairro. Cada um dos dez desenhos deve expressar as características marcantes dos personagens, cenários e situações relatadas nas respectivas crônicas, e o conjunto dele comporá um painel de aspectos do Rio de Janeiro da época. Neste sentido, se optará por desenhos que tenham um estilo aproximado ao Naif que atendem muito bem ao objetivo. 
Estimativa de público e perfil:
A boemia carioca e a figura do Bom Malandro (ou Malandro Beleza como eu o chamei no livro) é tema de interesse geral, até fora do Brasil. A distribuição do livro será nacional e estará pelo menos nas livrarias de todas as capitais, não sendo possível portanto fazer uma estimativa quantitativa da venda do livro. Para a primeira edição está prevista a impressão de 3 mil exemplares. É evidente que o livro tem um apelo especial para as pessoas que viveram o Rio da época – anos 50, 60 especialmente mas também anos 70. Por este motivo se fará um lançamento no Rio e em São Paulo, onde existe um forte reduto de samba. Como as gafieiras, dancings e também os bailes em clubes sociais são cenários de algumas crônicas, a proposta é que o lançamento do livro, ao menos no Rio, seja feito em uma gafieira, com o conjunto “Samba de Fato” tocando os grandes sambas, choros, boleros e outros ritmos tocados nos bailes da época.
Plano de mídia:
1 . Material de divulgação: a - convites impressos e eletrônicos. b - marcadores de livro (para serem distribuídos nas livrarias), além de um percentual de exemplares, a combinar, a serem entregues para a editora e o patrocinador. c – cartazes para o lançamento (inicialmente no Rio e em São Paulo). 
d – release (texto de apresentação do livro, do autor e do patrocinador para todas as mídias dando todos os subsídios importantes para elaboração de matérias). Em todas as peças de divulgação terá em destaque o logotipo da empresa patrocinadora, no caso do livro a referência ao patrocínio e a respectiva marca sairão na capa.
2. Contratação de assessoria de imprensa especializada para se obter divulgação ampla e eficiente por meio das seguintes ações: a - envio de convite impresso, release, foto do livro para todas as mídias (jornais, revistas, TVs e rádios). b – contato direto com os editores e/ou redatores dos Cadernos de Cultura dos principais jornais e revistas do Rio e São Paulo e por e-mail ou telefone no caso de publicações de outros estados, para sugestão de reportagens, entrevistas, artigos e notas (estas para colunas e seções). c – contato com os responsáveis por programas de rádios e TVs voltados para a cultura, especialmente literatura. d – para os principais jornais e revistas, sobretudo do Rio e São Paulo, será enviado um exemplar do livro dirigido às respectivas editorias de cultura. e – envio de convites eletrônicos para os lançamentos do livro, com base na agenda pessoal do autor, além daqueles enviados para a mala direta da editora e da empresa patrocinadora, se ela assim desejar.
Cotas de Patrocínio: O patrocínio pode ser dividido em cotas, podendo ter um único patrocinador com 100% das cotas, ou mais de uma empresa apoiando o projeto – de preferência duas - com os seus percentuais previamente definidos. Como o projeto está aprovado em duas leis de incentivo (Rouanet e ICMS/RJ) existe a possibilidade de uma mesma empresa utilizar-se das duas formas de incentivo desde que o total a ser patrocinado não ultrapasse o valor aprovado nas duas leis que é o mesmo, ou seja R$ 97. 306,00. Há ainda a possibilidade de duas empresas patrocinarem o projeto da mesma forma: cada uma utilizando de uma das leis de incentivo, sempre respeitando o total aprovado. No caso de ter mais de uma empresa patrocinadora, haverá a divisão do espaço de inserção da logomarca sob a palavra “Patrocínio” em todo o material gráfico, divisão que deverá ser proporcional ao percentual da cota investida por cada empresa.
Reproduzo abaixo a planilha orçamentária preenchida para inscrição do projeto nas Leis de Incentivo em que foi aprovado. A forma como as etapas de produção com os seus respectivos custos são divididas pode facilitar a divisão das cotas, na medida em que elas devem estar relacionadas a itens diferentes do orçamento: 
1. pré-produção - pesquisa e finalização do texto (já concluídos). Custo: R$9.000,00.
2. produção/execução – copidesque, coordenação editorial, ilustrações, projeto gráfico (capa, miolo, convites, filipetas ou marcadores de livro e cartazes), editoração eletrônica, scanner, impressão e supervisão gráfica. Custo: R$63.310,00 
3. divulgação e mídia – assessoria de imprensa (contato direto com a mídia do Rio e São Paulo: distribuição de releases, convites e alguns exemplares - releases para a mídia nacional), correio e frete (envio obrigatório de exemplares do livro e convites de lançamento para os órgãos públicos que concederam o Incentivo Fiscal: MINC e Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro), lançamento no Rio (contratação de salão e conjunto musical); lançamento em São Paulo (passagens aéreas – ida e volta e hospedagem). Custo: R$8.000,00 
4. despesas administrativas – assessoria jurídica (contratos com editoras), coordenação administrativa- financeira (prestação de contas). Custo: R$7.700,00 
5. impostos /tarifas/seguros – tarifa de manutenção de conta bancária e ECAD. Custo: R$495,00 
Benefícios oferecidos ao patrocinador:
Além da divulgação da empresa patrocinadora, por sua marca estar com destaque em todo o material de divulgação citado no Plano de Mídia, e também na capa dos 3.000 exemplares do livro, à empresa será destinada 10% da edição, que corresponde a 300 exemplares.
Parece-me também interessante, sobretudo para uma empresa instalada no Rio de Janeiro, ter a sua marca associada a um projeto que contribui para resgatar a memória da cidade, que vem se transformando e se descaracterizando tão inexoravelmente. Houve muitas mudanças na qualidade de vida, na qualidade das relações e nos valores. A população dobrou várias vezes, a sociabilidade tornou-se infinitamente menor. Não havia esta avalanche de meios eletrônicos de comunicação - para certas finalidades hoje imprescindíveis – mas que de certa forma afastam as pessoas do convívio. A velocidade da tecnologia e a competição feroz pela sobrevivência nos impõe um ritmo estressante, por isto, no período retratado no livro, a vida era mais leve, mais inocente, mais lúdica e festiva.
Estas características, tão associadas ao carioca, encantam o resto do Brasil e do mundo. Portanto, saber mais sobre a vida na cidade, nos anos 50 e 60, é de interesse geral; sobretudo porque no livro todos os personagens, situações e ambientes são reais, foram vivenciados pelo autor e registrados no momento em que ocorreram e formam assim um painel muito vivo de aspectos cidade, de sua gente, naquele tempo.
A idéia de fazer o lançamento em uma gafieira com músicas da época, faz parte da proposta de resgate desta memória, mas também traz uma vantagem adicional que é a mídia que o evento pode suscitar, certamente muito maior que um lançamento convencional em livraria. Por meio de algum conhecimento que o autor tem no meio jornalístico, por ter sido também profissional da área, pretende-se utilizar todos os meios de comunicação para divulgar o livro, seu lançamento e consequentemente a marca do seu patrocinador , por meio de entrevistas, matérias, artigos e notas. Temos por princípio o dever de prestigiar o patrocinador, pela sustentação que dão aos projetos culturais e outros de interesse social, ou seja, proporcionando as condições efetivas para que as obras sejam criadas e produzidas. Assim sendo, além do nome e marca sairem na capa do livro, nos convites, nos marcadores de livro e cartazes, em todas as entrevistas que forem conseguidas nas diversas mídias manifestaremos os nossos agradecimentos ao patrocinador. 
Tipo de incentivo:
- Lei Rouanet e Proac - ICMS/RJ

PARDALINA FINA E FERINA

Nº 15


Título do Projto: Pardalina Fina e Ferina

Incentivo: Lei Rouanet

Valor:  243.881,00  ( duzentos e quarenta e três mil reais e oitocentos e oitenta e um reais )

Apresentação do Projeto:

 PARDALINA FINA E FERINA é uma produção de artes cênicas direcionado ao público infantil que tem como tema principal a preservação do meio ambiente e cidadania contendo mensagens complementares sobre relacionamentos interpessoais e contra a violência. Um espetáculo teatral infantil em cujo contexto é tratado o meio ambiente como princípio da existência. Também é abordada a relação homem/natureza como elemento fundamental para a sobrevivência das espécies e conceitos de paz e cidadania.

Justificativa:

Educar é reconstruir um novo mundo a cada dia; é romper as próprias barreiras reconhecendo que o Planeta é uma grande morada e que o crescimento é possível.

A arte forma caráter e modifica a realidade. Poder contribuir na árdua tarefa de formar cidadãos, mais do que um grande desafio é um privilégio. Para isto é preciso estar atentos às mudanças e às carências que venham a surgir com elas. Empenho e perseverança são ingredientes indispensáveis a todos aqueles que acreditam em dias melhores. A arte se coloca ao lado da educação a fim de produzir informação séria, responsável e consciente, e transmiti-la de maneira objetiva e descontraída para assim prosseguir na luta contra a ignorância.

Objetivos:

  • Apresentar uma obra cultural denominada PARDALINA FINA E FERINA.
  • Estimular na criança o comportamento pró-ativo e a consciência ambiental, cooperativa e responsável a fim de desenvolver relações positivas.
  • Relacionar as florestas com qualidade de vida bem como a importância da fauna no cotidiano das pessoas.
  • Trabalhar valores éticos vinculados ao entretenimento de alto nível objetivando o entendimento das origens e evolução dos problemas ambientais e busca soluções
  • Sinopse:

Pardalina é um pardal fêmea fofoqueira, mas muito simpática. Apesar de sua língua ferina, só tem amigos na floresta. Certo dia, do seu ninho na torre da capelinha rural, vê sua mata sendo devastada por uma nuvem de gafanhotos. Ao investigar o acontecimento descobre que estão revoltados porque um pedacinho da mata onde viviam foi queimada por um fazendeiro para construir casas. Enfrenta o chefe da trupe, o Grilo Rei, para mostrá-lo que destruindo as matas estará destruindo também outras espécies de bichinhos que não tem culpa das atitudes nocivas dos seres humanos. Após a enumeração das agressões praticadas pelo fazendeiro, vai à fazenda desafiá-lo e consegue trazer de volta a harmonia à floresta demonstrando assim que solução é a arte de quem pensa, mas pensamento sem atitude correta não traz felicidade.

Democratização da Cultura: Ingressos gratuitos serão 80 dias trabalhados no interior da Bahia (Território do Sisal) composto por 20 municípios. Quarenta dias trabalhados, dias sessões por dia, aproximadamente 25.000 (vinte e cinco mil) crianças beneficiadas. Buscando apoio das instituições locais, será feita uma campanha de reflorestamento, em uma região que atravessa atualmente a pior seca dos últimos quinze anos.

Perfil do Público Beneficiado: Crianças carentes do interior da Bahia, crianças estas que não tem nenhum acesso à Cultura.

Estimativa de Público: 25.000 – público direto. Acredita-se que este número possa dobrar, quando se considera o público indireto.

Ação Social

A sustentabilidade está diretamente relacionada à responsabilidade social. Estimular atitudes saudáveis com o planeta não só ajudam a melhorar a qualidade de vida do ser humano como preserva os recursos naturais e a biodiversidade. Envolver a criança no debate desses conceitos é preparar novos caminhos para o desenvolvimento, é promover a igualdade e a inclusão social.

A Cia Vip deseja com este projeto promover apresentações gratuitas para a parcela mais carente da população promovendo, junto com seus parceiros a formação de simpatizantes da arte, por uma cultura mais acessível a todas as classes sociais.

Contrapartida:

  • Titulação da empresa como patrocinadora do projeto;
  • Logomarca em todo o material gráfico e eletrônico do projeto;
  • Logomarca em toda divulgação na mídia paga;
  • Banners exclusivos ao lado do palco nos horários de espetáculo; 
  • Ações promocionais no local do evento;
  • Camisetas usadas como uniformes pelos prestadores de serviços do projeto, bem como sorteadas ao final de cada apresentação;
  • Poderá ser desenvolvida juntamente com a empresa uma ação que tenha como finalidade mensurar o retorno do investimento feito no projeto.

Plano de Divulgação:

  • Programas – 30.000
  • Faixas – 40
  • Anúncios no jornal “A Tarde” 
  • Site – Internet – 1 por toda a temporada
  • Site da empresa “CIAVIP”.
  • Cartazes – 1000
  • Banner (90X1,50) – 3 acompanharão toda a temporada.
  • O apoio será mencionado em toda entrevista e anúncios feitos pela equipe.

Cotas de Patrocínio:

100%   -    243.881,00 - Apresentação do Projeto. Aparece em todo e qualquer material de divulgação bem como: Anúncios de meia página em jornal de grande circulação na Bahia,
300 camisetas, 2.500 cartazes e 2 Banners que serão expostos em todas a sessões. A logomarca será aplicada em todo material gráfico e meios eletrônicos associados a o espetáculo.
 50%    -   121.940,00 - Apresentação do projeto, porém dividindo o título com demais patrocinadores. Aparece em todo e qualquer material de Divulgação do Projeto. A logomarca será aplicada em todo material gráfico associado ao espetáculo.
 20%    -   48.776,00 - Direito a todo material de divulgação, com exceção de banners. Aparece em tamanho reduzido em  todo o material gráfico e eletrônico.
10%     -  24.388,00 - Aparece em todo material gráfico e eletrônico, exceto Banner. Em cartazes estará em uma faixa dividindo espaço com demais apoiadores

SHOW DE BOLA

Nº 16



Título do Projeto:   Show de Bola

Valor: 1.017.180,00 ( um milhão, dezessete mil  e cento e oitenta reais )

Incentivo: Lei Rouanet

Apresentação do Projeto:

Produção de artes cênicas que tem como tema principal a história do futebol, forte elemento da cultura nacional, contendo mensagem contra a violência. O gosto pela competição desde os primórdios da humanidade até os dias de hoje, a chegada do futebol no Brasil e o seu desenvolvimento, são contados em 02 tempos de 45 minutos e 11 atores em cena.

Justificativa:

O futebol desde a sua criação é visto como gerador de conflitos sangrentos. Tratado como esporte de massa e mencionado muitas vezes ao lado do termo ‘Arte’, tem-se mantido bem afastado desta. Sustenta a economia de grandes empresas, exerce função social altamente representativa, além de ser um dos maiores representantes da integração do globo. Sustentado na paixão de grupos fervorosos, com numerosa representatividade em todos os países, mobiliza mais sentimentos do que a política, comparando-se às religiões. Apesar de motivar grandes estudos antropológicos, segue sendo discriminado, ostentando a triste conotação de esporte violento.

A arte forma caráter e modifica a realidade. Poder contribuir na árdua tarefa de formar cidadãos, além de um grande desafio é um privilégio. Para isto é preciso estar atentos às mudanças e às carências que venham a surgir com elas. Empenho e perseverança são ingredientes indispensáveis a todos aqueles que acreditam em dias melhores. A arte se coloca ao lado da educação a fim de produzir informação séria, responsável e consciente, e transmiti-la de maneira objetiva e descontraída para assim prosseguir na luta contra a ignorância.

A obra aqui apresentada, amparando-se no equilíbrio que pode existir entre paixão e razão, tem o compromisso de colaborar com uma necessária mudança de comportamento, entrando na contramão de uma cultura adulterada.

Objetivos:

  • Apresentar um produto denominado SHOW DE BOLA. Um espetáculo teatral em cujo contexto está a história do futebol;
  • Abordando problemas sociais sustentados nas tendências da natureza humana. Traz inovações na idéia central, por se tratar de uma ligação prática e pouco comum entre arte e esporte, o que torna sua proposta diferenciada.
  • Viabilizar a produção de um espetáculo, em cujo contexto está o futebol como identidade sociocultural e como elemento histórico e transformador.
  • Investigar os primórdios deste esporte, que objetiva entender as principais mudanças em sua trajetória, para melhor transmiti-lo as gerações futuras e melhor aplicá-lo na formação de uma nova consciência;
  • Mostrar pelo exemplo que, para melhorar atuação humana neste planeta, não é preciso mudar os caminhos, mas aperfeiçoar a caminhada.

Sinopse do roteiro:  O espetáculo tem formato de show, passando pelas várias fases do futebol, desde suas primeiras manifestações até os dias de hoje. É dividido em dois tempos de 45 minutos cada um. O primeiro tempo traz um conteúdo com mais referências históricas, com quadros retratando as formas arredondadas predominantes na geografia do planeta, o homem primitivo, a idade média, os combates entre gladiadores, as arenas de sacrifícios onde seres humanos eram oferecidos a animais ferozes para divertir grandes platéias, e concluindo-se na criação do futebol para substituir esses costumes bárbaros. O segundo tempo inicia-se apresentando a difusão do esporte no planeta, conduz-se aos primeiros momentos na região britânica e sua chegada ao Brasil e a adoção como esporte nacional. Após as referências aos clubes de maiores torcidas, é dada uma prorrogação de dois minutos preenchida com uma mensagem final contra a violência e promoção da cordialidade e civilidade.

Democratização da Cultura:

Com a finalidade de melhor cumprir os objetivos de comunicação e divulgação do produto, será disponibilizado um setor e criado um departamento específico na sede da empresa para cuidar isoladamente desta função.

  • Utilizar todas as ferramentas existentes possíveis para estimular o público alvo;
  • Buscar apoio da mídia e da crítica;
  • Buscar novos parceiros e patrocinadores;
  • Informar a toda a população, mesmo aos que não se interessarem, sobre a existência e detalhes do espetáculo;
  • Informar aos envolvidos sobre o andamento das atividades;
  • Aumentar o envolvimento de todos os beneficiários;
  • Prestação de contas à sociedade sobre como estamos investindo os recursos que recebermos. 

Perfil do Público Beneficiado:

Pessoas de todas as idades, raças e convicções.

Trata-se de um espetáculo teatral cujo tema central, história do futebol, é de interesse de todas as pessoas.

 

Estimativa de Público:

20.000 – público direto.

Ação Social

Investir no Marketing Cultural é, sem dúvida, uma excelente opção para empreendimentos que desejam apostar na boa formação do cidadão consciente. A atividade artística envolve o jovem, norteia suas ações e o capacita a desenvolver atitudes saudáveis e benéficas ao meio social a que pertence.

“SHOW DE BOLA” está incluso nesta gama de atividades que têm como prioridade a difusão do bem comum e o desenvolvimento de um planeta mais justo e unificado, combinando a função educativa com o ato de entreter, tendo como elo a mensagem educativa, formadora de opinião.

Unindo sua marca a este trabalho a Organização estará associando seu produto ou serviço à emoção do espetáculo, melhorando seu conceito na visão do espectador.

O espetáculo ficará em cartaz em São Paulo durante os primeiros dois meses após a estréia (março/Abril de 2012). Após este período será feito um novo projeto para uma turnê pelas principais capitais do país (Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Brasília, Curitiba, Recife, Fortaleza e Porto Alegre) e prolongará esta turnê em caso de novas propostas.

Em cada região será contratado um produtor local, com ótimo conhecimento geográfico e contatos de imprensa e estratégias regionais, para trabalhar em conjunto com um representante que será deslocado da sede para o local com este fim.

Contrapartida:

  • Titulação da empresa como patrocinadora do projeto;
  • Logomarca em todo o material gráfico do projeto;
  • Logomarca em toda divulgação na mídia impressa;
  • Citação em mídia audiovisual;
  • Colocação de anúncios no local de apresentação do espetáculo;
  • Ações promocionais no local do evento;
  • Distribuição de brindes e/ou material promocional do patrocinador;
  • Cessão de ingressos em todas as sessões em número máximo de 5% da lotação da casa para funcionários e/ou projetos sociais apoiados pelo patrocinador;
  • Poderá ser desenvolvida juntamente com a empresa uma ação que tenha como finalidade mensurar o retorno do investimento feito no projeto.

Contrapartidas Gerais

  • Possui forte apelo popular, o que permitirá reforçar a imagem da empresa/produto aproximado-a de seu público-alvo através de uma abordagem subjetiva;
  • Pela excelência e dedicação de seus profissionais e a grandeza de sua proposta possibilitará à empresa associar sua marca a um projeto cultural de qualidade indiscutível.
  • A parceria dá visibilidade à empresa, agrega valor de teor cultural ao produto sem desabonar a identidade do projeto.

Plano de Divulgação:

  • Sessão Piloto – Será promovida uma sessão anterior à estreia com entrada franca para convidados da imprensa e empresas clientes potenciais.
  • Assessoria de Imprensa – Um assessor de imprensa fará a ponte entre a Companhia e a mídia local impressa, audiovisual e eletrônica, no período de sessenta dias precedentes à estréia e durante toda a temporada.
  • Rádio – Serão selecionadas duas das emissoras de maior audiência para veicularem chamadas durante os chamados “horários nobres”.
  • TV – Serão levadas ao ar propagandas, numa única emissora de grande audiência em horários nobres.
  • Panfletos – Serão impressos 500.000 (quinhentos mil) panfletos contendo informações do espetáculo e dos patrocinadores.
  • Faixas – Serão fixadas faixas em pontos estratégicos salvo na cidade de São Paulo.
  • Outdoor – Serão fixados outdoors nas principais avenidas, salvo na cidade de São Paulo.

Cotas de Patrocínio:

 100%   1.017.180,00       Apresentação do Projeto. Aparece em todo e qualquer material de divulgação bem como: Rádio, TV (propaganda), TV (participação em programas de auditório), internet, Anúncios de meia página no jornal de grande porte em São Paulo, 2.500 cartazes 25.000 panfletos, 10.000 programas e 2 Banners. A logomarca será aplicada em todo material gráfico associado ao espetáculo.

 50%    508.590,00 - Apresentação do projeto, porém dividindo o título com demais patrocinadores. Aparece em todo e qualquer material de Divulgação do Projeto. A logomarca será aplicada em todo material gráfico associado ao espetáculo.

 20%      203.516,00   - Direito a todo material de divulgação, com exceção de Radio e TV (propaganda) e TV (programas de auditório). Aparece em tamanho reduzido em todo o material gráfico.     

 10%    101.718,00       - Aparece em todo material gráfico e internet.

CIRCO DUX – TEMPORADA ZARAK SHOW

Nº 17


Segmento do projeto:   artes cênicas

Gênero:     ( X ) teatro   ( X ) dança  

Título do projeto: Circo Dux - Temporada Zarak Show

Local do projeto / nome do local:    ( x) teatro

Região do projeto / município / estado: RJ

Valor do projeto:    38.233 – Trinta e oito mil duzentos e trinta e três reais

Ficha técnica e artística dos envolvidos:  Direção Geral de Projeto: Circo Dux; Direção de Produção: Assistente de Produção: Assessoria de Imprensa: Guadalupe Comunicações; Elenco: Fabricio Dornelles e Lucas Moreira; Administração de Projetos: Joana Henning; Operação Tecnica: Rodolfo Giovanetti

Realização: Circo Dux

Ficha Técnica do Espetáculo: Direção: Márcio Libar; Pesquisa, Criação e Concepção: O Grupo e Márcio Libar; Direção dos Números Átila, Oriental: Sérgio Machado (Ségio Ségio); Elenco: Fabricio Dorneles e Lucas Moreira; Direção de produção: O Grupo; Cenografia e Adereços: Raquel Théo; Confecção de Adereços: Dodô Giovannetti;Desenho de Figurino: Amanda Dorneles, Karlla Tavares e Raquel Theo

Produção do Figurino: O Grupo e Raquel Theo; Sonoplastia: Lucas Moreira e Fabricio Dorneles

Operador de som: Dodô Giovannetti; Desenho de Luz: Luiz Carlos Nem; Iluminador: Luiz Carlos Nem

Material gráfico: Fabricio Dorneles. 

Explicação do projeto: Realização da temporada do Espetáculo Zarak Show, do grupo Circo Dux. O espetáculo permanecerá em cartaz durante quatro semanas em um teatro do Rio de Janeiro, em horário infanto-juvenil(17hs). Este espetáculo foi montado com os recursos do Prêmio Carequinha de Estímulo ao Circo 2010 / Funarte. A verba destina-se à divulgação, pessoal, gastos administrativos e técnicos referentes a temporada.

Sinopse / resumo / comentário: O espetáculo é uma homenagem a tradição circense e ressalta a importância do trabalho do artista que foi predestinado a viajar o mundo para encantar as pessoas.

Com números de mágica, faquirismo, malabares e humor o espetáculo é uma comédia rasgada e criativa que emociona ao revelar a importância da arte, da perseverança e do amor na trajetória dos seus personagens.

Os atores circenses Lucas Moreira e Fabrício Dorneles dão vida a Darius Kidrick e Ygor, dois irmãos gêmeos idênticos e siameses que recebem uma importante missão: realizar a turnê mundial do Zarak Show.

Zarak Show é um espetáculo circense voltado para o público infantil, mas que encantará pessoas de todas as idades. Brincadeiras inteligentes, tiradas hilárias e muitos detalhes engraçados são um convite para o espectador passear pelo universo lúdico do circo e da comicidade.

Para contar esta história, a encenação buscou inspiração na estética dos circos tradicionais de lona. Os elementos presentes em cena, como figurinos, cenários, adereços, iluminação e música foram cuidadosamente construídos e escolhidos para trazer ao ambiente da sala de teatro e ao espectador a atmosfera desses circos antigos, de  extensa tradição familiar.

Como contraponto ao vigor e a explosão dos números de habilidade circense e de magia, o espetáculo traz elementos singelos como os bonecos, miniaturas dos personagens que são utilizadas de forma lúdica para contar determinadas passagens das “aventuras dos irmãos gêmeos Darius e Igor”.

A dramaturgia de Larissa Câmara foi introduzida ao processo de montagem na medida em que surgiu a necessidade de amarrar as cenas, piadas e números de técnica circense, buscando alcançar uma narrativa direcionada ao público infantil sem deixar de ser atrativa também ao público adulto. 

Tipo de incentivo:     Lei Rouanet

AS 4 ESTAÇÕES GITANAS

Nº 18


Segmento do projeto:    artes cênicas

Gênero:   teatro  

Título do projeto: As 4 Estações Gitanas

Autor / adaptação: Paulo Rogério Lopes e Florença Ferrari (antropóloga)

Direção /  coordenação: Naum Alves de Souza

Local do projeto / nome do local:    ( ) livraria  (x) teatro ( ) praças ( ) cinemas ( ) outros/ indique nome

Região do projeto / município / estado: São Paulo, Campinas e Paulínia - SP

Valor do projeto: R$ 1.236.720,00  (Hum milhão, duzentos e trinta e seis mil, setecentos e vinte reais)

Ficha técnica e artística dos envolvidos:  Elenco protagonista: Sandy (convidada especial para protagonizar a temporada do espetáculo como cantora e atriz – a confirmar no período de captação e estreia), Leandra Leal e Cauã Reimond (atores protagonistas a confirmarem no período de captação e estreia), Estênio Garcia, Laura Cardoso e Sidney Magal (participações especiais em vídeo), direção a cargo do premiado diretor teatral Naum Alves de Souza, Pesquisa da Antropóloga Florença Ferrari, dramaturgia do premiado autor Paulo Rogério Lopes.

Explicação do projeto: O objetivo deste projeto é a montagem e temporada de doze semanas na cidade de São Paulo, oito semanas na cidade de Campinas e quatro semanas na cidade de Paulínia da peça teatral “AS QUATRO ESTAÇÕES GITANAS”. Espetáculo musical infanto-juvenil que propõem apresentar ao público a cultura cigana sob um novo olhar, como instrumento, através de músicas, histórias e costumes e desta forma desmistificar as lendas e preconceitos que cercam este povo. 

Sinopse / resumo / comentário:  Duas ciganas chegam à margem de um riacho no verão para lavar seus lenços encantados. Passam em sua jornada pelo outono, inverno e primavera, cercadas de mistérios, encontros, lendas, dificuldades, provocações e desejos. A família, para o povo cigano, é seu maior tesouro. Desta forma procuraremos apresentar os valores deste povo, que é envolvido de mistérios, que da Lua Cheia, retira a magia; da dança e da música, toda a alegria; da natureza, a força e a energia. Resgatar os mandamentos de respeito aos mais velhos, a natureza e integração com o universo são algumas das questões escolhidas deste povo para serem apresentadas de forma lúdica e crítica atingindo todas as faixas etárias.

Outros detalhes do projeto: Espetáculo teatral com temática sobre a diversidade cultural.

Tipo de incentivo Lei Rouanet

LUZ DA VIDA

Nº 19


Título: A Luz da Vida

Valor: 137.014,00  ( cento e trinta e sete mil e quatorze centavos )

Incentivo: Lei Rouanet

Apresentação do Projeto: Apresentações gratuitas de 60 (sessenta) sessões do espetáculo infantil "A Luz da Vida" em escolas públicas dos municípios: Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Jacareí, Poá, Salesópolis, Suzano durante 30 (trinta) dias de trabalho. Texto este que leva mensagens importantes sobre segurança dentro de casa, cuidados com a rede elétrica e cidadania.

Justificativa: A equipe considera a arte grande aliada na formação do cidadão consciente. A interação, a magia, o envolvimento com a emoção presentes neste trabalho assegura o entendimento da mensagem.

As cidades que receberão o Projeto pertencem à região da grande São Paulo com extensas áreas de periferia, populações expostas aos diversos problemas sociais e pouco acesso aos bens culturais. Orientar para o bem utilizando a dinâmica do teatro, unindo diversão de qualidade com informação relevante é a maneira com que se pretende atingir o objetivo de mudar a realidade em pequenas doses.

Objetivos:

  • Estimular na criança o comportamento pró-ativo e a consciência ambiental, cooperativa e responsável a fim de desenvolver relações positivas.
  • Apresentar uma obra com tema Energia elétrica, com ênfase na segurança, uso correto, meio ambiente e cidadania;
  • Beneficiar aproximadamente 21.000 crianças de 06 a 12 anos, em dez municípios, três dias ou 06 sessões em cada município. Para esta seleção será levada em consideração a acessibilidade de um público mais distante do teatro e a busca por novas parcerias em favor deste público.

Sinopse:

Imitando um programa de auditório de televisão, um casal de apresentadores: Vera Luz Divina e Voltiney Kilowat recebem muitos convidados, entre eles os grupos musicais: “Sala de Estar” e “Força mínima”, o cantor Ferronando Passador, e os convidados para um debate, Dr Energia e Máximo Desperdício.

Este último, tido como o vilão da história acaba se dobrando em favor da necessidade de ter cuidados com a própria segurança, se comove e decide salvar a natureza. Tudo se desenrola com muita comicidade e números músicais de gêneros variados como: rock, pagode, romântico brega e rap.

Democratização da Cultura:  Todas as sessões serão gratuitas e o grupo irá até a escola, de modo que não afaste a criança dos estudos. É assim que a Cia Realce pretende alcançar diretamente o público esperado.

Serão trinta dias trabalhados, dias sessões por dia, aproximadamente 21.000 (vinte e uma mil) crianças beneficiadas.

Perfil do Público Beneficiado:  O espetáculo é direcionado a crianças de 06 a 12 anos matriculadas na rede pública em situação de exclusão da área cultural, residentes nas áreas mais carentes, como exemplo de Itaquaquecetuba, município considerado o quarto mais pobre do estado de São Paulo.

Estimativa de Público:  21.000 – público direto. Acredita-se que este número possa dobrar, quando se considera o público indireto.

Ação Social: A sustentabilidade está diretamente relacionada à responsabilidade social. Estimular atitudes saudáveis com o planeta não só ajudam a melhorar a qualidade de vida do ser humano como preserva os recursos naturais e a biodiversidade. Envolver a criança no debate desses conceitos é preparar novos caminhos para o desenvolvimento, é promover a igualdade e a inclusão social.

Contrapartida:

  • Titulação da empresa como patrocinadora do projeto;
  • Logomarca em todo o material gráfico e eletrônico do projeto;
  • Logomarca em toda divulgação na mídia paga;
  • Banners exclusivos ao lado do palco nos horários de espetáculo; 
  • Ações promocionais no local do evento;
  • Camisetas usadas como uniformes pelos prestadores de serviços do projeto, bem como sorteadas ao final de cada apresentação;
  • Poderá ser desenvolvida juntamente com a empresa uma ação que tenha como finalidade mensurar o retorno do investimento feito no projeto.

Plano de Divulgação:

  • Programas – 30.000
  • Faixas – 20
  • Anúncios em jornal
  • Site – Internet – 1 por toda a temporada
  • Site da empresa “Realce”.
  • Cartazes – 1000
  • Banner (90X1,50) – 3 acompanharão toda a temporada.
  • O apoio será mencionado em toda entrevista e anúncios feitos pela equipe.

Cotas de Patrocínio
 100%: 137.014,00 -
Apresentação do Projeto. Aparece em todo e qualquer material de divulgação bem como: Anúncios de meia página no jornal de grande porte em São Paulo, 300 camisetas, 1.000 cartazes e 2 Banners. A logomarca será aplicada em todo material gráfico associado ao espetáculo.

50%: 68.507,00 - Apresentação do projeto, porém dividindo o título com demais patrocinadores. Aparece em todo e qualquer material de Divulgação do Projeto. A logomarca será aplicada em todo material gráfico associado ao espetáculo.

20%: 27.403,00 - Direito a todo material de divulgação, com exceção de banners. Aparece em tamanho reduzido em  todo o material gráfico.

10%: 13.701,00 - Aparece em todo material gráfico, com exceção de Banner. Em cartazes estará em uma faixa na parte inferior, dividindo espaço com demais apoiadores.Obs.: As cotas acima estão abertas para negociação de acordo com a necessidade e preferência do patrocinador.

A VOZ DE UMA GUERREIRA

Nº 20


Segmento do projeto  ( x ) artes cênicas

Gênero:     ( x ) teatro  

Título do projeto: Clara Nunes – A Voz de uma Guerreira

Autor / adaptação: Paulo Rogério Lopes e Vagner Fernandes

Direção /  coordenação: Naum Alves de Souza

Local do projeto / nome do local:    ( ) livraria  (x) teatro ( ) praças ( ) cinemas ( ) outros/ indique nome

Região do projeto / município / estado: São Paulo, Campinas e Paulínia - SP

Valor do projeto: R$ 903.981,20 ( Novecentos e três mil, novecentos e oitenta e um reais e vinte centavos )

Ficha técnica e artística dos envolvidos:  Elenco protagonista: Tânia Alves e Gabriela Alves, Participação especial de Mariene de Castro (cantora da nova geração baiana com carreira internacional), Direção do premiado diretor teatral Naum Alves de Souza, Pesquisa e biografia de Vagner Fernandes, Dramaturgia do premiado autor Paulo Rogério Lopes.

Explicação do projeto: O projeto objetiva uma temporada inicial de 3 meses na cidade de São Paulo, 2 meses na cidade de Campinas e 1 mês na cidade de Paulínia em 2012, com a participação de 2 atrizes e 6 atores/músicos e participação especial em vídeo de Paulo César Pinheiro e Mariene de Castro (cantora da nova geração baiana com carreira internacional). O projeto quer fazer uma homenagem à cantora Clara Nunes, que em 2012 completaria 70 anos de idade e consagrar a emoção de toda uma época através da história de uma das mais marcantes interpretes da musica popular brasileira. Com uma certa liberdade poética e uma colagem audiovisual que será exibida num telão, personagens e fatos históricos do período serão pincelados para retratar a história da nossa personagem.

Queremos que a juventude de hoje venha conhecer o que Clara Nunes representou para a história da musica popular brasileira como interprete, mulher, mãe, cidadã.

Apostaremos em um elenco de atores, músicos, bailarinos e interpretes representantes da nova geração para dar corpo e alma a este espetáculo musical, histórico e biográfico. As musicas serão executadas ao vivo sob o acompanhamento de uma banda formada especialmente para a ocasião por músicos atores.

Temos certeza de que o presente projeto reúne totais condições para se transformar numa iniciativa cultural de grande sucesso, contribuindo sobremaneira para o enriquecimento da cena cultural brasileira.

Sinopse / resumo / comentário:  A peça retrata a vida de Clara Nunes, sua trajetória e conquistas. Uma visão realista e poética como a própria vida dessa cantora. Com oito atores em cena e 90 minutos de espetáculo, a peça reunirá em si, música, dança e interpretação.

Tipo de incentivo Lei Rouanet

O MENINO DE DENTRO

Nº 21


Segmento do projeto:  artes cênicas

Gênero:   teatro  

Título do projeto: O Menino de Dentro

Local do projeto / nome do local:  teatro

Região do projeto / município / estado: SP    

Valor do projeto:   203.730,00 (duzentos e três mil e setecentos e trinta reais)      

Ficha técnica e artística dos envolvidos: Dramaturgia: Adriana Napoli; Direção Geral: Rafael Bicudo

Elenco: Jorge Lampa, Adriana Napoli e Danilo Rodriguez; Figurinos, Cenários e Adereços; Cênicos: Rafael Bicudo; Iluminação: Aline Barros; Técnico de som: Leandro Siqueira

Explicação do projeto: O projeto “O Menino de Dentro” pretende a temporada de um espetáculo teatral destinado ao público infantil. Todas as apresentações serão gratuitas e agendadas para escolas da rede pública de ensino. O projeto prevê ainda a realização de oficinas artísticas com educadores e comunidade tendo como ponto de partida o processo de criação e o roteiro do espetáculo.

Sinopse / resumo / comentário:  Através da contadora de histórias Tia Nono, uma menina entra em contato com um mundo fantástico, onde dialoga com um menino que vivia trancado dentro de um quarto, pois ainda não estava preparado o suficiente para enfrentar o mundo.

A interação destas duas crianças faz elas perceberem as diferenças que as cercam; dentro do quarto do menino, tudo é feito artesanalmente utilizando a criatividade, já do lado de fora, onde está a menina, há toda a facilidade da tecnologia presente na contemporaneidade.

Ao comparar as suas invenções com as que existem fora de seu quarto, o Menino de Dentro não vê mais sentido nos seus objetos e em todos os sonhos que ele havia construído em seu mundo particular, entretanto os dois personagens refletem sobre as vantagens e as desvantagens do progresso. O Menino aprende então a valorizar suas conquistas, com isso ele adquire o preparo suficiente para ter sua liberdade e é impelido a sair de seu mundo. Neste momento percebe-se que o quarto era o útero materno e que o momento de sua saída é o parto.

Passando para o lado de fora, o Menino de Dentro conhece pessoalmente a sua amiga, a Menina de Fora, revelada agora como irmã e propõem então o cultivo das habilidades artesanais e a utilização dos benefícios da tecnologia, não anulando nunca um pelo outro.

Tipo de incentivo:     Lei Rouanet

ONDE COMEÇA E ACABA O ARCO ÍRIS

Nº 22


Segmento do projeto:  artes cênicas

Gênero:     ( x ) teatro  

Título do projeto: Onde Começa e Acaba o Arco-Íris...

Autor / adaptação: Aimar Labaki (supervisão geral de Maria Adelaide Amaral)

Direção /  coordenação: Nany di Lima

Local do projeto / nome do local:    ( ) livraria  (x) teatro ( ) praças ( ) cinemas ( ) outros/ indique nome

Região do projeto / município / estado: São Paulo - SP

Valor do projeto: R$ 629.439,97 (Seiscentos e vinte e nove mil, quatrocentos e trinta e nove reais e noventa e sete centavos)

Ficha técnica e artística dos envolvidos:  Elenco protagonista: Chico Neto e Vanessa Portugal, Participação especial em vídeo de Pascoal da Conceição e Denise Del Vecchio, direção a cargo do premiado diretor teatral Naum Alves de Souza, dramaturgia de Aimar Labaki e supervisão geral da autoria de minisséries Maria Adelaide Amaral.

Explicação do projeto: O projeto objetiva uma temporada inicial de 3 meses na cidade de São Paulo com a participação de 4 atores, em 2012. Onde Começa e Acaba o Arco-Íris..., é um projeto teatral inédito com dramaturgia inspirada nas correspondências trocadas entre Mário de Andrade e Anita Malfatti.

Sinopse / resumo / comentário: Metade é ficção, metade é história contada. Mário de Andrade e Anita Malfatti se encontram no palco para acertar suas dívidas, suas mágoas, suas diferenças. Agora não é preciso mentir, dissimular: eles estão mortos. E agora, o que dirão um ao outro? Ele crê que domina as palavras, mas ainda não é capaz de dizer o que realmente sente. Ela pensa que domina as imagens, mas ainda não é capaz de mostrar o que deseja. De um lado, há amor; de outro, apenas carinho. De um lado, força; de outro, impotência. Eles cometem enganos como estes que a gente comete. Eles têm medo, têm desejos, dificuldades, sonhos. Como a gente. Eles ainda padecem do quase. Eles sabem que quando duas pessoas se amam, nada pode terminar bem. Mas... e se tudo começasse de outro jeito? Será que tudo depende de como começa

Outros detalhes do projeto: O projeto disponibilizará equipamentos e profissionais capacitados para receber e traduzir a obra aos deficientes visuais utilizando a audiodescrição, atendendo às pessoas com deficiência visual, intelectual, idosos e disléxicos, além de profissionais da linguagem brasileira de sinas (libras) para atender às pessoas com deficiência auditiva. O projeto pretende Dividir com o grande público, incluindo jovens de baixa renda, conhecimentos mais profundados sobre estes dois personagens históricos - mártires do movimento modernista - através de uma temporada de apresentações com discussões pós-espetáculo. Queremos relatar os bastidores da criação artística através de personagens reais da nossa história cultural brasileira; promover reflexão e debate acerca de relevantes temáticas que vai desde o potencial criativo dos artistas, até abordagens como: preconceito; homossexualidade; deficiência física; amor; fragilidade e insegurança, assuntos que são de suma importância para o desenvolvimento humano. Será empregada na concepção da trilha sonora pesquisa das canções populares colhidas por Mário de Andrade no Brasil profundo. Resultado de Pesquisas biográficas; leitura das cartas no Instituto de Estudos Brasileiro (IEB-USP); depoimentos; entrevistas com a família Malfatti e com a pesquisadora e biógrafa Marta Rossetti Batista (in memoriam), e em posse da autorização da Família Malfatti, almejamos um espetáculo inédito cruzando as correspondências de ambos. Com esta pesquisa entendemos que o projeto tem valor histórico, e é fonte substancial para o estudo da cultura brasileira e suas transformações no século XX.

Tipo de incentivo:   Lei Rouanet

TOQUE DE CRIANÇA

Nº 23


Segmento do projeto:    (X  ) artes integradas

Gênero:     (X  ) teatro    (X  ) música   (X  ) dança  

Título do projeto: Toque de Criança

Autor / adaptação: Carmen Ajala

Direção /  coordenação: Carmen Ajala

Local do projeto / nome do local:   ONG Bolha de Sabão

Região do projeto / município / estado: Indaiatuba

Valor do projeto: 250.000,00 indique valor numérico e por escrito ( Duzentos e Cinquenta Mil Reais)

Ficha técnica e artística dos envolvidos: Coordenadora do Projeto:  Carmen Ajala Gestora de Desenvolvimento há 05 anos na Instituição, produtora cultural e coordenadora do Ponto de Cultura “Toda Cultura “, da ONG Bolha de Sabão.

Minha formação acadêmica se constitui no bacharelado em Publicidade e Propaganda obtido na Universidade Anhembi Morumbi concluído em Dezembro de 1993. Em complemento à formação anteriormente mencionada, participei de cursos relacionados à área cultural no SENAC de Julho de 2006 a outubro do mesmo ano.  Trabalhei 08 anos na Empresa Top Total Promoções e eventos, sendo responsável pela organização de eventos culturais inclusive com leis de incentivo. Desde 2007 respondo como gestora de eventos culturais da entidade Organização Assistencial Bolha de Sabão em Indaiatuba, Além de ser a Coordenadora geral do Ponto de Cultura, projeto este vinculado a Secretaria do estado da Cultura e Ministério da Cultura.

 Neste projeto atuam 15 profissionais sendo 03 de artes cênicas, 04 de dança e 08 da área de música. São currículos extensos, todos com formação superior na área envolvida, e atuantes em Cia de teatro, cias de dança e orquestras, temos o currículo completo, ficou muito extenso colocar aqui, mesmo resumidamente, caso seja imprescindível para o projeto encaminharemos como anexos.

Explicação do projeto: O Projeto já existe, e é realizado há 04 anos na ONG Bolha de Sabão, por meio de apoio voluntário há três anos a entidade também é um Ponto de Cultura. São realizadas oficinas de canto coral, coro cênico, violão, flauta, violino, teatro, jazz, balé e hip hop, capoeira e grafite, para crianças em situação de risco e vulnerabilidade social, cuja maioria os pais estão presos ou desaparecidos. 

Objetivo Principal: Promover a inclusão social e cultural para que os assistidos se tornem conscientes de suas capacidades e possam modificar sua realidade por meio do teatro, da música e da dança, unidos nesse projeto.

Objetivos específicos: Realizar um Festival Cultural, integrando as oficinas de teatro, música e dança ; Desenvolver o senso crítico dos assistidos pela Bolha de Sabão, para os problemas de sua realidade, enfatizando aqueles relacionados às questões ambientais, despertando a criatividade, a fantasia, os sonhos, os talentos, os dons, a emotividade e principalmente o desejo de ser cada vez melhor, com segurança;  Coordenar oficinas e criar oportunidades de aprendizado por meio de atividades lúdicas, criativas e preventivas, promover a inclusatubaento com a Secretaria do Estado daCultura, se tornando o 1º Ponto de Cultura de Indaiatuba apoiando, acompanhando e avaliando os atendidos, objetivando fornecer respaldo para seu crescimento interior, interpessoal e social. 

Justificativa: Baseamos a importância da execução deste projeto na experiência da instituição ao acompanhar a trajetória dos assistidos e de suas famílias, ao longo de seus três anos de atuação; Convivemos com uma realidade de pobreza física e emocional, com crianças vítimas de violência sexual, física e psicológica e, consequentemente, com deficiências em diversas áreas e ausência quase completa de autoestima; Ao desenvolvermos este projeto pretendemos utilizá-lo como instrumento de combate à exclusão social, com a integração das oficinas citadas, oferecendo às crianças e adolescentes uma oportunidade de descobrir seus talentos e sua importância no contexto social, como jovens que merecem respeito e uma chance de vida digna. 

Sinopse / resumo / comentário:  O Projeto Toque de Criança é dividido em duas tapas sendo a Primeira etapa a realização de oficinas de iniciação e introdução à arte da musica, da dança e do teatro, esta etapa terá duração de um ano, sendo concluída com a apresentação de um Festival Cultural.

A Segunda etapa os atendidos no projeto passarão para uma fase mais avançada, com conceitos técnicos e aprofundados nas atividades de musica, dança e teatro (Teatro, canto coral, coro cênico, violão, flauta, violino, jazz, balé e hip hop, capoeira e grafite), o objetivo desta etapa é uma introdução à profissionalização da arte da musica, da dança e artes cênicas. Esta fase será concluída com um Festival Cultural, aberto a comunidade local, escola publica e entidades sociais da cidade.  

 Tipo de incentivo: A Entidade é Ponto de Cultura e apoiará o projeto com a liberação de instrumentos musicais e material para a realização das atividades e oficinas.

SARA, SEREIA E O BOTO AZUL

Nº 24


Segmento do projeto:  artes cênicas

Gênero:     teatro  

Título do projeto: Sara Sereia e o Boto Azul

Autor / adaptação: Adriana Napoli

Direção /  coordenação: Grupo Malaebaú

Local do projeto / nome do local:    Escolas da Rede pública de ensino

Região do projeto / município / estado: Eixo Rio - SP

Valor do projeto:   R$ 172.900,00 (cento e setenta e dois mil e novecentos)      aprovado na Lei Rouanet ou R$ 150.700,00 (cento e cinqüenta mil e setecentos reais) aprovado no Proac ICMS

Ficha técnica e artística dos envolvidos:  Dramaturgia: Adriana Napoli

Elenco: Jorge Lampa, Adriana Napoli e Marcelo Prudente

Figurinos, Cenários e Adereços Cênicos: Rafael Bicudo

Obs: Os demais profissionais envolvidos serão selecionados e contratados após a captação do projeto.

Explicação do projeto: O projeto “Sara Sereia e o Boto Azul” tem por objetivo a circulação gratuita de um espetáculo teatral de contação de histórias destinado ao público infantil. Este projeto pretende levar o teatro até as escolas da rede pública de ensino, possibilitando o contato de crianças com as artes cênicas e o acesso à cultura, o que contribui para a formação de público e para a inclusão social.

Sinopse / resumo / comentário:  Através de elementos lúdicos e músicas, são apresentadas duas histórias inspiradas no folclore brasileiro: "Sara Sereia", que conta a história de Sara, uma jovem sereia que mesmo sem possuir pernas humanas, desafia os costumes de seu povo e resolve se tornar bailarina e "O Boto Azul", um boto que sofre a discriminação por ter nascido com a cor diferente de seus irmãos botos cor-de-rosa.

“Sara Sereia e o Boto azul” é um espetáculo de narração de histórias interativo, onde o público participa através de brincadeiras da tradição oral, que permeiam os contos narrados, tais como adivinhas, trava-línguas e brincadeiras musicais.

Também é destacada a narratividade das canções, conduzindo o público a “embarcar na história” e cantar junto músicas da nossa cultura popular e cantigas do cancioneiro tradicional.

Tipo de incentivo:     ( X ) Lei Rouanet

AS ESTRELAS CADENTES

Nº 25


Segmento do projeto:   artes cênicas

Gênero: teatro  

Título do projeto: As Estrelas Cadentes do Meu Céu São Feitas de Bombas do Inimigo

Local do projeto / nome do local:    ( ) livraria  (x) teatro ( ) praças ( ) cinemas ( ) outros/ indique nome

Região do projeto / município / estado: Sudeste- São Paulo -SP

Valor do projeto: R$ 188.500,00 (Cento e oitenta e oito mil e quinhentos reais) 

Explicação do projeto: AS ESTRELAS CADENTES DO MEU CÉU SÃO FEITAS DE BOMBAS DO INIMIGO, décimo espetáculo da Cia. Provisório-Definitivo, será baseado principalmente nos livros: VOZES ROUBADAS -DIÁRIOS DE GUERRA, organizado por Zlata Filipovic e Melanie Challenger, O DIÁRIO DE ANNE FRANK famoso livro organizado por Otto H. Frank e Mirjam Pressler e OS BELOS DIAS DA MINHA JUVENTUDE, de Ana Novac. 

Os três livros contêm relatos de adolescentes que confidenciaram a seus diários tudo o que passava pelas suas cabeças enquanto seus países ou suas casas eram bombardeados, amigos ou familiares mortos, passavam frio, não tinham o que comer, não podiam sair de suas casas, sentiam saudades de seus pais... Enfim, relatavam suas impressões em diferentes situações de guerra ao longo do conflituoso século XX e do começo do século XXI.

Sinopse / resumo / comentário: Rússia 1938, Alemanha 1914, Nova Zelândia 1941, Iraque 2003, Polônia 1942, Vietnã 1968, Estados Unidos 1942, Bósnia-Herzegovina 1992. Jovens relatam suas experiências vividas durante diferentes guerras, em diversos países e distintas épocas. Apesar da distância de tempo e espaço entre essas personagens, existem traços marcantes em comum, que transcendem a cultura, o credo e a geografia. É uma humanidade que se compartilha. Independentemente da natureza dos conflitos narrados esses adolescentes são tolhidos naquilo que há de mais essencial nas suas vidas: a liberdade de agir e assim criar as suas individualidades. 

Outros detalhes do projeto: A Cia. Provisório-Definitivo ao fazer um espetáculo sobre esses jovens, busca atingir um público diverso, formado por espectadores a partir de 12 anos, no qual o material pesquisado permite diferentes possibilidades cênicas tanto no conteúdo, quanto na experimentação de pesquisa. Como cada relato de um adolescente é específico na individualidade de quem narra, no conflito relacionado e na época em que é vivido, o desafio será dar unidade a uma espécie de colcha de retalhos. Tudo isso, sem perder o principal objetivo para o grupo: a necessária comunicação com o público.

Tipo de incentivo:     (X) Proac- ICMS/SP    (X) Lei Rouanet

CAPITU, OLHOS DE MAR

Nº 6


Segmento do projeto:     (x) artes cênicas

Gênero:  (x) teatro  

Título do projeto: Capitu, olhos de mar

Autor / adaptação: Kiko Rieser, a partir da obra de Machado de Assis

Local do projeto / nome do local:    (x) teatro

Região do projeto / município / estado: São Paulo, Mogi das Cruzes, Ribeirão Pires (possibilidade de outras cidades, caso seja de interesse do patrocinador).

Valor do projeto: R$ 350.810,00 (trezentos e cinquenta mil, oitocentos e dez reais)

Explicação do projeto: Infelizmente, da mesma forma que ir ao teatro é um costume de poucos brasileiros, ler não está entre seus hábitos mais comuns, especialmente dos adolescentes.

O gosto pela leitura, quando não vem como costume passado pelos pais, se torna mais difícil de adquirir. A beleza das palavras levadas à cena certamente se torna um meio ampliado de sedução para um jovem leitor, estimulando o hábito da leitura, especialmente quando trata de um assunto pertinente a ele. Talvez nenhum tema interesse mais a um adolescente do que o amor, sua fisicalidade e suas descobertas.

Mostrar que mesmo um romance escrito por Machado de Assis há mais de um século pode apresentar uma realidade muito próxima e cara a esse espectador, ainda mais quando envolto em uma linguagem despojada e atual, certamente é uma forma de quebrar a barreira que o distancia dos livros.

Formar leitores e espectadores é formar pensadores, pessoas conscientes de si e de sua ação sobre o mundo, que, por sua vez, podem se tornar novos formadores. “Capitu, olhos de mar”, falando de igual para igual com seu público, vem fomentar o gosto pela leitura e pelo teatro, criando novos leitores e espectadores e, quiçá, novos artistas.

Sinopse / resumo / comentário:  “Capitu, olhos de mar” é uma livre adaptação do romance “Dom Casmurro”, de Machado de Assis. O espetáculo pretende estabelecer uma comunicação efetiva com seu público alvo, os adolescentes, através de uma linguagem coloquial e contemporânea e de um caráter lúdico, tratando do amor juvenil, seus impedimentos e suas consequências na idade adulta.

Serão realizadas 60 apresentações do espetáculo, sendo 15 delas em teatro convencional (capacidade: 200 lugares; valor do ingresso: R$ 20,00) e as outras 60 gratuitamente levadas a escolas públicas, após as quais será realizado um debate entre os artistas e os professores e alunos. Também será distribuído a cada aluno um livreto especial, com 12 páginas, contendo, além de fotos e ficha técnica, textos sobre Machado de Assis, “Dom Casmurro”, a época em que o livro foi escrito, a importância da literatura e da arte e o processo de adaptação. Para que o contato dos alunos com a obra não se encerre com a apresentação, oficinas gratuitas serão feitas com os professores das escolas para lhes propor formas de trabalho contínuo com os estudantes acerca do que foi visto.

Para que se perca o estigma de que ler é algo chato, “Capitu, olhos de mar” se propõe a encenar a adaptação de uma obra clássica (“Dom Casmurro”), acreditando que, assim, a partir da desmistificação do clássico como algo inacessível, a abertura para o mundo das letras será potente. Mais do que isso, há uma vontade de falar diretamente ao público que está se formando enquanto leitor, espectador e indivíduo: o jovem.

“Dom Casmurro” é assim, e traz como foco da história o amor entre os jovens Bentinho e Capitu, com 15 e 14 anos, respectivamente. O frescor da relação entre eles e as situações evocadas por Machado de. O que talvez os assuste seja a refinada linguagem do romancista, típica do século XIX.

Outros detalhes do projeto: Caso captemos 100% do valor aprovado, acrescentaremos ao número inicial de apresentações 30 sessões gratuitas em escolas e 10 em teatro convencional, totalizando 115 apresentações. Esse número extra acontecerá, proporcionalmente, se ultrapassarmos 180 mil reais captados.

Plano de Mídia: Assessoria de imprensa especializada, site de internet, inserções nos Guias Culturais dos grandes jornais e revistas

Cotas de patrocínio: Sugerida: R$ 250.810,00 (apresenta) e R$ 100.000 (patrocínio)

Tipo de incentivo:     ( x ) Lei Rouanet

ASSOBIO DE VENTO PRA SEDUZIR OS SOLITÁRIOS

Nº 27


Segmento do projeto:  (x) artes cênicas

Gênero:  (x) teatro  

Título do projeto: Assobio de vento pra seduzir os solitários

Local do projeto / nome do local:   (x) teatro

Região do projeto / município / estado: São Paulo

Valor do projeto:  502.240,00 (quinhentos e dois mil, duzentos e quarenta reais)

Ficha técnica e artística dos envolvidos:  Elenco: Leopoldo Pacheco, Marco Antônio Pâmio e Luiz Mário Vicente. Trilha sonora: Kid Vinil. Luz: Alessandra Domingues. Produção: Ana Paula Galvão.

Explicação do projeto: Questões como o destempero masculino com a mulher contemporânea, muito distante do modelo idealizado com o qual os homens foram “educados” a lidar e a buscar; a virilidade como exigência única da condição do masculino; a dificuldade crescente em se manter relacionamentos duradouros, estáveis e sadios e a baixa auto-estima masculina são algumas das temáticas presentes no texto “Assobio de Vento Pra Seduzir os Solitários” e que também ganham a cada dia mais importância para a sociedade, que tenta se organizar em meio a novos valores e perspectivas.

À concretização desta montagem vem se somar o esforço de entender, decifrar e, quiçá, resolver tais angústias por meio das artes cênicas, seja pelas reflexões ali apresentadas, seja por estimular o debate de forma mais coletiva.

Sinopse / resumo / comentário:  A peça inédita 'Assobio de Vento Pra Seduzir os Solitários' traz a conversa de três amigos de longa data que estão à espera de uma mulher. Esta espera é a representação de uma angústia frente às expectativas frustradas de uma vida em meio a uma sociedade que traz como dogma a obrigação em ser feliz de modos previamente determinados no que diz respeito às relações amorosas, profissionais e financeiras. 

Temas como a obsessão por uma parceira idealmente perfeita, a masculinidade, a virilidade e, principalmente, o valor da amizade, transitam por diálogos ácidos, profundos e com o humor e poesia que só existe numa relação construída ao longo de anos de dedicação e, por isso, permeada de respeito e compreensão. Enquanto a espera angustia e desvanece algumas certezas, a amizade entre os três personagens se apresenta não como solução, mas como único bálsamo possível.

Outros detalhes do projeto: 51 apresentações em teatro com 200 a 300 lugares. Ingressos a R$ 30,00 e R$ 40,00

Plano de Mídia: Assessoria de imprensa especializada, site de internet, inserções nos Guias Culturais dos grandes jornais e revistas, 8 anúncios de 1/4 de página (Estadão ou Folha), 100 inserções de vinheta de 30'' (em bares e restaurantes - CineBoteco; em cinemas - Rain Filmes; em metrô - TV Minuto), 20 inserções de spot de rádio de 30''.

Cotas de patrocínio: Cotas sugeridas: R$ 302.240,00 (apresenta) e duas de R$ 100.000,00 (patrocínio). A conversar.

Tipo de incentivo:      (x) Lei Rouanet

A RAINHA ENFEITIÇADA E A FLORESTA ENCANTADA

Nº 28


Segmento do projeto artes cênicas

Gênero:  teatro 

Título do projeto: A RAINHA ENFEITIÇADA E A FLORESTA ENCANTADA

Local do projeto / nome do local:   teatro

Região do projeto / município / estado: ABCDM - SP

Valor do projeto:    R$ 461.098,50 (Quatrocentos e sessenta e hum mil e noventa e oito reais e cinquenta centavos)      

Temáticas:  (X) meio ambiente  (X)educação  (  )3ªidade    (X  )Infantil  

Explicação do projeto: O Autor e Diretor, Claudio de Andrade, com 37 anos de experiência e amplo conhecimento em teatro, idealizou uma floresta encantada, onde animais, pássaros e árvores, ganham vida e defendem seu habitat da Rainha que foi enfeitiçada e sua missão e exterminar à todos.

A proposta é justamente apresentar a floresta encantada como forma de vida.

Baseado na responsabilidade social e sustentabilidade, o autor expõe o assunto tão discutido, de forma a agradar e educar o público.

O Projeto tem início e meio durante o espetáculo, porém, o final será desenhado diariamente em ações isoladas ou em grupo, quando do resultado positivo de preservação ambiental. Tais como: distribuição de sementes no final de cada espetáculo, assim como DVD e livro com o texto da peça..

A Cia. é formada por atores que além de interpretar seus personagens, terão a árdua missão de encantar o público e estando em sintonia, criar em cena o desejo de sermos parte da história como heróis que vencem o desmatamento, a poluição, o aquecimento global e a ganância humana. 

Outras informações:  Não haverá nenhuma aquisição de bem material; O Proponente vai ser remunerado de acordo com o estabelecido na planilha de custos autorizada pelo Ministério da Cultura;  O site do espetáculo teatral “A Rainha Enfeitiçada e a Floresta Encantada” terá um resumo das apresentações com fotos e imagens, assim como a divulgação do espetáculo, como uma agenda de apresentações. e também conterá o logo do Ministério da Cultura e do Patrocinador.

SINOPSE / resumo / comentário:  Essa peça infantil vem contar a história de uma rainha que pretende destruir a natureza. Durante o espetáculo a natureza se revolta contra ela.  E eis que surge um cavalheiro disposto a encontrar a sua princesa e combater toda a maldade da rainha. E no desenrolar da história, atores e narradores interagem com as crianças para que percebam a verdadeira razão de proteção e preservação ambiental, tema de tantas aulas e discussões. E essa história tem um final inesperado e surpreendente.

Obs.: No final do espetáculo serão distribuídas sementes seguindo as devidas orientações Embrapa. 

O projeto tem cunho sócio ambiental, didático e educativo, com foco nas crianças de até 10 anos.

A conscientização da preservação da água, da fauna, da flora, das plantas e árvores, são temas centrais deste projeto. Baseados em necessidades reais e atuais, o autor busca apresentar, de forma lúdica uma forma de motivar o expectador a multiplicar a ideia de preservação da Natureza.

E também apresentar a comunidade os talentos destes profissionais da arte, empregando-os e valorizando-os. E mostrar, através deste trabalho, que é possível a criança interagir neste processo e podendo através desta consciência ecológica e os conceitos de paz e bem, estimular as noções de habitar, construir, proteger e responsabilizar-se. 

Outros detalhes do projeto: As apresentações serão realizadas em espaço fechado, não havendo comprometimento com o campo “impacto ambiental”.

O projeto poderá ser patrocinado, em cotas a serem discutidas e contrapartidas que atendam ao Patrocinador, como Marketing e Sustentabilidade.

Criamos uma estrutura de produção com um elenco de 14 ATORES, profissionais devidamente enquadrados nos quesitos da sindicalização da categoria e todos com situação regularizada nos órgãos Municipais, Estaduais, Federais e Lei Eleitoral.

E com várias faixas etárias, sem discriminação de cor, raça ou credo com o objetivo de atingir o universo da cultura da criança, através de um espetáculo alegre e de caráter sócio-educativo, contemporâneo, incentivando desde a mais tenra idade o respeito pela natureza (fauna e flora) e promovendo de forma implícita e explicita, lições de moral e cívica, do bem, da Paz, da não violência, o amor pela arte e os valores da família e sociais.

A nossa proposta cultural justifica-se por ser um exercício de compreensão e conscientização, desenvolvidos por meio de uma breve contextualização dos termos atuais da chamada questão ambiental. Na medida em que comentaremos, nas etapas de desenvolvimento dos espetáculos, um debate na comunidade sobre a ideia de “exploração sustentável” e seus efeitos.

NOS COMPROMETEMOS com a inserção das medidas de acessibilidade aos portadores de deficiência física, respeitando também a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, promulgada pelo Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009 e seguindo a INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 3, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2010 e INSTRUÇÃO NORMATIVA nº 1, DE 5 DE OUTUBRO DE 2010 e Acessibilidade - LEI 10.098 de 19-12-2000. 

Estimativa de público e perfil:  Crianças faixa etária 5 a 10 anos (média) da Rede de Ensino Escolar, Deficientes/ Idosos. Com a intenção de abranger todas as faixas de público = 30.000 espectadores em média (30 apresentações gratuitas cobertas pelo incentivo Rouanet  + apresentações com bilheteria a parte) = média 60.000 pessoas. 

Plano de Mídia: Filipeta = 25.000 / Convites = 500 / Sitio Internet / Cartazes / Bunners/ Jornal; 

Cotas de patrocínio: Total ou a estabelecer de acordo com as fases (Período execução maio a dezembro/2012) 1- Pré-Produção / Preparação = R$194.000,00, 2 – Produção / Execução = R$163.700,00, 3 – Divulgação/Comercialização = R$51.880,00  / Custos Administrativos = R$ 51.518,50. 

Tipo de incentivo:  ( X ) Lei Rouanet.

TERRA DO SOL DOURADO

Nº 29


Segmento do projeto:  ( x ) artes cênicas

Gênero:  (x  ) teatro  

Título do projeto: Terra Do Sol Dourado

Local do projeto / nome do local:   ( ) livraria  ( x) teatro ( ) praças ( ) cinemas

Região do projeto / município / estado: São Paulo

Valor do projeto:     R$ 538,000.     

Temáticas: ( x)meio ambiente ( )reciclagem (x )educação ( )3ª idade ( )mulher ( x )Infantil ( )multimídia ( ) outros / indique

Explicação do projeto: Montagem do espetáculo teatral Terra Do Sol Dourado

Sinopse / resumo / comentário: A Margarida, que empreendem uma grande jornada em busca de seus pais; desaparecidos em uma guerra. Para executar essa jornada, as três irmãs contam com o auxílio de uma fada e das personagens fantásticas que aparecem no caminho, e como nem tudo são flores, combatem um tenebroso vilão que lhes dificulta a travessia. O objetivo das meninas é encontrar um certo Velho Cornélio, que guarda todos os caminhos do mundo e que dirá às meninas como chegar aos pais. Quando, depois de aventuras e desventuras, as meninas finalmente chegam ao Velho, a sua lacônica orientação (“Mantenham a esquerda”) acaba as conduzindo de volta ao lar, onde elas descobrem que, apesar de terem desaparecido na guerra, os seus pais continuam vivendo com elas através dos seus ensinamentos.

Outros detalhes do projeto: Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ): 7200 pessoas em 2 meses de temporada Infantil, crianças

Plano de Mídia: Guia Off: veiculação mensal (página inteira)( 1 inserção mensal)

Assessoria de Imprensa Especializada

Channel: cartazes e mobiliários urbanos (cartaz 1.000 unidades, A3; couche 150grs, 4x0 cores)

Programa do espetáculo: 10.000 unidades distribuídos no início do espetáculo

Banner no hall do teatro (3 unidades de banner interno, 81x 270cm, lona sanlux impressa por sistema DGI com demanda - 360 dpi)

Convite c/ envelope, 1.000 unidades (4 págs; formato aberto:297x210mm, formato fechado: 170x210mm, couché fosco 230 grs, 4x4 cores + verniz água frente e verso, Verniz UV especial)

Vídeo Assinatura Institucional

Filmagens/Gravação de Imagens para mídia eletrônica

Reprodução Fotográfica

Mídia espontânea

Cotas de patrocínio: Realizador: Cota única no valor de R$ 538.000,00

Apresenta: Duas cotas no valor de R$ 269.000,00 cada.

Patrocínio: Três cotas no valor de R$180.000,00 cada.

Co-Patrocínio: Quatro cotas no valor de R$200.000,00 cada uma.

Tipo de incentivo: (  x ) Lei Rouanet

FRIDA KALHO LA PASIÓN

Nº 30


Segmento do projeto:     ( x ) artes cênicas

Gênero:  ( x ) teatro  

Título do projeto: Frida Kalho La Pasión

Local do projeto / nome do local: ( X) teatro

Região do projeto / município / estado: São Paulo

Valor do projeto: R$ 850,000 ( oitocentos e cinquenta mil reais )

Temáticas: ( X)educação ( X )mulher ( X) arte

Explicação do projeto: Montagem do espetáculo teatral FRIDA KAHLO LA PASIÓN DE RICARDO HALAC

Sinopse / resumo / comentário: Sedução, amor, paixão, vermelho, dor, desespero, traição, ódio, azul, inveja, êxtase, sucesso, glamour, política, arte e amarelo. Isso tudo é Frida Kahlo la pasión.

O texto, Frida Kahlo la pasión, escrito pelo dramaturgo argentino Ricardo Halac e traduzido pela atriz brasileira Ariane Ferrari, retrata o triângulo amoroso entre três ícones da arte mexicana, a grande figura da pintora Frida Kahlo, o muralista renomado internacionalmente Diego Rivera, e a diva das telas do cinema Maria Félix.

A estória é contada de forma fluida e não convencional, alternando entre dois planos: o da realidade e o do delírio, o que também representam respectivamente, os conflitos exteriores e interiores.

Ainda que a política, a arte e suas fantásticas histórias de vida estejam presentes, a peça tem como foco aprofundado a relação humana desses personagens, que no decorrer dos anos, viraram mitos.

O texto traz elementos imprescindíveis de uma mulher sumamente frágil e delicada, resultado de seu grave acidente e de suas várias cirurgias, mas ao mesmo tempo perspicaz e forte, em manter o controle sobre o marido Diego e sua própria vida. Até que Maria Felix,  rompe o caótico e sutil equilíbrio dessa relação, fazendo com que as cores da vida sejam ressaltadas.

 Outros detalhes do projeto:

Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ): 7200 PESSOAS EM 2 MESES DE TEMPORADA

ADULTOS, ESTUDANTES, INTERESSADOS EM ARTE

Plano de Mídia: Assessoria de Imprensa Especializada

Guia Off: veiculação mensal (página inteira)( 1 inserção mensal)

Clear Channel: cartazes e mobiliários urbanos (cartaz 1.000 unidades, A3; couche 150grs, 4x0 cores)

Programa do espetáculo: 30.000 unidades distribuídos no início do espetáculo

Banner no hall do teatro (3 unidades de banner interno, 81x 270cm, lona sanlux impressa por sistema DGI com demanda - 360 dpi)

Convite c/ envelope, 1.000 unidades (4 págs; formato aberto:297x210mm, formato fechado: 170x210mm, couché fosco 230 grs, 4x4 cores + verniz água frente e verso, Verniz UV especial)

Vídeo Assinatura Institucional

Filmagens/Gravação de Imagens para mídia eletrônica

Reprodução Fotográfica

Mídia espontânea

Cotas de patrocínio: Realizador: Cota única no valor de R$ 850.000,00

Apresenta: Duas cotas no valor de R$420.000,00 cada.

Patrocínio: Três cotas no valor de R$280.000,00 cada.

Co-Patrocínio: Quatro cotas no valor de R$213.000,00 cada uma.

Tipo de incentivo: (  X ) Lei Rouanet   

PROJETO TEMPORADA ARTÍSTICA TERRITÓRIO BRASIL

Nº 31


Segmento do projeto:     (x  ) artes cênicas

Gênero:  (x  ) teatro  

Título do projeto: Projeto Temporada Artística Território Brasil

Autor / adaptação: Nilton Rodrigues

Direção /  coordenação: Rosi Campos

Associação / Grupo / Clube / Cia: Território Brasil Produções Artísticas

Local do projeto / nome do local:   (  ) livraria  (x ) teatro

Região do projeto / município / estado: São Paulo/ SP

Valor do projeto: R$258.515,00 ( duzentos e cinquenta e oito mil e quinhentos e quinze reais.)

Temáticas:  ( x)Teatro Comédia

Explicação do projeto: Realizar temporada Artística de três espetáculos que formam o repertório da Território Brasil Produções Culturais e Comércio de Artes LTDA, em teatro privado na cidade de São Paulo, serão realizadas 33 apresentações sendo 11 apresentações do espetáculo "Risoterapia", 11 apresentações do espetáculo "Se casamento fosse bom" e 11 apresentações do espetáculo "Pretas Por ter" em comemoração aos sete anos de atuação.

Sinopse / resumo / comentário:  

Risoterapia

    Risoterapia, espetáculo teatral com duração aproximada de 70 minutos, é uma comédia com texto e Interpretação de Nilton Rodrigues, na qual o enredo é conduzido por cinco personagens (o médico que desenvolveu o método da Risoterapia como cura, a pessimista, o toc, a botocada e a atriz). A loucura, as neuroses, os preconceitos, o estresse contemporâneo e outras questões relevantes da sociedade são temas do espetáculo, que de forma bem humorada proporciona reflexão e riso aos espectadores. O espetáculo, que também tem fundamentação psicológica, mas não dispensa a comicidade, retrata a insanidade, as manias do ser humano e até a fealdade, que podem ser conseqüências do caos em que vivemos.

 

 Utilizando-se de sofisticadas técnicas de visagismo, vemos no palco, como na vida, figuras insólitas e comuns, às vezes, disformes, a fim de se mostrar as várias possibilidades de arquétipos humanos, os quais representam nossas ações no palco (mimesis). Mas as ações em Risoterapia não se desenvolvem apenas no espaço de um palco, uma vez que são utilizados modernos recursos tecnológicos e de multimídia para complementar a idéia da trama,com a exibição de imagens de personagens e pacientes que supostamente teriam sido tratados pelo terapeuta maluco, com as participações da atriz Rosi Campos, que encarna uma terapeuta que não bate bem da cachola e Tadeu di Pietro, responsável por dar vida a mais um estranho personagem cirurgião plástico. Ademais, ao final do espetáculo, presta-se uma homenagem a diversos comediantes atemporais, que têm suas imagens eternizadas no imaginário do espectador.

Se Casamento Fosse Bom

 :   Se você ainda espera encontrar no seu parceiro o príncipe encantado, espere sentada! Melhor aceitar e conviver com a realidade de que par perfeito não existe.

    Casamento a dois, a três, entre mulheres, entre homens, tradicionais - de papel passado, casamentos regidos por contratos matrimoniais- nos quais direitos e obrigações são pré-estabelecidos, casamentos por interesse, casamentos que duram apenas o tempo da paixão.

Seja qual for o seu preferido, não importa, o que vale mesmo é casar, mesmo que seja para se separar no dia ou no mês seguinte.

    Assim, dividido em quadros hilários, o espetáculo teatral Se Casamento fosse bom... aborda a difícil relação entre pessoas que se propõem a viver uma vida a dois. Através de diálogos rápidos e objetivos, a peça busca interatividade e cumplicidade com o público, seduzindo-o e permitindo sua participação em cena.

   Com um humor que beira a acidez contemporânea ,os artistas dialogam e interpretam mais de vinte tipos e arquétipos humanos , permitindo que o público se veja nas ações e assim garanta a cumplicidade necessária para o retorno positivo do que está sendo representado no palco.

 

Fundamentado nas ações cômicas, o enredo se desenvolve sob várias vertentes e influências. Vê-se no palco, como na vida, a intensidade das ações humanas e suas diversas conseqüências, afetando drasticamente a vida das pessoas envolvidas num relacionamento e ou casamento.

   Será o casamento uma instituição falida ou apenas desorganizada

É inevitável e próprio do ser humano traçar o perfil de homem ou mulher para chamar de seu, resultando em muita atenção nessa busca. A metade da laranja pode estar podre, a cara metade amassada e a tampa da panela já não faz mais pressão. Nem mesmo o determinismo de Darwin preconizara a crueza das ações a que assistimos hoje no interior de alguns casamentos. Até que ponto o meio influencia as atitudes humanas e, conseqüentemente, os casamentos? Tudo isso é descortinado ao longo da representação teatral, que aborda também questões correlatas.

 Seria a rotina do casamento a grande vilã da história ou o stress enfrentado no dia-a-dia na conquista de um lugar ao sol? Ou mais recentemente, não seria a crise financeira a desculpa para o descompasso do desejo sexual entre os parceiros? Seria a infidelidade, aliás, os praticantes desta ação, os responsáveis pelo insucesso de muitos casamentos? Não se sabe ao certo. O que sabemos é que ainda não se conhece o modelo perfeito de casamento, embora muito se queira descobrir.

Pretas Por Ter

    Elas têm a mesma origem, mas o destino fez com que se transformassem em duas criaturas completamente antagônicas, histriônicas, biodegradáveis e quis reaproximá-las, para juntas, reescreverem suas histórias. Elas são Altair e Marlene, duas mulheres que a vida tratou de dar-lhes histórias completamente diferentes, até que se encontram para dividir um mesmo lugar de trabalho, um cursinho pré-vestibular.
Altair é professora primária com formação “avec petit gatinho”, é uma mulher quase sofisticada, quase “branca”, que foi quase casada ou quase viúva (pois o pretendente empacotou no altar) e quase antenada ao que acontece ao seu redor. Ela decide assumir a vaga de professora (aberta pela professora titular que adoece e tem que ser substituída) e resolve mudar o conteúdo do curso ao falar sobre o amor. Marlene é a figura mais popular do cursinho, é a bedel, pinel, faxineira, 100% negra, conselheira e assessora geral, não só dos alunos, mas de todos da escola. Envolve-se e deixa-se envolver em tudo e com todos. Sem escolaridade, mas educada, debochada, mas consciente de seu papel naquele lugar, Marlene é o oposto da enfastiada e quase sofisticada Altair, com quem agora terá que dividir as atenções de todos e, pior, ter que ajudá-la a se enquadrar no mundo que sempre foi seu. O resultado do encontro dessas duas personagens quase reais ou quase surreais é uma divertida comédia com humor escrachado, marcado por enfrentamentos entre Altair e Marlene, pelas situações cotidianas e corriqueiras de um cursinho ou a concorrência de quem dá mais e melhores aconselhamentos amorosos aos alunos.

Com diálogos curtos, rápidos e diretos que também contam com o público como coadjuvante, Pretas Por Ter faz rir o tempo todo.

.

Outros detalhes do projeto:

Realizar temporada Artística de três espetáculos que formam o repertório da Território Brasil Produções Culturais e Comércio de Artes LTDA, em teatro privado na cidade de São Paulo, serão realizadas 33 apresentações sendo 11 apresentações do espetáculo "Risoterapia", 11 apresentações do espetáculo "Se casamento fosse bom" e 11 apresentações do espetáculo "Pretas Por Ter".

 

-Realizar temporada comemorativa encenando num mesmo teatro o repertório da Território Brasil, expondo ao público a pesquisa sobre comédia a qual a mesma desenvolve que em 2012 completa sete anos de trabalhos intensos.

A Território Brasil pretende realizar uma temporada de repertório sendo realizada 33 apresentações de seus espetáculos, serão atendidos cerca de 300 expectadores por sessão sendo 9900 expectadores num total.

 

-Ter a possibilidade de executar num mesmo período os três espetáculos e desenvolver na prática a pesquisa a qual a Território Brasil desenvolve.

Poder ter o retorno do público sobre as produções apresentadas.

Justificativa:  A Território Brasil já atua por todo o território brasileiro há sete anos e em comemoração ao sucesso de público de seus espetáculos desenvolveu o Projeto "Temporada Artística Território Brasil", onde poderá experimentar a apresentação de suas três principais produções ao mesmo tempo e no mesmo teatro.

-A Território Brasil desenvolve sua pesquisa a partir do cotidiano e atua no gênero da comédia e suas nuances, a pesquisa abrange o grotesco, a paródia, a comédia nonsense, o humor sarcástico, o humor de confronto entre outros, o objetivo desta temporada é também de reafirmar a importância da pesquisa deste gênero no território brasileiro,de se fortalecer quanto empresa artística e ter seu trabalho reconhecido, a troca com o público também é de extrema importância já que o resultado dessa pesquisa necessita do riso do público.

Democratização do Acesso: Durante toda a temporada , serão realizadas 03 sessões (01 de cada espetáculo) a preços populares (R$5,00) possibilitando assim a democratização do fazer cultural.

 

Durante toda a temporada serão distribuidos 900 ingressos gratuitos a instituições que atendam demanda vítima de vulnerabilidade social que desenvolva trabalhos artisticos, afim de promover o contato com o fazer artistico, ao final das apresentações será também realizada uma conversa com esta demanda onde os atores comentarão o processo de trabalho e da pesquisa da territorio brasil.

 

Permitir a captação de imagens das atividades e de espetáculos e autorizar sua veiculação por redes públicas de televisão.

Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ):  Publico alvo 7.570 pessoas atendidas (adultos).

Plano de Mídia:

Folheto Impressos

Anúncio de 1 de página Jornal

Anúncio de 1 de página Revista

Banner/faixa adesiva/faixa de lona/saia de palco/testeira/pórtico Impressos

Folder formato até A4(21x29,7cm) Impressos

Cartaz/Poster Impressos

Convite Impressos

Cotas de patrocínio: poderá ser cota única ou dividido em 02 cotas.

Benefícios oferecidos ao patrocinador: A Logomarca da Empresa estará associada a iniciativa de incentivo cultural , estando presente em todo material de divulgação, (Banners, Cartazes, Filipetas, Folders, Mídia Impressa, Áudio e Vídeo);A Empresa será beneficiada pela Lei de incentivo Cultural Federal (Lei Rouanet);

A Empresa terá acesso a 10% dos ingressos durante o período de apresentações do espetáculo;

A Empresa poderá utilizar das imagens do espetáculo para suas ações próprias de promoção social e cultural;

 

 

Parcerias de divulgação: Com Tv Globo, Tv Record, Tv Cultura, Tv Gazeta, Tv Bandeirantes, Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, Tv Minuto, Guia Off e Guia de teatro.

Tipo de incentivo:  ( x  ) Lei Rouanet

DORA – A PEIXINHA

Nº 32


Segmento do projeto:   (X) audiovisual   

Gênero:  audiovisual/DVD. 

Título do projeto: Dora –A Peixinha 

Local do projeto / nome do local: (X) outros/ Sociedade Pestalozi de Campinas e Escolas Públicas 

Região do projeto / município / estado: Sudeste - Campinas – São Paulo 

Valor do projeto: R$ 457.142,00 ( Quatrocentos e cinqüenta e sete mil cento e quarenta e dois reais )

Temáticas: (X)meio ambiente  (X)educação  (X)Infantil  

Sinopse / resumo / comentário: Realizar a produção de um DVD que constará com interpretação de um ator com um boneco animatronic que se chama Dora Dourada. 

Valorizar, culturalmente, socialmente e contribuir para o crescimento emocional, cognitivo e para a identificação pessoal da criança, propiciando a percepção de diferentes soluções para problemas de sociabilidade, despertando a criatividade, crítica, a autonomia, entre outros elementos indispensáveis na formação da criança de nossa sociedade como um todo. 

Possibilitar o desenvolvimento de conceitos relativos à: amizade, família, crescimento, escola, aprendizado, lúdico, drama, ética, cidadania, ecologia e felicidade através do simbolismo implícito nas dramatizações dos personagens das peças. 

Permitir que o público infanto-juvenil nas camadas sociais menos favorecidas tenham acesso irrestrito à cultura, na medida que as apresentações serão realizadas gratuitamente nas escolas públicas, atualmente carentes desse tipo de iniciativa. 

O DVD Dora Dourada visa conscientizar a sociedade, de uma forma lúdica e mágica, da falta de parâmetros regulatórios do impacto ambiental e cultural.

O objetivo maior é possibilitar a oportunidade para o público alvo (cinco a doze) anos uma linguagem que lhes é rotineira por se tratar da sobrevivência de uma idéia básica: Preservação. 
Para que as crianças levem as propostas do DVD e a imagem da Dora para o seu dia a dia será elaborado e distribuído uma cartilha, com um resumo da estória que acabaram de assistir para difundirem junto à família assim como sua comunidade. 

Os significados simbólicos das estórias e dramas infanto-juvenis estão ligados aos eternos dilemas enfrentados pelas mesmas ao longo de seu amadurecimento emocional, e durante essa fase que surge a necessidade da defesa de sua “vontade” e sua “independência”. 

É nesse sentido que pode ser decisivo para a formação deste publico em relação a si mesma e ao mundo à sua volta.

Assim é que a proposta do projeto é fazer com que as crianças e adolescentes, através do prazer e da emoção que as estórias lhes proporcionam, bem como através do simbolismo que está implícito nas tramas e personagens, criem valores básicos de conduta e convívio social.
Ressalta-se que a finalidade do projeto é abranger irrestritamente o público de baixa renda, tendo em vista que somente escolas públicas serão beneficiadas pelo projeto na cidade de Campinas. 

Outros detalhes do projeto:

Alem desses mecanismos teremos uma ação especial com os personagens da obra, uma encenação lúdica para as crianças totalmente gratuitas.

Cabe esclarecer que após a captação de recursos, será feito pelo coordenador de planejamento, um levantamento das escolas da cidade de Campinas, para que sejam determinadas as escolas beneficiadas, priorizando os locais desprovidos desses aparelhos culturais.

O custo da cópia do DVD de animação, sem incentivo custaria ao consumidor final pelo menos R$ 15,00 cada. Contudo, com o incentivo, não haverá cobrança das distribuições dos DVDs e exibições, a distribuição ainda irá a locais desprovidos deste tipo de manifestação cultural com objetivo de alcançar 3.000 crianças

Para que o projeto possa atingir maior número de portadores de necessidades especiais o DVD terá em seu menu, itens que habilitará a narração da obra, no caso de deficientes visuais e habilitação de quadro com a linguagem de LIBRA para deficientes auditivos. 

Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ):

Serão distribuídas da seguinte forma:

200 cópias – Patrocinador

150 cópias – Produtor

2.650 cópias – Sociedade Pestalozi de Campinas e Escolas Públicas 

Plano de Mídia:

Banner/faixa adesiva/faixa de lona/saia de palco/testeira/pórtico

3.000 DVDs 

Cotas de patrocínio:

Cota Única ou no máximo dois patrocinadores 

Tipo de incentivo: (X) Lei Rouanet

EMPRESTE-ME SEUS OLHOS

Nº 33


Segmento do projeto: Audiovisual 
Gênero: documentário 
Título da peça / projeto:Empreste-me teus olhos  
Autor:  Rodrigo Gontijo 
Direção e Adaptação:Rodrigo Gontijo
Teatro / Local: São Paulo 
Valor do projeto: R$140.000 (cento e quarenta mil reais) 
Ficha técnica dos principais envolvidos:Rodrigo Gontijo, Paulo Fonseca

Explicação do projeto: O documentário “Empreste-me teus Olhos” busca um diálogo entre um ensaio poético sobre a cidade de São Paulo, o depoimento de imigrantes de países lusófonos e a forma do próprio filme. Através de entrevistas, o filme busca uma visão da cidade a partir do olhar
estrangeiro. Partindo da frase de Fernando Pessoa: “Minha Pátria é a Língua Portuguesa”, como os estrangeiros que compartilham o mesmo idioma que nós, enxergam, percebem e entendem a cidade de São Paulo com todo seu multiculturalismo e contradições? As imagens que tinham anteriormente foram correspondidas? Qual a diferença entre a São Paulo do imaginário e a São Paulo do dia-a-dia? Será que a melhor frase seria a de Mia Couto: “Minha Pátria é a Minha Língua Portuguesa”

Sinopse: É um documentário que retrata as experiências e as relações de africanos de países lusófonos com a cidade de São Paulo.    
Parceiros:Consulado de Angola, Embaixada de Moçambique 
Produção / Produtora/ Razão social:Paulo Fonseca

Tipo de incentivo: Lei Rouanet

ADVINHA QUEM VEM NOS VISITAR

Nº 34


Segmento do projeto: artes cênicas

Gênero:  Teatro  

Título do projeto:  Adivinha quem vem nos visitar! (ou Ciscos em Papel Branco).

Local do projeto / nome do local: (X) teatro (X) outros/ indique nome: Empresas

Região do projeto / Município / Estado:  Estado do Rio de Janeiro.

Valor do projeto: R$ 260.180,00 (duzentos e sessenta mil e cento e oitenta reais). Uma temporada principal no Rio de Janeiro e uma itinerante nas cidades de Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Petrópolis, Teresópolis, Cabo Frio e Juiz de Fora.

Temáticas: (X)3ª idade  (X)mulher  (X)multimídia 

Explicação do projeto: Trata-se de uma comédia que fala sobre vida, morte e valores universais, ato único e duração prevista de 80 minutos.

Sinopse / resumo / comentário:  Alfredo e Clarisse recebem a inesperada visita de um estranho chamado Gabriel que diz ser um enviado cuja missão é levá-los dali porque estão mortos. O ácido e burocrático Gabriel descreve, sem o menor tato, as circunstâncias trágicas de suas mortes, primeiramente para Alfredo que aceita rapidamente e depois para Clarice que reage veementemente. Em seu esforço para convencer o casal, Gabriel se vê envolvido em brigas, ciúmes, traições, mentiras, e procura fazer o casal perceber porque foram levados àquela situação, expondo valores esquecidos por eles. Estão mortos ou vivos? Um mistério permanecerá até o final do espetáculo.

Estimativa de público e perfil: Todas as faixas etárias a partir de 16 anos de diversos segmentos sociais.

Plano de Mídia:

  • Assessoria de Imprensa a cargo da promoter LIÉGE MONTEIRO.
  • Publicidade em Internet distribuida para mailing de 500.000 endereços de email.
  • Anuncio em Jornal O Globo, Segundo caderno, 4 inserções.
  • Anuncio em revistas de Teatro.
  • 5.000 Filipetas.
  • 150 Cartazes.

Cotas de patrocínio:

  • Patrocínio Integral: R$ 260.180,
  • Patrocínio Parcial 70%: R$ 182.126,
  • Patrocínio Parcial 30%: R$ 127.488

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

  • Citação do patrocinador em todas as entrevistas, press-releases e em toda e qualquer oportunidade de divulgação do espetáculo, em mídia paga ou espontânea;
  • Inclusão de referência ao patrocínio na locução de apresentação no início de todas as sessões do espetáculo;
  • Aplicação da assinatura institucional e da logomarca do patrocinador em todos os materiais gráficos: cartazes, folders, flyers  e convites;
  • Direito de uso de imagens e de partes do conteúdo do Projeto em futuras campanhas institucionais da empresa, inclusive em seu site, sem qualquer ônus;
  • Cessão de 5% dos ingressos válidos de cada sessão (38 apresentações) para serem distribuídos a critério da empresa ao longo da temporada de apresentações;
  • Exposição, no saguão do teatro, do banner de Empresas Amigas do Espetáculo, sob o título de PATROCINADOR.

Tipo de incentivo:  (X) Lei Rouanet

PORTAL DA CULTURA

Nº 35


Segmento do projeto:    música  

Gênero:  (x)música  

Título do projeto: Projeto Portal da Cultura

Autor / adaptação:  Bruno Nascimento / Wagner Soares Gutilla

Direção /  coordenação: Ronis Salustiano da Silva / Wagner Soares Gutilla

Associação / Grupo / Clube / Cia: Associação Escola dos Músicos da Orquestra Municipal - CNPJ: 05.566.246.0001-49

Local do projeto e nome do local:   (  )livraria  (X)teatro (X)praças ( )cinemas (X)outros/ Escolas, associações, Ruas.

Região do projeto / município / estado: Região Norte do Brasil/ Vilhena / Rondônia

Valor do projeto:   R$ 631.100,00 (Seiscentos e Trinta e Um Mil e Cem Reais)

Temáticas: (x)educação  (x)outros /Inclusão Social através da Música.

Explicação do projeto:   O projeto “Portal da Cultura” visa capacitar os músicos da Orquestra Sinfônica de Vilhena-OSV por meio de masterclass com profissionais dos respectivos naipes, além de promover 10 concertos didáticos em escolas e entidades mantenedoras de Portadores de Necessidades Especiais, 5 concertos em espaços públicos, bem como a realização de 4 concertos em cidades próximas, com o objetivo de acrescentar intelectualmente e estimular o interesse dos alunos e da comunidade em geral pela música erudita.

Sinopse / resumo / comentário:  Irá proporcionar a profissionalização de músicos que já atuam na cidade, e no Estado de Rondônia, pagando a eles bolsas de estudo para que possam se dedicar mais. Cada músico será responsável por ensinar no mínimo mais dois alunos, dobrando rapidamente o acesso de crianças, adolescentes e jovens à música.

Outros detalhes do projeto: Os concertos em escolas públicas e em entidades de Portadores de Necessidades Especiais são para que se possa levar a cultura a toda a população, formando platéia especializada e ajuntando alunos e interessados em contribuir para com o projeto.

Estimativa de público e perfil:  Músicos bolsistas: 54. Dois alunos de para cada músico: 108. Concertos didáticos para alunos de escolas públicas, municipais e estaduais. Concertos em associações de portadores de necessidades especiais. (Público não mensurável diretamente).

Plano de Mídia: Cada concerto ou apresentação será previamente divulgado com cartazes, banners, panfletos, e através da internet, rádio, televisão. Todos os patrocinadores e apoiadores terão sua marca divulgada, não importando o tamanho do apoio.

Cotas de patrocínio:  O projeto foi orçado para funcionar durante 11 meses. As contribuições podem ser feitas da forma que a empresa desejar, sendo em uma, duas, três ou quatro parcelas. Cada mês do projeto está orçado em cerca de R$ 60.000,00. A empresa pode contribuir com um mês inteiro, ou metade do mês.

Benefícios oferecidos ao patrocinador: Divulgação. Oportunidade de trazer sua marca para o Estado de Rondônia e a região Norte do País.

Tipo de incentivo:  (x)Lei Rouanet   

INCLUSÃO SOCIAL - II

Nº 36


Segmento do projeto ( x ) artes cênicas

Gênero:  ( x ) teatro 

Título do projeto: INCLUSÃO SOCIAL II

Local do projeto / nome do local:   (X ) teatro RUTH ESCOBAR

Região do projeto / município / estado: SÃO PAULO - SP

Valor do projeto: R$ 340.850,25        indique valor numérico e por escrito ( TREZENTOS E QUARENTA MIL OITOCENTOS E CINQUENTA REAIS E VINTE CINCO CENTAVOS)

Temáticas: (X ) outros / indique: INCLUSÃO SOCIAL

Explicação do projeto: CURSO DE TEATRO E MONTAGEM DE ESPETÁCULO - Continuidade ao Curso Livre de Teatro para Deficientes Físicos, Visuais, Síndrome de Down e Pessoas interessadas com montagem de espetáculo ao final do curso (02 meses em cartaz,total 08 apresentações). O curso já vem sendo realizado há 10 anos,visando à formação teatral para cidadãos que sejam portadores de deficiência mesclando com indivíduos sem nenhuma dessas características e também objetivando integra-los na área de artes cênicas, promovendo e estimulando a convivência no meio teatral

Sinopse / resumo / comentário:  Aulas semanais realizadas aos sábados com duração de 04 horas, procurando atender no curso alunos de no mínimo 11 anos e sem limite de idade, desenvolvendo nestas aulas toda informação de caráter didático para o fazer teatral. O curso tem como final a montagem de um espetáculo teatral com a participação de todos os alunos com apresentações públicas no próprio Teatro Ruth Escobar compreendendo música, ao vivo, temporada regular de 02 meses.

Por se tratar de um curso livre ele é continuado e a cada ano são incorporados novos alunos vindo de várias entidades e ou através de divulgação oriundas de matérias jornalísticas, televisivas ou radiofônicas.

Plano de Mídia:

Convite Impressos

Folheto  Impressos

Apresentação multimídia Internet

Banner/faixa adesiva/faixa de lona/saia de palco/testeira/pórtico       Impressos

Peças de Internet(criação/textos/frames/multmídia)     Internet

Cartaz/Poster       Impressos

Convite Eletrônico/Folder Eletrônico  Internet

Folder formato até A4(21x29,7cm)    Impressos

Peças de Audio    Rádio

Peças de Internet(criação/textos/frames/multmídia 

Cotas de patrocínio: Cite em quantas partes está dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio.

Tipo de incentivo: ( X ) Lei Rouanet    (  ) Lei do Esporte - outros / indique

COCOS E MITOS, UMA AVENTURA NO UNIVERSO DAS LENDAS

Nº 37


Segmento do projeto (X ) artes cênicas

Gênero:  ( X) teatro  

Título do projeto: Cocos e  Mitos, uma aventura no universo das lendas.

Local do projeto / nome do local:   (X) teatro

Região do projeto: São Paulo, SP.

Valor do projeto:   R$ 126.427,12

Explicação do projeto:

 O projeto pretende realizar temporada de três meses do espetáculo infantil Cocos e Mitos – Uma aventura no universo das lendas, a partir de abril de 2012, com um total de 24 apresentações, na cidade de São Paulo, em Teatro ainda em fase de definição, e pretende atingir um público de 4.800 pessoas.

 O projeto conta com as seguintes estratégias de democratização do acesso: distribuição gratuita de 25% dos ingressos nas apresentações realizadas aos sábados para crianças e educadores de instituições sociais, idosos, e portadores de deficiência, prioritariamente de áreas periféricas da cidade; três ensaios abertos seguidos de debate sobre as técnicas do Teatro de Animação; venda de ingressos a preços populares nos valores de R$10 e R$5.

Sinopse / resumo / comentário:  

A Peça  conta  as  aventuras  do menino  Coquinho, filho de  Dona Cocada e Senhor Coco, um moleque travesso e distraído que se perde numa floresta cheia de mistérios. Na tentativa  de  encontrar  seus  pais,  Coquinho  começa  uma  fantástica  viagem, deparando-se com situações inesperadas que  irão colocá-lo em  contato  direto  ou indireto com os seres da floresta  como o  Saci,  o Curupira, o Boitatá, a Iara  e a Pisadeira.
Os  bonecos, os instrumentos e os objetos sonoros são construídos com vegetais duráveis como: sementes, flores, folhas, frutos, castanhas, vagens e cabaças.

O espetáculo resgata elementos do folclore a da tradição oral brasileira, promovendo a preservação da diversidade do nosso patrimônio cultural, através das técnicas do teatro de animação e do teatro de bonecos.

Outros detalhes do projeto: O espaço de apresentação vai garantir a acessibilidade de portadores de necessidades especiais conforme legislação vigente.

Plano de Mídia: Mídia impressa (oito inserções em oito semanas em Guia Cultural,  25.000 filipetas, 500 cartazes e   cinco bunners.

Cotas de patrocínio:

O Valor do Projeto esta dividido em quatro meses:

1º. Mês R$ 58.767,12

2º. Mês R$ 23.260,00

3º. Mês R$ 23.200,00

4º. Mês R$ 21.200,00

O patrocínio deverá ser dividido em quatro cotas conforme valores mensais de custos.

Tipo de incentivo:   ( X ) Lei Rouanet    

Valor para captação: 11.493,37 ( Onze mil quatrocentos e noventa e três reais e trinta e sete centavos)

APRENDENDO A RECICLAR COM A GATARELA

Nº 38


Segmento do projeto:   (  X)artes cênicas
 Gênero:  (  x)teatro    
 Título do projeto:  Aprendendo a Reciclar com a Gatarela.

Local do projeto e nome do local: Escola públicas

Região do projeto / município / estado: Barueri  - SP

Valor do projeto:   R$ 123.720,00( cento e vinte e três mil, setecentos e vinte  reais)    

Ficha técnica e artística dos envolvidos:  

Temáticas: ( x)meio ambiente  ( x )reciclagem   ( x )Infantil  ( )saúde  (x )arte   

Explicação do projeto: Este trabalho vai levar um grupo de 8 bailarinos até o público infanto- juvenil nas escolas públicas e apresentar a montagem da peça "Aprendendo a Reciclar com a Gatatrela", que envolve o tema do lixo selecionado, limpeza pública e dengue, de uma forma didática e realista, utilizando além da dança,  uma linguagem adaptada para esse público.

   As montagens levam em conta, para cada apresentação, o impacto ambiental, pretendendo classificá-lo de forma positiva, ecológica e social,  diminuindo os custos e preservando o meio ambiente sem perder a qualidade técnica e artística.

Sinopse / resumo / comentário:  Este trabalho une a dança a uma visão contemporânea de atuação teatral com um enfoque voltado a um misto de fantasia e conscientização dos problemas atuais. Constitui algo inédito, que tem potencial para alcançar tanto o lado racional e intelectual das crianças, quanto o lado emocional.  

  É uma forma de mostrar o Ballet Clássico à crianças de classes sociais menos favorecidas, que desconhecem totalmente essa cultura, representando um ganho imensurável para eles, tanto do ponto de vista cultural quanto social.

  Além disso, a apresentação da dança clássica para o maior número  de   crianças possíveis, seja qual for a classe social, representará um ganho muito grande para essa arte tão pouco difundida no Brasil.

Outros detalhes do projeto:  Será realizada a remontagem da obra pela sua criadora, a coreógrafa e bailarina Técia Cansado, além de um laboratório com os bailarinos, que também auxiliarão na montagem do cenário com materiais recicláveis.

   A peça terá início num grande beco sujo, cheio de lixo e sucata, que aos poucos, será transformado num local limpo e organizado, onde os latões servirão para o lixo selecionado no decorrer da estória.  

A mensagem da peça baseia-se na tão famosa história da Cinderela

A Gatarela, pobrezinha, linda, suave e amiga de dois ratos, é sempre maltratada e preterida por sua madrasta e suas filhas.

Recebe uma carta convite através de um mensageiro, para a festa que acontecerá à noite.

Fica toda animada e feliz porque, ao revolver o lixo, encontra alguns adereços, roupas e sapatos, que neste momento pensa usar,  sonhando ser a escolhida do príncipe Gatosão.

Suas irmãs, invejosas, tomam suas coisas deixando apenas os sapatos, pois após muitas tentativas de calçá-los perceberam que seus pés eram muito maiores.

Derrubam todo o lixo e fazem uma grande bagunça para que a pobre Gatarela tenha muito trabalho e não possa ir à festa.

Para atrapalhar tudo, entra em cena o Mosquito da Dengue.

Estimativa de público e perfil: 

        Serão atendidas 21.500 crianças e adolencentes, de 6 a 17 anos, de baixa renda, através de 42 apresentações da peça em 25 escolas diferente, no per;iodo de 9 meses.

 Plano de Mídia:  O projeto será divulgado na revista de maior destaque da região Alphaville- Tamboré- Barueri, tiragem de 20mil exemplares, 1 edição, no jornal de Alphaville e de Barueri, 2 edições em cada um, além de faxas e cartazes nas escolas participantes do projeto.     

Cotas de patrocínio: O valor a ser patrocinado, R$86.230,00( Oitenta e seis mil, duzentos e trinta reais) pode ser dividido em 2 cotas, para 2 empresas diferentes.

O depósitos destas empresas pode ser realizado em duas partes, sendo a ambas até dia 31/12/2012.  

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

      *Apresentação exclusiva da peça para convidados do patrocinador em Teatro custeado pelo mesmo.

       *330 unidades do DVD do espetáculo para distribuição conforme seu critério.

       *Distribuição de brindes e/ou produtos do patrocinador nas escolas participantes do projeto.

        *Logomarca impressa nas publicaçoes de divulgação das apresentações em revistas e jornais de região de Barueri-Alphaville.

        *Logomarca nos folders, programas e DVDs dos espetáculos.

* Agradecimento em voz antes e após os espetáculos. 

Tipo de incentivo:  ( X)Lei Rouanet

TRANSMÍDIA – FESTIVAL VIRTUAL PERMANENTE

Nº 39


Segmento do projeto ( x)audiovisual  

Gênero:  multimídia

Título do projeto: TRANSMIDIA - festival virtual permanente

 Local do projeto e nome do local:   (  )livraria  ( )teatro ( )praças ( )cinemas

(x)outros/ indique nome: na rede

  Região do projeto / município / estado: Base de produção sediada na cidade de São Paulo, porém articulado com artistas de diversas regiões do país e também com contatos internacionais. Além disso, vale ressaltar que todo e qualquer usuário conectado à internet poderá fazer parte.

Valor do projeto:   R$ 300.000,00 (trezentos mil reais)

Temáticas:  (X)arte   (X)outros / indique arte e tecnologia, cybercultura e cyberpolítica 

Explicação do projeto: Nos últimos anos, com o impacto das novas tecnologias, a informação, o entretenimento e os conteúdos culturais vêm sendo incorporados a múltiplas plataformas de comunicação, que cada vez são mais convergentes e não param de se multiplicar.

Configurado como uma multiplataforma descentralizada, o Tranzmidia Festival Virtual de Arte é um projeto de festival em processo que acontece de maneira contínua na internet, visando convergir eventos e ações colaborativas, integradas e operadas com fluidez entre diferentes mídias, explorando também o potencial da experimentação sensorial das artes na internet, e pretende estimular a prática em torno da fusão, sobreposição e o crossover de mídias. Tal possibilidade de abordar conteúdos em diversas mídias, gerar interação e envolvimento entre os usuários é o que definimos como Tranzmídia.

A proposta é resultante de processos de pesquisas, análises e experiências artísticas, sociais, tecnológicas e intersemióticas realizadas pelo grupo Tranzmidias, um núcleo de investigação e produção de artes e novos meios que dá suporte a uma rede de artistas, programadores e pesquisadores transdicsciplinares de diferentes países.

O Festival Tranzmidia não é somente mais um festival, antes de ser um festival, Tranzmidia se define como um campo experimental de ações coletivas na internet e plataforma de ativação de novas estratégias de produção e difusão artística através das novas mídias. O projeto será composto por uma série de dinâmicas interligadas, que buscam gerar outros percursos para a produção, gestão e interação artística no ciberespaço, estimulando a colaboração entre diferentes atores culturais a partir das perspectivas do Prócumum e das economias criativas.

O modelo do Festival Tranzmidia rompe com a ideia clássica e habitual de que os festivais devem obedecer um cronograma de exibições fechado, funcionando apenas como uma vitrine de tendências. Em sua maioria estes eventos são anuais e de curta duração (restrito a 3 dias em média) somente possibilitando experiências efêmeras, e quase sempre de sentido unidirecional apenas do artista-emissor ao publico-receptor.

Sinopse / resumo / comentário:  

Nas últimas décadas, com o surgimento e avanço das novas tecnologias, a informação e o entretenimento foram transportados para as múltiplas plataformas de comunicação que se multiplicam a cada dia. Tal possibilidade de abordar conteúdos em diversas mídias, gerar interação e envolvimento entre os usuários é o que podemos definir como transmídia.

Sendo assim o projeto em questão pretende construir uma plataforma colaborativa na internet baseada nesse conceito. Experimentando um festival permanente, pretende estimular a prática em torno da produção via fusão e sobreposição de mídias, bem como a discussão teórica sobre o tema a partir da interação entre artistas, pesquisadores de comunicação e outros interessados.

 Outros detalhes do projeto:

O Tranzmidia Festival Virtual de Arte a pretende ser pioneiro na realização de um festival contínuo que transita por diferentes mídias, dispositivos, aplicativos, domínios, URLs, suportes tecnológicos e redes sociais, e que portanto não tem uma localização fixa no ciberespaço. Ou seja, não se trata de um site que funciona como festival ou como um espaço online relacionado a um festival presencial. Em nosso entendimento o festival Tranzmidia rompe o modelo de realização virtual entorno a um núcleo virtual fixo para gerar diferentes procedimentos e experiências.

O festival acontece em ciclos trimestrais, onde, fazendo uso de convocatórias abertas, serão lançados programas específicos com temas, jogos, provocações em forma de roteiros online interativos. As atividades são redesenhadas dentro da programação, assim cada participante novo da rede do festival pode ao mesmo tempo se inserir na programação já elaborada ou criar novas atividades a serem compartilhadas e planejadas. O Tranzmidia vai disponibilizar uma série de ferramentas desenvolvidas pela sua comunidade de colaboradores, que serão combinadas com as já disponíveis de forma livre na internet propiciando assim novos modos e diferentes níveis de participação na produção de conteúdos, utilização de recursos e nas diferentes formas de publicação.

Estimativa de público e perfil:  

O alcance do projeto é nacional e internacional, com acesso livre e irrestrito a qualquer usuário, uma vez que a plataforma é virtual.

Por essas características, o projeto em essência não se restringe apenas a um público ou segmento, podendo ter aderência em inúmeros e diversos nichos. No entanto, consideramos como público alvo inicial: internautas, ativistas, pesquisadores, twitters, blogueiros, artistas transmídia, web artistas, músicos, vídeo-artistas, fotógrafos, cineastas, designers, escritores, coletivos, formadores de opinião e interessados de um modo geral. Além dos estudantes de artes e comunicação e as novas gerações, nativas digitais, portadoras de múltiplos gadgets.

Vale ressaltar que o festival permite vários níveis de interação, possibilitando que o usuário faça o uso que mais lhe convém. Sendo assim, há espaço para os curiosos pelo assunto apenas acompanharem as publicações e discussões, como possibilita participação efetiva dos mais especializados no desenvolvimento programático do festival. No caso do Tranzmidia, todos são potencialmente público e participantes.

 Plano de Mídia:

- Site

- Email mkt

- Convite eletrônico

- Banner eletrônico

Cotas de patrocínio: cota única, patrocínio exclusivo.

 Benefícios oferecidos ao patrocinador:

Além dos benefícios proporcionados pelos incentivos fiscais, a empresa patrocinadora terá uma grande visibilidade da sua marca.

 Relacionamento:

Noite de encerramento com a presença dos artistas participantes do projeto, convidados, entre outros. Na ocasião, o patrocinador poderá investir em ações paralelas de marketing, tais como:

• Sampling/merchandising

• Coquetel antes ou depois do evento• Brindes personalizados

• Sinalização no espaço interno e externo do evento, entre outros

 Comunicação:

• Presença constante da marca em uma plataforma online permanente, sendo acessado por usuários de todo território nacional e de outras partes do mundo de forma livre e irrestrita

• Inserção da logo do patrocinador em uma multiplicidade de interfaces de mídias possibilitando a visualização da marca no site plataforma, menu do aplicativo, tela de transmissão por streaming, visor de celular, etc

• Banners eletrônicos

• Assinatura nos e-marketing enviados para a base de dados do portal

• Créditos nos releases para imprensa, bem como nos conteúdos que circularem nas redes sociais

• Cota de convites para a noite de encerramento

 

Além de outras possibilidades de divulgação que podem ser negociadas de maneira exclusiva.

 Tipo de incentivo:  ( x )Lei Rouanet

VILA FLÁVIA- UMA VILA E MUITAS HISTÓRIAS

Nº 40


Segmento do projeto: ( x )audiovisual 
Gênero:  ( x )cinema 
Título do projeto: Vila Flávia: Uma vila e muitas histórias
 Local do projeto e nome do local:   (x )cinemas
 Região do projeto / município / estado: São Paulo-SP
 Valor do projeto:   R$ (62.200,01)      indique valor numérico e coloque por escrito entre parêntesis 
Temáticas:

Explicação do projeto:
Divido essa obra em três partes, todas de extrema importância para a compreensão da mesma.
1) A primeira delas fala sobre a identidade da favela, o que é, onde fica, quem são seus moradores e como
eles descrevem o local onde vivem. Nesta parte é possível constatar que se trata de uma comunidade
localizada na Zona leste da cidade de São Paulo. No entanto, lá vivem pessoas humildes, em sua
maioria negros e nordestinos em busca de melhores condições de vida. São pessoas que trabalham muito
para sobreviver de maneira digna e honesta, que sentem orgulho do local onde moram. Mas que sofrem
muito com a humilhação a que são submetidos ao ter que parar perante um policial, e saber que serão
revistados de maneira desrespeitosa porque vivem em uma favela.
2) A segunda parte procura focar os relacionamentos que existem dentro da favela. Sejam eles amorosos,
de amizade ou religiosos; em sua maioria as relações se dão entre os próprios moradores. E são eles os
primeiros a reconhecer isto, que a vida e a relação se tornam muito mais fáceis se ela for feita entre si.
3)Por fim, os moradores retratam o pré-conceito que sofrem fora dos limites da favela. Esta última parte
vai falar sobre questões que sempre fizeram parte da nossa história, tais como o racismo e a
discriminação por condição social. Por estarem isoladas do restante da sociedade pelo muro do pré conceito.
Os jovens já não têm perspectiva de vida, estão conformados com a situação que lhes é
imposta, não querem nada além daquilo que lhes for dado. Já não possuem mais sonhos.
 Sinopse / resumo / comentário:  
O retrato do dia-a-dia dos moradores da favela Vila Flávia, região de São Mateus, zona leste de São Paulo.
 Outros detalhes do projeto:
As favelas sempre são retratadas pela mídia como pontos negativos em relação ao resto da população, ou buscase lá um exemplo de personagem que representa a favela de forma digna. Mas não é isso que buscaremos, e sim costura o depoimento de vários moradores justamente por acreditar na singularidade, na particularidade de cada um. No documentário, serão filmadas as alegrias, as dificuldades, os amores, os amigos, a religião e atividades artísticas que permeiam a comunidade. Percebendo-se fortemente o desejo dos moradores de desmistificar a relação da pobreza/favela como ponto negativo de uma sociedade. Acreditando-se assim que em mais de um depoimento, os moradores citarão que apesar de todos os problemas que vivem, não trocariam aquele lugar por outro, que foi lá que eles constituíram família e amigos, que lá é um lugar bom para se viver. O documentário não deixa de contextualizar as condições dos moradores, como a sujeira e o tráfico de drogas. Entretanto, não é esse o eixo principal do filme, o objetivo principal será focalizar a estratégia dos moradores para sobreviver em meio a diferentes tipos de violência.
Estimativa de público e perfil:  quantidade e perfil, classe social, idade, etc.
Acesso: Gratuito
Público-alvo: Todas as classes e camadas sociais e formadores de opinião.
Previsão de público: Aproximadamente dois milhões de espectadores em festivais no Brasil, segundo pesquisa
do Fórum dos Festivais Brasileiros.
Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará  e quantidades: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.
Cotas de patrocínio: Cite em quantas partes está dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio.
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso,  além de cotas de patrocínio.
ATRATIVOS PARA O PATROCINADOR
Exposição da logomarca
1) Nos letreiros iniciais e finais da obra audiovisual.
2) Nos materiais audiovisuais de divulgação.
3) Nos materiais impressos e digitais de divulgação.
4) Nos eventuais subprodutos derivados da obra audiovisual.
Possibilidade de product placement (merchandising) veiculado dentro da própria obra audiovisual.
PLANO DE DIVULGAÇÃO, COMUNICAÇÃO E CONTRAPARTIDAS
Divulgação e Comunicação
Criação do site oficial do filme
Divulgações nas redes sociais.
Contrapartidas
Institucionais:
· Fazer figurar a logomarca dos patrocinadores em todo material promocional e publicitário
relativo ao projeto e notas de imprensa.
O projeto oferece também as seguintes possibilidades de inserção da logomarca:
· Créditos de abertura e encerramento do filme com a chancela “Apresenta”;
· Trailers para internet;
· Cartazes e banners;
· Site oficial do filme e link para o site da empresa;
· Capa do DVD para distribuição nos festivais e mostras audiovisual, acervos e cia (vide
Estratégia de divulgação).
O projeto ainda oferece à empresa o direito de uso de imagens e trechos do filme para ações de
comunicação e marketing bem como; uma cota de 50 dvds para que a empresa tenha a oportunidade de
distribuí-los a públicos de seu interesse..
Compensatórias:
· Garantir o acesso gratuito ou a preços populares para o público, portadores de necessidades especiais,
portadores de doenças crônicas graves, idosos, estudantes de escolas públicas.
· Exibições grátuitas do documentário em escolas públicas, CEUs, Sesc e demais intituições publicas e
privadas.
· Disponibilizar na integralmente o projeto na internet, em um prazo estipulado. Respeitando a
exclusividade dos festivais e mostras audiovisuais.
ESTRATÉGIA DE DIVULGAÇÃO
A primeira etapa será a participação do filme nos principais festivais de cinema nacionais (Festival de
Brasília, CINE-PE e Gramado) e internacionais (Festival de Cinema de Cannes e Berlim).
Após a exibição nos festivais brasileiros, o filme estará disponível para exibição em redes de televisão
aberta e fechada, dedicadas a exibição de documentários, como Canal Brasil, TV Cultura e TV Brasil.
Pretendemos, também, a exibição do filme na Internet, em sites dedicados aos documentários e no site
oficial do filme, como “Instituto Querô”.
Paralelamente, haverá a distribuição gratuita de cópias do DVD para acervos de
instituições de serviços sociais, associações de moradores, movimentos de moradias e defesa da
Favela e para instituições culturais e escolas públicas do governo federal.
 Tipo de incentivo: ( x  )Lei Rouanet

LUIZA SE CHOCA CONTRA SUA CASA

Nº 41


Segmento do projeto:   artes cênicas

Gênero:  ( X)teatro  

Título do projeto: Luisa se Choca Contra Sua Casa

Local do projeto e nome do local: livraria  (X)teatro

Região do projeto / município / estado: São Paulo-SP

Valor do projeto: 

Valor aprovado Lei Rouanet: R$ 292.975,00 (Duzentos e noventa e dois mil,    novecentos e setenta e cinco reais).

Valor aprovado PROAC: R$ 210.190,00 (Duzentos e dez mil, cento e noventa reais).

Temáticas:  (X) Contemporânea 

Explicação do projeto:

O projeto é uma coprodução entre a Cia Vilma Diamante (Buenos Aires) e Cia D Teatro (São Paulo) e tem como objetivo a montagem brasileira deste texto em São Paulo. Luísa se Choca Contra a Sua Casa é um espetáculo teatral escrito e dirigido por Ariel Farace, e foi originalmente produzido para o Festival Internacional de Buenos Aires pela Cia Vilma Diamante. Ariel Farace, dramaturgo e diretor, é um dos grandes expoentes do teatro contemporâneo argentino e recebeu pela obra o prêmio Trinidad Guevara nas categorias Direção e Cenografia. A peça fez um grande sucesso na Argentina, permanecendo mais de dois anos em cartaz e participando de diversos festivais nacionais e internacionais. E certamente enriquecerá a cena teatral paulistana com sua linguagem contemporânea e moderna. 

Sinopse / resumo / comentário:  

Sinopse: Luísa perdeu seu amor num trágico acidente de moto. Sua vida se fechou em sua casa, compras no supermercado, frases que ecoam no rádio e na memória, e em sua relação com seu mordomo com quem divide suas observações sobre a vida e a morte. Esse “mordomo” é uma figura meio homem meio sabão em pó, fazendo alusão a como depositamos confiança e cumplicidade a um produto. Dentro desse cenário que criou para si mesma, Luísa vai construir uma trajetória de entendimento, conhecimento e aceitação da realidade, que não conseguiu mais encarar depois de uma perda. É a trajetória simbólica do processo da perda e da descoberta do valor da vida. 

Outros detalhes do projeto: O projeto foi contemplado pelo Prêmio Iberescena 2012. O Iberescena é um fundo de ajuda internacional (América Latina e Espanha) que premia projetos inscritos que tenham excelência artística e relevância para serem realizados.

 Estimativa de público e perfil:  

Quantidade de Público estimado: 2.880 pessoas (36 apresentações).

Perfil do Público: Classes A e B  jovem/meia idade.

  Plano de Mídia: 

- Mídia Impressa (Jornais, Revistas e Guias especializados):R$ 20.000,00

- Cartão Postal 5000 unidades: R$ 1.250,00

- Folder/Programa do Espetáculo 2880 unidades: R$ 576,00

- Banner/Faixa Adesiva/Faixa de lona/Pórtico: R$ 1.000,00 

Cotas de patrocínio: 

PROAC

Crédito “Apresenta”

Cota Máster

Valor de investimento: R$ 210.190,00 

Crédito “Patrocínio”

Cota Única

Valor de investimento: R$ 126.000,00

Crédito “Copatrocínio”

Valor de investimento: R$ 75.000,00 

Crédito “Apoio Cultural”

Valor de investimento: R$ 20.000,00

 

    LEI ROUANET

Crédito “Apresenta”

Cota Máster

Valor de investimento: R$ 292.975,00 

Crédito “Patrocínio”

Cota Única

Valor de investimento: R$ 176.000,00 

Crédito “Copatrocínio”

Valor de investimento: R$ 100.000,00

Crédito “Apoio Cultural”

Valor de investimento: R$ 20.000,00 

Benefícios oferecidos ao patrocinador Proac e Rouanet: 

Contrapartida Patrocinador Master

PROAC: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 210.190,00 (Duzentos e dez mil e cento e noventa reais).

Rouanet: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 292.975,00 (Duzentos e noventa e dois mil, novecentos e setenta e cinco reais).

        Presença do patrocinador na apresentação do espetáculo durante temporada de três meses.

       Inserção com exclusividade da logomarca na parte superior do material gráfico (mídia impressa, programas, convites, banners e fachada do teatro);

       Cessão de 1 (um) espetáculo fechado para convidados da empresa;

       Cota de ingressos distribuídos durante a temporada;

       Citação do patrocinador em áudio antes de cada apresentação;

       Citação do patrocinador em todo material de assessoria de imprensa;

       Uma apresentação por semana com intérprete em LIBRAS. 

Contrapartida Cota Única

PROAC: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 126.000,00 (Cento e vinte e seis mil reais).

Rouanet: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 176.000,00 (Cento e setenta e seis mil reais).

 

       Inserção da logomarca com exclusividade na parte superior do material gráfico (mídia impressa, programas, convites, banners e fachada do teatro);

       Cessão de 1 (um) espetáculo fechado para convidados da empresa;

       Cota de ingressos distribuídos durante a temporada;

       Citação do patrocinador em áudio antes de cada apresentação;

       Uma apresentação por semana com intérprete em LIBRAS. 

Contrapartida Copatrocínio

PROAC: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 75.000,00 (Setenta e cinco mil reais).

Rouanet: Patrocínio Cultural no Valor de R$ 100.000,00 (Cem mil reais). 

       Inserção da logomarca sem exclusividade no material gráfico (mídia impressa, programas, convites, banners e fachada do teatro);

       Cessão de 1 (um) espetáculo fechado para convidados da empresa;

       Cota de ingressos distribuídos durante a temporada;

       Citação do patrocinador em áudio antes de cada apresentação. 

Contrapartida Apoio Cultural

PROAC: Apoio Cultural no Valor de R$ 20.000,00 (Vinte mil reais).

Rouanet: Apoio Cultural no Valor de R$ 20.000,00 (Vinte mil reais). 

       Inserção da logomarca sem exclusividade no material gráfico (mídia impressa, programas, convites, banners e fachada do teatro);

       Cota de ingressos distribuídos durante a temporada;

       Citação do patrocinador em áudio antes de cada apresentação; 

Tipo de incentivo: (X)Proac- ICMS/SP    ( X)Lei Rouanet

VIRA LATAS DE ALUGUEL

Nº 42


Segmento do projeto: artes integradas

Gênero:  (x)teatro   (x) outros / oficinas de capacitação.

Título: Vira-Latas de Aluguel

Local do projeto e nome do local:   (x) outros / Comunidade de Heliópolis – CINE FAVELA

Região do projeto / município / estado: Zona Sul – São Paulo – SP

Valor do projeto: R$ 249.870,00 (duzentos e quarenta e nove mil oitocentos e setenta reais –PROAC ICMS) e R$ 245.930,00 (duzentos e quarenta e cinco mil novecentos e trinta reais – Lei Rouanet)    

Temáticas: (x)educação (x)arte  

Explicação do projeto: 

O projeto “Vira-Latas de Aluguel” trabalhará com capacitação e inclusão artística por meio da realização de oficinas de interpretação de texto, corpo, voz, interpretação, produção, cenário e figurino para 22 jovens da Comunidade de Heliópolis-SP, hoje com mais de 150 mil habitantes distribuídos em 1 milhão de m2.

O resultando será a criação coletiva do espetáculo teatral VIRA-LATAS DE ALUGUEL, que entrará em cartaz na própria Comunidade, o que permitirá que Heliópolis “abra suas portas” a um público que não faz parte do seu dia-a-dia, proporcionando um maior intercâmbio de ideias e experiências e contribuindo para a desmistificação do conceito de "favela" por parte daqueles que não moram nelas.

 

Por fim, esclarecemos que todas as atividades contempladas neste projeto, oficinas e peça teatral, serão oferecidas gratuitamente. Com isto, trabalharemos para a formação de novos públicos e comprovaremos que ações desenvolvidas em camadas com baixa oferta de atividades culturais obtêm grande êxito de público e de resultados, contribuindo para a integração social e cultural.

Sinopse / resumo / comentário:  

O projeto “Vira-Latas de Aluguel” tem como eixo central a realização de oficinas de capacitação teatral para jovens residentes na Comunidade de Heliópolis-SP, sendo que o resultado final destes encontros será a criação coletiva do espetáculo VIRA-LATAS DE ALUGUEL.

A peça será encenada dentro da Comunidade Popular de Heliópolis-SP, em um espaço que será selecionado pela equipe de produção, com atores e técnicos oriundos da Comunidade, tendo como ponto de partida o filme RESERVOIR DOGS (Cães de Aluguel), de Quentin Tarantino. Vale destacar que o referido filme é apenas a mola propulsora, a inspiração, o ponto de partida do trabalho, mas o espetáculo, resultado das oficinas, não será uma adaptação desta obra para o teatro.

O filme será “desconstruído” em busca de um resultado com "cores" locais, que revelem suas próprias contradições, conflitos e formas de expressá-los. A dramaturgia, que será construída em conjunto com os alunos, incluirá o trabalho dos atores, a busca estética que melhor reflita o processo e, sobretudo, a investigação da linguagem própria desses personagens.

Além do trabalho artístico-cultural, este projeto tem por premissas a inclusão social e democratização do “fazer teatral”, possibilitando o surgimento de novos talentos, a troca de informações e, para alguns, a possibilidade de descoberta de um novo ofício.

Vale ressaltar que as oficinas, ministradas por profissionais qualificados e experientes, beneficiarão 22 jovens e terão duração de 6 meses, permitindo-lhes praticar e desenvolver as atividades ligadas ao “fazer teatral” sem precisar sair de sua Comunidade.

Outros detalhes do projeto: Não se aplica

Estimativa de público e perfil: 

OFICINAS:

Moradores da comunidade de Heliópolis, de ambos os sexos, com idade superior a 16 anos, pertencentes às classes C e D. Para 22 pessoas.

DO ESPETÁCULO:

Adolescentes, jovens e adultos que costumam frequentar atividades culturais;

Moradores de comunidades populares que não têm o hábito/oportunidade de ir aos grandes centros para assistir a espetáculos teatrais.

Total de público previsto: 2.000 pessoas.

Plano de Mídia: As ações de comunicação do projeto Vira-Latas de Aluguel incluem:

Assessoria de imprensa;

Contratação de assessoria de imprensa para potencializar a divulgação nas diversas mídias;

Redes Sociais: Página do projeto nas principais redes sócias – Facebook, Twitter, Gloogle + e Orkut;

Site:Completo com fotos, vídeos e um blog. Será atualizado diariamente contando passo a passo todas as etapas do projeto. Banner do PATROCINADOR na home page;

Material Gráfico:

Confecção de material gráfico: 4 banners , 400 cartazes, 10.000 cartões postais, 300 convites, 1.500 folderes, confecção de fotos para divulgação (englobando as oficinas e apresentações);

Mídias;

Veiculação das oficinas e apresentações na internet em tempo real;

Veiculação do projeto nas redes sociais;

50 posições para cinema em formato digital;

Confecção de viral, visita de monitores a escolas públicas da região incentivando os alunos a participarem das oficinas e, posteriormente, assistirem ao espetáculo.

entre outras.

Cotas de patrocínio: 04 cotas.

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

A PATROCINADORA poderá:

Citar o patrocínio do projeto em suas campanhas e peças de comunicação institucional;

Utilizar imagens do projeto. 

A PATROCINADORA terá sua MARCA:

Em todo o material gráfico e Promocional;

No sítio eletrônico do projeto e em todas as pág. de redes sociais. 

CONTRAPARTIDAS INSTITUCIONAIS

Menção da marca como “APRESENTADORA” do espetáculo, antes do início de cada apresentação. 

No topo do material gráfico confeccionado para divulgação:  folders, cartazes, banners, cartões postais e no convite de abertura do projeto com o crédito “Convida”. 

Na home page do site oficial do projeto, que exibirá as oficinas e as apresentações em tempo real , com o crédito “Apresenta” e links na home tanto para o site da empresa patrocinadora como para instituto ou fundação da mesma, caso possua. 

Nas redes sociais, com o crédito “Apresenta”.

 Menção do patrocinador como apresentador em todas os releases de imprensa, comunicados e entrevistas sobre o projeto. 

Os realizadores deverão também estar disponíveis para entrevistas em matérias jornalísticas de veículos acionados pela patrocinadora. 

Caso haja interesse, um representante da empresa patrocinadora poderá  abrir a primeira apresentação do projeto. 

Cessão de relatórios comprobatórios das contrapartidas acordadas, assim como informações, por meio de clipping eletrônico, sobre o andamento do projeto. 

Banners individuais randômicos da empresa no site oficial do “Vira-Latas de Aluguel”. 

Três apresentações exclusivas para públicos de interesse da empresa patrocinadora. 

CONTRAPARTIDAS MERCADOLÓGICAS

Possibilidade de divulgação dos produtos da empresa em stand exclusivo no local das apresentações (Comunidade de Heliópolis – SP). 

Outras ações podem ser desenvolvidas mediante a negociação entre proponente e patrocinadora.

Tipo de incentivo: (x)Proac- ICMS/SP  ( x)Lei Rouanet

O HOMEM MEGA FONE

Nº 43


Segmento do projeto artes cênicas
Gênero: teatro 
Título do projeto: O HOMEM-MEGA-FONE
Local do projeto e nome do local (X)teatro

Região do projeto / município / estado: SÃO PAULO -SP
Valor do projeto:   R$: 283.355,00 (Duzentos e oitenta e três mil trezentos e cinqüenta e cinco reais)
Temáticas:  (x )meio ambiente  ( X )reciclagem  (X )educação 

Explicação do projeto:
Sinopse / resumo / comentário:
O HOMEM-MEGA-FONE, espetáculo teatral encenado pela Cia. Teatro da Investigação com direção de Francisco Medeiros.  O espetáculo visa promover a reflexão e conscientização no descarte do lixo, estimular a cooperação em prol do bem comum e difundir a coleta seletiva, reciclagem, preservação ambiental e combater o trabalho infantil.
O espetáculo conta a estória de um catador de recicláveis que se torna popular por usar um mega-fone em seu exercício. Com a popularidade conquistada o personagem HOMEM-MEGAFONE, que dá título ao espetáculo, candidata-se a vereador, e deixa sua rota de coleta para o MENINO, uma espécie de discípulo seu que é explorado pelos pais que fazem de tudo para que ele se torne o novo HOMEM-MEGA-FONE. O MENINO percorre todos os dias a rota coletando os recicláveis e alegrando a todos com sua forma bem humorada de passar a mensagem de sustentabilidade.
    O espetáculo fará uso de materiais reaproveitados /reciclados na confecção de cenários, figurinos e material de divulgação, todo esse material produzido para o espetáculo será pensado e desenvolvido de maneira que possa ser reutilizado ao término da temporada para que sua destinação não seja o lixo, buscando assim executar um espetáculo conceito, no qual o discurso e as ações estejam integrados, causando o menor impacto ambiental possível.
O projeto prevê a temporada do espetáculo O HOMEM-MEGA-FONE e uma mesa redonda sobre a temática abordada (coleta seletiva, reciclagem e preservação ambiental).
Este projeto será realizado pela Cia. Teatro da Investigação que tem oito anos de existência e é representada juridicamente pela Cooperativa Paulista de Teatro. Ao longo desses oito anos a Cia. realizou onze espetáculos, participou de festivais importantes como o Festival de Curitiba 2011, III Festival de Cenas cômicas do espaço Parlapatões 2009, 2ª Mostra Cena Breve Curitiba 2006 e I Mostra de dramaturgia Contemporânea do Teatro do Centro da Terra 2005 e realizou o projeto PONTE CULTURAL que levou 09 oficinas, 02 espetáculos teatrais e 01 espetáculo musical para a cidade de Tanhaçu-BA em janeiro de 2007.
    A direção do espetáculo é de Francisco Medeiros, Bacharel em Direção Teatral, Crítica e Dramaturgia pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Como Diretor de espetáculos de Teatro, Dança e Ópera, iniciou a carreira em 1973 com a encenação de FANDO E LIS, de F. Arrabal. Desde então já dirigiu mais de 100 espetáculos, entre os quais: ARTAUD, O ESPÍRITO DO TEATRO, de José Rubens Siqueira, DEPOIS DO EXPEDIENTE, de Franz Xaver Kroetz, TRONODOCRONO, de Gabriela Rabelo e José Rubens Siqueira, CRIANÇA ENTERRADA, de Sam Shepard. Durante sua carreira de 30 anos, recebeu 40 prêmios, como Molière, Mambembe, Inacen, APCA, Apetesp, Governador do Estado, Coca-Cola Femsa, Panamco, além de 12 indicações para o Prêmio Shell de Teatro como Melhor Diretor ou na Categoria Especial. Merece destaque também o prêmio Internacional Angel Award, pelo espetáculo "Flor de Obsessão", do Grupo Pia Fraus, considerado o melhor espetáculo de teatro físico do Festival Internacional de Edimburgo, em 1999.
    O texto é de autoria de Edu Brisa, fundador e diretor da Cia. Teatro da Investigação. Possui formação técnica de ator pelo Teatro Escola Macunaíma-2000, aluno de direção Teatral da 1ª turma da SP Escola de Teatro-2011/2012, é membro do (SEMDA) seminário de dramaturgia do Arena, coordenado por Chico de Assis. Brisa tem um trabalho focado no intercâmbio cultural com a pluralidade e manifestações culturais de cidades do interior do Brasil, Contemplado do edital EDITAL Nº 27 DO PROGRAMA DE AÇÃO CULTURAL “CONCURSO DE APOIO A PROJETOS DE TEXTO INÉDITO DE DRAMATURGIA NO ESTADO DE SÃO PAULO” 2011. Vencedor do III Prêmio de dramaturgia de curta duração do Educandário Dom Duarte em 2008, um dos vencedores do II FESTIVAL DE PEÇAS DE UM MINUTO dos Parlapatões (2010).
Outros detalhes do projeto:
Estimativa de público e perfil:
- Perfil
Jovens de 16 a 23 anos das classes C, D e E, estudantes universitários, conectados às redes sociais e as novas tecnologias, que compartilham seu conhecimento em tempo real e que estão formando sua opinião sobre o mundo onde vive, bem como seu perfil de consumo.
- Estimativa de público direto e indireto
Público direto 10.000 e indireto 5.000.000
Plano de Mídia:
-conceito
Mobilizar um grande número de formadores de opinião e engajar redes sociais, grupos de interesse, o processo de comunicação será expandido de forma articulada entre os potenciais parceiros, e seu conteúdo será pautado nas transformações e resultados requeridos tanto pela visão de futuro, quanto por seus elementos de sustentabilidade.
-canais
Metrô, TV, Impressos, revistas, internet, guias e rádio
-veículos
GUIA Off Anúncio de 1 de página- 03 Inserções
TV Cultura - Filme/VT Institucional até 30" – 04 Inserções
Mídia em Metrô – TV minuto – 08 diárias – 40 Inserções por dia.
Marcadores de livro – 10.000 unidades
Revista Bravo - Anúncio de 1/4 de página – 02 inserções
Ecobags – será o programa da peça – 2.000 unidades
Radio Eldorado - Jingle de até 30" – 04 Inserções
Banner divulgação interna – Teatro – 01 unidade
Sítio de internet
Cotas de patrocínio:
COTA PATROCÍNIO MÁSTER
Inscrição no centro da parte superior de todo material gráfico.
Apresenta “O HOMEM-MEGA-FONE”. 100% - Investimento: R$: 283.355,00 (Duzentos e oitenta e três mil trezentos e cinqüenta e cinco reais)
COTA PATROCINIO: 50% R$: 141.677,50 (cento e quarenta e um mil seiscentos e setenta e sete reais e cinqüenta centavos).
COTA APOIO CULTURAL: 25% R$: 71.000,00 (Setenta e um mil reais)
Benefícios oferecidos ao patrocinador:

Contrapartidas e valor do investimento
AÇÕES DE RELACIONAMENTO
-Cota de ingressos. 5% por sessão para o patrocinador.
-descontos de 50% para clientes e colaboradores do patrocinador.
- 02 (duas) sessões fechadas. 01 (Uma) na pré-estréia com coquetel, e a 2ª à escolha do patrocinador.
-Oficina – 20 vagas para pessoas que trabalhem como catadores e ou recicladores que façam parte da rota da reciclagem para que possam atuar como multiplicadores.  A oficina pretende difundir o uso de recicláveis no campo das artes tendo como base os cenários e figurinos que serão confeccionados para o espetáculo O HOMEM-MEGA-FONE.
INSERÇÕES DE LOGOMARCA
-anúncios (tv, rádio, internet, revistas e Metrô)
-material gráfico (Ecobags, convites, marcadores de livro e ingressos)
-material de imprensa (releases, banner nas coletivas de imprensa)
-projeções, cenografia e camisetas
-menção da marca (locução, citação verbal)
-internet (site, newsletter, redes sociais)
AÇÕES PUBLICITÁRIAS
-veiculação de anúncio (site, telão e dvd etc)
-banners
-fala oficial na sessão de abertura
-encartes
-distribuição/sorteio de brindes/produtos
SERVIÇOS
-entrega de material de comprovação ao final da execução do projeto:
*mailing
*clipping
*registro fotográfico das inserções de logomarca e ações promocionais
*material gráfico

Tipo de incentivo: ( X  )Lei Rouanet

SALOMÉ

Nº 44


Segmento do projeto:  ( x )artes cênicas. 

Gênero:  ( x )teatro.

Título do projeto: Salomé.
Autor / adaptação: Oscar Wilde / RariteitenKabinet.
Direção /  coordenação: Simone Martins e Anna Lim.

Associação / Grupo / Clube / Cia: RariteitenKabinet.

Local do projeto e nome do local: (x)teatro. 
Região do projeto / município / estado: Sudeste / São Paulo / SP

Valor do projeto:   R$ 542.852,18 (Quinhentos e Quarenta e Dois Mil e oitocentos e cinquenta e dois reais e dezoito centavos).

Temáticas:     (x )outros / dualidade.

Explicação do projeto:

Descrição

Oscar Wilde

Autor do célebre “O Retrato de Dorian Gray” e conhecido pela personalidade excêntrica, Oscar Wilde é um dos grandes nomes da literatura universal, sendo o escritor irlandês mais lido fora do Reino Unido depois de Shakespeare.

Salomé

Eleita musa da estética Decadentista, serviu de inspiração para as mais variadas expressões artísticas, da ópera às artes plásticas. A peça de Oscar Wilde a transforma na primeira“femme fatale”. A Salomé de Wilde foi escrita em francês em 1892, para ser representada por Sarah Bernhardt em Paris. Em sua versão, o autor toma passagens do Evangelho e compõe alguns personagens desse episódio bíblico de forma inédita para a época. Transfere a responsabilidade da morte de Iokanaan (João Batista) para Salomé, que se vinga ao ser rejeitada pelo profeta. Em nossa versão, optamos por trabalhar a peça no formato solo, potencializando a personagem Salomé, com Iokanaan e o Tetrarca Herodes presentes através de recursos sonoros e visuais, em fusão com a dramaturgia

e a atuação.

 Peça em Ato Único

Sem uma estrutura cronológica linear. 
O Solo começa pela conhecida cena da dança, para logo depois voltar ao início, com Salomé saindo do palácio para respirar, como pretexto para sair de perto do assédio de seu padrasto e tio, quando ela, de repente, escuta as profecias de Iokanaan, que proclama : "O Fim está Próximo, e a Destruição é Iminente!”. Tal eloquência é sedutora, e desperta o interesse da princesa pelo profeta. Porém, Iokanaan a repele, se recusando a vê-la, a escutá-la. Mas Salomé insiste, "Deixa-me beijar-te". "Não!" replica Iokanaan, de forma implacável, e a chama de pecadora, filha de Sodoma! Depois de ser insultada e rejeitada, tal qual a fúria da natureza, Salomé exige do rei a cabeça do profeta – para assim poder, enfim, ter a atenção que tanto implorara. Mas a cólera vai se dissipando, e quando Salomé recobra a consciência, a cabeça de seu objeto de desejo se transforma então em um mero membro de um cadáver.

Duração aproximada - 50 minutos.
Sinopse / resumo / comentário: 

Resumo

Montagem e realização, num total de 16 apresentações, do espetáculo "Salomé", uma livre adaptação da peça de “Oscar Wilde” pelo núcleo de criação "RariteitenKabinet".

Objetivo

O Objetivo Geral deste projeto é promover a criação, produção, valorização e difusão das manifestações culturais com base no pluralismo e na diversidade de expressão.

- Discutir as dualidades – bem e mal, masculino e feminino - como uma regressão às bases sobre as quais foi constituída a nossa sociedade, e investigar que ecos e dogmas resistem até hoje. Um estudo do ser primitivo no mundo contemporâneo, que é um tema universal, abrangente.

- Propor uma dramaturgia de ações como um fluxo de imagens, resultado da integração das narrativas visual e sonora, complementares ao jogo do ator.

- Criar uma contrapartida voltada para a divulgação do conhecimento e a formação de platéia, abrindo ao público a possibilidade de questionar e discutir o processo de criação.

Outros detalhes do projeto: 
RariteitenKabinet

O termo RariteitenKabinet, holandês para “gabinete de curiosidades”, designa as coleções de objetos raros e peculiares, provenientes das grandes explorações da época renascentista, que constituíam verdadeiros microcosmos do conhecimento humano.

O RariteitenKabinet é um núcleo de criação e pesquisa multicultural, que une colaboradores com as mais variadas origens e formações para explorar as intersecções entre literatura, teatro, mídias digitais, música, comunicação, artes visuais e outras linguagens.
Estimativa de público e perfil: 

Público

Em um espetáculo de Artes Cênicas - portanto, uma linguagem ao vivo - cada elemento é parte ativa e responsável do que se está produzindo, como em um rito, uma experiência simbiótica.

Salomé é uma proposta intimista, para um público estimado em 100 pessoas por apresentação, com a intenção de desestabilizar os papéis formalmente estabelecidos – neste caso, do público e do ator em cena.

Nossa proposta cênica não busca responder, mas estimular o espectador a levantar questões, a encontrar caminhos que permitam uma compreensão do espetáculo de forma não somente intelectual, a fim de aguçar seus sentidos, conhecimentos e opiniões críticas.

Faixa etária - 16 anos

CONTRAPARTIDA SOCIAL:

- Envolvidos na realização de um evento democrático, no qual todas as classes sociais possam compartilhar desse espetáculo, faremos a temporada, com entrada a preços populares, no valor de: R$ 10 tarifa plena e (*)R$ 5 meiatarifa e distribuição gratuita de (**)180 ingressos.

- Durante a temporada, disponibilizaremos: 5 roteiros com escritura Braille. Para que o espectador portador de deficiência visual acompanhe as ações em cena, e outros 5 roteiros devidamente iluminado e adaptado, para que o deficiente auditivo, leia as falas da peça, assim possibilitando uma experiência total do trabalho, lembrando que se trata de uma proposta de teatro visual, de imagem, portanto o portador de deficiência auditiva: Está apto a acompanhar, experienciar a peça, sem maiores problemas.

- Com o compromisso de uma contrapartida voltada para a divulgação do conhecimento e formação de platéia, o grupo abrirá ao público a possibilidade de questionar e discutir o processo de criação, através de bate-papo de 30

minutos, em teatro devidamente adaptado, todos os domingos após o término do espetáculo.

- A fim de tornar acessível parte da teoria pesquisada e discutida na montagem, vamos abrir gratuitamente ao

público interessado uma palestra/debate, com duração de 2 horas + 30 minutos de discussão aberta ao público,

entre o jornalista e agitador cultural Alex Antunes e o historiador Vinícius Dreger com o tema: “Sagrado/Profano e

as Dualidades que fundamentam a nossa Sociedade”.

(*) Público-alvo a ser beneficiado com a venda promocional: O preço promocional é válido para pessoas da melhor idade, estudantes, técnicos e profissionais do espetáculo - mediante a apresentação do DRT, assim como para professores da rede pública de ensino.

(**) Público-alvo a ser beneficiado com a distribuição gratuita: Pessoas da melhor idade, pessoas portadoras de deficiência, ONG’s e Instituições Assistenciais (que trabalhem com a arte como inclusão social) especialmente convidados pela produção, aos quais será oferecido transporte gratuito (4 ônibus, com capacidade de 46 lugares cada) para buscá-los e levá-los às Instituições Sociais que os representam.
Plano de Mídia: 

- Menção ao Início e Término do Espetáculo.

- Possibilidade de Entrega de Brindes/Produtos.

- Menção em Entrevistas.

- Disponibilidade para Matérias de Veículos Acionados pelo Patrocinador.

- Cessão de Registro do Espetáculo para Fins Institucionais e Campanhas de Comunicação.

- Marca em Cartaz, Convite Eletrônico e Site do Espetáculo (Cabeçalho para cota APRESENTA).

- Marca em Banner na Porta do Teatro (Cabeçalho para cota APRESENTA).

- Assessoria de Imprensa.

- Mailing.

Cotas de patrocínio: 

VALORES/TÍTULOS DAS COTAS DE PATROCÍNIO:

Apresenta – R$ 542.852,18

Patrocínio – R$ 271.426,09

Co-Patrocínio – R$ 135.713,05

Apoio – R$ 67.857,00
Benefícios oferecidos ao patrocinador:

- 16 Apresentações

- Sessão Exclusiva para a cota APRESENTA

- Cota de Ingressos (10% – APRESENTA; 5% – PATROCÍNIO; 2,5% – COPATROCÍNIO; 1,25% – APOIO)

Tipo de incentivo: ( x  )Lei Rouanet.

CANGALHA, A SOPA CULTURAL DO SISAL

Nº 45


Segmento do projeto: (X)artes integradas  

Gênero:  Artes Integradas.

Título do projeto: Cangalha, a sopa cultural do sisal

Local do projeto e nome do local: (X)praças  (X)outros/ indique nome: Entidades Parceiras.

Região do projeto / município / estado: Território Sisal da Bahia (composto por 20 Municípios).

Valor do projeto: R$ 416.160,00 (Quatrocentos e Dezesseis Mil, Cento e sessenta reais).

Temáticas: (X)arte   (X)outros / indique: Cultura Popular.

Explicação do projeto:  

Realizar nas artes Cênicas especificamente no Teatro, capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem, posteriormente a isso construirá um texto dentro das capacitações que será apresentado no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e em outras oportunidades que lhes for convidado. Na Música capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem, posteriormente a isso construirá uma banda de percussão com um repertório dentro das capacitações e irá se apresentar no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e em outras oportunidades que lhes for convidado e gravaremos ainda um CD com o repertório cultural com a participação de todos os artistas da cultura popular do município. No Cinema e Vídeo filmaremos e registraremos toda a ação do projeto transformando-o em um Documentário, anteriormente a isso iremos capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem e o documentário será apresentado no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e em outras oportunidades que lhes for convidado. Na Fotografia capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem e será realizaremos uma exposição das fotografias selecionada dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci. Nas Artes Plásticas e Gráficas capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem e será realizaremos uma exposição das obras selecionadas dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci. No Artesanato capacitar com Oficinas e Aulas Adolescentes, Jovens e Idosos que se inscreverem e realizaremos uma exposição dos artesanatos fabricados por eles dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e depois vendido nas feiras livres. No Folclore e Tradição Popular realizaremos reuniões, ensaios e oficinas com os artistas e seus grupos e se apresentará dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e no Saberes e Fazeres realizaremos reuniões, ensaios e oficinas com os mestres da cultura popular e seus grupos e se apresentará dentro do FESTIVAL CANGALHA a sopa cultural de Araci e Saberes e Fazeres (Capacitação) e Capoeira (Capacitação e Apresentações no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci).

Sinopse / resumo / comentário:

Realizar nas artes Cênicas especificamente no Teatro, capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem, posteriormente a isso construirá um texto dentro das capacitações que será apresentado no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e em outras oportunidades que lhes for convidado. Na Música capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem, posteriormente a isso construirá uma banda de percussão com um repertório dentro das capacitações e irá se apresentar no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e em outras oportunidades que lhes for convidado e gravaremos ainda um CD com o repertório cultural com a participação de todos os artistas da cultura popular do município. No Cinema e Vídeo filmaremos e registraremos toda a ação do projeto transformando-o em um Documentário, anteriormente a isso iremos capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem e o documentário será apresentado no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e em outras oportunidades que lhes for convidado. Na Fotografia capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem e será realizaremos uma exposição das fotografias selecionada dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci. Nas Artes Plásticas e Gráficas capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem e será realizaremos uma exposição das obras selecionadas dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci. No Artesanato capacitar com Oficinas e Aulas Adolescentes, Jovens e Idosos que se inscreverem e realizaremos uma exposição dos artesanatos fabricados por eles dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e depois vendido nas feiras livres. No Folclore e Tradição Popular realizaremos reuniões, ensaios e oficinas com os artistas e seus grupos e se apresentará dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e no Saberes e Fazeres realizaremos reuniões, ensaios e oficinas com os mestres da cultura popular e seus grupos e se apresentará dentro do FESTIVAL CANGALHA a sopa cultural de Araci e Saberes e Fazeres (Capacitação) e Capoeira (Capacitação e Apresentações no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci).

Outros detalhes do projeto:

Realizar nas artes Cênicas especificamente no Teatro, capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem, posteriormente a isso construirá um texto dentro das capacitações que será apresentado no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e em outras oportunidades que lhes for convidado. Na Música capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem, posteriormente a isso construirá uma banda de percussão com um repertório dentro das capacitações e irá se apresentar no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e em outras oportunidades que lhes for convidado e gravaremos ainda um CD com o repertório cultural com a participação de todos os artistas da cultura popular do município. No Cinema e Vídeo filmaremos e registraremos toda a ação do projeto transformando-o em um Documentário, anteriormente a isso iremos capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem e o documentário será apresentado no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e em outras oportunidades que lhes for convidado. Na Fotografia capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem e será realizaremos uma exposição das fotografias selecionada dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci. Nas Artes Plásticas e Gráficas capacitar com Oficinas e Aulas as Crianças, Adolescentes e Jovens que se inscreverem e será realizaremos uma exposição das obras selecionadas dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci. No Artesanato capacitar com Oficinas e Aulas Adolescentes, Jovens e Idosos que se inscreverem e realizaremos uma exposição dos artesanatos fabricados por eles dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e depois vendido nas feiras livres. No Folclore e Tradição Popular realizaremos reuniões, ensaios e oficinas com os artistas e seus grupos e se apresentará dentro do FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci e no Saberes e Fazeres realizaremos reuniões, ensaios e oficinas com os mestres da cultura popular e seus grupos e se apresentará dentro do FESTIVAL CANGALHA a sopa cultural de Araci e Saberes e Fazeres (Capacitação) e Capoeira (Capacitação e Apresentações no FESTIVAL CANGALHA, a sopa cultural de Araci).

Estimativa de público e perfil:  quantidade e perfil, classe social, idade, etc.

Crianças, Adolescentes, Jovens, adultos e idosos com perfila artístico para que participara diretamente das apresentações e de todos os perfis para quem assistirá as apresentações. 

Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará  e quantidades: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.

Camisetas, faixas, banner, cartaz, folderes, Jornal, site, blog, rádio e carro de som.

Cotas de patrocínio: Cite em quantas partes está dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio em Proac e Rouanet.

1- Etapa: Pré-Produçao / Preparação Produto: Curso / Oficina / Estágio Total do Produto 17.400,00. Produto: Festival/Mostra - Total do Produto 24.500,00   Total da Etapa 41.900,00.

2- Etapa: Produção / Execução Produto: Curso / Oficina / Estágio - Total do Produto 93.700,00. Produto: Festival/Mostra Total do Produto 221.000,00   Total da Etapa314.700,00

3- Etapa: Divulgação / Comercialização Produto: Curso / Oficina / Estágio -  Total do Produto 8.500,00. Produto: Festival/Mostra -  Total do Produto 15.500,00   Total da Etapa 24.000,00.

 Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso,  além de cotas de patrocínio.:

 Anúncios nos Camisetas, faixas, banner, cartaz, folderes, Jornal, site, blog, rádio e carro de som

 

Tipo de incentivo:  (X)Lei Rouanet

CANGALHA E O EXPRESSO CULTURAL

Nº 46


Segmento do projeto: (X) artes integradas  

Gênero Artes Integradas.

Título do projeto: CANGALHA E O EXPRESSO CULTURAL

Local do projeto e nome do local(X)praças 

Região do projeto / município / estado: Teritório Sisal da Bahia (composto por 20 Município).

Valor do projeto: R$ 450.600,00 (Quatrocentos e Cinqüenta Mil, Seiscentos reais).

Temáticas:   (X) outros / indique: Cultura Popular.

 Explicação do projeto:

O Projeto se propõe a realizar inicialmente 01 PESQUISA das culturas do território sisal da Bahia, realizando 01 cadastro. Realizar 03 reuniões durante o projeto com os envolvidos, proponente, técnicos e público alvo para apresentação, construção e realização do projeto. Realizará capacitações com 06 oficinas, realizará 05 Festivais de cultura popular, realizará 01 Site e 01 periódico (Revista e/ou Jornal) para promoção, incentivo e apoio as culturas mais populares. 

Sinopse / resumo / comentário:

O Projeto se propõe a realizar inicialmente 01 PESQUISA das culturas do território sisal da Bahia, realizando 01 cadastro. Realizar 03 reuniões durante o projeto com os envolvidos, proponente, técnicos e público alvo para apresentação, construção e realização do projeto. Realizará capacitações com 06 oficinas, realizará 05 Festivais de cultura popular, realizará 01 Site e 01 periódico (Revista e/ou Jornal) para promoção, incentivo e apoio as culturas mais populares. 

Outros detalhes do projeto:

O Projeto se propõe a realizar inicialmente 01 PESQUISA das culturas do território sisal da Bahia, realizando 01 cadastro. Realizar 03 reuniões durante o projeto com os envolvidos, proponente, técnicos e público alvo para apresentação, construção e realização do projeto. Realizará capacitações com 06 oficinas, realizará 05 Festivais de cultura popular, realizará 01 Site e 01 periódico (Revista e/ou Jornal) para promoção, incentivo e apoio as culturas mais populares.

 

Estimativa de público e perfil:  Crianças, Adolescentes, Jovens, adultos e idosos com perfila artístico para que participara diretamente das apresentações e de todos os perfis para quem assistirá as apresentações. 

Plano de Mídia: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.

Camisetas, faixas, banner, cartaz, folderes, Jornal, site, blog, rádio e carro de som.

Benefícios oferecidos ao patrocinador:     Anúncios nos Camisetas, faixas, banner, cartaz, folderes, Jornal, site, blog, rádio e carro de som.

 Tipo de incentivo:  (X)Lei Rouanet

UNPLUGGED X

Nº 46


Segmento do projeto (x)música   

Gênero:  ( x )música  

Título do projeto:...................UNPLUGGED X

Local do projeto e nome do local: (X)teatro “ ARTHUR DE AZEVEDO” 

Região do projeto / município / estado: SÃO LUIZ/MA

Valor do projeto:   R$      415.085,00 (QUATROCENTOS E QUINZE MIL E OITENTA E CINCO REAIS)

Temáticas: (X )FESTIVA DE MUSICA -  PRIMEIRO DO MUNDO FOCADO EM UMA MISTURA DE LINGUAGEM (ERUDITO, CLÁSSICO E POPULAR )DE NOVOS ARRANJOS COM ORQUESTRA EM FORMATO ACÚSTICO. 

Explicação do projeto: “

A proposta é ser o primeiro festival de música focado em arranjos de sinfonia através da Orquestra Sinfônica e bandas/artistas em seu formato acustico (violões) somando os estilos e proporcionando desafios aos artistas redimensionarem seu universo musical, em novos arranjos ou adaptando-os para que assim possa aguçar o público com algo novo e moderno, tendo como foco:

-Incentivar a Produção Musical

-Levar ao conhecimento do público em geral o trabalho realizado por bandas/artistas de rock da região dentro das mais variadas vertentes;

-Promover o intercambio entre as banda;

-Descobrir e incentivar novos valores e propostas do rock da cidade

-Combater esteriótipos e apresentar o rock e suas vertentes não só como um estilo musical, mas também, como uma via para a apresentação de idéias e debates.O projeto foi modelado com o intuito de agregar valores a musicistas e quebra de paradigmas no que diz respeito a musica, especialmente neste projeto ao Rock, pois, culturalmente o Rock é veículado a guitarras altas e distorcidas, tendo um público apaixonado e selvagem e em contra via de regra perde-se muito ao encararmos o musico de uma forma mais ampla e moderna afim de, se reiventar e mostrar um conteúdo a seu público e ao mundo algo inédito que este projeto se engaja em querer trazer, um festival acustico agregado a ele uma orquestra sinfonica completa com regencia em um ambiente clássico como o erudito exige porém como um público selvagem que é do Rock, unindo estilos e mostrando o que é mais importante a música e sua arte de encantar.”

Sinopse / resumo / comentário:  “Trata-se de um festival de música voltado ao violão somando a orquestra, tendo o foco de redimensionar o valor musical contemporâneo com o erudito, valorizando novos arranjos e ampliando conhecimentos, será realizado 01 Evento em São Luiz do Maranhão com grupos/artistas de rock., focando primeiramente abrir oportunidades a grupos da região nordestina, assim como, algumas outras regiões do Brasil.

Outros detalhes do projeto: Transmissão ao vivo através do site oficial do evento, gravação de DVD.

Estimativa de público e perfil:  800 (oitocentas pessoas) esperamos pessoas de várias classes sóciais.

Plano de Mídia:  Serão 10 inserções diárias em rádio popular, 50 mil flyers, outdoors eletrônicos, sites, negociação com a REDE GLOBO LOCAL para cobertura do evento.

Cotas de patrocínio: O projeto pode ser dividido em 3 cotas tendo a PREMIUN – R$ 300.000,00 (Trezentos Mil Reais) dando direito ao cabeçalho, produto de mídia exclusiva com peças publicitárias referentes ao patrocinador e todos os beneficios da cota ouro e prata, 1 cotas ouro R$ 100.000,00 (CEM Mil Reais) dando direito de ter logos em destaque menções nos principais meios de comunicação, cota de ingressos camarote e cota de tiragem de DVD, 1 cotas pratas R$ 15.000,00 (Quinze Mil Reais), logos em segundo planos e cotas de ingressos assentos.

Benefícios oferecidos ao patrocinador:  Pocket Show

Tipo de incentivo:  ( x  )Lei Rouanet   

BEHOLDER X FEST

Nº 47


Segmento do projeto:    (x)música  

Gênero:   ( x )música 

Título do projeto:...................BEHOLDER X FEST

Local do projeto e nome do local:   ( X ) CASAS DE ESPETÁCULO FORTALEZA – CE (SIARÁ HALL) SÃO PAULO- SP (SKY HALL)

 Região do projeto / município / estado: SÃO PAULO- CAPÍTAL, FORTALEZA – CE

Valor do projeto:   R$      575.290.00 (QUINHENTOS E SETENTA E CINCO MIL DUZENTOS E NOVENTA REAIS)

Temáticas: (X )FESTIVA DE MUSICA -  PRIMEIRO DO MUNDO FOCADO EM UMA MISTURA DE LINGUAGEM (ERUDITO, CLÁSSICO E POPULAR )DE NOVOS ARRANJOS COM ORQUESTRA.

Explicação do projeto: “ Projeto será realizado em 2 cidades distintas sendo uma em São Paulo e outra em Fortaleza tendo como foco um novo modelo de festival trazendo artistas de interesse público e com capacitação para novos arranjos estarem trabalhando com a orquestra sinfônica ou filarmônica local, está proposta é trazer as raízes da música trazendo do passado algo moderno com isso resgatando a história e dando novas possibilidades a pessoas de todas as idades. O evento tem a proposta de fazer a gravação de um DVD e ter em seu site oficial a transmissão ao vivo.

Sinopse / resumo / comentário:  “O projeto consiste em 2(dois) Eventos pelo Brasil (SP e CE), com abrangência de publicidade Nacional e contará com as participações de Orquestras locais , serão 2 (dois) grupos headliners por evento mais alguns artistas/bandas independente da região abrindo uma mistura do erudito ao popular expandido a musicalidade e o interesse popular. Serão eventos afim de dar a região um fortalecimento sócio-cultural.

 

Outros detalhes do projeto: Transmissão ao vivo através do site oficial do evento, gravação de DVD.

Estimativa de público e perfil:  5000 (cinco mil pessoas) esperamos pessoas de várias classes sóciais.

 Plano de Mídia:  serão 10 inserções diárias em rádio popular, 50 mil flyers, outdoors eletrônicos, sites, negociação com a REDE TV para cobertura do evento.

 Cotas de patrocínio: O projeto pode ser dividido em 5 cotas tendo a PREMIUN – R$ 300.000,00 (Trezentos Mil Reais) dando direito ao cabeçalho, produto de mídia exclusiva com peças publicitárias referentes ao patrocinador e todos os beneficios da cota ouro e prata, 1 cotas ouro R$ 200.000,00 (Duzentos Mil Reais) dando direito de ter logos em destaque menções nos principais meios de comunicação, cota de ingressos camarote e cota de tiragem de DVD, 3 cotas pratas R$ 30.000,00 (Trinta Mil Reais), logos em segundo planos e cotas de ingressos assentos.

 Benefícios oferecidos ao patrocinador:  Pocket Show

Tipo de incentivo:  ( x  )Lei Rouanet

CHEIRO DO CÉU

Nº 48


Segmento do projeto:     ( x )artes cênicas

Gênero:  ( x )teatro  

Título do projeto: Cheiro de Céu

Local do projeto e nome do local:   ( x)teatro

Região do projeto / município / estado: São Paulo, Santos, Campinas, MG, RS e Rio de Janeiro e GO.

Valor do projeto:   R$  961.800,00 (novecentos e sessenta e um mil e oitocentos reais)

Temáticas: (  x)reciclagem  ( x)outros / Política

Explicação do projeto: O projeto destina-se à manutenção e circulação do espetáculo  "Cheiro de céu", de Mario Viana, dirigido por Norival Rizzo com o Grupo Teatrófilos.O espetáculo de gênero comédia é uma ótima oportunidade de entretenimento para toda população. Serão ao todo 05 grandes capitais e 2 cidades do interior de São Paulo no total de  30 apresentações.

Sinopse / resumo / comentário: Angelina é uma mendiga que vive em um reino perdido no fim do mundo. Ela recebe a visita de um “anjo” que, segundo o próprio, é enviado pelo Senhor que deseja que ela seja a mãe do novo “filho” de Deus. Mal sabe a pobre coitada que tudo não passa de uma encenação tramada pelos ardilosos soberanos (Rei, Rainha e Frade) para que assim o Rei possa gerar seu príncipe herdeiro.

Nessa trama ainda há espaço para as revoltas de uma beata, que, ao saber sobre a nova Virgem Santa, pretende fazer uma espécie de “guerra santa”.

Com o humor afiado de Mário Viana a comédia reflete os questionamentos atuais referentes a política e sociedade atuais.

 Outros detalhes do projeto: Os figurinos e o cenário são feitos de materiais recicláveis e 100% biodegradável

Estimativa de público e perfil:  Nossa estimativa é de 15.000 pessoas de todas as classes sociais. Idade mínima 14 anos.

Plano de Mídia:DIVULGAÇÃO DA LOGOMARCA EM TODAS AS PEÇAS GRÁFICAS IMPRESSAS A SABER;

- Anúncios (jornais)

-Banner

- Cartazete, formato A3-

-Flipetas

DIVULGAÇÃO DA LOGOMARCA EM TODAS AS PEÇAS ONLINE A SABER;

-Site

- Facebook do espetáculo

-Twitter do espetáculo

PLANO DE DIVULGAÇÃO

Revistas / Guias: Veja, Guia Off, Guia Boca-Boca, Guia da Folha, entre outros.

Jornais: Estadão, Folha, Diário, O Globo, Metro entre outros.

Mídia impressa: Através da assessoria de impressa conseguir destaques, matérias e publicações nas mídias citadas à cima, além de outras das quais se julgarem necessário. Sempre citando o patrocinador.

Internet: Anúncios e reportagens em sites como Terra, Uol, Bolgs de críticos e jornalistas relacionados à cultura, além das publicações nos sites das mídias como jornais, guias, revistas e etc.

Criação e elaboração de um site com possibilidades de inserção de vídeo e material institucional do patrocinador.

Criação de endereço e link com o site de redes sociais como facebook, twitter, entre outros.

 

MENCIONAR COMO APOIADOR E/OU PATROCINADOR A RAZÃO SOCIAL OU O NOME FANTASIA (A CRITÉRIO O PATROCINADOR) EM TODAS AS ENTREVISTAS JORNALÍSTICAS, RADIOFÔNICAS E TELEVISIVAS;

DIVULGAÇÃO DE VÍDEO OU AUDIO DA RAZÃO SOCIAL OU NOME FANTASIA ANTES DO INICIO DO ESPETÁCULO;

DISTRIBUIÇÃO À CRITÉRIO DO PATROCINADOR DE PRODUTOS, FILIPETAS, AMOSTRAS, ETC NA ENTRADA DO TEATRO.

Cotas de patrocínio:

Proposta completa:

Pré- produção, temporada no Rio de Janeiro (8 apresentações), Temporada em Goiânia (2 apresentações), Belo Horizonte (2 apresentações), Porto Alegre (2 apresentações), temporada em Campinas (2 apresentações), temporada em Santos (02) e temporada em São Paulo Capital (12 apresentações).

R$ 961.800,00 (Inteiro- Patrocinador)

R$ 480.900,00 (2 cotas- Apoiador)

Proposta 2:

Pré- produção, temporada em São Paulo (12 apresentações), 02 apresentações em Campinas, 02 apresentações em Santos, 2 apresentações em Goiânia, 2 apresentações em Belo Horizonte e 2 apresentações em Porto Alegre.

R$642.600,00 (Cota única- Patrocinador)

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

MENCIONAR COMO APOIADOR E/OU PATROCINADOR A RAZÃO SOCIAL OU O NOME FANTASIA (A CRITÉRIO O PATROCINADOR) EM TODAS AS ENTREVISTAS JORNALÍSTICAS, RADIOFÔNICAS E TELEVISIVAS;

DIVULGAÇÃO DE VÍDEO OU AUDIO DA RAZÃO SOCIAL OU NOME FANTASIA ANTES DO INICIO DO ESPETÁCULO;

DISTRIBUIÇÃO À CRITÉRIO DO PATROCINADOR DE PRODUTOS, FILIPETAS, AMOSTRAS, ETC NA ENTRADA DO TEATRO.

Uma apresentação fechada para o PATROCINADOR, 10% de convites para toda temporada para patrocinador e 5% para apoiador.

Oficinas: Ateliê de reciclagem, onde incentivamos a criação artística através de produtos recicláveis (garrafa pet, caixa de leite, tecido de algodão...)

Tipo de incentivo:  ( x  )Lei Rouanet

SÓ O FARAÓ TEM ALMA

Nº 49


Segmento do projeto: ( x )artes cênicas

Gênero:  (x  )teatro  

Título do projeto:   Só o Faraó tem Alma

Local do projeto e nome do local:   (x )teatro nome  teatro jaraguá ou espaço parlapatões.

Região do projeto / município / estado:    São paulo Capital - SP

Valor do projeto:     R$ 517.125    ( Quinhentos e dezessete mil  cento e vinte e cinco reais)

Temáticas: ( x ) meio ambiente ( x) reciclagem (x )arte   

Explicação do projeto: Uma peça de Teatro com 8 atores no elenco para temporada de 5 meses  em São Paulo e Interior  ou qualquer outra cidade

Que o Patrocinador ou apoiador desejar.  Um projeto totalmente sustentável com materiais reciclados. Podemos também  dentro da peça fazer um merchandizing do produto em cena além das contrapartidas  já existentes no projeto .

Sinopse / resumo / comentário:  No momento retratado pela peça o Império do Faraó está em crise, porque o povo do Egito resolveu reivindicar almas, às portas do palácio. Para resolver este problema a corte tenta encontrar uma solução, numa sequência cómica onde conselheiros, sacerdotisas, generais e milionários procuram devolver o descanso aos ouvidos do monarca.

Com diálogos de forte apelo cômico, chegam a propostas inusitadas e sugestivamente atuais, que mostram que a forma de fazer política, enfrentar questionamentos, e principalmente garantir a permanência no poder, ultrapassam os tempos.

Outros detalhes do projeto: Somos um Cia de Teatro que acredita e trabalha com os 8 passos para um mundo melhor.

Todo empreendimento humano pode ser ecológicamente correto, economicamente viável, socialmente justo e culturamente aceito.

Impossível ? Muito pelo contrário. 80% do nosso cenário e 45% dos figurinos são feitos de

materiais recicláveis;10% da bilheteria sempre vai para instituições que trabalham, através do teatro, com crianças e adolescentes, de comunidades carentes, e a lista continua.  e a lista continua.

Estimativa de público e perfil:  50.000 pessoas / Publico alvo seria dos 14  aos 100 anos Classe social todas.

Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará  e quantidades: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.

Cotas de patrocínio:   Temos cotas de 100.000  á 50.000  , 30.000 reais ou o patrocinador pode estabelecer a cota que ele desejar apoiar.

Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso,  além de cotas de patrocínio.

Tipo de incentivo: ( x  )Lei Rouanet    

MENINA NINA, DUAS RAZÕES PARA NÃO CHORAR

Nº 50


Segmento do projeto:    Artes cênicas

Gênero:  Teatro  

Título do projeto: “Menina Nina, duas razões para não chorar”

Local do projeto e nome do local:  teatros  a serem definidos

Região do projeto / município / estado:

 Sudeste

Rio de Janeiro- Rio de Janeiro - Cinco finais de semana

Vitória – Espírito Santo - Um fim de semana

Belo Horizonte – Minas Gerais - Um fim de semana

Centro-oeste

Brasília – Distrito Federal - Um final de semana

São Paulo – São Paulo - Seis finais de semana

 Valor do projeto:   R$  498.820,00(Quatrocentos e noventa e oito mil e oitocentos e vinte reais)

Temáticas: Educação infantil 

Explicação do projeto: Circulação em 5 capitais brasileiras, realizando 28 apresentações, do espetáculo teatral infantil Menina Nina, duas razões para não chorar, da obra de Ziraldo, com direção de Joaquim Goulart. Peça já apresentada, durante o ano de 2011, em São Paulo, no SESC Pinheiros, com grande sucesso.

Sinopse: Circulação em 5 capitais brasileiras, realizando 28 apresentações, do espetáculo teatral infantil Menina Nina, duas razões para não chorar, da obra de Ziraldo, com direção de Joaquim Goulart. Peça já apresentada, durante o ano de 2011, em São Paulo, no SESC Pinheiros, com grande sucesso

 Resumo:  MENINA NINA: DUAS RAZÕES PARA NÃO CHORAR / Considerado o livro mais poético de Ziraldo, Menina Nina: duas razões para não chorar ganha uma adaptação para os palcos, em espetáculo homônimo dirigido por Joaquim Goulart. Com cenário de Daniela Thomas e canção original de Antonio Pinto – filhos do autor –, a peça estreia dia 19 de março na Sala Paulo Autran, em realização do SESC, com patrocínio da Oi e apoio cultural do Oi Futuro.A nova montagem infantil de Joaquim Goulart baseia-se no livro que Ziraldo Alves Pinto, criador de O menino maluquinho, dedicou a sua neta primogênita. O espetáculo mostra a protagonista Nina, inspirada na neta do escritor, às voltas com a difícil missão de elaborar a morte da avó Vivi (referência a Wilma Gontijo Alves, mulher de Ziraldo). Para essa tarefa, a menina conta com a ajuda da mãe e do avô.Há oito anos, o diretor emocionou-se com o livro, apaixonou-se por seus personagens e decidiu levar a história para o teatro. Ele se lançou o desafio de explicar, para quem está apenas começando a viver, o fim inexorável. “A literatura e o teatro nos ensinam a lidar com as perdas e a gerar vida”, explica o diretor.Joaquim, que dirige o Núcleo Caixa Preta, já abordou o início da vida no espetáculo Cegonha, avião... Mentira, não!, assistido por cerca de um milhão de espectadores e com 12 premiações. Com Menina Nina, viu chegar o momento para se falar da perda com “a mesma sutileza, encanto e verdade”.

O texto enfoca o amor recíproco entre avó e neta, numa relação marcada por confidências, alegrias e delicadeza. Ziraldo mira-se na personagem para comunicar-se com a neta como se dialogasse com seus leitores. Nina é uma menina criativa que põe toda a família “no bolso”. Interpretada pela atriz mirim Pietra Pan, a personagem vive com intensidade todas as emoções possíveis em uma criança. A avó (Selma Egrei) adora a vida e sente especial motivação com o nascimento de sua primeira neta. Ela diz: “No dia que você nasceu, nasceu também uma avó”. Depois de tanta pulsação e vida em cena, chega o momento da perda. Neste momento, a mãe, Alice (Jeanne de Castro), e o avô, Ziraldo (Luciano Chirolli), encontram as palavras certas para explicar que a avó partira e que há duas razões para não chorar.Embora seja dirigida ao público infantil, o diretor acredita num alcance mais amplo do texto e da montagem. “Diante da morte, somos todos crianças. Só nos resta brincar e dar vida nova ao que fica. O espetáculo, portanto, não tem qualquer conotação negativa”, explica Joaquim.Menina Nina conta com cenário de Daniela Thomas e uma canção inédita de Antonio Pinto, ambos filhos de Ziraldo e Wilma, além de música original de Marcelo Pellegrini e figurinos, adereços e maquiagem de Niura Bellavinha e Jeane Terra. O espetáculo é uma realização do SESC-SP, com patrocínio da Oi e apoio cultural Oi Futuro, co-patrocínio da Sabesp e apoio da Barclays Capital.

 Comentário:

   Menina, Nina: duas razões para não chorar é, sem dúvida, o livro mais comovente de quantos Ziraldo já escreveu para crianças. Ele fala de personagens que conhece, com quem conviveu e com quem construiu sua vida. É como se ele sentasse para contar para seus leitores uma história corriqueira e, ao mesmo tempo, aproveitasse para ter com Nina, sua primeira neta, aquela difícil e delicada conversa que gostaríamos imensamente de não ter nunca.

Com uma enternecedora força poética, o autor sonda os mistérios da vida e da morte e, numa linguagem cuidada e simples, consegue falar da dor de um modo delicado e cheio de esperança. Ele descobre o que já é uma coisa sabida ou intuída, mas que só os poetas sabem como organizar em palavras: no momento da grande despedida, pode haver duas seguras razões pra gente não chorar. Assim, descobrimos que é por causa desta constatação que, sem percebida explicação, conseguimos sobreviver aos que partiram antes.

É, claro, uma conversa difícil para se ter com crianças, mas aqui está o segredo de quem sabe falar para elas com precisão e sensibilidade. Graças aos poetas podemos estar seguros de que somos capazes de criar espaço em nossas vidas para o exercício salvador da imaginação.

A concepção do espetáculo propõe-se a instaurar um diálogo franco sobre o tema da perda e do luto, pelo viés específico de um grande artista popular brasileiro. Nesse contexto, o luto torna-se lúdico: elegia e alegria afinam-se em torno da memória recente da avó de Nina. Assim, em comunicação com a neta Nina e os seus leitores, Ziraldo tenta elaborar também a morte de Wilma, sua própria mulher. De certo modo, o autor de “Menino Maluquinho”, como é do seu feitio, espelha-se na sua personagem: Ziraldo é Nina, e vice-versa, o que faz com que a narrativa de interesse tanto do público infantil quanto do público adulto, seja direta e poética.

 Outros detalhes do projeto: Como contrapartida do proponente ao projeto, será feito o registro em vídeo das apresentações, documentando a passagem do espetáculo em cada uma das capitais especificadas, incluindo os debates. Registro este que será editado e distribuído através das secretarias municipais de educação e cultura. Forneceremos 30 DVDs para cada cidade. Além disso, será assegurado preço popular aos ingressos e 50% dos mesmos serão distribuídos gratuitamente para escolas e/ou entidades.

Estimativa de público e perfil: Em suas 28 apresentações a  estimativa de  público é de mais de dez mil pessoas.  Este espetáculo é destinado especialmente ao público infantil, a partir dos quatro anos. Também contempla os  públicos  jovem e adulto, já que trata de um tema universal que é a dor emocional diante da perda de um ente querido. Um espetáculo  direcionado a todas as classes sociais.

 Plano de Mídia:

Catalogo

Impressos

Spot de até 30"

Rádio

Anúncio de 1/4 de página

Jornal

Cartaz/Poster

Impressos

Folheto

Impressos

Convite

Impressos

Convite Eletrônico/Folder Eletrônico

Internet

Capa de CD/DVD/Rótulo de CD/DVD/Adesivo de CD

Impressos

E-Mail

Internet

Peças de Internet(criação/textos/frames/multmídia)

Internet

  Cotas de patrocínio: a ser definido.

Benefícios oferecidos ao patrocinador: Créditos em todo o material de divulgação, como: catálago, banner, folders, cartazes, filipetas, convites, malas diretas, peças publicitárias na internet, releases, spots de rádio e anúncios em jornais.

Tipo de incentivo: Rouanet

1º FESTIVAL DE CINEMA DE SÃO SEBASTIÃO

Nº 51


Segmento do projeto:  ( x )audiovisual  

Gênero: (  x)cinema  

Título do projeto: 1 Festival de Cinema  de São Sebastião

Local do projeto e nome do local:   (  )livraria  ( x)teatro ( )praças ( )cinemas (  x)outros/ indique nome

Teatro Municipal de São Sebastião e Rua da Praia

Região do projeto / município / estado: São Sebastião – São Paulo

Valor do projeto:   R$ 599.950,00 (quinhentos e noventa e nove mil, novecentos e cinqüenta reais)     

Temáticas: ( )meio ambiente  (  )reciclagem  ( x)educação (  )3ª idade  (  )mulher  (  )Infantil  ( )saúde  ( )arte   ( x)outros / indique Valorizar e difundir o  Cinema Paulista e Oficinas de Cinema para População

Explicação do projeto: O "I Festival de Cinema de São Sebastião" tem por missão contribuir para elevação do cinema paulista, por meio do reconhecimento técnico e artístico de seus filmes, valorizando os profissionais do cinema do Estado de São Paulo por categoria.

 O diferencial deste Festival é justamente valorizar e difundir o cinema paulista por meio da premiação do “capital humano” que possibilita a sua produção. O cronograma do Festival prevê a etapa de pré-produção Junho/Julho/Agosto a produção em Julho e Agosto de 2012, a realização em três dias do mês de Setembro de 2012 (estamos planejando os dias 06, 07, e 08) e a desprodução na segunda quinzena de Setembro .

O "I Festival de Cinema de São Sebastião" terá como curador Francisco Cesar Filho que tem em seu currículo a criação e organização da “Mostra do Audiovisual Paulista”, realizada desde 1987; a direção do “Festival de Cinema Latino-Americano”; a curadoria e organização de eventos audiovisuais, como o Festival “Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul”, entre muitos outros.

A Prefeitura do Município de São Sebastião é apoiadora institucional do projeto, favorecendo sua realização num local que possui grande demanda para consumo de atividades culturais e uma geografia belíssima. A meta principal do Festival é tornar este evento sustentável, passando a integrar o calendário local e toda sua programação será gratuita. 

Sinopse / resumo / comentário:  “I Festival de Cinema de São Sebastião” irá contribuir para valorização e difusão do cinema paulista tanto junto ao público presente na cidade de São Sebastião quanto também em escala nacional e internacional, pois planejamos transmitir o Festival ao vivo pela Internet, favorecendo a democratização do evento. 

conceito central do prêmio é valorizar o desempenho das diversas funções de cada profissional da produção do cinema paulista: direção, roteiro, fotografia, arte, som, maquiagem, profissional revelação, entre outras, dando destaque tanto à importância de cada um na cadeia cinematográfica quanto ao cinema paulista. 

 O Festival almeja ocupar o “ranking” dos principais do país, atraindo formadores de opinião,meios de comunicação, artistas, técnicos e amantes da cultura cinematográfica de todo Brasil. 

A programação prevê a realização de mostras competitivas em película ou digital; oficinas de cinema locais (noções básicas de direção, roteiro, fotografia, produção); encontros e debates entre profissionais da área; homenagem a um expoente do cinema paulista, Solenidade de abertura e premiação. 

realização do referido evento ocorrerá em a realização em  (03)três dias do mês de Setembro de 2012 (estamos planejando os dias 06, 07, e 08

Exibição simultânea da programação na Rua da Praia (exibição aberta), levando o cinema às ruas da cidade, e no Teatro Municipal de São Sebastião (exibição fechada). 

Estarão aptos a concorrer no “I Festival de Cinema de São Sebastião” de 2012 as obras cinematográficas lançadas entre 1o de janeiro de 2009 até a atualidade. 

Serão oferecidos 105 mil reais em prêmios

Outros detalhes do projeto: Serão oferecidas oficinas de Cinema para a população

Estimativa de público e perfil:  5.000 pessoas, classes A/B/C, estudantes e formadores de opinião.

Plano de Mídia: ASSESSORIA DE IMPRENSA, FOLDERS, TV, IMPRENSA, CATAZ, PRESS KIT

Cotas de patrocínio:

Cota total a partir de 350 mil de reais - Patrocinador Apresentador do Festival - Crédito -  “Apresenta”

Cota total até 349 mil de reais – Patrocinador do Festival - Crédito -  “Patrocínio”

Benefícios oferecidos ao patrocinador:

BENEFÍCIOS EM COMUM PARA O CONJUNTO DE PATROCINADORES

A PATROCINADORA poderá:

•citar o patrocínio ao evento em suas campanhas e peças de comunicação institucional;

•utilizar imagens do evento.

A PATROCINADORA terá sua MARCA

•no material gráfico do projeto;

•nas mídias contratadas.

 * contrapartidas diferenciadas, não previstas neste plano de cotas, podem ser negociadas entre as empresas produtora e patrocinadora. 

 >   Patrocinador Apresentador do Festival - (Crédito -  “Apresenta”)

Cota total a partir de 350 mil de reais 

•Caso haja interesse será realizado um jantar para direção, convidados da empresa patrocinadora,  mestres de cerimônia, homenageado e equipe de realização principal do Festival (tal ação será custeada pela empresa patrocinadora).

•Promoção de ações de aproximação com públicos de interesse do patrocinador, por meio do trabalho da equipe de lançamento do Festival.

•Caso haja interesse poderá ser realizado um coquetel posterior à exibição da seção de abertura, com presença dos convidados (o coquetel será custeado  pela empresa  patrocinadora).

>      Patrocinador do Festival - (Crédito -  “Patrocínio”)

Cota total até 349 mil de reais

 

ØCONTRAPARTIDAS INSTITUCIONAIS

 Inserção INDIVIDUAL DA MARCA sob a chancela “PATROCÍNIO”

Na vinheta de abertura do Festival

•Na base material gráfico confeccionado para o Festival:  cartazespress kitfolderes e no convite  da abertura com o crédito “Patrocínio”.

•Nas mídias contratadas pelo projeto: impressa (jornais ) ; TVs locais e online, com o crédito “Patrocínio”.

•Na home page do site oficial do Festival que exibirá o mesmo em tempo real , com o crédito “Patrocínio”.

•Nas redes sociais, com o crédito “Patrocínio”.

 

Menção da empresa patrocinadora antes do início do Festival  e em todas os releases de imprensa, comunicados e entrevistas sobre o Festival.

Cessão para o patrocinador de 20 convites para o Festival,  tanto para a  Rua da Praia quanto Teatro Municipal.

Cessão de relatórios comprobatórios das contrapartidas acordadas, assim como informações, por meio de clipping eletrônico, sobre o andamento do projeto.

 

Cota total até 349 mil de reais

 

ØCONTRAPARTIDAS MERCADOLÓGICAS

•Possibilidade de distribuição de material de promoção e institucional para os participantes do Festival.

 

ØCONTRAPARTIDAS DE RELACIONAMENTO

•Promoção de ações de aproximação com públicos de interesse do patrocinador, por meio do trabalho da equipe de lançamento do Festival.

•Caso haja interesse poderá ser realizado um coquetel posterior à exibição da seção de abertura, com presença dos convidados (o coquetel será custeado  pela empresa  patrocinadora).

 Tipo de incentivo: (x  )Proac- ICMS/SP    (  )Proac-ICMS/RJ   (x   )Lei Rouanet

Réquiem

Nº 52


Segmento do projeto: Teatro
Gênero: Drama
Título da peça / projeto: RÉQUIEM /  Circulação da Peça Teatral Réquiem 
Autor: Hanoch Levin
Direção e Adaptação: Francisco Medeiros / tradução Priscilla Herrerias

Teatro/Local: O objetivo do projeto é a circulação do espetáculo teatral adulto RÉQUIEM, de Hanoch Levin, direção Francisco Medeiros, no primeiro semestre de 2010, por doze capitais brasileiras: Manaus (AM), Belém (PA), Palmas (TO), Goiânia (GO); Salvador (BA), Recife (PE), Vitória (ES), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC).
Valor do projeto: R$ 814.677,27(oitocentos e quatorze mil, seiscentos e setenta e sete reais e vinte sete centavos)

Ficha técnica dos principais envolvidos: Intérpretes:  André Blumenschein- Cocheiro, Chico Carvalho – Velho, Dinah Feldman – Velha, Fabricio Licursi – Querubim Engraçado, Enfermeiro e Bêbado Tagarela, Felipe Schermann – Querubim Triste, Bêbado Indigente e Chorão, Fernanda Viacava/Kátia Daher – Querubim Feliz e Prostituta com verruga, Priscilla Herrerias - Mãe e Prostituta com pinta, ssistência de direção: Pablo Ferreira, Preparação Corporal: Tarina Quelho e Fabricio Licursi, Cenografia: Mauro Martorelli,  igurinos: Inês Sacay, Trilha Sonora: Alex Buck, Iluminação: Taty Kanter, Programação Visual: Claudio Canarim, Fotos: Pablo Ferreira, Produção e Realização: Dinah Feldman e Priscilla Herrerias

Texto: Hanoch Levin  Tadução: Priscilla Herrerias, com a colaboração de Dinah Feldman, Francisco Medeiros, Lilian Froiman e Pablo Ferreira

Explicação do projeto: O objetivo geral do projeto é a circulação do espetáculo teatral adulto Réquiem por doze capitais brasileiras, segundo dois critérios: 1. cidades que são pólos culturais do país e 2. capitais onde a oferta de peças teatrais não é ampla, ao mesmo tempo em que há um público em potencial. Após pesquisa sobre infra-estrutura, demanda e peças oferecidas pelo mercado teatral local, as capitais selecionadas foram:

Sinopse: Dividida em 15 cenas curtas, a história versa sobre a desilusão de um marceneiro, artesão de caixões, que, ao chegar a velhice, depara-se com a solidão e a sucessão de perdas que acumulou ao longo dos anos. A morte da mulher com a qual conviveu por 52 anos, mas que nunca lhe despertou um gesto de afeto desencadeia um gradativo processo de sensibilização e encontros que culminará com o enfrentamento de sua própria morte.
Comédia, poesia, magia e drama numa combinação inusitada, marca registrada de um dos mais importantes artistas israelenses da atualidade. O projeto foi um dos vencedores do II Concurso Centro da Cultura Judacia de Montagens Teatrais (2007). A montagem foi indicada ao prêmio Shell 2009 (direção e figurino), ao Prêmio Contigo! de Teatro (espetáculo/drama, figurino e cenário) e ao Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro (direção, espetáculo e cia. revelação).

Localidades:  Região Norte: Manaus (AM), Belém (PA) e Palmas (TO); Região Nordeste: Salvador (BA) e Recife (PE); Região Centro-Oeste: Goiânia (GO); Região Sudeste: Vitória (ES), Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro (RJ). Região Sul: Curitiba (PR), Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC). 
Visando promover o acesso democrático ao espetáculo, os ingressos para todas as apresentações serão gratuitos. A produção privilegiará teatros que facilitem o acesso da população, de porte médio ou grande, com no mínimo 300 lugares.
Nosso projeto engloba, além das apresentações do espetáculo, atividades complementares (também gratuitas) que visam, principalmente, fomentar o intercâmbio entre artistas e comunidade.

Parceiros: Montagem contemplada pelo 2º Concurso de Montagem Teatral do Centro da Cultura Judaica
Produção / Produtora/ Razão social : Cia Lazzo da Cooperativa Paulista de Teatro

Tipo de incentivo: Lei Rouanet

Revelando SÃo Paulo

Nº 53


Segmento do projeto: Audiovisual / Distribuição cinematográfica
Gênero: Documentário
Título da peça / projeto: Revelando São Paulo
Autor: - (Proponente) Cícera Sebastiana da Silva
Direção e Adaptação: Cí Silva (diretora) Marcos Otero (produtor executivo)
Teatro / Espaço/ Local: São Paulo/SP

Valor do projeto: R$ 147.763,55 (cento e quarenta e sete mil, setecentos e sessenta e três reais e cinqüenta e cinco centvos)
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

Ficha técnica dos principais envolvidos: Ci Silva (Diretora / Roteirista)
- Formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelo Centro Universitário Nove de Julho. Participou de workshop de roteiro e documentário na AIC – Acadêmia Internacional de Cinema. Foi criadora do Projeto “Movimenta São Paulo, em Debate”. Atualmente é sócia-diretora da produtora Pan América Filmes. – Marcos Otero (Produtor) - Com 13 anos de experiência como produtor cinematográfico, já dirigiu e produziu 30 trabalhos entre curtas e documentários. Premiado como documentarista por “Cerol – A Vida Por Um Fio”, em 2008. É produtor do documentários: “Simplesmente Florbela Espanca” (co-produção Brasil – Portugal) – ambos aprovados na Lei Rouanet. 
É gestor do Grupo Filmes no Interior.

Explicação do projeto:  Revelando São Paulo é uma série de documentário com  70 minutos de duração, que mapeará as TRIBOS URBANAS, BAIRROS, PERSONAGENS e PONTOS HISTÓRICOS; PRATOS TÍPICOS de São Paulo.  Os costumes dos jovens e adolescentes que vivem em suas "tribos", os bairros de maior importância para a cidade, seus personagens que contribuíram para crescimento de São Paulo e pontos históricos da área central, pratos típicos que fazem sucesso. A série será dividida e, 02 DVDs: - DVD #1: Revelando São Paulo – Tribos e Personagens.
- DVD #2: Revelando São Paulo – Pontos Históricos: bairros e comidas típicas.

Produção/produtora/Razão social (CNPJ): Marcos Otero de Lima

I Festival de DocumentÁrios da RegiÃo Metropolitana de Campinas

Nº 54


Segmento do projeto: Audiovisual / Difusão
Gênero: Evento cultural - 1º FESTIVAL DE DOCUMENTARIOS DA RMC
Título da peça / projeto: I Festival de Documentários da Região Metropolitana de Campinas
Direção e Adaptação: (Organizador/Diretor) Marcos Otero
Teatro / Espaço/ Local: Cinemas Topázio/Casarão Cultural Pau-Preto
Valor do projeto: R$ 65.310,00 (sessenta e cinco mil, trezentos e dez reais)
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

Ficha técnica dos principais envolvidos: O Festival de Documentários da Região Metropolitana de Campinas tem como seus realizadores, os mesmos da TAKE 1 – MOSTRA DE CINEMA E VÍDEO DE INDAIATUBA, já reconhecida nacionalmente.
O Diretor e Produtor Audiovisual, Marcos Otero, que é realizador de 30 filmes, entre curtas e documentários. Premiado com o documentário “Cerol – A Vida Por Um Fio” (2006) e tendo outros títulos selecionados e exibidos em mostras pelo Brasil. Sendo ele quem criou a “Take 1” em 2005, através de uma iniciativa particular, com parceria do Cinemas Multiplex Topázio (em Indaiatuba). Nos anos seguintes, foi organizador, curador e diretor das 5 edições.
Leandro Xavier, formado em Comunicação Social com habilitação e RTV, pela UNISA.
É Produtor Executivo da 5ª edição da “Take 1”, em 2011.

Explicação do projeto: Evento a ser realizado em INDAIATUBA/SP, o I Festival de Documentários da Região Metropolitana de Campinas (FEST DOC RMC), irá promover a exibição e premiação de documentários de curta-metragem até 10 minutos, priorizando a produção independente do interior paulista região de Campinas/SP e promovendo a discussão sobre o audiovisual. Durante os três dias de evento, que deverão acontecer no Topázio Cinemas e Casarão Cultural Pau-Preto, haverá projeção de todos os documentários selecionados conforme sua cidade, premiação e debate aberto para o público e os realizadores com profissional da área.

Produção/produtora/Razão social (CNPJ): Marcos Otero de Lima

Cerol A Vida Por Um Fio

Nº 55


Segmento do projeto: Audiovisual / Produção Cinematográfica
Gênero: Documentário
Título da peça / projeto: Cerol – A Vida por um Fio
Direção e Adaptação: Marcos Otero
Teatro / Espaço/ Local: São Paulo e região
Valor do projeto: R$ 93.690,00 (noventa e três mil, seiscentos e noventa reais)
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

Ficha técnica dos principais envolvidos: Com 13 anos de experiência na área cinematográfica, Marcos Otero já dirigiu e produziu 30 filmes, entre curtas e documentários.
Cerol – a vida por um fio, primeira versão em 2006, lhe rendeu 1º lugar em um dos festivais mais importantes do estado de São Paulo: o Mapa Cultural Paulista 2007/08.
Realizou em 2010, seu primeiro longa documental: “Aydil Bonachela, Para Sempre”. 
Foi diretor do documentário do famoso crime ocorrido em Indaiatuba: “O Crime do Poço”.
Com conhecimento experimentado em temas de relevância social e histórico, marcado pelo seu primeiro trabalho no gênero, falando sobre Madre Cecília (“Mamãe Cecília – Protagonista de Um Novo Tempo”), em 2003. No mesmo ano, produziu “Os 10 Crimes – Uma Reflexão da Violência”, trazendo para discussão a violência tendo como base o atentado ao WTC, em NY.

Explicação do projeto: A maioria das vítimas do cerol são pessoas em bicicletas ou motocicletas, que ao passarem pelo local onde haja uma linha de cerol esticada, poderão ser vítimas de cortes, principalmente no pescoço. Assim, cabe aos pais, professores e toda a sociedade, orientar os nossos adolescentes e jovens sobre os riscos de empinar pipas, principalmente no que diz respeito ao uso do cerol.
Alguns garotos afirmam que o cerol é usado para poder cortar a linha de outra pipa… Mas, essa linha cortada pode parar em um local de movimento de pessoas e causar sérios danos.
Além do cerol, as linhas das pipas constantemente se entrelaçam aos fios de alta tensão, quando o risco de uma descarga elétrica é muito alto, podendo ser fulminante.

Objetivo:  Alertar toda a sociedade, começando pelos pais; crianças, adolescentes e jovens sobre os perigos do cerol. Uma mistura fatal com cola e vidro utilizada nas linhas de pipas.  Distribuir de forma gratuita em Secretarias Estaduais, cópia-matriz do DVD, permitindo a duplicação para que os mesmos cheguem às redes de ensino;
Parceiros: -  Buscar parcerias nas redes dos SESCS, distribuindo os DVDs para projeção;

TAKE 1 - Mostra de Cinema e VÍdeo de Indaiatuba (6» Ed. 2012)

Nº 56


Segmento do projeto: Audiovisual / Difusão
Gênero: Evento cultural
Título da peça / projeto: TAKE 1 – Mostra de Cinema e Vídeo de Indaiatuba (6ª Ed. 2012)
Autor: - (Proponente) Leandro Cosme Xavier Castro
Direção e Adaptação: (Organizador/Diretor) Marcos Otero
Teatro / Espaço/ Local: Cinemas Topázio/Casarão Cultural Pau-Preto
Valor do projeto: R$ 70.355,00  (setenta mil, trezentos e cinqüenta e cinco reais)
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

Ficha técnica dos principais envolvidos: O Diretor e Produtor Audiovisual, Marcos Otero, que é realizador de 30 filmes, entre curtas e documentários. Premiado com o documentário “Cerol – A Vida Por Um Fio” (2006) e tendo outros títulos selecionados e exibidos em mostras pelo Brasil. Sendo ele quem criou a “Take 1” em 2005, através de uma iniciativa particular, com parceria do Cinemas Multiplex Topázio (em Indaiatuba). Nos anos seguintes, foi organizador, curador e diretor das 5 edições.
Leandro Xavier, formado em Comunicação Social com habilitação e RTV, pela UNISA.
É Produtor Executivo da 5ª edição da “Take 1”, em 2011.

Explicação do projeto:
Mostra de Cinema e Vídeo de Indaiatuba (TAKE 1), em sua 6ª edição, promovendo exibição de curtas e documentários, debate com diretores, dando oportunidade ao público assistir filmes que dificilmente seriam exibidos numa sala comercial de cinema, ampliar o espaço de exibição de curtas-metragens de todos os gêneros e formatos priorizando a produção independente em todo o país, e, promovendo a discussão sobre o audiovisual.

Produção/produtora/Razão social (CNPJ): Marcos Otero de Lima

Projeto 3x1: Sombras no PorÃo, A Pluma e a Pedra e Livrai-nos do Mal

Nº 57


Segmento do projeto: Teatro
Gênero: DRAMA
Título da peça / projeto:  Projeto 3x1: Sombras no Porão, A Pluma e a Pedra e Livrai-nos do Mal
Direção e autor:  Wilson Roque Basso
Teatro: Maria Della Costa
Valor do projeto: 243.045,00 (duzentos e quarenta e três mil reais e quarenta e cinco reais)
Tipo de incentivo: ProAc ICMS

Explicação do projeto:  O projeto será apresentado ao público com 3 histórias inéditas a preços populares, em diferentes dias da semana, sendo que o público pagará apenas 1 espetáculo e terá direito de assistir gratuitamente  os outros2  Os textos serão apresentados através de jogos cênicos e verbais; dentro de uma linguagem moderna, temas que retratam nosso dia-a-dia. Este é o ponto de partida deste projeto, pois acreditamos que ver e vivenciar, mesmo como espectadores, faz com que reflitamos sobre os dramas propostos em cada história. Diante disto, procuramos sempre atingir a verdade na arte teatral, fazendo com que o público se emocione e questione sobre a sociedade atual em que vive.

Sinopse:   “SOMBRAS NO PORÃO” – Conta a vertiginosa e dramática jornada de duas pessoas: Tommy e Alan que num certo ponto de suas vidas se vêem diante de um triste e aterrador desafio; colocar fim em suas angustias e tentar a todo custo conseguir o perdão e até mesmo alcançarem o paraíso.
“A PLUMA E A PEDRA” – Traz o drama de mãe e filha que depois de 15 anos, tentam reatar a amizade, o amor e acima de tudo, o perdão uma da outra, mas para isto terão que enfrentar, os terr´veis fantasmas do passado que assustam suas vidas e as impedem de serem felizes
“LIVRAI-NOS DO MAL” – Expõe o drama de Gabriel, um homem prestes a enfrentar um julgamento depois de cometer um assassinato. Nas visitas que recebe na delegacia, de sua advogada Helena, ele se vê diante de um espelho; a partir desse momento, as duas personagens se confrontam num jogo, colocando-os frente a frente com passado para conseguirem seguir em frente com suas vidas. Afinal a justiça está ao lado de quem?
As 3 histórias trazem, uma visão realista da vida, buscando uma análise humana através das personagens inseridas em cada história. Os textos foram criados a partir de acontecimentos relatados, com muita freqüência, pelas TVs, jornais e revistas, ou seja, foram extraídas do nosso cotidiano.  O Diretor pesquisou os assuntos propostos como: a Síndrome de Estocolmo, relações familiares, tipos de amores, traumas e afeto.  As pesquisas sempre foram acompanhados por uma psicóloga que complementava, durante as reuniões, dando uma visão mais ampla do que se passa na cabeça das pessoas a cometerem esses delitos que tanto assustam a sociedade moderna. 

Parceiros:FullTime

Produção/Produtora; Carlos de Almeida Braga/DZ.7 Produções Artísticas e Culturais Ltda

CANTO CORAL

Nº 58


Segmento do projeto: Música
Gênero: música
Título do projeto: Canto Coral
Autor / adaptação: Tié Incentivos
Direção / coordenação: Paulo de Tarso Phenee
Local do projeto / nome do local: na sede da empresa
Região do projeto / município / estado: SP – São Paulo
Valor do projeto: R$ 413.015,00 (Quatrocentos e treze mil e quinze reais)
Ficha técnica e artística dos envolvidos: Enviar ficha técnica (sujeito a resumo, se for o caso)
Maestrina - Ana Beatriz Valente Zaghi
Coordenador Geral - 1 – Denise de Alba
Coordenador de Produção - Paulo de Tarso Phenee
Explicação do projeto: Criação de um grupo de Canto Coral na sede da Empresa patrocinadora. Serão abertas 25 vagas, destinadas aos funcionários da Empresa e 25 vagas para a comunidade. Não será necessária nenhuma experiência anterior. Será realizada uma aula de duas horas por semana, durante um ano.
Sinopse / resumo / comentário: Proporcionar através do canto, integração social de funcionários e da comunidade, disciplina criatividade, concentração e combate ao stress,
• Proporcionar momentos de Diversão e Alegria
• Preparar o grupo para apresentações Internas e Externas divulgando assim o nome da Empresa
• Programa do Curso Aplicação de Exercícios Rítmicos, Respiratórios, Músicas Ecléticas Técnica de
Canto e Relaxamento
• Empostação de voz e expressão corporal
• Desenvolvimento da Percepção Rítmica e Melódica
Outros detalhes do projeto:
Etapa 1 :1- Contratação do Coordenador Geral, do Coordenador do Projeto (Maestro), Produtores,
Pianista e dos Instrutores.
2- Confecção do material promocional do Projeto.
3- Divulgação do Projeto junto a comunidade e aos funcionários da Empresa patrocinadora.
4- Realização das inscrições.
Etapa 2 – 1- Aulas.
2- Ensaios
Etapa 3 - 1- Apresentações e ensaios do Coral.
Etapa 4 - 1- Gravação do CD.
2- Avaliação dos resultados
Tipo de incentivo: Lei Rouanet
Produção/Produtora/Razão social: Tié Sangue Promoção Produção

O LIBELO

Nº 59


Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: O libelo
Autor / adaptação: Flávio Guedes
Direção / coordenação: Flávio Guedes
Local do projeto / nome do local: teatro / 102 Apresentações por cidades dentro do estado de São Paulo e Rio de Janeiro.
Região do projeto / município / estado: Cidade do estado de São Paulo.
Valor do projeto: R$ 457.543,52 (quatrocentos e cinqüenta e sete mil, quinhentos e quarenta e três reais e cinqüenta e dois centavos).
Ficha técnica e artística dos envolvidos: Anselmo Carneiro Almeida Vasconcelos (Rio de Janeiro, 1 de dezembro de 1953) é um ator brasileiro de cinema, teatro e televisão.
Já participou em mais de cinqüenta filmes, entre os quais se destacam: Se segura, malandro!, de 1978 e Bar Esperança, o último que fecha, de 1983, A república dos assassinos, de 1979, entre outros. atua no humorístico "Zorra Total", na Rede Globo.
Na televisão, participou de telenovelas e minisséries, no humorístico Bronco, exibido pela Band, e atualmente Suzana Ferreira Alves (São Paulo, 3 de agosto de 1978) é atriz, cantora, dançarina e modelo brasileira. Estudou canto, música e teatro com o Grupo Tapa e o Centro de Pesquisa Teatral, de Antunes Filho. Desde 2007, é integrante do Centro de Pesquisa em Experimentação Cênica do Ator (CEPECA-USP), onde desenvolve projeto de mestrado. Participou da série Mandrake, na HBO. No teatro, participou de montagens como A Babá (com direção de Bibi Ferreira e texto de Juca de Oliveira) e A Bela e a Fera (direção de Tatiana Dantas). No cinema, trabalhou nos filmes: O Cheiro do Ralo, Boleiros 2, Falsa Loura e Pólvora Negra. Hoje, divide seu tempo entre os ensaios para novos projetos teatrais e a sua primeira paixão, a dança. Ela dá aulas de danças para crianças carentes, da ONG Projeto Nazareth.
Flávio dos Santos (São Paulo, 18 de julho de 1976) é ator brasileiro de teatro, cinema e televisão. Além de exercer as funções de ator também se dedica como produtor , diretor teatral e televisivo.
Seguem alguns de seus últimos trabalhos: No cinema participou da produção, co-direção e atuou como ator dos filmes Meio Fio e O Ultimo Dia.
Na televisão participou de telenovelas e minisséries, como Revelação do SBT e programa Tribunal na TV pela BAND; no teatro possui sete peças escritas e quatro apresentadas além de vários documentários , atualmente atua como diretor de arte na DMC TV e Cia das Máscaras de SP.
Silmara Túrmina Maronezi ( Francisco Beltrão - Paraná, 29 de junho de 1974) É atriz brasileira de teatro, cinema e televisão, graduada UNIOESTE/PR, Pós-Graduada – UNICENTRO/PR e Stúdio Fátima Toledo/SP.
Participou de vários filmes no cinema e publicidade como: Cueca ao Avesso - Belê filmes e Cavídeo/ RJ, Estamos Juntos, Sem fôlego – Academia Internacional de Cinema/SP, Cabeça de Porco, Meio Fio e outros. Na Tv atuou em revelação do SBT, participação especial no clip do cantor Marcelo D2 e apresentou o programa Classe A pela emissora BAND de Tocantins. No teatro: - “ Coração de uma Estrela” – O MUSICAL, GRITO! – Da Obra de Plínio Marcos, EPISÓDIOS DE TANGO dirigido pela própria.
Explicação do projeto: O Libelo relata e dramatiza de forma sutil, cômica e poética o mais trágico erro judiciário da História do Brasil, ao contar o drama pessoal de Manoel da Motta Coqueiro, um homem inocente cuja condenação à morte acabou com a pena de morte no Brasil. Pouco tempo depois do enforcamento descobriu-se que o fazendeiro tinha sido a inocente vítima de um terrível erro judiciário. Abalado, o imperador Pedro II, um humanista em formação, começa a responder favoravelmente a todas as petições de graça que lhe são encaminhadas, primeiro apenas aos homens livres, depois aos alforriados e, por último, aos escravos.
Parceiros: Deus Ex Machina Cinema Group
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP
Produção / Produtora/ Razão social: Flávio Guedes

DUAS FACES E UM CONTEXTO

Nº 60


Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: Duas Faces e um Contexto
Autor / adaptação: Flávio Guedes
Direção / coordenação: Flávio Guedes
Local do projeto / nome do local: teatro 102 Apresentações por cidades dentro do estado de São Paulo.
Região do projeto / município / estado: Cidade do estado de São Paulo.
Valor do projeto: R$ 1.011.193,40 (hum milhão onze mil, cento e noventa e três reais e quarenta centavos).
Ficha técnica e artística dos envolvidos: Diretor e ator elenco principal- Flavio Guede; Atriz elenco principal - Stella Menegucci, : Ana Paula Accorsi, Ator elenco principal - Walter Coletti- Produtor executivo representante legal: Wagner Augusto Dalboni Realizando produção e captação de imagem do longa metragem (Poderoso Arco Iris) - Administradora e Produtora: Izabel dos Santos Silva Produção e administração financeira; Figurinista e camareiro: Rodrigo Borges; Marcelo Pardi Iluminador e montagem; Assistente de palco e elenco coadjuvante estagiário: Mauro Satto
Explicação do projeto: Formação de platéia através de 105 apresentações do espetáculo Duas faces e um contexto por 20 cidades Brasileiras.
Objetivos: Promover a formação de platéia, Difundir o teatro e poesia por vários estados e cidades Brasileiras a preço popular ou gratuito quando o espetáculo for patrocinado e fazer 105 apresentações do espetáculo Duas faces e um Contexto em 20 cidades do Brasil.
Justificativa: Patrocinar um espetáculo de tal proporção somente trará benefícios para nosso parceiro, que será bem visto e lembrado como um investidor inteligente e de bom gosto. Além de se tratar de uma peça que propõe a reflexão e muito bem elaborada não podemos deixar de citar a dinâmica que o assunto nos leva a interagir com o público.
Dentro de nosso cenário cultural de hoje, principalmente quando se trata de cidades fora das grandes capitais, encontramos muita cultura de raiz e que deixam de freqüentar o teatro com sua família, devido algumas projeções equivocadas sobre as questões sexuais, relacionamentos, vocabulários e etc. Com a peça duas Faces e um contexto toda a família pode se divertir e absorver os contextos: Amor, traições, desejos, sentimentos, homossexualidade, com muito humor e ao mesmo tempo com respeito e cultura.
A peça resgata os anos 70 e chega aos dias de hoje em dois atos muito importantes e totalmente difundidos um do outro a divisão de tempo é notória.
Acessibilidade: O espetáculo somente será apresentado em teatros que possuam rampas de acesso e assentos específicos para terceira idade e deficientes físicos. Além ingressos destinados a alunos da rede pública de ensino, comunidades, especificas como, por exemplo: ONGS que cuidam de terceira idade, cadeirantes e etc. Anuncio nas rádios locais com sorteio de ingressos antecipados
Democratização de acesso: A principal meta da cia é apresentar os espetáculos gratuitamente mas caso não consigamos esta possibilidade, o acesso aos espetáculos não ultrapassarão o valor popular de R$ 20,00 (vinte reais), promovendo a formação de platéia e o acesso popular. Além de apresentações especificas na qual forem patrocinadas. Os ingressos serão gratuitos, já se tratando de democratização. Disponibilizaremos lugares específicos para escolas públicas, espaços para deficientes físicos e terceira idade. O maior intuito da Cia é promover a formação de platéia a partir de apresentações especiais e gratuitas para pessoas que não possuam condição financeira em adquirir ingressos.
Sinopse / resumo / comentário:
“Duas faces e um contexto”
São Paulo, 2011: O ser humano! Atarefado, estressado, muito ocupado...
Palavras cada vez mais significativas em nosso cotidiano.
Tempo! Algo muito complexo e cada vez mais escasso.
O ser humano vítima de suas próprias conquistas e anseios; muitos acabam se esquecendo de uma palavra significativa na vida de todos “sentimento”.
Uma flor. Suas formas perfeitas, Seu semelhante, a face, O sorriso mais lindo, puro, meigo,
Simples em seus trajes,
Encantado ficou! Diferenças! Todos os seres humanos e suas diferenças.
Tipo de incentivo: Lei Rouanet


DOPS 51

Nº 61


Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: DOPS 51
Autor / adaptação: Flávio Guedes
Direção / coordenação: Flávio Guedes
Local do projeto / nome do local: cinemas - Filme média metragem de 70 minutos para cinema, locadora, emissoras de TV públicas e acervo nas bibliotecas nacionais do pais e Europa.
Região do projeto / município / estado: Cidades do estado de São Paulo.
Valor do projeto: R$ 352.896,00 (trezentos e cinqüenta e dois mil, oitocentos e noventa e seis reais).
Ficha técnica e artística dos envolvidos: Flávio Guedes iniciou sua carreira profissional em 1992, na área artística como ator, dramaturgo, diretor de teatro, televisão e cinema. Atualmente escreve, atua e dirige teatro e programas televisivos. Fundou a Cia das Máscaras de SP em 2006. No teatro considera dois principais textos de sete obras já realizadas: Os contos e cantos dos Desencantos e Duas Faces e um Contexto - roteirizados exclusivamente para teatro.
Paralelamente dedica-se a projetos voltados para os curtas e médias metragens, escrevendo roteiros e documentários: SÃO PAULO TOTAL, apoiado pelo comitê em comemoração aos 450 anos de São Paulo; A CURA, documentário que retrata o preconceito e as dificuldades com os familiares de um paciente soro positivo e, UM DIA DE POESIA, que retrata a visão de um artista sobre os olhares do cotidiano paulistano. Atualmente esta captando recurso para o média metragem.
Sinopse / resumo / comentário: Sinopse DOPS 51; Filme média metragem 70 minutos 1976 - Um ano decisivo na vida de Alonso - imigrante italiano, pai de família e alfaiate. O filme se passa num período repleto de fatos históricos que envolvem o Brasil e sua principal cidade, São Paulo. A industrialização e a busca pelo desenvolvimento estão a todo vapor apesar das intervenções da ditadura militar nas questões culturais e sociais. A miscigenação de raças tem especial atenção, focando principalmente a região do Bairro da Luz formada por nordestinos, coreanos, judeus, japoneses e italianos como é o caso de Alonso, originando contrastes culturais, sociais e históricos. Alonso é um homem vivendo contradições entre o amor da família e a obrigação política, socialista e individual, uma vez que possui um passado a preservar.
Síntese do Projeto: Filme de média metragem com 70 minutos, resultando em DVD para distribuição e comercialização.
Objetivos: Formação de platéia através do filme DOPS 51, que é o resultado de uma adaptação do roteiro original intitulado, Na Rota da Luz. Este filme de média metragem de 70 minutos tem por objetivo além da formação o resgate histórico dos anos 70 que possui uma variedade de eventos migratórios envolvendo política e miscigenação.
Justificativa: O projeto DOPS 51, desenvolve uma abordagem histórica, imigratória, política e social valorizando a cultura social e política de nossos pais.
Historicamente: O resgate dos anos 70, desde a arquitetura preservada da região, os costumes, os locais mais populares da época, uma fase muito importante e marcada pela ditadura militar. O DOPS - Departamento de Ordem e Política Social tem uma fatia decisiva neste processo, utilizando da força e discriminação para justificar a barbárie. Por outro lado, foi a época onde os partidos se uniram, sociedades se criaram, e pessoas que lutavam pelo direito civil hoje são lembradas como heróis da democracia.
Acessibilidade: Uma medida importante e que hoje começou a despertar a iniciativa dos profissionais da área é a narração das cenas para pessoas com deficiência visual, esta narração será adicionada em exibições especiais e pré-agendadas, além de conter nos DVDs que se destinarão para locadoras e comercio. O filme somente será exibido em locais que possuam rampa e acesso livre para deficientes e idosos. Será feito livro com a estória do filme e relato dos bastidores em braile que será comercializado separado para deficientes auditivos e visuais. Duas exibições gratuitas para deficientes visuais com narração, uma exibição gratuita para alunos de cinema com dinâmica após a exibição,
Parceiros: Deus Ex Machina Cinema Group
Tipo de incentivo: Lei Rouanet


QUANDO

Nº 62


Segmento do projeto: audiovisual
Gênero: cinema
Título do projeto: QUANDO
Autor / adaptação: Flávio Guedes
Direção / coordenação: Flávio Guedes
Local do projeto / nome do local: cinemas, TVs Públicas e mostras internacionais de cinema
Região do projeto / município / estado: Brasil e países da América Latina
Valor do projeto: R$102.590,10 (cento e dois mil reais, quinhentos e noventa reais e dez centavos)
Ficha técnica e artística dos envolvidos: em montagem
Explicação do projeto: Integrar jovens, adultos, pessoas com deficiências especiais na arte de contemplação e reflexão da sétima arte através da realização do filme de curta metragem Quando. Dedicaremos um item especial para essas pessoas portadoras de deficiência visual no menu do DVD, descrito como narração: Através de locução as cenas e o cenário será narrado de forma especial para que os espectadores com deficiência visual possam interagir mais com o filme além da fala dos personagens.
A principal meta é distribuir e permitir o acesso ao público em geral a esta obra, através de mostras nacionais, internacionais, internet, videotecas, centros culturais e emissoras de TV públicas.
Inclusão social: A) Inclusão social através de jovens, adultos e pessoas de terceira idade que não possuem acesso ou condições de pagar cinema.
B) Permitir o acesso do produto deste trabalho para todos, livremente através da internet e principalmente oferecer aos deficientes visuais uma oportunidade de descobrir novos caminhos através do cinema com as locuções de cenas e posições de cam.
Inclusão artística: A) Promover a descoberta de novos talentos, na área de produção áudio visual.
B) Difundir o cinema Brasileiro e a democratização do cinema com baixo orçamento através das mídias disponíveis, a partir de um trabalho inédito e inovador.
C) Promover a acessibilidade e a reflexão.
D) Participar e exibir o trabalho Brasileiro para todos os países da America latina e Europa.
Resultado deste processo: A) Site com Making off, processo de realização, debates abertos ao publico, criticas, e inclusão d e novos projetos.
B) O curta metragem estará disponível à mídia espontânea, através da internet, emissoras públicas federais, festivais e mostras nos três principais idiomas, português, espanhol e inglês.
C) Realização de 01 filme curta metragem com duração de 15 minutos.
Justificativa do diretor - Filme: Quando é um filme intrigante que mostra as dificuldades emocionais de seus personagens em encarar o fracasso e as situações do cotidiano. Mostra explicitamente como a frustração na vida profissional pode atrapalhar a relação entre um casal. A oportunidade de reflexão que ele apresenta ao espectador em perceber a omissão do diálogo e a dificuldade que alguns podem ter na separação da vida profissional e amorosa.
De forma inteligente e do ponto de vista estético, Quando ressalta cenicamente as imagens que valorizam a diversidade, o contexto arquitetônico, a vida diurna, noturna e cultural desta grande metrópole que vivemos São Paulo à partir de uma visão cênica e fotográfica diferente e continuada.
Acessibilidade: Procurando revolucionar e ao mesmo tempo permitir aos portadores de deficiência visual nos DVD´s criaremos de forma inédita a opção narração: Na opção narração o portador de deficiência visual poderá escutar a narração das cenas do filme através de uma gravação especial com descrição das cenas e movimentação de câmeras.
Democratização de acesso: Serão disponibilizadas 01 cópia para as principais videoteca do país e internacional como para os países de Portugal, Espanha, Uruguai e argentina.
As emissoras públicas de televisão como TV CULTURA terão o direito de exibir o filme pelo período de 1 ano sem custos. Os Filmes estarão disponíveis nas principais mostras de cinema internacional e nacional.
Sinopse: Filme: Quando Roberto e Diana são dois artistas apaixonados que vivenciam na pele a dificuldade do dia a dia em suas carreiras profissionais. Roberto tenta disfarçar sua frustração constante como ator e, para piorar, começa a ter uma crise de ciúmes. A omissão e a falta de diálogo por parte de Diana e Roberto ocasionam vários conflitos sentimentais e sociais. Até quando o que você imagina é real?
Tipo de incentivo: Lei Rouanet
Produção/Produtora/Razão social: Deus ex Machina Cinema Group parceiro na produção do filme.


GIGANTE EGOÍSTA

Nº 63


Segmento do projeto: audiovisual
Gênero: cinema
Título do projeto: Gigante Egoísta
Autor / adaptação: Oscar Wilde/Conrado Krainer
Direção / coordenação: Conrado Krainer
Local do projeto / nome do local: em aberto
Região do projeto / município / estado: São Paulo-SP
Valor do projeto: R$ 267.941,00 (Duzentos e Sessenta e sete mil e novecentos e quarenta e um reais)
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico: (Igor Pushinov)
Ficha técnica dos principais envolvidos: Roteiro e Direção Conrado Krainer, Assistente de direção – Cleyton Carneiro, Direção de produção – Conrado Krainer, Assistente de Produção – Jorge Derosa, Produção Executica – Mauro Pucca, Direção de Arte – Arieli Marcondes, Direção de Fotografia – David Barkan
Explicação do projeto: O objetivo deste projeto é de trabalhar valores como solidariedade, afeto e amor com o público infantil e adulto.
O filme Gigante Egoísta tem o objetivo de trabalhar estes valores com as crianças e com os adultos ao apresentar um gigante que não se comove com o pedido das crianças que brincam em torno do seu jardim e somente cede quando é comovido por uma criança que nunca tinha visto em brincar em seu jardim antes, mas essa criança o faz lembrar de si mesmo e desperta em seu coração amargo e enrijecido pelo tempo um novo amor pela vida e por tudo o que a cerca, ele volta a viver e volta a se dedicar e cuidar de seu jardim, algo que tinha abandonado há muito tempo atrás.
Depois deste momento único em sua vida o gigante passa a se dedicar e a cuidar e brincar junto com as criancas que cercam seu jardim. Ele muda completamente seu comportamento, mas nunca mais vê aquela criança responsável por mudar sua atitude.
A criança que o gigante tinha perdido contato era ele mesmo e foi essa criança que ele reencontrou depois de morrer, e essa criança o leva para brincar em seu jardim no céu.
O gigante é comovido pela sua criança interna que ressurge para reanimar a sua vida congelada e morta e diante deste elemento temos o objetivo de reavaliar os valores da vida moderna na cidade.
O filme gigante egoísta tem a intenção de apresentar estes valores e pensar sobre eles diante de uma sociedade que pensa e age rápido demais e por conta desta velocidade deixa de lado estes valores humanitários que precisam ser relembrados, a intenção é de provocar o espectador a refletir sobre sua própria vida e sua postura diante dela.
Sinopse / resumo / comentário: O filme retrata a regeneração de um homem amargurado e corrompido que através da ingenuidade e amor das crianças que brincam em seu jardim muda completamente de vida.
Tipo de incentivo: Lei Rouanet


OS ÍNDIOS, A REDE E O BRASIL

Nº 64


Segmento do projeto: audiovisual
Gênero: cinema
Título do projeto: Os índios, a rede e o Brasil
Autor / adaptação: Renato Tapajós
Direção / coordenação: Renato Tapajós
Local do projeto / nome do local: cinemas, TV, DVD, mídias eletrônicas.
Região do projeto / município / estado: Sede da produção: Campinas; filmagens em Minas Gerais (BH e terra do povo Krenak); Bahia, Pernambuco, Acre (Boa Vista e Reserva Raposa Serra do Sol); Aldeia Xavante (Xingu)
Valor do projeto: Valor a ser captado: R$ 492.152,44 (Quatrocentos e noventa e dois mil, cento e cinqüenta e dois reais, quarenta e quatro centavos)
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico: (Documentário centrado em lideranças indígenas)
Ficha técnica dos principais envolvidos: Renato Tapajós: Nome completo: Renato Carvalho Tapajós; Nascido em Belém do Pará, em 5 de novembro de 1943; Formação em Ciências Sociais, pela FFCL da USP, 1968.
Documentos: - RG nº 4.042.130 - (SSP SP), CPF nº 758.841.518 – 53, Registrado no Ministério do Trabalho em 1980, sob o nº 683, como cineasta, nas funções de Diretor Cinematográfico e Roteirista Cinematográfico. Cineasta, dirigiu 30 filmes (película, 16 e 35 mm) de curta, média e longa metragem e mais de 200 vídeos, entre produções culturais, vídeos de treinamento, didáticos, de apoio didático e institucionais.
Principais filmes: “Linha de Montagem”, “Em Nome da Segurança Nacional”, “Nada Será Como Antes. Nada?”, “No Olho do Furacão”, “O Rosto no Espelho”.
Premiado em festivais internacionais (Leipzig, Oberhausen e Havana) e nacionais (Jornadas de cinema e vídeo de Salvador). Escritor, lançou em 1977 o romance Em Câmara Lenta, pela editora Alfa Omega. Foi o primeiro romance publicado a respeito da luta armada no Brasil durante a ditadura militar.
Publicou também, pela editora Ática, títulos voltados para o segmento infanto-juvenil: Carapintada, A Infância Acabou, Queda Livre, Por um Pedaço de Terra e Rádio Muda.
Explicação do projeto: OS ÍNDIOS, A REDE E O BRASIL, pretendem investigar a população indígena no Brasil, sob a ótica de sua identidade e estratégias de co-existência com os “não índios”. O índio vitimado, que marcou a quase totalidade da história nacional, vive hoje um processo de ressurgimento, de afirmação da sua identidade, de conquista de espaço e respeito.
A população indígena que diminuía continuamente desde a descoberta do Brasil passou a crescer; aldeias que haviam praticamente desaparecido, diluídas nas periferias das cidades ou desalojadas de suas terras, voltam a se recompor, buscando sua terra original e suas tradições; a auto-estima dos grupos indígenas, por séculos diminuída por comparações desfavoráveis aos brancos, volta a se afirmar; lideranças nacionais reconhecidas têm sua voz ouvida com respeito, no país. Em alguns lugares, lideranças indígenas falam em reeducar os “não índios”, em ensiná-los a conviver com a floresta de forma saudável.
Sinopse / resumo / comentário: Num primeiro momento, o mais importante foi a retomada da identidade e a demarcação das terras indígenas: escolas onde as crianças pudessem aprender sua língua, ao lado do português; resgate de línguas quase esquecidas, de mitos quase perdidos, de rituais quase banidos. Depois veio a telefonia celular, a televisão e a internet. Muitos povos passaram a se interconectar através de redes, como os Índios Online ou a Rede Povos da Floresta. E isso está acelerando exponencialmente o processo de mudança entre os índios.
Outros detalhes do projeto: O futuro, então, se abre: é possível existir como índio em pleno século 21, sem virar objeto de exibição exótica em “zoológicos” culturais? É possível apropriar-se da tecnologia dos brancos para defender os interesses dos índios? É possível projetar uma nova forma de convivência com a ”civilização” antes esmagadora?
São brasileiros, mas pertencem a uma nação indígena; têm a sua forma de relacionamento político, que nem sempre corresponde aos modelos ditos “democráticos” pelos brancos. E tem uma relação com a terra que é, sem dúvida, econômica – mas que, muito mais que isso, é simbólica, cultural, ideológica.
Desses novos choques e novos impasses é que sairá – ou não – um modelo de convivência entre as comunidades indígenas e a ”civilização” branca. Preferimos acreditar que caminhamos para um mundo, para um país, multicultural, onde as diferenças consigam conviver.
Parceiros: Laboratório Cisco.
Tipo de incentivo: Lei do Audiovisual (Artigo 1A da lei 8.685/93)


FESTIVAL ART DÉCO DE CINEMA 2012

Nº 65


Segmento do projeto: audiovisual
Gênero: Festival
Título do projeto: Festival Art Déco de Cinema 2012
Autor / adaptação: Daniel Torres,Kelly Lima e Roberto Christo
Direção / coordenação: Daniel Torres, Kelly Lima, Roberto Christo e Paulo Oliveira
Local do projeto / nome do local: cinemas, ONG Ação Educativa e Centro Cineclubista de SP
Região do projeto / município / estado: São Paulo/SP
Valor do projeto: R$ 257.283,00 (duzentos e cinqüenta e sete mil, duzentos e oitenta e três reias)
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico: Jurados e convidados: Fabio Assunção, Norival Rizzo, Pascoal da Conceição, Michael Rhuman, Thogun, Marcelo Galvão e Felipe Folgosi, entre outros.
Ficha técnica dos principais envolvidos:
Daniel Torres, ator de cinema e teatro,produtor e diretor. Últimos trabalhos no cinema:Os Colegas,Dois Coelhos e VIPs, está em processo de espetáculo para 2012.
Kelly Lima, jornalista,palhaça(formada pelo grupo Doutores da Alegria) e atriz, últimos trabalhos no cinema Banho e Encontros e Despedidas, atualmente na ONG de palhaços Hospitalegre em Guarulhos e diretora cultural.
Roberto Christo, formado em cinema em Nova York, fez diversos cursos complementares em São Paulo e Belo Horizonte, diretor do premiado Doc “O Íntimo” exibido em vários festivais e mostras no Brasil e exterior.
Explicação do projeto: Consolidar o evento como meio para difusão e premiação da produção audiovisual de ficção e documental no formato de curta metragem com ênfase para obra não beneficiadas por verbas de leis de incentivos ou editais públicos.
Exibir trabalhos de cineastas nacionais e internacionais pouco divulgados e contribuir para a formação e ampliação de platéia.
Sinopse / resumo / comentário: Promover encontros, debates, intercâmbio entre produtores, atores e espectadores,criando um ambiente propício ao entrosamento cultural e novas parcerias.
Outros detalhes do projeto: Em 2012 acontecerá sua 4ª edição e tem em seu acervo mais de 400 filmes de 20 países.
Parceiros: ONG Ação Educativa, FNAC e Centro Cineclubista de SP
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

O GRANDE VIÚVO - TEATRO CEGO

Nº 66


Segmento do projeto: Artes Cênicas
Gênero: Teatro
Título do projeto: O Grande Viúvo – Teatro Cego
Autor / adaptação: Peça baseada num conto de Nelson Rodrigues – Adaptação de Luiz Mel e Paulo Palado
Direção / coordenação: Paulo Palado e Luiz Mel
Local do projeto / nome do local: teatro
Região do projeto / município / estado: São Paulo / SP
Valor do projeto: R$ 335.449,89 - (Trezentos e trinta e cinco mil, quatrocentos e quarenta e nove reais e oitenta e nove centavos) indique valor numérico e por escrito
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico: Obs.: a seleção e contratação do elenco será realizada após a captação de patrocínio, tendo o mínimo de 35% do valor total do projeto captado.
Ficha técnica dos principais envolvidos:
Explicação do projeto: O Projeto consiste na produção de uma temporada teatral baseada no conto “O Grande Viúvo” de Nelson Rodrigues, apresentada de forma inédita no Brasil: todo o desenvolvimento da trama acontece em um local completamente escuro, fazendo com que os espectadores, sem poderem contar com a visão, tenham que se valer de todos os seus outros sentidos (olfato, tato, paladar e audição) para compreenderem o conteúdo da peça.
Sinopse / resumo / comentário: A peça é baseada no conto “O Grande Viúvo” extraído do livro “A Vida como ela é”, de Nelson Rodrigues, e conta a história de um viúvo que, após ter perdido sua amada esposa, comunica à família que também quer morrer e ser enterrado junto à falecida. Porém, não antes de construir um mausoléu, onde os dois corpos, o dele e o da esposa, deverão repousar lado a lado. A família, inconformada, tenta a todo custo convencê-lo a desistir do suicídio, mas tem apenas o tempo da construção do mausoléu para fazê-lo. Enfim, encontra uma forma inescrupulosa, baseada em calúnias sobre a falecida, de evitar a tragédia. Mas o resultado disso tudo acaba sendo totalmente inesperado para todos.
Outros detalhes do projeto: A proposta é criar um ambiente inédito no teatro brasileiro, abrindo um novo campo de trabalho para atores, produtores, técnicos, inclusive priorizando o trabalho de deficientes visuais que atuam ou tenham intenção de atuar nessa área.
Tipo de incentivo: Proac- ICMS/SP
Obs.: este projeto também está aprovado na Lei Rouanet com o valor de R$495.451,38 (Quatrocentos e noventa e cinco mil, quatrocentos e cinqüenta e um reais e trinta e oito centavos)

 

 


DOM CASMURRO

Nº 67


Segmento do projeto: Teatro
Gênero: Drama
Título da peça / projeto: Dom Casmurro
Autor: Machado de Assis
Adaptação: Ivan Vilabella e Paulo de Jesus
Direção / coordenação: Ivan Vilabella e Paulo de Jesus
Teatro / Local do projeto: São Paulo e interior SP
Valor do projeto: R$350.000,00 (trezentos e cinqüenta mil reais)
Ficha técnica dos principais envolvidos: DOM CASMURRO - DA OBRA DE MACHADO DE ASSIS;
ADAPTAÇÃO: Ivan Vilabella; ELENCO: Carla Ribeiro, Paulo de Jesus, Perla Frenda, Washington Lins, Luana Gonçalves, Diego Mejía Neves, Musicas: Gustavo Ferreira, Figurinos: Carla Ribeiro, Cenografia: João Prata, Direção: Paulo de Jesus, Ivan Vilabella,
PRODUÇÃO: Cia. Condoreira de Teatro
Explicação do projeto: Adaptação e montagem teatral de uma das obras mais importantes da literatura brasileira, destinado a um publico juvenil/adulto, com o intuito de auxiliar no entendimento da obra, incentivo a leitura e formação de publico para o teatro.
As apresentações serão na cidade de São Paulo e interior de São Paulo.
SINOPSE: Dom Casmurro ou Bentinho. Chamado de Dom Casmurro por um rapaz de seu bairro, decide atar às duas pontas de sua vida. A partir daí, inicia a contar sua história. Morando em Matacavalos com sua mãe Dona Glória, viúva, José Dias o agregado, e prima Justina (viúva), Bentinho possuía uma vizinha que conviveu como "irmã-namorada" dele, Capitolina - a Capitu. Seu projeto de vida era claro mas sua mãe havia feito uma promessa, em que Bentinho iria para um seminário e tornar-se-ia um padre. José Dias, que sempre foi contra ao namoro dos dois, é quem consegue retirar Bentinho do seminário, convencendo Dona Glória que o jovem deveria ir estudar no exterior. Bentinho volta depois de um tempo e casa-se com Capitu e depois de muitos percalços nasce o filho de Capitu, Ezequiel. Escobar, o amigo íntimo falece e durante o seu velório Bentinho percebe que Capitu não chorava, mas aguçava um sentimento fortíssimo. A partir desse momento começa o drama de Bentinho. Ele percebe que o seu filho Ezequiel era a cara de Escobar e ele já havia encontrado, às vezes, Capitu e Escobar sozinhos em sua casa. E aquela famosa pergunta que é a trilogia do romance, não só entre os brasileiros, mas também como os estudiosos do livro de outros países: Teria sido Capitu culpada de adultério?
Tipo de incentivo: Lei Rouanet


SALADA DE FRUTAS

Nº 68


Segmento do projeto: audiovisual
Gênero: cinema
Título do projeto: Salada de Frutas
Autor / adaptação: Kelly Lima
Direção / coordenação: Daniel Torres e Kelly Lima
Local do projeto / nome do local: cinemas, ONG Ação Educativa e Centro Cineclubista de SP
Região do projeto / município / estado: São Paulo/SP
Valor do projeto: R$ 51.750,00 (cinqüenta e um mil, setecentos e cinqüenta reais)
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico: Fabio Assunção, Norival Rizzo, Thogun, Eliseu Paranhos, entre outros.
Ficha técnica dos principais envolvidos: Daniel Torres, ator de cinema e teatro,produtor e diretor.Ultimos trabalhos no cinema como ator: Os Colegas, Dois Coelhos e VIPs, está em processo de espetáculo para 2012, diretor em mais de 7 curtas e vídeo-arte. Kelly Lima, jornalista, roteirista,palhaça(formada pelo grupo Doutores da Alegria) e atriz, últimos trabalhos no cinema Banho e Encontros e Despedidas, atualmente na ONG de palhaços Hospitalegre em Guarulhos e diretora cultural do Cineclube.
Explicação do projeto: Com o objetivo de desenvolver um trabalho cinematográfico de alta qualidade,esse projeto foi desenvolvido levando em consideração a riqueza da literatura brasileira e o crescimento do cinema nacional.
Livremente inspirado no conto Pera,Uva ou Maçã? Do escritor Caio Fernando Abreu, o curta metragem Salada de Frutas será captado e finalizado em formato digital na cidade de São Paulo.
Sinopse / resumo / comentário: Uma mulher procura respostas para suas angústias.Um terapeuta entra em crise durante a sessão.
Outros detalhes do projeto: A realização de uma obra cinematográfica requer o mínimo de investimento capaz de suprir as necessidades de contratação de equipe técnica qualificada, equipamentos, locações e distribuição.
Parceiros: Dona Deola
Tipo de incentivo: Lei Rouanet


JAMBRASIL E CONVIDADOS

Nº 69

Segmento do projeto: artes integradas
Gênero: música
Título do projeto: JAMBRASIL & CONVIDADOS
Autor / adaptação: MORACI MARIANO
Direção / coordenação: MORACI MARIANO E PAULO VANZOLINI
Local do projeto / nome do local: praças
Região do projeto / município / estado: São Paulo - SP
Valor do projeto: R$ 380.600,00 (Trezentos e oitenta mil e seiscentos reais)
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico:
A iniciativa tem parceria e a proponência (no PRONAC) da OSCIP Ato Cidadão que tem por missão promover ações educativas e culturais com o propósito de estimular a cidadania, conscientizando que todos os indivíduos são agentes do processo de transformação social. A iniciativa também conta com a ONG Cidadão do Mundo que prevê durante as apresentações exibir ao público o curta “A Ciência do Bamba” vídeo documentário de 22 minutos que relata a vida do zoólogo de grande prestígio e compositor de sambas Paulo Vanzolini. O vídeo conta com depoimentos de pessoas da convivência do compositor, como Antonio Candido, Aziz Ab Saber, Drauzio Varella, Cristina Buarque, Eduardo Gudin entre outros. E também do documentário ''Filhos de João, Admirável Mundo Novo Baiano'' de Henrique Dantas. Também apoiam a Secretaria do Verde Meio Ambiente, a Secretaria do Direito da Pessoa c/ Deficiência, Programa Cultura Viva do MinC, o cartunista Paulo Caruso e a família de Paulo Vanzolini, entre outros
Ficha técnica dos principais envolvidos: O Produtor Cultural Moraci Mariano - executa montagens cenográficas para a SPFW de Daniela Thomas e Felipe Hirsch e a SPFW 15 Anos de Rogério Hideki, onde são usadas cerca de 40 mil caixas de papelão, realizadas no pavilhão da Bienal. Curador da exposição JAPÃO BRASIL PARADE aprovada por unanimidade pela Comissão de Proteção da Paisagem Urbana - CPPU (Lei Cidade Limpa) e pelo COMPRESP. Criou o espaço cultural Olinda Prudência Arte, Cultura e o Coletivo Cultural Cambuci realizando ações culturais de responsabilidade social, cidadania, melhoria do meio ambiente, geração de emprego e renda. A iniciativa recebeu do Ministério da Cultura e do CENPEC o “Selo Cultura Viva”. Em 2004, através da Lei de Fomento ao Teatro da cidade de São Paulo, realizou o livro, CD e espetáculo, comemorativo de dez anos do Grupo Farandola Troupe obtendo patrocínios, com destaque a AES Eletropaulo. Em 2006 o projeto recebeu o prêmio Betinho e Milton Santos. 2) Também fazem parte o musico e produtor Luam Morais (filho de Bola Morais - Percurssor dos Novos Baianos) em 2010 recebeu o Certificado da Ordem do Mérito Cultural da Secretaria de Cultura do Estado com o projeto "Aos Nossos Pais" ; 3)o tesoureiro da OSCIP Ato Cidadão Jarbas Galhardo; 4) a Produtora/documentarista Livia Manini, 5) o documentarista /assistente social Edson Cabral; 6)o maestro/arranjador Italo Peron, 7) o produtor e guitarrista Peu Souza; 8)e o cartunista Paulo Caruso que ilustra c/ talento algumas peças gráficas; entre outros.
Explicação do projeto: A iniciativa cultural AOS NOSSO MESTRES (PRONAC “JAMBRASIL & CONVIDADOS”) surge da proposta de promover o encontro de grandes músicos de diversas expressões da nossa MPB, tendo-se por destaque prestar homenagem e reconhecimento a algumas figuras importantíssimas de nossa cultura, como o compositor Paulo Vanzolini, autor de “Ronda”, “Volta Por Cima” e inúmeras outras pérolas, e o grupo NOVOS BAIANOS que teve seu disco “Acabou Chorare” considerado pela revista Rolling Stone como sendo o melhor disco brasileiro de todos os tempos. O título da turnê proposta é: “AOS NOSSOS MESTRES” que contará com dois grupos base: O grupo JAMBRASIL e o grupo QUEBRA-CABEÇA, acompanhados de artistas como: Paulo Vanzolini, Ana Bernardo, Eduardo Gudin, Baby do Brasil, Bocato, Dinho Nascimento (Orquestra de Berimbau), Luiz Carlini entre outros. O grupo JAMBRASIL tem como esteio literalmente o significado de seu nome, desde o início o grupo prima por se apresentar acompanhado de artistas tidos como mestres do grupo. Paulo Vanzolini é um desses mestres que se apresentou com o grupo JAMBRASL inúmeras vezes, e em suas próprias palavras: “o JAM é outra forma de samba, é outra forma verdadeira de se fazer música”. O grupo QUEBRA-CABEÇA tem em seus componentes alguns dos filhos de integrantes do grupo Novos Baianos e no ano de 2010 lançou o seu primeiro Cd autoral acompanhados de sua madrinha Baby do Brasil, do letrista dos Novos Baianos Luiz Galvão e do cantor e compositor Luiz Melodia.
Sinopse / resumo / comentário: O projeto "AOS NOSSOS MESTRES” se trata de uma turnê musical em homenagem a dois grandes expoentes artístico-musicais de nossa cultura: Paulo Vanzolini e Novos Baianos. A turnê contará com vários artistas de expressão no cenário musical do Brasil. A perspectiva deste projeto é ao mesmo tempo trazer novos ares pra música brasileira (com as obras autorais destes dois grupos) e também deixar ainda mais viva a imortal e tão importante caminhada destas duas expressões homenageadas por esta iniciativa e, aos poucos tentar despertar nos espectadores a estarem atentos às novas expressões, mas não se esquecerem, e mais que isso, respeitarem e darem valor a quem merece. As pretensões deste projeto não visam, como num supletivo, a formação rápida e imediata de um favorecido, e sim, rápida e imediatamente trazer para o mundo artístico-musical brasileiro, novas expressões, mas também deixando sempre vivas as expressões que contribuíram e deram cores para nossa diversificada aquarela musical.
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

ARTE NO METRÔ SAÚDE

Nº 70


Segmento do projeto: Artes Plásticas
Gênero: exposição
Título do projeto: Arte no Metrô Saúde
Autor / adaptação: Ferrão (Arte Contemporânea
Direção / coordenação: Renato Modesto
Local do projeto / nome do local: Estação de Metrô Saúde (escultura permanente)
Região do projeto / município / estado: Zona Sul (Vila Mariana) / São Paulo – SP
Valor do projeto: R$ 367.987,30 (trezentos e sessenta e sete mil novecentos e oitenta e sete reais e trinta centavos)

Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico:
Artista Plástico: Ferrão (Arte Contemporânea)
Ficha técnica dos principais envolvidos: Criação: Atelier Sarasa
Produção/Direção: Renato Modesto

Explicação do projeto: Dentro da estação de metrô Saúde, o artista plástico Ferrão instalará 80 esculturas fundidas em alumínio, medindo aproximadamente 70 cm x 30cm cada peça, que serão fixadas nas paredes e viga da escada de acesso à plataforma de embarque do metrô Saúde.
Cada escultura será suspensa por cabo de aço fixado por bucha de metal nas paredes da estação e na viga de concreto, dando alusão ao posicionamento do homem perante a sociedade contemporânea. As 80 peças terão diferentes dimensões, com peso entre 6 a 10 kg cada.
As esculturas serão fixadas nas duas paredes e duas vigas das duas escadas de acesso às plataformas de embarque, onde o fluxo de passageiro é maior.

Outros detalhes do projeto: O artista Ferrão vem desenvolvendo seu trabalho escultórico utilizando basicamente o metal, tendo como fator fundamental à reação da matéria sob o tempo trazendo um diálogo entre a vida e a morte.
A proposta apresentada utiliza as paredes e vigas superiores às escadas de acesso às duas plataformas de embarque da estação Saúde, trazendo uma nova leitura à apresentação de uma obra de arte junto às estações do METRÔ, devido ao fato de não utilizar suportes tradicionais, dando uma leitura contemporânea à obra instalada, leitura esta de maior aceitação do público jovem freqüente na estação, causando um maior questionamento em relação à mesma.
Estação Saúde é uma estação do metrô da cidade de São Paulo, parte da Linha 1 –Azul, localizada na Av. Jabaquara. Esta estação entrou em operação em setembro de 1974.
A estação de metrô Saúde recebe diariamente um público aproximado de 23.000 pessoas, composta na sua maioria por um público jovem que utiliza o metrô como meio de transporte para acesso às escolas, cursinhos e ou faculdades próximos à região.
Desta forma, o seu objetivo é mostrar a este público a possibilidade de criar, sem estabelecer regras impostas pela mídia ou sociedade, demonstrando que a imaginação do ser humano não deverá ser tolhida, mas ser respeitada em sua integridade.
Parceiros: Companhia do Metropolitano de São Paulo – METRÔ
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

MALANDRO BELEZA – REMINISCÊNCIAS CARIOCAS

Nº 71


Gênero: crônicas
Título: “Malandro Beleza – reminiscências cariocas”
Autor: Nilo Marques Braga
Local de lançamento: Rio de Janeiro e São Paulo - capitais
Local de distribuição: livrarias de todo o Brasil
Valor do projeto: R$ 97.306,00 (aprovado pela Lei Rouanet e Lei do ISMS – RJ)
Tipo de incentivo: Proac-RJ e Rouanet
Ficha técnica (currículo resumido): autor do livro
Nascido em 11 de agosto de 1931, morou até a adolescência na Rua General Pedra, paralela à Avenida Presidente Vargas, ao lado dos trilhos da Central do Brasil. Quando menino, o espaço que tinha para brincar era a Praça Onze. Percorria os seus quatro cantos, vendo tudo o que acontecia por ali: final dos desfiles dos Ranchos, desfiles das Grandes Sociedades, início dos desfiles das Escolas de samba, rodas de batuque e encontros para cantar Partido Alto. Durante a juventude, nas grandes cervejarias e nos movimentados cafés conheceu inúmeras personalidades boêmias. Nas gafieiras, a começar pela Banda Portugal, na Praça Onze, conheceu famosos bailarinos. Finalmente encontra os malandros, suas estórias e suas mulheres e a falsa e a verdadeira malandragem que eram, sem dúvida, uma escola de vida.
Torna-se jornalista, no final dos anos 50, iniciando carreira na grande escola que foi o jornal Diário Carioca. Exerce a profissão durante 45 anos, trabalhando em inúmeros jornais, revistas, agências de notícias e em assessorias de imprensa de empresas públicas. Aposentou-se no Ministério dos Transportes – DNER, onde editou a revista Rodovia durante cinco anos. No Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro – TCMRJ foi nomeado para o cargo em comissão de Secretário II – 2003 / 2004.
Ligado ao samba, nos anos 50 e 60, frequentou as reuniões da Associação das Escolas de Samba, na Rua Joaquim Palhares, que terminavam com a apresentação de compositores e músicos ligados às escolas. Em 1960 cria, com o advogado Antonio Barroso, o Grupo Raízes, que apresentava a velha e a nova guarda do samba e tinha entre os seus participantes/convidados: Candeia e Walter Rosa, da Portela; Aniceto de Menezes, Milton Copolino, D.Yvone Lara e Aluisio Machado, do Império Serrano; Cartola, Padeirinho, Darcy da Mangueira e Pelado, da Mangueira; Martinho da Vila, de Vila Isabel. O Grupo sobreviveu até o final de 1964, no Clube Orfeão Portugal, na Tijuca.
Torna-se jornalista, no final dos anos 50, iniciando carreira na grande escola que foi o jornal Diário Carioca. Exerce a profissão durante 45 anos, trabalhando em inúmeros jornais, revistas, agências de notícias e em assessorias de imprensa de empresas públicas, sendo a última no DNER, Ministério dos Transportes, onde durante cinco anos foi editor da revista Rodovia, e lá se aposentou.
No Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro – TCMRJ foi nomeado para o cargo em comissão de Secretário II – 2003 / 2004.
Atualmente escreve esporadicamente matérias para algumas revistas e jornais. Nos últimos 2 anos tem se dedicado a finalizar o livro em questão, que há cerca de um ano vem tentando editar, primeiramente inscrevendo o projeto nas leis de incentivo: Lei Rouanet (aprovado com publicação no D.O.U em 30/01/2012, com prazo de captação até 31/12/2012) e Lei do ICMS/RJ (aprovado com publicação no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro em 30/11/2011, com prazo de captação de 2 anos). Neste período foram feitos contatos com algumas editoras e enviadas partes do livro (sumário, cartas de apresentação, introdução e duas ou três crônicas) ou na íntegra quando solicitado. Estas últimas mostraram interesse em publicar o livro mediante patrocínio.

Temáticas: As crônicas registram os redutos boêmios e personagens tipicamente cariocas, dos anos 50 e 60, em bairros próximos ao Centro e alguns do Subúrbio. As estórias verdadeiras, vivenciadas pelo autor, envolvem comportamentos, valores, cordialidade, violência, problemas sociais, amor e sexo, jogo e prostituição entre outros temas.
Resumo do projeto:
Trata-se de um livro de crônicas que pretende resgatar a memória do Rio de Janeiro, especialmente dos seus redutos boêmios, nos anos 50 e 60, narrando estórias verídicas envolvendo tipos e situações testemunhadas pelo autor, sobretudo nos bairros próximos ao Centro da cidade.
São 30 crônicas, agrupadas em oito bairros: Estácio de Sá, Praça Onze, Catumbi, Zona do Mangue, Lapa, Mangueira, Vila Isabel, Tijuca, e finalizando, Subúrbio que inclui alguns bairros da região. Estes bairros constituem o principal cenário das estórias, que foram registrados pelo autor, durante sua intensa vivência nos botequins, dancings, gafieiras e clubes sociais onde se encontrava a verdadeira alma carioca da época.
O Estácio e o Catumbi eram redutos de sambistas e partideiros; o Catumbi destacou-se pelos desfiles de seus Ranchos e Blocos Carnavalescos; em Vila Isabel o samba e a boemia resistem até hoje; na Praça Onze, a casa de Tia Ciata, é considerada o berço do samba, assim como a Lapa foi o berço da boemia, que agora renasce; na comunidade da Mangueira o samba floresceu; no subúrbio se destacavam as grandes Escolas de Samba, os Clubes Sociais e as animadas gafieiras, verdadeiras escolas de dança, onde se encontravam grandes bailarinos. A crônica “Quando dançar significava apenas dançar...”, que inicia o livro, mostra o quanto e onde o carioca dançava naquela época, do subúrbio e Centro até as boates da Zona Sul.
O livro apresenta de modo especial a figura do Malandro, instituição genuinamente carioca, e cada vez mais improvável nos dias de hoje, pela banalização da violência, deterioração dos valores e pressão da luta pela sobrevivência. Não se trata do trambiqueiro, ao contrário, ele tinha seu código de ética. A qualidade fundamental do malandro de verdade é ser elegante. Não só no trajar, mas em todas as suas ações, até mesmo numa discussão, depois de fazer o impossível para evitá-la. E um de seus atributos, responsável por torná-lo um irresistível sedutor, era o fato de ser também um grande bailarino. O tipo, que chamei de “malandro beleza” e dá título ao livro, está representado por protagonistas de algumas crônicas.
Enfim, os vários “personagens”, seus hábitos e comportamentos, sua realidade social e cultural, compõem um painel revelador de uma época e de um modo de ser carioca, que vem se perdendo no tempo, mas não deveria ser esquecido.
Outros detalhes do projeto:
As crônicas estão agrupadas em nove bairros: Lapa, Praça Onze, Zona do Mangue, Estácio de Sá, Catumbi, Mangueira, Vila Isabel, Tijuca, e por último Subúrbio, que agrupa algumas crônicas relacionadas a esta região do Rio. As folhas de abertura, que trazem o nome de cada bairro - inclusive a folha de abertura da crônica que inicia o livro, que mostra o papel da dança e seus ambientes no lazer e na sociabilidade do carioca na época, com o título “Gafieiras, dancings e boates da cidade” -, terão ilustrações que podem referir-se a uma ou mais crônicas inseridas em cada bairro. Cada um dos dez desenhos deve expressar as características marcantes dos personagens, cenários e situações relatadas nas respectivas crônicas, e o conjunto dele comporá um painel de aspectos do Rio de Janeiro da época. Neste sentido, se optará por desenhos que tenham um estilo aproximado ao Naif que atendem muito bem ao objetivo.
Estimativa de público e perfil:
A boemia carioca e a figura do Bom Malandro (ou Malandro Beleza como eu o chamei no livro) é tema de interesse geral, até fora do Brasil. A distribuição do livro será nacional e estará pelo menos nas livrarias de todas as capitais, não sendo possível portanto fazer uma estimativa quantitativa da venda do livro. Para a primeira edição está prevista a impressão de 3 mil exemplares. É evidente que o livro tem um apelo especial para as pessoas que viveram o Rio da época – anos 50, 60 especialmente mas também anos 70. Por este motivo se fará um lançamento no Rio e em São Paulo, onde existe um forte reduto de samba. Como as gafieiras, dancings e também os bailes em clubes sociais são cenários de algumas crônicas, a proposta é que o lançamento do livro, ao menos no Rio, seja feito em uma gafieira, com o conjunto “Samba de Fato” tocando os grandes sambas, choros, boleros e outros ritmos tocados nos bailes da época.
Plano de mídia:
1 . Material de divulgação: a - convites impressos e eletrônicos. b - marcadores de livro (para serem distribuídos nas livrarias), além de um percentual de exemplares, a combinar, a serem entregues para a editora e o patrocinador. c – cartazes para o lançamento (inicialmente no Rio e em São Paulo).
d – release (texto de apresentação do livro, do autor e do patrocinador para todas as mídias dando todos os subsídios importantes para elaboração de matérias). Em todas as peças de divulgação terá em destaque o logotipo da empresa patrocinadora, no caso do livro a referência ao patrocínio e a respectiva marca sairão na capa.
2. Contratação de assessoria de imprensa especializada para se obter divulgação ampla e eficiente por meio das seguintes ações: a - envio de convite impresso, release, foto do livro para todas as mídias (jornais, revistas, TVs e rádios). b – contato direto com os editores e/ou redatores dos Cadernos de Cultura dos principais jornais e revistas do Rio e São Paulo e por e-mail ou telefone no caso de publicações de outros estados, para sugestão de reportagens, entrevistas, artigos e notas (estas para colunas e seções). c – contato com os responsáveis por programas de rádios e TVs voltados para a cultura, especialmente literatura. d – para os principais jornais e revistas, sobretudo do Rio e São Paulo, será enviado um exemplar do livro dirigido às respectivas editorias de cultura. e – envio de convites eletrônicos para os lançamentos do livro, com base na agenda pessoal do autor, além daqueles enviados para a mala direta da editora e da empresa patrocinadora, se ela assim desejar.
Cotas de Patrocínio: O patrocínio pode ser dividido em cotas, podendo ter um único patrocinador com 100% das cotas, ou mais de uma empresa apoiando o projeto – de preferência duas - com os seus percentuais previamente definidos. Como o projeto está aprovado em duas leis de incentivo (Rouanet e ICMS/RJ) existe a possibilidade de uma mesma empresa utilizar-se das duas formas de incentivo desde que o total a ser patrocinado não ultrapasse o valor aprovado nas duas leis que é o mesmo, ou seja
R$ 97. 306,00. Há ainda a possibilidade de duas empresas patrocinarem o projeto da mesma forma: cada uma utilizando de uma das leis de incentivo, sempre respeitando o total aprovado. No caso de ter mais de uma empresa patrocinadora, haverá a divisão do espaço de inserção da logomarca sob a palavra “Patrocínio” em todo o material gráfico, divisão que deverá ser proporcional ao percentual da cota investida por cada empresa.
Reproduzo abaixo a planilha orçamentária preenchida para inscrição do projeto nas Leis de Incentivo em que foi aprovado. A forma como as etapas de produção com os seus respectivos custos são divididas pode facilitar a divisão das cotas, na medida em que elas devem estar relacionadas a itens diferentes do orçamento:
1. pré-produção - pesquisa e finalização do texto (já concluídos). Custo: R$9.000,00

2. produção/execução – copidesque, coordenação editorial, ilustrações, projeto gráfico (capa, miolo, convites, filipetas ou marcadores de livro e cartazes), editoração eletrônica, scanner, impressão e supervisão gráfica. Custo: R$63.310,00
3. divulgação e mídia – assessoria de imprensa (contato direto com a mídia do Rio e São Paulo: distribuição de releases, convites e alguns exemplares - releases para a mídia nacional), correio e frete (envio obrigatório de exemplares do livro e convites de lançamento para os órgãos públicos que concederam o Incentivo Fiscal: MINC e Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro), lançamento no Rio (contratação de salão e conjunto musical); lançamento em São Paulo (passagens aéreas – ida e volta e hospedagem). Custo: R$8.000,00
4. despesas administrativas – assessoria jurídica (contratos com editoras), coordenação administrativa- financeira (prestação de contas). Custo: R$7.700,00
5. impostos /tarifas/seguros – tarifa de manutenção de conta bancária e ECAD. Custo: R$495,00
Benefícios oferecidos ao patrocinador:
Além da divulgação da empresa patrocinadora, por sua marca estar com destaque em todo o material de divulgação citado no Plano de Mídia, e também na capa dos 3.000 exemplares do livro, à empresa será destinada 10% da edição, que corresponde a 300 exemplares.
Parece-me também interessante, sobretudo para uma empresa instalada no Rio de Janeiro, ter a sua marca associada a um projeto que contribui para resgatar a memória da cidade, que vem se transformando e se descaracterizando tão inexoravelmente. Houve muitas mudanças na qualidade de vida, na qualidade das relações e nos valores. A população dobrou várias vezes, a sociabilidade tornou-se infinitamente menor. Não havia esta avalanche de meios eletrônicos de comunicação - para certas finalidades hoje imprescindíveis – mas que de certa forma afastam as pessoas do convívio. A velocidade da tecnologia e a competição feroz pela sobrevivência nos impõe um ritmo estressante, por isto, no período retratado no livro, a vida era mais leve, mais inocente, mais lúdica e festiva.
Estas características, tão associadas ao carioca, encantam o resto do Brasil e do mundo. Portanto, saber mais sobre a vida na cidade, nos anos 50 e 60, é de interesse geral; sobretudo porque no livro todos os personagens, situações e ambientes são reais, foram vivenciados pelo autor e registrados no momento em que ocorreram e formam assim um painel muito vivo de aspectos cidade, de sua gente, naquele tempo.
A ideia de fazer o lançamento em uma gafieira com músicas da época, faz parte da proposta de resgate desta memória, mas também traz uma vantagem adicional que é a mídia que o evento pode suscitar, certamente muito maior que um lançamento convencional em livraria. Por meio de algum conhecimento que o autor tem no meio jornalístico, por ter sido também profissional da área, pretende-se utilizar todos os meios de comunicação para divulgar o livro, seu lançamento e consequentemente a marca do seu patrocinador , por meio de entrevistas, matérias, artigos e notas. Temos por princípio o dever de prestigiar o patrocinador, pela sustentação que dão aos projetos culturais e outros de interesse social, ou seja, proporcionando as condições efetivas para que as obras sejam criadas e produzidas. Assim sendo, além do nome e marca sairem na capa do livro, nos convites, nos marcadores de livro e cartazes, em todas as entrevistas que forem conseguidas nas diversas mídias manifestaremos os nossos agradecimentos ao patrocinador.
Tipo de incentivo:
- Lei Rouanet e Proac - ICMS/RJ

PEDRA DA MEMÓRIA

Nº 72


Segmento do projeto ( X ) audiovisual
Gênero: ( X ) livros (X ) exposição
Título do projeto: Pedra da Memória
Local do projeto / nome do local: ( X ) livraria (X ) teatro ( ) praças ( ) cinemas ( X ) outros/ indique nome: museus, galerias, centros culturais, pontos de cultura, cinemas etc.
Região do projeto / município / estado:
São Paulo (SP), São Luís (MA), Recife (PE)
Valor do projeto: indique valor numérico e por escrito
Valor de R$ 166.391,00 – ( cento e sessenta e seis, trezentos e noventa e um reais )
Temáticas: (X )educação humanidades, publicação de livro, cultura popular, tradições brasileiras.
Explicação do projeto:
O projeto Pedra da Memória, que recebeu duas vezes o Prêmio Interações Estéticas da FUNARTE, realizou, ao longo de dois anos, registros de mais de 30 comunidades de tradições musicais em 6 estados brasileiros, e também na África, quando levou ao Benin uma comunidade afro maranhense liderada por Mestre Euclides Talabyan, um dos ícones de nossa cultura tradicional, registrando encontros e celebrações. Dirigido pela musicista e pesquisadora Renata Amaral, o projeto reuniu mais de 300 horas de registros audiovisuais e 10 mil fotos no Brasil e no Benin, além de entrevistas e depoimentos fundamentais da memória destes mestres. Este material, já organizado e pré editado em um documentário de 58 min, tem como objetivo a finalização técnica do filme e a publicação de um livro de arte, que trará encartado o DVD, revelando em edição esmerada os textos destas memórias e depoimentos, cujo foco foi a relação entre memória e criação, e as fotos realizadas ao longo da pesquisa. O filme traz um diálogo estético entre as tradições populares do Brasil e do Benin, revelando seus vínculos e particularidades, conduzido por desenhos de Carybé.
O projeto prevê ainda a realização, em São Luís (MA) e São Paulo (SP), de eventos de lançamento da publicação, com exposição fotográfica, exibições do filme e rodas de conversascom Mestre Euclides, Brice Sogbossi e Renata Amaral.
Graças aos prêmios que possibilitaram 2 anos de residências artísticas no nordeste e sudeste do Brasil e na África, somados aos 20 anos de estreita convivência de Renata com estas comunidades, Pedra da Memória reuniu um enorme acervo de registros de alta qualidade técnica e estética, que acompanhou mestres e brincadeiras por longos ciclos de festejos. O objetivo do projeto é trazer a público um material inédito e precioso sobre as tradições populares brasileiras e sua relação com os afro brasileiros do Benin, em uma aproximação poética e reveladora conduzida pela memória de Mestre Euclides e os desenhos de Carybé. Esta memória é pedra fundamental da construção da identidade brasileira .
Os escravos que saíam do porto de Ouidah (Benin) rumo ao novo mundo, eram levados antes à Árvore do Esquecimento, plantada pelo rei Agadja em 1727. Em torno desta árvore, os homens deveriam dar nove voltas, e as mulheres sete, para que se esquecessem de suas origens, sua identidade cultural, suas referências geográficas.
Sabiam os mercadores de escravos que a memória é arma poderosa de resistência, ferramenta de identidade e instrumento de criação. Mnemósine, deusa grega que é a personificação da Memória, não por acaso é a mãe das Musas. Pedra da Memória quer fazer o caminho inverso da Árvore do Esquecimento, e fomentar os re-conhecimentos.
Sinopse / resumo / comentário: O projeto propõe a publicação do livro Pedra da Memória, com textos editados a partir de mais de 80 entrevistas realizadas com mestres e brincantes de 6 estados brasileiros, em relatos que remontam ao século XIX, resgatados pela tradição oral ouvida de seus pais e avós em gerações de artistas populares e sacerdotes. Reveladoras, estas memórias são pedra fundamental da construção de nossa identidade. Com texto de Renata Amaral, prefácio por Brice Sogbossi. Tiragem - 2000 exemplares, 320 páginas.
Finalizar o documentário, cujo formato (56min) é direcionado à exibição em TVs e festivais. Já editado a partir de mais de 300hs de registros inéditos e imagens de acervo, serão realizados os tratamentos de áudio, imagem/cor, legendagem em inglês e francês, e videografismos com desenhos de Carybé. Prensagem - 2000 cópias encartado no livro.
Realizar 2 eventos de lançamento em São Luís (MA) e São Paulo (SP), com a montagem de uma exposição fotográfica, exibições do documentário e rodas de conversas com a participação de Mestre Euclides e o antropólogo Brice Sogbossi, sempre com entrada franca.
Distribuir gratuitamente 30% da tiragem para as comunidades registradas no projeto e 10% da tiragem a escolas, bibliotecas e outros equipamentos culturais.
LIVRO 320 páginas + CAPA
MIOLO: Tamanho 30x30cm (fechado), 4x4 cores, papel couchê liso LD 150 g/m²
CAPA: Tamanho 32x68cm (aberto), 4x0 cores, papel couchê liso LD 150 g/m²
GUARDA: 4 folhas, 30x30cm, sem impressão em Off-set LD 150g.
ACABAMENTO: Capa-dura com guardas, Costurado, Colado, Laminado fosco (CAPA), High Gloss (CAPA), faca/envelope para DVD.
Tiragem: 2000 exemplares.
DVD
NTSC, cor, duração 56 minutos, áudio português 2.0, legendas em inglês e francês
Tiragem: 2000 cópias
Outros detalhes do projeto:
Os Agudás são hoje cerca de 10% da população do Benin. A herança brasileira lá é surpreendente e pouco conhecida. Com a abolição da escravidão, escravos forros, em geral pequenos comerciantes e artesões, voltaram daqui para o Benin, formando uma elite local que dominou o comércio e a construção civil do país por toda a 1ª metade do séc XX. Os Agudás se consideram brasileiros, invertem desconcertantemente nossa noção de ancestralidade cultivando com impressionante dedicação tradições de seus antepassados como o Carnaval, a Festa do Senhor do Bonfim e a Burrinha.
A maior parte dos custos, (viagem, equipe, registros, direitos, edição, etc), já foi viabilizada pelas premiações, tornando muito favorável o custo para a finalização de uma publicação deste porte. O material é inédito e surpreendente. A doação de 30% da tiragem às comunidades registradas fomenta seu protagonismo e continuidade.
Veja mais:
Clipe doc:
www.youtube.com/watch?v=xeI3WquHKaw
Publicações:
marcushistorico.blogspot.com/2010/08/pedra-na-memoria.html
www.cultura.ma.gov.br/portal/sede/index.php?page=noticia_extend&loc=nhozinho&id=8
diariodoandre.com/2010/08/12/volta-inversa-na-arvore-do-esquecimento/
Doc FANTI ASHANTI:
www.youtube.com/watch?v=B6iypRcSy44&feature=related(parte1) www.youtube.com/watch?v=h36GBjnG0Q4&feature=related (parte2)
Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ):
10.000 pessoas - leitores, musicistas, escolas, professores, intelectuais, comunidades tradicionais, etc.
Plano de Mídia:
Assessoria de Imprensa: Realizada pela ECOAR – Escritório de Comunicação e Artes, se dará durante todo o projeto e nos lançamentos, a fim de obter resultados significativos em mídia espontânea.
Mailing eletrônico: E-Flyers enviados para um mailing list de aproximadamente 130 mil pessoas, com o apoio da Rede Nacional de Pontos de Cultura e do Ponto de Cultura Convergência Digital.
Material gráfico: 100 Cartazes (42x30cm couchê F180g) e 4000 convites/postais (10x15cm couchê F150g) distribuídos em locais estratégicos de afluxo do público alvo por ocasião dos lançamentos. Banners afixados nos locais dos lançamentos.
Distribuição: 30% dos produtos (livro/DVD – 600 exemplares) distribuídos para comunidades tradicionais, escolas, Pontos de Cultura e outros equipamentos culturais.
Cotas de patrocínio:
Uma cota: R$ 166.391,00 – Patrocínio exclusivo – APRESENTA
Duas cotas: R$ 83.195,50 – Patrocínio
Três cotas: R$ 55.463,66 – Co-Patrocínio
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cota de 10% da tiragem da publicaçãp (livro + DVD – 200 exemplares) para distribuição do patrocinador.
Logomarcas da empresa aplicadas na programação visual dos produtos, na página de apresentação e contracapa/livro e no rótulo/DVD.
Logomarcas aplicadas em todas as peças gráficas (cartazes, postais/convites, banner)
Logomarca em tela cheia nos créditos iniciais e finais do documentário
Autorização de uso dos registros do projeto para uso institucional da empresa.
Divulgação do patrocínio da empresa em toda oportunidade de divulgação do projeto, inclusive press-releases e entrevistas
Realização de Exposições, exibições do filme e roda de conversas gratuitas em São Luís (MA) e São Paulo (SP)
Doação de 20% dos produtos às comunidades de tradição popular visitadas pelo projeto, para venda/divulgação de suas atividades
Doação de 10% dos produtos a equipamentos culturais
A visibilidade da marca permanece além da execução do projeto com a exibição do filme em TVs e festivais e a distribuição gratuita das publicações
Tipo de incentivo: ( X ) Lei Rouanet

ORQUESTRA POPULAR PAULISTANA

Nº 73


Segmento do projeto: Música
Gênero:   ( X ) música  
Título do projeto: Orquestra Popular Paulistana
Local do projeto / nome do local:   (  ) livraria  ( X) teatro (X ) praças ( ) cinemas (X ) outros/ indique nome: Pontos de Cultura, Parques, Comunidades Tradicionais, escolas.
Região do projeto / município / estado:
O projeto propõe 15 espetáculos e oficinas da Orquestra em cidades do interior paulista e capitais de oito estados brasileiros (MA, CE, PE, PB, AL, RJ, MG, SP).
Valor do projeto: Valor de R$ 403.090,00 – Quatrocentos e três mil e noventa reais.
Temáticas:  (X )educação - Música e tradições populares.
 Explicação do projeto:
O projeto pretende realizar 15 espetáculos da ORQUESTRA POPULAR PAULISTANA nas cidades de São Paulo, São José dos Campos, Suzano, Mogi das Cruzes e São Carlos (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Recife (PE), São Luís (MA), Maceió (AL), Fortaleza (CE) e João Pessoa (PB), sempre apresentado com entrada franca ou a preços populares. O espetáculo traz um olhar contemporâneo acerca de gêneros tradicionais brasileiros em diálogo com a música de sopros, revelando seus vínculos e particularidades. 
Realizar, nas mesmas cidades, ensaios abertos e oficinas gratuitos em módulos temáticos com grupos de 50 alunos – música de roda, percussão, sopros e capacitação para educadores, sempre utilizando material de cultura tradicional e explorando as propostas de criação estética e formação integral do indivíduo possibilitados por ela. 
Oferecer aos grupos contatados Kits didáticos com sugestões de exercícios de musicalização, partituras, arranjos para sopros e coletânea de fonogramas do acervo do grupo A Barca sempre tendo como foco o diálogo com as tradições populares brasileiras. 
Contratar e capacitar produtores locais dentro das comunidades. 
Criar um sítio de conteúdo na Internet para a divulgação do projeto, disponibilizando livremente partituras, fonogramas em mp3, fotos, textos e trechos em vídeo dos espetáculos.
 Sinopse / resumo / comentário: 
A Orquestra Popular Paulistana é um coletivo formado pelo grupo A Barca, que tem como foco o diálogo com as tradições populares brasileiras, realizando um trabalho abrangente de produção de espetáculos, pesquisa e arte-educação. 
O projeto propõe a realização de 15 espetáculos e oficinas da Orquestra em cidades do interior paulista e capitais de oito estados brasileiros (MA, CE, PE, PB, AL, RJ, MG, SP),oferecendo gratuitamente opções de formação e entretenimento a comunidades com acesso restrito a bens culturais. Em parceria com Pontos de
Cultura, comunidades tradicionais, bandas estudantis e escolas da rede pública, o projeto irá integrar o espetáculo à convivência da comunidade explorando o potencial de espaços de lazer não convencionais como praças, galpões, quadras e escolas que deverão continuar a ser ocupados. O projeto prevê ainda a criação de um site para divulgação do projeto, disponibilizando livremente partituras, fonogramas, fotos, textos e trechos em vídeo dos espetáculos.
Outros detalhes do projeto:
Uma das maiores escolas da música brasileira, as bandas de música há mais de três séculos se mantêm em franca evolução musical. O timbre visceral dos metais e da percussão, essencial na cultura popular brasileira, foi mestiçado, gingado, e se estabeleceu, como música de rua que é, na base de diversos gêneros de nossas tradições populares como o aciranda, o maracatu rural, o boi de orquestra, o frevo, o carimbó, as folias e inúmeros outros. Estes gêneros, por sua vez, influenciaram significativamente nossa música urbana, do forró ao samba, como ritmos matrizes da estética musical contemporânea. Assim, este círculo de interrelações se afirma e concretiza com a circulação da Orquestra Popular Paulistana por cidades que preservam fortemente a tradição das bandas de música. 
Dirigida por Lincoln Antonio e Renata Amaral, músicos e pesquisadores da cultura tradicional brasileira, e tendo ainda como convidado o maestro Ademir Araújo, um dos maiores compositores e arranjadores do Nordeste, Orquestra Popular Paulistana é um diálogo interessante e fundamentado entre a tradição das bandas de música e nossos gêneros populares que busca, em uma ação integrada às vivências e oficinas, valorizar as expressões locais e fomentar a formação e capacitação crítica do público, revelando os Brasis aos brasileiros.
Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ):
 Oficinas: 600 pessoas
Espetáculos e ensaios abertos: 7.000 pessoas
Site: cerca de 35.000 acessos
 Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc. 
Assessoria de Imprensa: Realizada pela ECOAR – Escritório de Comunicação e Artes, se dará durante todo o projeto observando as características específicas das mídias locais, a fim de obter resultados significativos em mídia espontânea. 
Material gráfico: 1.500 Cartazes (42x30cm couchê 180g) e 30.000 convites/postais (10x15cm couchê 150g) distribuídos em locais estratégicos de afluxo do público alvo. 5.000 programas distribuídos nos espetáculos. 2 Banners afixados nos locais das oficinas e espetáculos. 
Mailing eletrônico: E-Flyers enviados para um mailing list de aproximadamente 130 mil pessoas, com o apoio da Rede Nacional de Pontos de Cultura e do Ponto de Cultura Convergência Digital. 
Prospecção e divulgação direta nas comunidades atendidas com contratação de produtores locais e contato com lideranças comunitárias, escolas públicas, cooperativas, associações e Pontos de Cultura. 
Divulgação em redes sociais (Facebook, Twiter), MySpace, e outras redes/grupos e fóruns virtuais.
Cotas de patrocínio: Cite em quantas partes está dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio.
Uma cota: R$ 403.090,00 – Patrocínio exclusivo – APRESENTA
Duas cotas: R$ 201.545,00 – Patrocínio
Três cotas: R$ 134.363,33 – Co-Patrocínio
Quatro cotas: R$ 100.772,50 – Co-Patrocínio
 Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso, além de cotas de patrocínio. 
Logomarcas aplicadas em todas as peças gráficas de divulgação (cartazes, postais/convites, programas, banner) e na página inicial do site. 
Logomarcas aplicadas nos kits didáticos distribuídos aos grupos atendidos pelo projeto. 
Autorização de uso dos registros do projeto para uso institucional da empresa, conforme regulamento. 
Divulgação do patrocínio da empresa em toda oportunidade de divulgação do projeto, inclusive press-releases de imprensa e entrevistas em quaisquer meios. 
Cota de 10% dos ingressos para todos os espetáculos para distribuição interna do patrocinador

Tipo de incentivo:  ( X  ) Lei Rouanet 

MULHERES DE CAIO

Nº 74


Segmento do projetoTeatro
Gênero: drama
Título da peça / projetoMulheres de Caio
Teatro / Local do projetoTeatro Eva Herz em Brasília
Valor do projeto: R$ 161.000,00
Explicação do projetoMulheres de Caio é um espetáculo teatral adaptado de Caio Fernando Abreu.  Apontado como um dos expoentes de sua geração, o escritor gaúcho escreveu sobre mulheres como poucos. São quatro histórias do autor, que adaptadas se transformam em apenas uma, onde sonho e realidade se misturam. Esse é o ponto de partida de “Mulheres de Caio”, peça que, com poesia, delicadeza e humor apresenta uma visão dramática do mundo contemporâneo.  A montagem sugere ambientes diversos como as ruas do centro da cidade, um bar, uma sala de cinema ou mesmo um quarto onde os ânimos se exaltam e os conflitos íntimos das personagens se evidenciam radicalmente.  Nesta atmosfera, o cenário transforma-se de repente em um cabaré, onde as sete atrizes representam as dores e as delícias do universo feminino proposto pelo autor. “Mulheres de Caio” fala sobre solidão, angústias, sonhos e fantasias com uma pitada de humor, compondo ao lado do drama uma imagem mais próxima à da complexidade do feminino.  .
 Justificativa: O universo de Caio Fernando Abreu vem atraindo cada vez mais atores, diretores, dramaturgos e estudiosos. Todo esse interesse se dá por sua ficção se desenvolver acima dos convencionalismos de qualquer ordem. Longe do superficial, Caio encanta pela coragem de sua própria exposição.  É comum encontrar seus textos adaptados para o teatro, pois estes apresentam dramas profundamente humanos, seus personagens contam  histórias em tom confessional, o que faz com que o espectador sinta-se cúmplice das intimidades dos protagonistas.   Ao contrário da grande parte das montagens teatrais baseadas em sua obra, as quais priorizam temas como o homossexualismo, a ditadura militar, a exclusão social ou as angustias masculinas, a montagem aqui proposta, ressalta o olhar sensível do autor para os anseios e contradições do universo feminino.   Caio Fernando Abreu se utiliza do humor para retratar as dores da alma sem perder a observação cuidadosa dos dramas cotidianos. Essa oposição de sentimentos é que interessa à arte do teatro.   Através da complexidade proposta em cada personagem de Caio pretendemos investigar e assim criar um espaço de reflexão poética  a respeito das condições humanas nos dias de hoje.  O teatro é um instrumento de comunicação extremamente privilegiado que mobiliza a  inteligência do indivíduo, evoca seus resíduos culturais, ampliando dessa forma a sua  visão de mundo.  
Sinopse / Resumo / comentário:  Quatro histórias do autor Caio Fenando Abreu, que adaptadas se transformam em apenas uma, onde sonho e realidade se misturam. Esse é o ponto de partida de “Mulheres de Caio”, peça que, com poesia, delicadeza e humor apresenta uma visão dramática do mundo contemporâneo. 
A montagem sugere ambientes diversos como as ruas do centro da cidade, um bar, uma sala de cinema ou mesmo um quarto onde os ânimos se exaltam e os conflitos íntimos dos personagens se evidenciam radicalmente.  
O  elenco se alterna em narradores e as protagonistas dos contos "O Príncipe Sapo”, “Creme de Alface”, “Os Sobreviventes” e “Dama da Noite”.Nesta atmosfera, o cenário transforma-se de repente em um cabaré, onde as sete atrizes representam as dores e as delícias do universo feminino proposto pelo autor. “Mulheres de Caio” fala sobre solidão, angústias, sonhos e fantasias com uma pitada de humor, compondo ao lado do drama uma imagem mais próxima à da complexidade do feminino.  
Outros detalhes do projeto:
Mulheres de Caio é mais do que uma peça, é um projeto que surgiu do encontro de sete jovens atrizes fascinadas pelas possibilidades cênicas dos textos de Caio Fernando Abreu. Sem patrocínio, a montagem foi possível graças às festas realizadas pelo grupo. A festa “Caio na Rampa” reuniu a comunidade do Rio de Janeiro em prol de duas temporadas de sucesso na cidade. Com a verba arrecadada nas cinco edições, as atrizes e realizadoras de Mulheres de Caio se juntaram a uma equipe de profissionais de criação, também parceiros do projeto e financiaram todos os custos dessa produção
Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ):  1.500 pessoas
Plano de Mídia:   2 anúncios no jornal( caderno cultura de sexta-feira) 30 chamadas no rádio,100 cartazes,  2.000,00 filipetas e midías espontanêas.
Cotas de patrocínio: O patrocinador terá uma cota de 10 convites duplos por apresentação
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso,  além de cotas de patrocínio.
a inclusão da logomarca em todo nosso material , cotas de convites, e espaço para divulgação da sua empresa em video promocional de 30 ' a ser apresentado no início da peça.
Benefícios oferecidos ao patrocinador : A inclusão da logomarca em todo nosso material , cotas de convites, e espaço para divulgação da sua empresa em video promocional de 30 ' a ser apresentado no in´cio da peça.
Parceiros: Gomus Coletivo
Produção / Produtora/ Razão social :Sete Takes Negocíos Culturais
Tipo de incentivoLei Rouanet

CRIANDO O MUNDO

Nº 75


Segmento do projeto:     (x) artes cênicas
Gênero:  (X) teatro  
Título do projeto: Criando o Mundo
Local do projeto / nome do local:    (x) teatro
Região do projeto / município / estado: São Paulo - SP
Valor do projeto: 245.062,00 (duzentos e quarenta e cinco mil e sessenta e dois reais)  
Explicação do projeto: A Cia. Independente de Teatro vem apresentar seu novo projeto cultural – aprovado no artigo 18 da Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei  8.313 de 23 de dezembro de 1991), conhecida também por Lei Rouanet – “Criando o Mundo”, um espetáculo teatral infantil. Temporada de três meses na cidade de São Paulo, totalizando 32 apresentações, a preços populares, visando a acessibilidade e a formação de público nas Artes Cênicas, a Cia. Independente de Teatro busca estimular a criatividade e a imaginação, com um espetáculo que aborda a linguagem do palhaço.
Afim, de resgatar a importância das lendas abordamos de maneira divertida e lúdica a lenda da criação do mundo. Visa atingir cerca de 6400 espectadores e ainda distribuir gratuitamente 1280 ingressos para crianças das classes B e C, através de ONGS voltadas para infância e juventude. As artes cênicas atuam com relevância na difusão da cultura, educação e informação das crianças.
Partindo da idéia de que podemos interpretar livremente os mitos que fazem parte de nossa formação, a Cia. Independente de Teatro se vale de uma fusão de linguagens cênicas para recontar às crianças de maneira interativa e lúdica uma das lendas mais antigas da humanidade: A criação do mundo.
A inspiração para este espetáculo vem da pesquisa de diversos textos e lendas sobre a criação do mundo. Utilizando música, brinquedos e brincadeiras de rua, as personagens desta história são ao mesmo tempo criadores e criaturas. Não há mitificação, este espetáculo propõe uma gostosa brincadeira. 
Sinopse / resumo / comentário:  Era uma vez... Os palhaços mambembes Belle, Caleb e Debbi, que em busca de novas aventuras e palhaçadas encontram num escuro porão uma grande e velha arca que abarca todo o tipo de brinquedo entre com muita imaginação e criatividade, contam a famosa lenda da criação, brincando, cantando e criando o mundo. 
Outros detalhes do projeto: Como medida de acesso, será locado um espaço teatral que tenha comprometimento social, permitindo assim, que portadores de necessidades especiais tenham acesso não só ao teatro, mas também a lugares que lhes permitam plena visão do espetáculo e de fácil acesso às saídas de emergência.
Quanto aos impactos econômicos, o projeto gerará rendas temporárias com a contratação de mão de obra e a contratação de serviços terceirizados. Toda a mídia impressa de divulgação será produzida em material reciclado. 
Olá Iremar, encaminho as informações pendentes, se faltar qualquer detalhe por favor entre em contato, ok? Muito obrigada, Fernanda. 
Estimativade público e perfil , ( quantidade e perfil ):
Visa atingir 6.400 espectadores das classes B e C, sendo esse um público formado por rianças e jovens, acompanhado de seus pais. 
Planode Mídia: Sítio de Internet, E-mail, Convite Eletrônico Cartazes Impressos (30) e olhetos Impressos(7.000).
Cotasde patrocínio: Cite em quantas partesestá dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio.
O valor do projeto está dividido em apenas uma parte, com o valor total de R$ 245.062,00. 
Benefícios oferecidos ao patrocinador: O patrocinador terá sua marca estampada com destaque em toda a mídia impressa e de internet e terá direito a 300 ingressos gratuitos para seus funcionários, ou como desejar distribuir, durante a temporada. Lembrando que o patrocinador poderá acompanhar todo o processo de ensaios e montagem, e se for de seu interesse, realizaremos  uma pré estréia apenas para a empresa.

Tipo de incentivo: ( x ) Lei Rouanet

MULHERES DA BÍBLIA - MUSICAL

Nº 76


Segmento do projeto: artes cênicas 
Gênero: teatro 
Título do projeto:
 Mulheres da Bíblia - Musical
Local do projeto / nome do local: teatro 
Região do projeto / município / estado: São Paulo/SP
Valor do projeto:  R$  508.190,00  (Quinhentos e oito mil e cento e noventa reais)
Temáticas: Mulher/  3ª idade / Comunidade religiosa
Explicação do projeto: Adaptação e montagem teatral do musical inspirado nas canções de Elizabeth Swados, autora do musical Off-Broadway “Bible Women” (1995),com 2 meses de ensaio/produção e 4 meses de temporada na cidade de São Paulo. Durante a pré-produção será realizados audições para o elenco, e tradução e adaptação do texto e musicas. Criação dos figurinos e cenário do espetáculo. E iniciaremos os ensaios com duração de no maximo 2 meses. O elenco será composto de 06 atrizes e cantoras e 01 ator cantor que fará os 03 personagens masculino. A equipe de criação por 01 diretor geral, 01 diretor artístico, 01 diretor musical e 01 preparador corporal. Serão criados 15 figurinos para os personagens, e 01 único cenário. Além dos adereços de cena. A temporada será de 4 meses a partir da estréia, com sessões aos sábados e domingos.
RESUMO: A  trama tem o intuito de mostrar a história de algumas mulheres do livro mundialmente conhecido A Bíblia Sagrada, independente de religião – mostrando sua luta e reconhecimento –contada através dos números musicais. Elas expõem suas qualidades, seus desejos, preocupações e angústias e, assim, se mostram fortes para a batalha da vida. São seis mulheres, cada uma com sua vivência, que nos fazem refletir sobre o Universo Feminino e seu poder. O público irá relacionar as personagens bíblicas às mulheres contemporâneas que são muitas em uma - mãe, esposa, profissional, etc. – e são sempre eficientes, amáveis, justas e completas no que fazem.MULHERES DA BÍBLIA – O MUSICAL valoriza a alma feminina, mostrando sua importância, força e até mesmo suas fraquezas porque sem as mulheres, o que seria do mundo?
SINOPSE:  Este musical épico apresenta ao publico seis das principais mulheres da Bíblia, num fictício encontro que se passa no Jardim do Éden. As canções interpretadas pelas atrizes contam as histórias de cada personagem e são executadas por uma orquestra, ao vivo. As personagens femininas escolhidas para compor o musical são:
Eva, a primeira mulher criada da costela de Adão, que foi tentada pela serpente a comer do fruto proibido, dando-o em seguida a ele. Fazendo-os serem expulsos do Éden.
Ester, uma jovem judia que se tornou rainha da Pérsia com  a de seu primo Mordoqueu, arriscou sua própria vida a libertação de seu povo.
- Rute, a jovem viúva moabita que preferiu cuidar de sua sogra Noemi, cumorindo sua obrigação de filha voltando para Israel, onde se casa com Boaz parente de Noemi.
- Sara, esposa de Abraão que teve seu primogênito Isaque em idade avançada, que logo depois foram provados por Deus que ordenou que o filho fosse sacrificado, sendo impedido no momento certo por um anjo.
Miriam, irmã de Moisés, que o colocou ainda  bebê  numa cesta revestida de betume no Rio Nilo, para salvá-lo da ordem do Faraó de matar todos os bebes israelitas, após a libertação do povo do Egito teve papel importante durante a viagem  pelo deserto.
Débora, a forte juíza que liderou os israelitas contra o domínio de Canaã. Ela foi, antes de tudo, uma conselheira, discutindo e sugerindo soluções para pessoas com problemas.
Para reforçar a ação dramática e cooperar com a construção narrativa da montagem, alguns personagens masculinos estão presentes, tais como Mordoqueu, primo de Ester; Boaz, marido de Rute; e Adão, o primeiro homem; que serão representados pelo mesmo ator.
Estimativa de público e perfil, (quantidade e perfil): Serão 04 meses de temporada com apresentações aos sábados e domingo, totalizando 32 sessões,  levando-se em conta a capacidade no geral dos teatros serem para 500/600 pessoas, previmos uma média de 12.000 espectadores.
Por se um espetáculo musical  com a temática sobre mulheres é indicado a partir de 12 anos.
Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.
- Assessoria de impressa
- Spot de TV 30”
- Mídia no Metrô
- Site
- Programa
- 10.000 filipetas, 
- 1.000 Cartazes, 
-  02 Banners, 
-  Midia Impressa (jornal, guias)
Cotas de patrocínio:  Valor do projeto é de R$  508.190,00  , a cotas podem ser negociadas com as empresas.
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Para facilitar a participação da sua empresa neste Projeto, a Imaginattus Produções está qualificada a utilizar a Lei de Incentivo à Cultura – Rouanet – com o PRONAC nº 108966.
Cota “Apresenta”
-Exibição da logomarca com destaque principal:
Cartaz do espetáculo     
Filipetas
Banners
-Espaço de 01 página para comunicação da empresa:
 Programa do espetáculo:
Divulgação em mídia:
Jornal (nacional e local)
 Revista
Mídia no espetáculo:
Inclusão da logomarca, com destaque, no vídeo de abertura do espetáculo.
Direito à exibição de até um minuto de publicidade institucional ou comercial na abertura do espetáculo.
Marketing Cultural
Cada cota “Apresenta” dá direito a 01 sessão exclusiva para sua empresa.
Demonstração ou degustação de produtos no saguão do teatro (a combinar).
Cota “Patrocínio”
Exibição da logomarca com destaque principal:
Cartaz do espetáculo     
Filipetas
Banners
Espaço de 1/2 página para comunicação da empresa:
 Programa do espetáculo:
Divulgação em mídia:
Jornal (nacional e local)
Revista
Mídia no espetáculo:
Inclusão da logomarca, com destaque, no vídeo de abertura do espetáculo.
Direito à exibição de até um minuto de publicidade institucional ou comercial na abertura do espetáculo.
Marketing Cultural
Cada cota “Patrocínio” dá direito a 5% da lotação de cada teatro nas sessões.
Cota “Apoio”
Exibição da logomarca com destaque principal:
Cartaz do espetáculo     
Filipetas
Banners
Espaço de 1/5 página para comunicação da empresa:
Programa do espetáculo:
Divulgação em mídia:
Jornal (nacional e local)
Revista
Mídia no espetáculo:
Inclusão da logomarca, com destaque, no vídeo de abertura do espetáculo.
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

THE BEATLES

Nº 77


Segmento do projeto:  (x )artes cênicas
Gênero:  ( x)teatro 
Título do projeto: O Espião dos Beatles
Local do projeto e nome do local:   (  )livraria  (x )teatro
Região do projeto / município / estado: (teatro Tônia Carreiro – Leblon / Rio de Janeiro / Rio de Janeiro)
Temáticas: musical com nova estética.
Explicação do projeto:
A grande motivação para a produção desse espetáculo, se deve ao fato da quantidade de fãs dos Beatles existente em todo o mundo.Para esses fãs, reviver momentos da história da banda, é sempre uma experiência única.
No Brasil, existem poucas oportunidades dessa vivência. Portanto, o espetáculo atingirá de forma contundente a emoção de cada um desses fãs, trazendo, para eles, o preenchimento da lacuna que o fim da banda deixou.Através de uma viagem à obra dos Beatles e aos anos 60, o público vai se deliciar com as músicas, que continuam a ser unanimidade através dos tempos.
Um mergulho na década de 1960, onde são contadas histórias de suas primeiras tentativas, às vezes frustradas pelas gravadoras, de mostrarem seu trabalho, sua música, bem como o desenvolvimento da história do grupo que fascinou o mundo.
É um espetáculo dinâmico, divertido, com músicas alucinantes, tocadas por uma banda ao vivo, e que consegue equilibrar isso tudo, com uma linguagem inovadora para o teatro. Esse espetáculo vai permitir a todos, inclusive aos mais jovens, que curtem a obra dos Beatles, a aprender mais a respeito da década que marcou os rumos da música popular mundial.
A montagem dessa peça vale por tudo que apresenta e pelo prazer e a realização de produzir um musical inesquecível, através de um formato novo e contemporâneo.
Sinopse
O Espião dos Beatles, é um musical apresentado com uma nova estética, que mistura uma entrevista divertida com apresentação de músicas inesquecíveis e momentos cômicos, além de um passeio pela vida do grupo. No início do texto, o Espião revelará porque na época o governo do ditador Salazar (Portugal) o contratou. Estavam temerosos com mais uma ameaça de invasão em seu território (paranóia), pois o país, em sua história, foi invadido por: romanos, mouro s, gregos, celtas, fenícios, espanhóis, franceses entre outros. O nome dos invasores agora era The Beatles. O Espião português alega ter espionado os Fab four, desde a criação a banda, contará fatos pitorescos. Todos os álbuns serão citados e, também, curiosidades sobre algumas canções. O decorrer do texto será mesclado com uma banda cover, dançarinos, e cenas dos anos 60. E, assim de álbum em álbum, vamos revendo fatos, imagens e músicas inesquecíveis. O cenário terá três mudanças: Talk Show, Início e Final dos anos 60.
resumo
A grande motivação para a produção desse espetáculo, se deve ao fato da quantidade de fãs dos Beatles existente em todo o mundo.Para esses fãs, reviver momentos da história da banda, é sempre uma experiência única.
No Brasil, existem poucas oportunidades dessa vivência. Portanto, o espetáculo atingirá de forma contundente a emoção de cada um desses fãs, trazendo, para eles, o preenchimento da lacuna que o fim da banda deixou.Através de uma viagem à obra dos Beatles e aos anos 60, o público vai se deliciar com as músicas, que continuam a ser unanimidade através dos tempos.
Um mergulho na década de 1960, onde são contadas histórias de suas primeiras tentativas, às vezes frustradas pelas gravadoras, de mostrarem seu trabalho, sua música, bem como o desenvolvimento da história do grupo que fascinou o mundo.
É um espetáculo dinâmico, divertido, com músicas alucinantes, tocadas por uma banda ao vivo, e que consegue equilibrar isso tudo, com uma linguagem inovadora para o teatro. Esse espetáculo vai permitir a todos, inclusive aos mais jovens, que curtem a obra dos Beatles, a aprender mais a respeito da década que marcou os rumos da música popular mundial.
A montagem dessa peça vale por tudo que apresenta e pelo prazer e a realização de produzir um musical inesquecível, através de um formato novo e contemporâneo.
Nota: A Sala Tonia Carrero, do Teatro do Leblon tem rampas, elevadores, espaços nas platéias para cadeirantes, banheiros adaptados e uma equipe treinada para atender quaisquer solicitações, está a disposição desse público específico.
Portanto, todas as medidas para garantir a acessibilidade estão garantidas aos Portadores de Necessidades Especiais.
comentário: 
A concepção proposta pela direção busca dar movimento a estrutura dramática de um texto que inicialmente seria o que poderíamos intitular de uma simples entrevista, explorando de forma psicodélica, os efeitos, sensações e imagens que a música dos Beatles pode causar à experiência do consciente humano. E partindo da premissa de que a psicodelia é uma manifestação da mente que produz efeitos profundos pela percepção de aspectos da mente anteriormente desconhecidos, inusitados e caracterizada pela exuberância criativa livre de obstáculos, a obra dos Beatles se encaixa bem sob esta perspectiva em que a direção se lança para contar tal história, afinal, os quatro jovens de Liverpool viraram o mundo, literalmente, de cabeça para baixo com suas músicas. Criaram composições que se tornaram célebres pelo mundo afora, burlando fronteiras físicas e mentais. Os anos 60 era até então um mundo em preto e branco e é a música dos Beatles que colorirá esse mundo. E em termos de encenação, será exatamente este o objetivo da direção, criar a percepção de um mundo que foi ganhando cor com cada música e eventual sucesso lançado pela banda Inglesa. Com cenários e figurinos que da simples neutralidade vão ganhando vida, a cada dado revelado por seus fãs, a cada experiência musical experimentada pelos mesmos, deixando emergir as cores da rebeldia, da revolução de costumes, do amor, e do rock and roll.
O retrato de uma época que vai sendo pintado sob os olhos e percepções de dois grandes fãs infiltrados em um cotidiano programa de TV, que disfarçados de meros profissionais do ramo da comunicação e investigação, vão aos poucos deixando suas máscaras caírem, e deixando vir a tona a sua incontrolável paixão Beatlemaníaca, que psicodelicamente teria movido e transformado gerações, inclusive a deles. E é neste ponto que então se desvendam também as intenções da direção quanto aos caminhos para a interpretação destes dois personagens, Brás e Lulu Lennon que são fio condutor e informativo da trajetória desta banda tão importante para o Mundo. Buscando-se a partir daí traçar uma interpretação que trafegará entre a paixão de um fã por seu ídolo até a comicidade produzida por essa mesma paixão. Buscando-se a personificação desta obsessão destes personagens, através do desvendar de suas loucuras, taras e manias Beatlemaníacas.
Como o próprio dicionário diz essas experiências psicodélicas incluem alucinações, mudanças de percepção, sinestesia, estados alterados de consciência semelhantes ao sonho, psicose e êxtase religioso. E é esse o nosso principal objetivo.
 Outros detalhes do projeto:
Comédia teatral musicada, contando a história fictícia relacionando espionagem na época do governo Salazar e a banda The Beatles. Trata-se de um Talk Show, com apresentação de bailarinos e música ao vivo, fazendo um paralelo entre a história e a música dos Beatles, de forma cronológica. Um espetáculo que emocionará os fãs dos Beatles e apresentará a banda de forma lúdica para os jovens que não viveram esse período da história. Serão 45 (quarenta e cinco) apresentações.
Estimativa de público e perfil: 
a receita para um grande sucesso de público é: Beatles, Humor Inteligente e um belo musical. Com isso vamos alcancar as classes A, B e C, e todas as idades amam os Beatles.
Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará  e quantidades: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.
Folheto
Impressos
Convite
Impressos
Cartaz/Poster
Impressos
Busdoor (vidro traseiro)
Impressos
Convite Eletrônico/Folder Eletrônico
Internet
Folder formato até A4(21x29,7cm)
Impressos
Anúncio de Rodapé
Jornal
Banner/faixa adesiva/faixa de lona/saia de palco/testeira/pórtico
Impressos
Rádio
Fm
Cotas de patrocínio: Cite em quantas partes está dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio.
em quatro parcelas de 25%.
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso,  além de cotas de patrocínio.
toda apublicidade e comentários sobre o musical, o nosso parceiro e patrocinador será citado. caso o patrocinador tenha clientes com fidelidade, os mesmos pagarão 50% do valor do ingresso o mesmo preco que os ingressos de idosos e estudantes. Em todas as sessões o patrocinador ganhará 16 ingressos. Estamos abertos para outras sujestões do patrocinador.

Tipo de incentivo: ( x )Lei Rouanet

EXPOSIÇÃO AS CIDADES BIFURCADAS / ITÁLIA - BRASIL

Nº 78


Segmento do projeto:
artes plásticas
Gênero: exposição
Título do projeto: exposição - As Cidades Bifurcadas / Itália - Brasil
Autor / adaptação: Frida Projetos Culturais
Direção / coordenação: Frida Projetos Culturais
Local do projeto / nome do local: Local a ser definido
Região do projeto / município / estado: O projeto será realizado em São Paulo (a princípio), mas envolve também Rio de Janeiro e Pernambuco
Valor do projeto: R$ 245.412,70 (duzentos e quarenta e cinco mil, quatrocentos e doze reais e setenta centavos)
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico:
artistas: Lourival Batista (Brasil - PE), Matheus Rocha Pitta (Brasil - RJ), Marcelo Cidade (Brasil - SP), Manuel Scano (Itália), Coletivo Motel Lucie (Itália), Davie Balliano (Itália)
palestrantes: Suely Rolnik (Brasil), Marco Senaldi (Itália), Guilherme Wisnil (Brasil), Pier Luigi Sacco (Italia)
Ficha técnica dos principais envolvidos:
Sobre a produtora: Frida Projetos Culturais é uma produtora especializada na elaboração, produção e gestão de projetos culturais, sociais e educacionais. Sediada em São Paulo, a frida se destaca por desenvolver iniciativas socioculturais que integrem diversas linguagens artísticas e educacionais.
Sobre o curador: Gabriel Bogossian é curador e pesquisador em arte contemporânea que atualmente desenvolve um trabalho sobre a produção artística no Brasil e exterior. É grande conhecedor da cultura e do cenário da arte contemporânea italiana, tendo traduzido diversa publicações importantes da literatura italiana.
Explicação do projeto: O Projeto As Cidades Bifurcadas propõe a realização de uma exposição de arte contemporânea e um ciclo de palestras que discutirão um repertório de questões comuns a cidades italianas e brasileiras. Através do pensamento artístico e reflexivo sobre o espaço público, artistas e intelectuais de ambos os países apresentarão suas produções e reflexões, promovendo assim um intercâmbio artístico-cultural que fomente as relações entre Itália e Brasil e também amplie a percepção sobre nosso próprio território.
Serão expostas obras de artistas plásticos italianos e brasileiros inseridos na cena da produção artística contemporânea. Através da analogia entre duplas de cidades, 6 artistas (3 artistas de cada país) apresentarão seus trabalhos frente aos temas propostos pela curadoria do projeto.
Já o Ciclo de Palestras complementará o debate aberto pela exposição, ampliando o alcance do diálogo proposto entre as obras e as duplas de cidades. Serão 3 dias de conferência nos quais intelectuais brasileiros e italianos conduzirão debates relacionados ao tema do projeto.
As ações do Projeto As Cidades Bifurcadas estão alinhadas à realização do Momento da Itália no Brasil 2011-2012 e foram aprovadas pela Embaixada Italiana.
Outros detalhes do projeto: O projeto prevê a produção de um catálogo bilíngüe diferenciado ( Português/Italiano ) com imagens das obras dos artistas e textos reflexivos dos palestrantes.
Parceiros: Embaixada Italiana, Istituto di Cultura Italiana di São Paulo.
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

ARTE NO METRÔ ARTUR ALVIM

Nº79


Segmento do projeto:
Artes Plásticas
Gênero: exposição
Título do projeto: Arte no Metrô Artur Alvim
Autor / adaptação: José Raimundo (Arte Naif )
Direção / coordenação: Renato Modesto
Local do projeto / nome do local: Estação de Metrô Artur Alvim (escultura permanente)
Região do projeto / município / estado: Zona Leste / São Paulo – SP
Valor do projeto: R$ 306.671,97 (trezentos e seis mil, seiscentos e setenta e um reais e noventa e sete centavos)
Elenco / Artistas / atores / cantores / artista plástico: Artista Plástico: Jose Raimundo (Arte Naif)
Ficha técnica dos principais envolvidos: Criação: Atelier Sarasa
Curadoria: Ferrão (artista plástico)
Produção/Direção: Renato Modesto
Sinopse / resumo / comentário: A região do Metrô Artur Alvim é composta por população principalmente os migrantes brasileiros advindos de diversas regiões do Brasil.
Desta forma. José Raimundo pretende efetuar uma justa homenagem através dos seus painéis a saga dessa população.
No metrô Artur Alvim será exposto dois painéis de cerâmica do artista plástico José Raimundo.
Os dois painéis serão instalados, na parte superior das duas paredes localizadas ao lado das escadas rolantes, no corredor da plataforma do trem.
O artista busca simbolizar em suas obras a arquitetura das casas, os animais e a vida cotidiana da população residente na zona rural, projetando todo o seu passado de trabalho nas fazendas.
Nos painéis serão mantidas as características estéticas encontradas nas obras do artista naïf José Raimundo onde nos mostra a temática rural em cores vibrantes, como forma de ilustração de sua origem humilde na cidade de Silvianópolis, localizada ao extremo sul do Estado de Minas Gerais.
Cada painel será confeccionado com 238 placas de cerâmica esmaltada na medida de 15 x 15 cm, totalizando a medida de 2,70 x 3,30m.
As placas de cerâmicas receberão “pintura sobre vidrado” OG (Over Glass), sofrendo posteriormente uma queima oxidante, de baixa temperatura (720º), para a preservação das cores.
Outros detalhes do projeto: Estação Artur Alvim é uma estação do metrô da cidade de São Paulo, parte da Linha 3 –Vermelha, localizada na Avenida Dr. Luis Aires s/n°, na Zona Leste. Esta estação entrou em operação em outubro de 1988.
Nesta estação circulam por dia cerca de 58.000 pessoas ao dia.
Deste público freqüente na estação Artur Alvin a maioria é composto de pessoas entre 20 a 35 anos, estudantes e jovens profissionais que utilizam o metrô com destino ao centro da cidade, acesso à escola e escritórios, sendo a maioria das pessoas nascidas na cidade de São Paulo, porém de família originária do interior, de origem simples e até da zona rural do país, sendo que uma pequena parte dos usuários é composta de idosos.
Parceiros: Companhia do Metropolitano de São Paulo – METRÔ.
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

NOËL ROSA – O POETA, O MÚSICO, CRONISTA DE UMA ÉPOCA

Nº 80


Segmento do projeto: artes cênicas
Gênero: teatro
Título do projeto: Noël Rosa – O Poeta, o Músico, Cronista de Uma Época
Local do projeto / nome do local (X) teatro
Região do projeto / município / estado: São Paulo – SP
Gênero: espetáculo cênico musical – musicas ao vivo
Valor do projeto:
ROUANET: R$ 540.328,00 ( SÃO 36 APRESENTAÇÕES DE 6ª Á DOMINGO- 3 MESES )
PROAC-ICMS-SP : R$ 250.000,00 - ( 24 APRESENTAÇÕES – 2 MESES, 6ª A DOMINGO )
Temáticas ( X )3ª idade ( X ) outros: jovens e adultos.: vida e obra de Noël Rosa, um dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos.
Algumas músicas que serão tocadas:
Com que roupa? – 1929 (Noël Rosa)
Três Apitos – 1931 (Noël Rosa – póstumo)
Feitio de Oração – 1933 (Noël Rosa e Vadico)
O Orvalho Vem Caindo – 1933 (Noël Rosa e Kid Pepe)
Linda Pequena (Pastorinhas) – 1934 (Noël Rosa e João de Barro)
Conversa de Botequim – 1935 (Noël Rosa e Vadico)
Feitiço da Vila – 1934 (Noël Rosa e Vadico)
Pierrô Apaixonado – 1935 (Noël Rosa e Heitor dos Prazeres)
O X do problema – 1936 (Noël Rosa)
Último Desejo – 1937 (Noël Rosa)
Fita Amarela – 1932 (Noël Rosa)
Explicação do projeto: Este espetáculo cênico-musical objetiva dar continuidade às homenagens a Noël Rosa mesmo após o centenário do nascimento desse grande artista, permanecendo em cartaz durante três meses(de sexta-feira a domingo) em um teatro de fácil acesso, na cidade de São Paulo. A vida de Noël desfila pelo palco: os problemas familiares (pai suicida, irmão epiléptico), os envolvimentos amorosos, a polêmica musical com Wilson Baptista, a luta íntima contra o defeito facial (provocado pelo parto a fórceps), os amigos cantores e/ou compositores (Almirante, Lamartine Babo, Joel e Gaúcho, Nonô, Orestes Barbosa, Nássara, Ismael Silva, Wilson Baptista, Homero Dornellas, Braguinha, Vadico, Mário Lago, Mário Reis, Francisco Alves, Aracy Cortes, Aracy de Almeida e Marília Baptista) até o momento da morte precoce, porém o enfoque especial dá-se às grandes obras que ele compôs em apenas 7 anos (1929 a 1937) e – inédito – o fato que inspirou cada criação.
Doze atores da CYa. Grita Absoluta interpretarão 42 personagens e cantarão, ao vivo, 42 músicas (39 de Noël e 3 de Wilson Baptista), algumas coreografadas, acompanhados pelo Grupo JB Samba.
Sinopse / resumo / comentário: lGênero: biografia musical /
lDuração: 2 horas (intervalo de 10 minutos entre os 2 atos)
lLinguagem: preserva o tom coloquial da época, utilizado pelo pessoal do morro e da cidade.
lCenário: o interior (sala de estar e quarto) do chalé onde morava Noël Rosa, o botequim onde se reuniam os amigos, o quarto de Ceci, a delegacia de polícia e o cabaré.
lAção: 1910; 1929 a 1937.
lFigurinos: da época.
lCoreografias: idealizadas de acordo com a época, como, por exemplo, um baile de carnaval.
lMúsica: ao vivo, principalmente de Noël Rosa, mas com novos arranjos, mais modernos.
lPúblico-alvo: Voltada para qualquer tipo de público, de qualquer classe social e idade, esta peça é um musical que encerra drama e comédia. A terceira idade vai deliciar-se por recordar; já a maturidade e a juventude vão conhecer e compreender o que representou, no Brasil, a Época de Ouro do Samba.
Outros detalhes do projeto: A música brasileira constitui patrimônio inestimável para a humanidade, mas, em geral, tem maior reconhecimento do público internacional, porque o brasileiro tem contato principalmente com o que se divulga nos grandes meios de comunicação, mais imediato e de fácil assimilação, e esses meios não dão prioridade a autores do passado. Talentos e obras admiráveis muitas vezes são esquecidos ou subvalorizados pela posteridade, o que gera um entendimento distorcido de si mesmo por parte do brasileiro, que, carente de hábito ou de formação estética, mal se percebe em seus valores e sensibilidade, oriundos apenas de músicas que cantarola e dança sem saber o autor. A principal meta deste projeto é levar essas informações àqueles que amam a boa música, em especial o samba, mas pouco sabem dos que o popularizaram e traduziram, em verdadeiros poemas, nossa brasilidade. Nosso desejo é que se conheça a importância da Época de Ouro para a música atual e se descubra que tantas canções que ainda hoje se cantam, gravadas por Zeca Pagodinho, Maria Rita, Inimigos da HP, entre tantos outros, têm um autor genial: Noël Rosa!
Depois de uma temporada muito bem-sucedida de dois meses com esse espetáculo (em maio e junho de 2011), queremos dar continuidade ao projeto e voltar a encenar a peça teatral Noël Rosa – O Poeta, o Músico, Cronista de Uma Época, de autoria de Cybele Gianinni, mantendo-a em cartaz nos palcos paulistanos por três meses, com três sessões semanais, num total de 36 apresentações.
Estimativa de público e perfil ( quantidade e perfil ): por volta de 9.000 pessoas.
Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes e quantidade de inserções, etc.
Paga: folder, flyer, cartaz, banner e inserções em jornais e revista.
Espontânea: e-mail, nosso site, TV, rádio, revistas espeializadas de teatro.
Cotas de patrocínio: ROUANET: O patrocinador poderá doar todo o valor (R$540.328,00), ou metade (R$270.164,00)/ ProAC: R$250.000,00 (Total) ou R$125.000,00 (parcial).
Tipo de incentivo: (X) Proac- ICMS/SP ( X ) Lei Rouanet
Parceiros / apoiadores do projeto: Na temporada passada, tivemos o patrocínio da Brahma e da Eurofarma, pelo ProAC-ICMS e o apoio cultural de: Folha de S. Paulo, Fing’rs, Lukscolor, Payot, Perucas Hi Fi, Camisaria Colombo, Miguel Giannini Óculos, Casa do Bixiga Antigo, Giannini Instrumentos Musicais, Gope, Depósito de Meias S. Jorge, Bazar 25 de Março, Origini, Casa do Tule, Bolsa Nacional de Compensados, Prefeitura de S. Paulo, Ricci & Colella, Estúdio Cápsula, Cantina D’Amico Piolim, Restaurantes Planeta’s e Luna di Capri, Saldit Software

PONTO BR - CIRCULAÇÃO

Nº 81


Segmento do projeto: música
Gênero: ( x ) música
Título do projeto: Ponto br - Circulação
Local do projeto / nome do local: ( ) livraria ( X) teatro ( X) praças - Pontos de Cultura, Parques, Comunidades Tradicionais, escolas.
Região do projeto / município / estado: Realizar 15 apresentações do espetáculo Na Eira, do Ponto br, nas cidades de São Carlos, São José dos Campos, Suzano, Iguape, Ribeirão Preto, Mogi das Cruzes e São Paulo, todas no estado de São Paulo, e nas capitais: Belém (PA), São Luís (MA), João Pessoa (PB), Recife (PE), Maceió (AL), Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro (RJ).
Valor do projeto: R$ 361.844,00 - trezentos e sessenta e um mil, oitocentos e quarenta e quatro reais.
Temáticas: ( X)educação - Social, música, tradições populares.
Explicação do projeto: Ponto br é um coletivo formado por músicos contemporâneos e mestres da cultura tradicional, que propõe o espaço da arte como local de encontro e diálogo possíveis entre vertentes e gerações, onde diferenças estéticas, temporais, sociais são harmonizadas revelando uma outra via para o fazer artístico.
Experimentando saberes e sonoridades destas tradições, suas possibilidades formais, texturas vocais e instrumentais e o raciocínio estético proposto pelos mestres, o show na eira tem como resultado uma sonoridade única e atemporal.
O grupo reúne alguns dos principais mestres da nossa cultura tradicional como Mestre Humberto do Bumba Boi de Maracanã; Mestre Walter do Maracatu Estrela Brilhante do Recife e Mestra Zezé Menezes da Casa Fanti Ashanti, em diálogo com a paulistana Renata Amaral, o pernambucano Eder “O” Rocha, o suíço Thomas Rohrer e o maranhense Henrique Menezes, músicos sediados em São Paulo, que trabalham com grupos e artistas como DJ Dolores, Ivaldo Bertazzo, Zélia Duncan, Nação Zumbi, Mestre Ambrósio, Zeca Baleiro e Chico Cesar, entre outros.
Sinopse / resumo / comentário:
O Projeto pretende realizar 15 apresentações do espetáculo Na Eira, do Ponto br, nas cidades de São Carlos, São José dos Campos, Suzano, Iguape, Ribeirão Preto, Mogi das Cruzes e São Paulo, todas no estado de São Paulo, e nas capitais: Belém (PA), São Luís (MA), João Pessoa (PB), Recife (PE), Maceió (AL), Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro (RJ), sempre apresentado com entrada franca ou a preços populares.
Realizar, nas mesmas cidades, 30 oficinas de gêneros populares brasileiros. As oficinas, que atendem a um público cada vez mais interessado em nossas tradições, oferecem uma experiência direta com seus principais mestres, permitido uma rara oportunidade de aprendizado para músicos, educadores e público em geral.
O projeto propõe uma ação integrada de formação de público através da realização de espetáculos e oficinas, tendo como foco o diálogo com nossas tradições populares.
Graças à entrada franca a todas as atividades, a uma estratégia diferenciada de divulgação, à organização de horários compatíveis com os transportes públicos, apresentando um espetáculo de alta elaboração e fácil fruição, o projeto busca ampliar o acesso físico e intelectual do público a todas as atividades.
O projeto traz em seu cerne o comprometimento com a democratização ao ter como foco a cultura tradicional, necessariamente democrática porque feita à margem da mídia, das oficialidades, dos modelos estéticos vigentes. Oferecendo estas atividades gratuitamente, buscando a formação de multiplicadores ao estender as ações ao circuito universitário e promover oficinas para educadores, o projeto visa democratizar o acesso à cultura, promover a capacitação crítica do público e fomentar o entendimento de nosso patrimônio cultural.
Os municípios atendidos foram selecionados pelo potencial de multiplicação e continuidade do projeto através de seu público alvo. Cidades com grandes pólos universitários, com grande número de comunidades tradicionais, Secretarias de Cultura interessadas em parcerias com o projeto, escolas com atividades musicais como bandas e fanfarras, além de Pontos de Cultura e outras redes culturais já contatadas, irão garantir bons resultados ao projeto.
Outros detalhes do projeto:
Cocos, Cirandas, Maracatus, Tambor de Mina, Bois, Rojões e Carimbós são alguns gêneros que compõe o repertório do espetáculo, que explora diversas possibilidades deste diálogo com o uso de bases pré gravadas e recursos cênicos de dança. As oficinas de Bumba Boi, Maracatu Nação e Caixa do Divino, são ministradas pelos Mestres.
Cantado por seus mestres geração após geração, este repertório se funde, se adapta, se particulariza, e tem como resultado ‘hits’ atemporais, filtrados pelo tempo, esculpidos pela memória. São melodias e ritmos matrizes da nossa música urbana, e por terem influenciado significativamente a formação de gêneros como o samba, o forró e outros, são facilmente assimilados, e através da memória coletiva acessamos referências nas quais reconhecemos nossa identidade cultural
Formado em 2002 a convite do Festival Wemilere (Cuba), Ponto br se apresentou em diversos espaços e festivais em São Paulo, representou o Brasil no Karagöz Festival (Turquia), e circulou por diversas cidades de São Paulo premiado pelo PROAC. Patrocinado pela Petrobras, o grupo lançou em 2010 o CD Na Eira em 6 estados, sendo assistido por mais de 15 mil pessoas, com vagas esgotadas em todas as oficinas.
O espetáculo Na Eira é uma investigação estética fundamentada em uma longa convivência com estas comunidades, sua cultura, seus guardiões, em pesquisas que já renderam dezenas de registros em CD e documentários destas manifestações. O universo das tradições populares ficou tão afastado da vida urbana do séc XXI, que cada brasileiro que se depara essas manifestações experimenta inevitavelmente uma redescoberta da própria identidade cultural, social e política. Ponto br transita sem conflitos entre estes universos revelando “os Brasis aos brasileiros”, e propiciando sua vivência em grandes centros urbanos.
Das oficinas:
A oficina de Maracatu Nação, manifestação remanescente dos cortejos de coroação dos reis de Congo, uma das principais expressões da tradição pernambucana. Ministrada por Mestre Walter França, chefe do baque centenário do Maracatu Estrela Brilhante do Recife, um dos maiores do estado.
A oficina de Bumba Boi é oferecida por Mestre Humberto de Maracanã, considerado um dos maiores compositores e cantadores de Bumba Boi de todos os tempos, e líder do Boi de Maracanã, comunidade centenária que é o mais conhecido grupo tradicional do estado.
A oficina de Caixa do Divino, ministrada pela Mestra Zezé Menezes, caixeira régia de diversos festejos no Maranhão, oferece a vivência dos toques e cânticos de uma das expressões mais populares da influência portuguesa em nossa cultura tradicional.
Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ):
Oficinas: 600 pessoas
Espetáculos: 7.500 pessoas
Site: cerca de 35.000 acessos
Plano de Mídia: Assessoria de Imprensa: Realizada pela ECOAR – Escritório de Comunicação e Artes, se dará durante todo o projeto observando as características específicas das mídias locais, a fim de obter resultados significativos em mídia espontânea.
Material gráfico: 1.500 Cartazes (42x30cm couchê F180g) e 30.000 convites/postais (10x15cm couchê F150g) distribuídos em locais estratégicos de afluxo do público alvo. 6.000 programas distribuídos nos espetáculos. 2 Banners afixados nos locais das oficinas e espetáculos.
Mailing eletrônico: E-Flyers enviados para um mailing list de aproximadamente 130 mil pessoas, com o apoio da Rede Nacional de Pontos de Cultura e do Ponto de Cultura Convergência Digital
Prospecção e divulgação direta em comunidades de tradições populares, escolas de música, escolas públicas, cooperativas, associações e Pontos de Cultura.
Divulgação em redes sociais (Facebook, Twiter), My Space, e outras redes, grupos e fóruns virtuais.
Cotas de patrocínio:
Uma cota: R$ 361.844,00 – Patrocínio exclusivo – APRESENTA
Duas cotas: R$ 180.922,00– Patrocínio
Três cotas: R$ 120.614,66– Co-Patrocínio
Quatro cotas: R$ 90.461,00 – Co-Patrocínio
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Cite o que você oferece ao patrocinador, se for o caso, além de cotas de patrocínio.
Logomarcas da Empresa aplicadas em todas as peças gráficas de divulgação (cartazes, postais/convites, programas, banners) na página frontal e na contracapa.
Logomarcas aplicadas na página inicial do site (www.ponto.mus.br).
Banners com as logomarcas afixados em local de destaque nos espaços das oficinas e espetáculos.
Autorização de uso dos registros do projeto para uso institucional da Empresa, conforme regulamento do edital.
Divulgação do patrocínio em toda oportunidade de divulgação do projeto, inclusive press-releases de imprensa e entrevistas em quaisquer meios.
Realização de 15 espetáculos e 30 oficinas gratuitos em 8 estados brasileiros.
Cota de 10% dos ingressos para todos os espetáculos para distribuição interna do patrocinador.
Tipo de incentivo: ( X ) Lei Rouanet

A BANDA TEATRAL E A BUCHARADA MUSICAL

Nº 82


Segmento do projeto:    ( X ) artes integradas
Gênero:  (  x) teatro    (X  ) música  
Título do projeto: A Banda Teatral e a Bicharada Musical
Local do projeto / nome do local:  (x ) teatro
Região do projeto / município / estado: Costa da Mata Atlântica, Vale do Ribeira, São Paulo Capital e Interior.
Valor do projeto: R$ 655.575,00 (Seiscentos e cincoenta e cinco mil, quinhentos e setenta e cinco reais). 
Temáticas:  (x )meio ambiente  (x )educação  (  x )Infantil  ( x)multimídia 
Explicação do projeto: Trata-se de um SHOW MUSICAL TEATRAL INFANTIL AMBIENTAL MULTÍMIDIA para crianças de 2 a 102 anos de idade, envolvendo diversos profissionais da área artística integrando as diversas ramificações da arte: Música, teatro, dança circo, animação e projeção em diversas linguagens. Promoveremos 32 apresentações sob escolha do patrocinador e da Cia. na Baixada Santista, Vale do Ribeira, Capital e Interior do Estado de SP. As apresentações acontecerão em teatros. Realizaremos 10 apresentações destinadas a escolas da rede pública de ensino através de agendamento prévio com entrada gratuita. Serão produzidos 1.000 CDs, contendo as músicas do show com temática direcionada para a conscientização e sustentabilidade ambiental. 80% serão distribuídos gratuitamente a escolas e entidades filantrópicas, 10% entregues ao patrocinador e 10% para o grupo.
Sinopse / resumo / comentário:  Temos como objetivo primeiro, a conscientização das crianças, para uma educação ambiental permanente. Explicitar o que acontece com os animais em extinção, com o meio ambiente e educar para uma atitude de preservação, é o que precisamos fixar na mente das nossas crianças para um futuro mais saudável. Transformá-las em agentes multiplicadores dentro de sua própria casa, expandindo para seu habitat escolar, para seu convívio social; podendo transformar todo o contexto do local em que vivem. O encantamento acontece de impacto quando o público encontra no cenário um grande telão contendo imagens reais e lúdicas que se misturam em diversas linguagens (desenho, massinha, contornos). Entra em cena a Banda composta por bichos em extinção. Existe um roteiro com começo, meio e fim. Imagens complementam o cenário. Um enorme elefante “costura” o espetáculo tentando fazer com que a Banda Teatral o aceite no grupo, mas apenas no final ele é aceito. As músicas são inéditas, as composições são de fácil entendimento e as estrofes de fácil assimilação convidando a todos para cantarem juntos. As melodias misturam blues, jazz, xote, moda de viola entre outros. Cor, encantamento, atores bailarinos e circenses, grandes adereços, equipe de apoio, profissionalismo e qualidade tornarão o show da Banda teatral e a Bicharada Musical um sucesso contagiando a todos.
 Outros detalhes do projeto:
Estimativa de público e perfil, (quantidade e perfil):
19.000 pessoas entre crianças e adultos. Todas as apresentações serão gratuitas.
Plano de Mídia: Plano de Divulgação e Contrapartidas:
Divulgação em mídia impressa (jornais/revistas)
Flyers eletrônicos e hot site,
Banners,
Divulgação em mídia eletrônica (TV/Rádio)
Assinatura no banner da fachada:
Assinatura nos ingressos, convites e credenciais da imprensa.
Produção de 1.000 CDs, com as músicas que serão confeccionadas especificamente para o espetáculo direcionado para a conscientização. 70% serão distribuídos gratuitamente a escolas, 20% p/patrocinadores e 10% p/grupo.
Confecção de 300 camisetas com o nome do espetáculo e as logomarcas dos patrocinadores e apoiadores. 70% serão distribuídos gratuitamente a escolas, 20% p/patrocinadores e 10% p/grupo.
Coquetel de Pré estréia com apresentação exclusiva para patrocinadores e convidados.
Menção dos patrocinadores através de entrevistas para jornais, rádio e televisão feita pelos produtores, Cia Arueiras e atores em todos meios de comunicação do projeto.
Menção de que as empresas (Patrocinadoras) confirmam o seu compromisso com a cidadania, inclusão social e com o Meio Ambiente utilizando o teatro para levar informações e incentivos aos bons hábitos da preservação ambiental.
Menção da importância em se apoiar projetos aprovados por leis de incentivos fiscais incentivando de forma direta as pequenas, grandes empresas e comércio a contribuir para o crescimento da cultura e educação do País. 
 Menção fundamental da democratização e o acesso facilitado ao espetáculo aos portadores de necessidades especiais.
Assinatura do Material Gráfico e Quantidade:
TOY ART/FOLDER PARA JOVENS >>> Impressão, A4, 20.000 unidades, frente.
BANNER >>> Impressão, 70x120cm, 2 (duas) unidades, frente.
BANNER >>> Impressão, 200cm x 300 cm, 1 unidade, frente.
MINI-CARTAZ >>> Impressão, 31x44cm, 200 unidades, frente.
Flyer Eletrônico Promocional:
Assinatura no flyer eletrônico com 2 (dois) disparos mensais p/ mailing contendo 10.000 nomes dos vários segmentos artísticos e empresas patrocinadoras, instituições culturais, escolas municipais, estaduais  universidades, entre outros;
Cotas de patrocínio: Cite em quantas partes está dividido o valor do projeto e como deverá proceder o patrocínio.
Cota - A
Patrocinador
100% - R$ 655.575,00
Cota - B
Patrocinador
75% - R$ 491.681,25
Cota – C
Patrocinador
50% - R$ 327.787,50
Cota - D
Co-Patrocinador
25% - R$ 163.893,75
Os apresentadores, Patrocinadores e Apoiadores terão seus logotipos divulgados e expostos de acordo com sua participação nas cotas de patrocínio, nos seguintes itens:
 Vinhetas de apresentação - No telão antes do início dos Shows será apresentada a empresa (P) com a menção de que (a empresa) confirma o seu compromisso com a cidadania, inclusão social e com o Meio Ambiente utilizando o teatro para levar informações e incentivos aos bons hábitos da preservação ambiental.
O destaque e o tamanho dos logotipos dos apresentadores, patrocinadores e apoiadores do espetáculo serão feitos de acordo com a hierarquia entre essas categorias. É importante ressaltar a associação altamente positiva e carismática de uma empresa com um projeto cultural e ambiental. Esta imagem é reconhecida tanto pelos espectadores diretos quanto por todos que têm acesso à mídia escrita ou falada.
Benefícios oferecidos ao patrocinador:
Tipo de incentivo:  ( X  ) Lei Rouanet    

1º FESTIVAL PRIMAVERA DE TEATRO

Nº 83


Segmento do projeto:X ) artes cênicas
Gênero:  ( X ) teatro  
Título do projeto: 1º Festival Primavera de Teatro
Autor / adaptação:
Local do projeto / nome do local:   (  ) livraria  () teatro ( X) praças / indique nome: diversos teatros centrais em Curitiba como Teatro Guaira, Reitoria... Em praças para Teatro de Rua
Região do projeto / município / estado: Curitiba- Paraná
Valor do projeto: R$ 1.624.585,00 (Um Milhão, Seiscentos e Vinte e Quatro Mil, Quinhentos e Oitenta e Cinco Reais)
Temáticas:  (X)meio ambiente  ( )reciclagem   (  X )Infantil  ( )multimídia  ( X) outros / indique
Explicação do projeto: Um Festival para agregar e valorizar a arte teatral e o artista brasileiro. Alem de ser um  empreendimento sustentável do ponto de vista cultural, econômico e ambiental. O projeto tem como objetivo a valorização da arte, do artista e da democratização de Acesso. Serão 38 espetaculos em competitiva (Competitiva RIA’S: Rua, Infantil, Adulto e Stand Up) com premiação para diversas modalidades; 09 oficinas Gratuitas: Mímica (12h); Maquiagem (12h); Figurino(16h), Cenário (16h); Iluminação (18h); Teatro para Crianças (12h); Teatro de rua (16h); A Técnica no teatro (da maquinaria à contra-regragem – 12h) e Sonoplastia (18h). O evento será todo pensado na sustentabilidade, preocupação ambiental e responsabilidade social. Contribui para a economia da cultura e na mudança de paradigma com responsabilidade.
Outros detalhes do projeto: Os ingressos do projeto vão variar de R$ 30, 00 e R$ 5,00 dependendo do desconto. Serão aplicados descontos gradativos podendo chegar até 80% de desconto.
Estimativa de público e perfil , ( quantidade e perfil ): Artistas, Comunidade em geral de todas as idades, estudantes de arte, intelectuais, formadores de opinião. Pretendemos atingir mais de 10.000 em uma semana
 Plano de Mídia: Anúncio de 1/2 de página em Jornal (4 periodos); Spot de até 15" em Radio(2 periodos com diversas chamadas); Sítio de internet (site do projeto com anuncio na 1ª pagina com link para site da empresa); Busdoor (vidro traseiro- 40 unidades); Painéis em Mobiliário Urbano (2 semanas diversos lugares); Mídia Televisiva (10 periodos- diversas inserções chamadas); Teremos uma Assessoria de Imprensa especializada para Mídia paga e Espontânea.
Cotas de patrocínio: PATROCINADOR PAU BRASIL (Forma de Patrocinio Master em que possibilita a participação de até dois patrocinadores onde cada um contribuirá com uma cota no valor R$ 812.892,50)
PATROCINADOR PINHEIRO (Forma de Co-Patrocinio em que possibilita a participação de até três patrocinadores onde cada um contribuirá com uma cota no valor R$ 541.928,33)
PATROCINADOR PINHÃO (Forma de Co-Patrocinio em que possibilita a participação de até quatro patrocinadores onde cada um contribuirá com uma cota no valor R$ 406.446,25)
EXISTE COTAS DE COLABORAÇÃO DENOMINADAS COLABORADORES PINHA (Colaborações a partir de R$10.000,00 em espécie ou serviços) e COTAS DE PROMOÇÃO (Para veículos de comunicação)
- Todas as Cotas são negociáveis.
Tipo de incentivo: ( X ) Lei Rouanet

A escova do Luizinho

Nº 84


Segmento do projeto:     ( X ) artes cênicas
Gênero:  (X ) teatro  
Título do projeto: A Escovinha Luizinho
Associação / Grupo / Clube / Cia:
Local do projeto e nome do local:   (  ) livraria  (X) teatro
Região do projeto / município / estado: São Paulo/SP
Valor do projeto:   R$ 2.312.380,41 (Dois milhões trezentos e doze mil e trezentos e oitenta reais e quarenta e um centavos)
Temáticas:  ( )meio ambiente  (  )reciclagem  ( )educação  (  )3ª idade  (  )mulher  ( X )Infantil  ( )multimídia  (X ) outros / saúde bucal
Explicação do projeto: Adaptação e montagem teatral do livro infantil, da escritora Dulce Martins,"The Little Toothbrush Named Little Louie" com 2 meses de ensaio/produção e 6 meses de temporada na cidade de São Paulo, com estréia prevista para 2012. Durante a pré-produção será realizados audições para o elenco, criação da trilha sonora através da adaptação do texto. Criação dos figurinos e cenários (palco giratório) do espetáculo. E iniciaremos os ensaios com duração de no maximo 2 meses. O elenco será composto de 12 atores (que farão 02 personagens cada), e a equipe de criação por 01 diretor geral, 01 diretor artístico, 01 diretor musical e 01 preparador corporal. Serão criados 17 figurinos para os personagens, e 09 cenários. Além dos adereços de cena.Na produção/execução do projeto, estrearemos o espetáculo com a ajuda de 2 produtores e seus 2 assistentes. E para execução serão necessários 01 operador de som e 01 operador de luz, 03 maquinistas, 02 contra-regras e 3 camareiras.A temporada será de 6 meses a partir da estréia, com sessões aos sábados e domingos com possibilidade de projeto escola durante a semana.
Resumo: Os atores se vestirão como escovas de dente e os cenários ficarão gigantes nos momentos em que elas falam. É um projeto de âmbito social e de saúde, onde incentiva as crianças e adolescentes a se interessarem no cuidado e limpeza da saúde bucal, valorizando-a. Numa linguagem de fácil entendimento e divertida, o projeto ensinará a importância de como cuidar e utilizar as ferramentas básicas para a saúde bucal. Explicará o modo correto de escovação e utilização do creme dental, fio dental, limpeza da lingua e etc.
Sinopse:  O musical infantil conta a história de uma escovinha chamada Luizinho e seus amigos que na GED (Gerência de Escovas de Dentes) recebem as instruções da missão das escovinhas,que é  beneficiar a saúde bucal da humanidade, principalmente das crianças. Ao saírem da GED para realizar suas missões, um acidente acontece e a caixa onde o grupo de escovinhas de Luizinho cai do caminhão se perdendo do destino. Tim, um pobre garoto encontra a caixa e quando descobre o que tem dentro dela, escolhe uma escovinha verde, o Joãozinho, e decide vender as outras na rua.Um dos compradores é Bob, que escolhe a linda escovinha laranja, o Luizinho. Mas como Bob já tem a sua em casa, decide guardá-la o que deixa Luizinho triste por não cumprir sua tão esperada missão. Como Bob nunca usou a escovinha Luizinho, dá de presente para seu amigo Lucas em troca dele fazer a lição de casa. Com a mudança de casa, Luizinho se anima com a esperança de enfim poder realizar sua missão. Mas Lucas se encanta tanto com a escovinha que decide usá-la somente numa ocasião especial, desanimando de vez Luizinho. Mas algo terrível acontece, o tio de Lucas  quando vai escovar os dentes pega sem querer a nova e linda escovinha laranja. Por sorte de todos, ele é pego em flagrante e não usa Luizinho. Assim  Lucas decide então escovar os dentes com a linda escovinha laranja, fazendo a alegria de Luizinho por finalmente cumprir sua grande missão. Às vezes em nossas vidas, não podemos controlar o que está em volta de nós, mas podemos controlar o que está dentro de nós. Escolha sabiamente e seja corajoso.O espetáculo  ensina que não devemos esquecer quem nós somos  e o que vamos nos tornar. Embora as coisas mudem diariamente, mantenha a esperança e o amor fortes brilhando em nossos corações para alcançarmos o sucesso.
Outros detalhes do projeto:  O elenco é composto de 12 atores (que farão 02 personagens cada), e a equipe de criação por 01 diretor geral, 01 diretor artistico, 01 diretor musical e 01 preparador corporal.
Serão criados 17 figurinos para os personagens, e 09 cenarios. Além dos adereços de cena.
Na produção/execução do projeto, estrearemos o espetáculo com a ajuda de 2 produtores e seus 2 assistentes. E para execução serão necessarios 01 operador de som e 01 operador de luz, 03 maquinistas, 02 contra-regras e 3 camareiras.
A temporada será de 6 meses a partir da estreia, com sessões aos sabados e domingos com possibilidade de projeto escola durante a semana.
Estimativa de público e perfil, (quantidade e perfil): Serão 06 meses de temporada com apresentações aos sábados e domingo e projeto escola com 04 sessões por semana, totalizando 06 sessões semanais. Nas 145 sessões,  levando-se em conta a capacidade no geral dos teatros serem para 500/600 pessoas, previmos uma média de 36.000 espectadores.
Por se um espetáculo musical infantil e com visual bem alegre é indicado para todas as faixas etárias.
Plano de Mídia: Cite quais mídias você usará: jornal, se é rádio, filipetas, cartazes; e quantidade de inserções, etc.
- Assessoria de impressa,
- Spot de TV
- Mídia no Metrô
- Site
- Programa
- 10.000 filipetas, 
- 1.000 Cartazes, 
-  02 Banners, 
-  Camisetas
Cotas de patrocínio:  Valor do projeto é de R$ 2.312.380,41, a cotas podem ser negociadas com as empresas.
Benefícios oferecidos ao patrocinador: Para facilitar a participação da sua empresa neste Projeto, a Imaginattus Produções está qualificada a utilizar a Lei de Incentivo à Cultura – Rouanet – com o PRONAC nº 1114284
Cota “Apresenta”
·      Exibição da logomarca com destaque principal:
Cartaz do espetáculo     
Filipetas
Banners
       ·Espaço de 01 página para comunicação da empresa:
Programa do espetáculo:
       · Divulgação em mídia:
Jornal (nacional e local)
Revista
       · Mídia no espetáculo:
Inclusão da logomarca, com destaque, no vídeo de abertura do espetáculo.
Direito à exibição de até um minuto de publicidade institucional ou comercial na abertura do espetáculo.
       ·      Marketing Cultural
Cada cota “Apresenta” dá direito a 01 sessão exclusiva para sua empresa.
Demonstração ou degustação de produtos no saguão do teatro (a combinar). 
Cota “Patrocínio”
·      Exibição da logomarca com destaque principal:
Cartaz do espetáculo     
Filipetas
Banners
        ·Espaço de 1/2 página para comunicação da empresa:
Programa do espetáculo:
        · Divulgação em mídia:
Jornal (nacional e local)
Revista
        · Mídia no espetáculo:
Inclusão da logomarca, com destaque, no vídeo de abertura do espetáculo.
Direito à exibição de até um minuto de publicidade institucional ou comercial na abertura do espetáculo.
·      Marketing Cultural
Cada cota “Patrocínio” dá direito a 5% da lotação de cada teatro nas sessões. 
Cota “Apoio”
·      Exibição da logomarca com destaque principal:
Cartaz do espetáculo     
Filipetas
Banners
        ·Espaço de 1/5 página para comunicação da empresa:
Programa do espetáculo:
        · Divulgação em mídia:
Jornal (nacional e local)
Revista
        · Mídia no espetáculo:
Inclusão da logomarca, com destaque, no vídeo de abertura do espetáculo.
Tipo de incentivo: Lei Rouanet

PERSISTÊNCIA DA MEMÓRIA

Nº 85


Segmento do projeto:  (X) artes cênicas
Gênero:  (X ) teatro  
Título do projeto: Persistência da Memória
Local do projeto e nome do local:   (  ) livraria  (X) teatro ( ) praças ( ) cinemas (  ) OutrosTeatro de Arena com capacidade mínima para 400 pessoas.
Região do projeto / município / estado: São Paulo – SP
Valor do projeto:   R$ 332.855,00 (trezentos e trinta e dois mil, oitocentos e cinqüenta e cinco reais )   
Temáticas:  Memória e identidade: Alzheimer.
Explicação do projeto:
O espetáculo teatral “Persistência da Memória”, monólogo construído na fricção entre entrevistas com portadores e cuidadores da doença de Alzheimer em São Paulo e a obra de Cora Coralina, pretende realizar 32 apresentações na cidade de São Paulo, estimando contemplar um total de 12.800 espectadores.
Os ingressos serão oferecidos a preços populares.
Ciente da relevância desse trabalho, o grupo organizará durante um mês, um debate ao final de cada apresentação, com a presença dos dramaturgos, da orientadora de pesquisa em história oral e coordenadores convidados dos núcleos de apoio da ABRAz (Associação Brasileira de Alzheimer).
Sinopse / resumo / comentário:  “Somos donos de nossas memórias?”. Essa é a  pergunta-dispositivo da Cia. da Escuta, que há mais de um ano pesquisa a doença de Alzheimer por meio da história oral e investiga a obra da poetisa goiana Cora Coralina. O projeto “Persistência da Memória” refere-se a criação de um espetáculo teatral que reflete o entrecruzamento artístico desse material, compreendendo a importância de dar maior visibilidade e manter vivo o debate sobre a doença de Alzheimer em nosso país.
Justificativa (Porque falar de Alzheimer hoje?): Em todo o mundo estima-s que mais de 35 milhões de pessoas estejam afetadas pela doença de Alzheimer e que esta atingirá 65,7 milhões de pessoas em 2030 e 115,4 em 2050¹.
Em alguns países como a Austrália e França, foram lançados planos de ação que incluem sensibilizar o público em geral e os profissionais de saúde para esta temática. Em outros países, incluindo-se o Brasil, existe uma ausência generalizada da percepção da DA e outras demências como sendo uma condição médica. Quando a conscientização aumenta, podem também aumentar as expectativas de que os serviços de saúde e cuidados tenham capacidade para responder da mesma forma.
No intuito de salientar essas questões e entendendo o teatro como um espaço para a troca de experiências e idéias, o projeto “Persistência da Memória” ganha destaque ao propor um debate crítico e artístico que proporcione ao público uma reflexão sensível sobre o tema e amplie a importância de discuti-lo nos dias de hoje.
Acessibilidade: A Cia. da Escuta preocupa-se com a acessibilidade de portadores de necessidades especiais em suas apresentações.
Para isso, o espetáculo realizado, disponibilizará locais reservados e adaptados para as necessidades deste público. Este projeto manterá esta característica oferecendo um espaço adequado que promova a acessibilidade desta população.
Como o espetáculo atende, também, ao público idoso, outra atenção do projeto é oferecer instalações adequadas e confortáveis a estes espectadores. Além disso, aplicamos a Lei Federal nº 10.741/2003 (Estatuto do idoso) que prevê a meia-entrada a pessoas com idade igual ou superior a 60 anos.
 Democratização de acesso: O projeto tem como premissa incentivar a ampliação do acesso da população a cultura em geral. Aplicando preços populares em seus ingressos.
O espetáculo da Cia da Escuta, por ser ao mesmo tempo de alta qualidade e extremamente popular, atrai público de diferentes idades, locais e classes sociais. Assim o grupo tem trabalhado em busca da democratização e valorização da cultura brasileira por meio da adoção de preços populares nos ingressos e a distribuição gratuita de 20% dos ingressos a instituições idôneas da área social e ao público carente e que não possui condições de arcar com o preço dos ingressos (80 ingressos a cada espetáculo, totalizando 2.560 entradas gratuitas).
O projeto ainda prevê 2 ensaios abertos gratuitos ao público, o que atingirá 800 espectadores. Além disso, o grupo organizará um debate ao final de todas as 8 apresentações do mês de setembro no intuito de ampliar a discussão sobre a doença de Alzheimer e suas implicações físicas e sociais e apresentar o processo de construção do espetáculo – essa iniciativa contemplará 3.200 pessoas.
 Estimativa de público e perfil:  Estima-se 12.800 em 32 apresentações para pagantes a preços populares e 800 pessoas em ensaios abertos ao público, gratuitos. Total: 13.600 adultos de diferentes classes sociais. Buscando democratizar o acesso, serão escolhidos espaços na zona central de São Paulo.
 Plano de Mídia: Anúncio de 1/3 página em jornal de grande circulação, Encarte em Revista,  Site de Internet , 12.800 folders formato A5, 3.200 filipetas, 5 Banners, flyer eletrônico.
 Cotas de patrocínio: Não está dividido em cotas. Todo o patrocínio será realizado pelo artigo 18 incentivo (lei Rouanet)
 Benefícios oferecidos ao patrocinador: 
Apresentações e palestras exclusivas: Podemos oferecer apresentações exclusivas seguidas de um bate-papo com os dramaturgos para o patrocinador como ferramenta de relacionamento, em datas previamente acordadas.
Cotas: Cotas de Convites por apresentação.
 Logomarca: O patrocinador diretamente ou através de suas subsidiárias terá o direito de aplicação de sua logomarca nos diversos materiais de divulgação do Projeto. Os seguintes instrumentos podem ser oferecidos: Programas do Espetáculo, anúncios em jornais, ingressos, home page do espetáculo, banners e etc.

Tipo de incentivo:  ( X ) Lei Rouanet